Pernambuco

O que fazer no Recife: guia completo com dicas de moradora

Pernambuco | 22/07/21 | Atualizado em 29/07/21 | Deixe um comentário

Sei que sou suspeita pra falar, como recifense bairrista e apaixonada. Mas acredito muito que minha terrinha é das capitais brasileiras mais interessantes em termos culturais, e que a maioria dos turistas ignora muitos dos seus melhores atrativos. Nesse artigo sobre o que fazer no Recife, vou incluir as dicas mais tradicionais, mas também algumas recomendações que nem sempre constam nessas listas.

E antes de falar sobre o que fazer no Recife, vou responder brevemente a alguns questionamentos comuns de quem planeja uma viagem: em que época vir, quanto tempo ficar, como se locomover e onde se hospedar. Se ainda tiver dúvidas depois de ler o post, me fala nos comentários!

Leia também:
Todos os posts sobre Pernambuco

Quando ir ao Recife

A melhor época pra ter mais chances de aproveitar todas essas dicas de o que fazer no Recife é o verão. Ou seja: se puder, visite a capital pernambucana entre setembro e março. Melhor ainda se conseguir vir pouco antes ou depois do Carnaval, pra curtir a cidade e também a festa. Em tempos não pandêmicos, Recife e Olinda se enchem de prévias carnavalescas desde dezembro, com festas todo final de semana de janeiro a fevereiro ou março.

Caso pretenda esticar a viagem pelas praias de Pernambuco e estados vizinhos, vale a pena evitar o período entre o Natal e o final de janeiro. Afinal, na alta temporada os preços são mais altos e os lugares ficam mais cheios. No geral, acho importante saber que entre junho e agosto existe grande chance de chuva, o que pode atrapalhar a ida a praias e outros passeios ao ar livre no Recife e arredores. Mas se você gosta de São João, vale a pena vir em junho mesmo e dar uma chegada no interior também.

Pensa em vir passar o Carnaval no Recife ou em Olinda? Confira esse guia de sobrevivência carnavalesco que escrevi.

Quanto tempo ficar no Recife

Hoje em dia, minha resposta pra perguntas tipo “quanto tempo ficar em tal lugar” sempre é “depende”. Afinal, qualquer destino oferece outras possibilidades atém de uma lista básica de pontos turísticos. Se você quiser só conhecer as principais atrações do Recife de um jeito mais superficial, dois dias são suficientes. Mas caso queira explorar mais a cidade, fazendo com calma a maioria dos passeios que indico aqui e visitando outros destinos nos arredores, vale passar uma sem ou mais. No final deste post, você encontra uma sugestão de itinerário pra 3 a 5 dias de viagem.

Aqui no blog você encontra também um post focado nas atrações turísticas mais “alternativas” da cidade e arredores, com roteiro dia a dia pra uma semana lotada de passeios. Publiquei também um texto sobre alguns dos meus restaurantes preferidos no Recife. E se quiser emendar a visita com uma temporada nas praias pernambucanas (ou alagoanas, paraibanas…), some os dias de praia na sua conta.

paço do frevo

Como se locomover no Recife

O metrô do Recife não é muito útil pra quem vem a turismo, já que ele percorre uma região restrita da cidade. Se quiser andar de transporte público, recorra aos ônibus, cujos percursos você encontra em sites e apps como o Moovit.

Atualmente (julho de 2021), a tarifa dos ônibus mais comuns (anel A) é R$ 3,75, mas existem também rotas por R$ 5,10 (anel B) e R$ 2,45 (anel G), além do chamado “serviço opcional” por R$ 4,70 ou R$ 7. A passagem de metrô custa hoje R$ 4.

Infelizmente, o trânsito no Recife é dos piores do país, então prepare-se pra passar bastante tempo em engarrafamentos caso circule nos horários de rush.

Se quiser mais conforto e praticidade, vale usar táxis ou carros de aplicativo. Não acho que compensa alugar carro, a não ser que você vá passar pouco tempo na cidade e seguir pra alguma praia.

Onde se hospedar no Recife

Apesar de meu querido Recife oferecer muito mais atrativos do que a famosa praia de Boa Viagem, é nesse bairro que se concentra quase toda a oferta hoteleira da cidade. Pra fazer passeios turísticos, o ideal é ficar por lá (de preferência mais pra o lado da Praia do Pina) ou pelo Centro.

Se estiver buscando quartos ou apartamentos de aluguel por temporada, recomendo ficar em bairros residenciais agradáveis e centrais como Espinheiro e Graças. E se quiser se sentir fora da cidade grande, considere se hospedar na Cidade Alta de Olinda, onde fica o charmoso Sítio Histórico da cidade.

Aqui no blog você encontra um artigo completo sobre onde se hospedar no Recife e em Olinda. Escrevi também um post só com dicas de hospedagem em Olinda. Se preferir, vá direto conferir as opções de hotéis, albergues, pousadas e apartamentos pra se hospedar no Recife nas datas da sua viagem.

O que fazer no Recife

Vamos, então, às dicas de o que fazer no Recife? Vou separar as recomendações por regiões da cidade, pra facilitar seu planejamento. Minha sugestão é ver quais lugares você acha mais interessantes e marca-los no Google Maps pra organizar o itinerário.

E caso queira fazer só passeios de graça, não faltam opções: confira meu post com 25 atrações gratuitas no Recife.

O que fazer no Recife Antigo

Se você estiver se perguntando o que fazer no Recife em um só dia, nem penso duas vezes: passear pelo Recife Antigo. O bairro mais turístico da cidade, oficialmente chamado de Bairro do Recife, fica na região central da capital pernambucana e é uma graça. Simplesmente caminhar sem rumo por suas ruas de paralelepípedos já vale a visita, mas o Recife Antigo também tem várias atrações legais, além de bons bares e restaurantes. E não é só pra turista ver: ele também abriga o maior polo tecnológico do Norte-Nordeste e é um dos principais centros de lazer e cultura dos moradores.

Marco Zero e Parque das Esculturas

Você pode começar o passeio pela praça Barão do Rio Branco, mais conhecida como Marco Zero. Além de ser o ponto de partida pra marcação das distâncias rodoviárias locais, essa praça é o palco principal pra manifestações culturais como o nosso Carnaval.

Desde a praça, do outro lado do estuário do Rio Capibaribe, você avista o Parque das Esculturas de Francisco Brennand, cujas obras de cerâmica podem ser espiadas mais de pertinho depois de uma travessia de 5 minutos de barco. Geralmente os barqueiros ficam na beira do Marco Zero oferecendo a travessia por uns R$ 10 ida e volta. Eu amo ver o Recife Antigo desse outro ângulo!

Ao redor do Marco Zero você também encontra um complexo de restaurantes e bares, o Centro de Artesanato de Pernambuco e prédios bonitos como o da Caixa Cultural, onde costumam rolar exposições interessantes.

marco zero

centro de artesanato

o que fazer no recife - parque das esculturas

Cais do Sertão

A poucos passos dali fica o museu Cais do Sertão, um dos mais legais que já visitei. O museu usa a vida de Luiz Gonzaga como fio condutor, misturando o tradicional ao moderno. Ele foi instalado no lugar de antigos armazéns do Porto do Recife e aproveita recursos tecnológicos pra abordar diferentes facetas da vida sertaneja: viver, trabalhar, cantar, ocupar, crer, migrar e criar. Saiba mais sobre a visita ao Cais do Sertão.

Endereço: Cais do Sertão – Armazém 10, Av. Alfredo Lisboa, s/n

cais do sertão

Praça do Arsenal e Paço do Frevo

De lá, volte um pouco em direção à Praça do Arsenal, onde fica a Torre Malakoff, espaço cultural que abriga exposições, um observatório astronômico e um mirante. Ao redor da praça você também encontra bares e restaurantes com uma atmosfera gostosa.

E o maior destaque ali é o Paço do Frevo, outro museu de dar orgulho. O acervo não é tão grande, mas sugiro visitar com calma, parar pra ler o Glossário do Carnaval e se emocionar com as poesias escritas nas janelas emoldurando a paisagem. É uma delícia escutar o frevo tocando, observar os detalhes dos estandartes expostos sob seus pés, ver as fotos, fazer uma das mini oficinas gratuitas pra aprender a frevar… É, diria, um museu-poesia. Saiba mais sobre a visita ao Paço do Frevo.

Endereço: Rua da Guia, 117, Bairro do Recife

paço do frevo

Rua do Bom Jesus

Logo ali ao lado fica a rua mais bonita do bairro (já eleita como uma das mais bonitas do mundo :P), a Rua do Bom Jesus. Além dos prédios coloridos, ela abriga a primeira sinagoga nas Américas, Kahal Zur Israel, que pode ser visitada. Na mesma rua, você encontra também a Embaixada dos Bonecos Gigantes, um mini “museu” bem simples que abriga vários desses bonecos que são marca registrada do nosso Carnaval.

rua do bom jesus

Paço Alfândega

Outra coisa que adoro fazer no Recife Antigo é ir no Paço Alfândega, pequeno shopping construído num prédio antigo e charmoso. A dica, aí, é conferir a enorme Livraria Jaqueira que ocupa o térreo do estacionamento e subir até o último andar pra ver a vista do rio.

Aproveite pra espiar também a Igreja Madre de Deus, considerada uma das mais bonitas da cidade, que fica logo ao lado do Paço Alfândega. E se estiver no clima de boemia, siga depois pra um dos bares da Rua da Moeda, bem ali em frente.

Endereço: Rua da Alfândega, 35, Bairro do Recife

Aqui no blog você encontra outro artigo em que falei em mais detalhes sobre o que fazer no Recife Antigo.

Passeio de Catamarã

Outro item que sempre consta nas minhas recomendações de o que fazer no Recife é curtir um passeio com a Catamaran Tours, que tem diferentes roteiros de passeios de catamarã pelo Rio Capibaribe. Meus preferidos são o que passa por baixo das nossas simbólicas pontes no pôr do sol e o que vai até a Ilha de Deus.

Localizada a 10 minutinhos de carro do centro do Recife, essa ilha já foi chamada de “Ilha sem Deus”. Nela, faltava infraestrutura e sobrava violência. Mas a realidade do lugar mudou, e um dos motores pra essa transformação foi o turismo. Hoje, numa visita à comunidade você pode conhecer o trabalho das marisqueiras, comer delícias do mar no bistrô de Negra Linda e até mesmo ver uma apresentação de frevo.

Leia também:
O Recife e suas pontes: passeio de Catamarã

o que fazer no recife - passeio de catamarã

O que fazer no Centro do Recife

Cansou do Recife Antigo e quer continuar passeando? Cruze a ponte que leva à Praça da República (Ponte Buarque de Macedo) e caminhe pelos bairros de Santo Antônio, São José e Boa Vista, que compõem o Centro da cidade. Nem sempre esse roteiro consta nas listas de o que fazer no Recife que vejo por aí, mas é bem legal pra quem quer conhecer o Recife além do óbvio.

Praça da República

Na Praça da República você encontra um baobá bonitão, e ao redor dela ficam o lindo Teatro Santa Isabel e o Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual. Ambos podem ser visitados gratuitamente em alguns dias específicos. Falei aqui sobre a visita ao Palácio.

Capela Dourada

Perto da Praça da República fica a Capela dos Noviços da Ordem Terceira de São Francisco de Assis, mais conhecida como Capela Dourada, parte do complexo de edifícios do Convento e Igreja de Santo Antônio. Com construção iniciada em 1696, a Capela Dourada foi o primeiro templo do Brasil integralmente coberto de decoração barroca. Ela é mesmo BEM dourada, como você pode ver na foto abaixo (da Wikimedia Commons).

Endereço: Altura da Rua Siqueira Campos, R. do Imperador Pedro II, S/N – Santo Antônio

capela dourada no recife

Basílica de Nossa Senhora do Carmo

De lá você pode caminhar até a Basílica e Convento de Nossa Senhora do Carmo, padroeira do Recife, que pertence à Ordem Carmelita. Sua torre de 50 metros de altura é a mais alta torre barroca do Brasil. A cabeça do líder quilombola Zumbi dos Palmares ficou exposta no seu pátio, e hoje existe ali uma estátua em sua homenagem.

Endereço: Avenida Dantas Barreto s/n

Pátio de São Pedro

O Pátio de São Pedro, ali juntinho, é uma ampla praça retangular cercada de construções antigas, tendo como foco a Concatedral de São Pedro dos Clérigos, mais conhecida como Igreja de São Pedro. O espaço costuma ser palco de atrações artísticas. Vale muito a pena almoçar no restaurante São Pedro, inaugurado há alguns anos pelo chef Thiago Chagas pra contribuir com a revitalização do pátio, que tem sido negligenciado pelo poder público.

o que fazer no recife - pátio de são pedro

Leia também:
Cultura negra no Recife: roteiro por lugares representativos

Mercado de São José

Outra preciosidade nessa região é o Mercado de São José, que fica ali perto. Inaugurado em 1875, ele foi o primeiro edifício pré-fabricado em ferro no país, com a mesma estrutura neoclássica dos mercados europeus do século XIX. Além de bonito, esse patrimônio histórico abriga vários estandes que vendem peças em barro, madeira, renda e palha, além de ervas, mel, grãos, peixes e uma infinidade de coisas.

Endereço: Praça Dom Vital, s/n – São José

mercado de são josé

Museu da Cidade do Recife

Outra atração do bairro de São José é o Museu da Cidade do Recife. Ele funciona no histórico Forte das Cinco Pontas, o que já é interessante por si só. O acervo do Museu é constituído de fotografias, mapas e fragmentos arqueológicos que representam a história da evolução urbana do Recife do século XVII aos dias atuais.

Endereço: Praça das Cinco Pontas, s/n – São José

o que fazer no recife - museu da cidade do recife

Casa da Cultura

Outro prédio antigo reaproveitado como equipamento cultural é a Casa da Cultura, um antigo presídio que em 1975 foi transformado em centro de artesanato. Os boxes das lojinhas foram instalados onde funcionavam as antigas celas. O lugar tá meio degradado, mas vale a visita pela história e pra dar uma olhada nas xilogravuras, esculturas, cachaças, bordados e outros artesanatos locais.

Endereço: Rua Floriano Peixoto, s/n – Santo Antônio

Museu do Trem

Juntinho da Casa da Cultura fica o Museu do Trem, um museu ferroviário criado no edifício do século XIX da antiga Estação Central do Recife. O lugar podia ser mais caprichado, mas acho bem válido ir lá numa visita despretensiosa. São centenas de peças sobre a memória ferroviária pernambucana, como locomotivas, assentos, bilheterias, carimbadores, sinalizadores, apitos e relógios, além de fotografias, cartazes, textos e vídeos. Uma bela viagem no tempo!

Endereço: R. Floriano Peixoto, s/n – São José

museu do trem

Museu de Arte Moderna

Já no bairro da Boa Vista, a Rua da Aurora abriga um casario colorido bem simpático e o Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Mamam). Instalado em um antigo casarão do século XIX, o espaço recebe exposições de arte moderna e contemporânea.

Endereço: Rua da Aurora, 265, Boa Vista

Cinema São Luiz

Bem pertinho do Mamam fica o icônico Cinema São Luiz. Inaugurado em 1952, em 2008 ele foi tombado como monumento histórico pelo governo do Estado. Um dos poucos cinemas de rua que resistem no país, o São Luiz abriga anualmente o Festival Janela Internacional de Cinema do Recife. Ele é bem bonito por dentro; se puder, veja um filme lá e admire os vitrais (a foto abaixo, da Wikimedia Commons, dá um gostinho).

Endereço: Rua Aurora, 175

cinema são luiz

Mercado da Boa Vista

A Região Metropolitana da cidade tem mais de 20 mercados espalhados por diversos bairros, que contam um bocado da nossa história e cultura. Os mais interessantes pra quem vem de fora são, pra mim, o da Boa Vista e o de São José. Esse primeiro é pequeno, mas tradicionalíssimo, e focado em comida. Os boxes funcionam como bares, restaurantes ou bodegas, sendo uma ótima pedida pra um almoço regional. No fim de semana, chegue bem cedo (tipo 11h) pra conseguir um lugar pra sentar.

Endereço: R. da Santa Cruz, 144 – Boa Vista

Tours de bicicleta

Quer conhecer alguns dos principais pontos turísticos do Recife num esquema mais “alternativo”? Então recomendo muitíssimo os tours de bicicleta da La Ursa. Eles têm um roteiro que começa em Boa Viagem e vai até o Centro da cidade, passando por alguns dos lugares que mencionei acima. O passeio é feito com as bicicletas de aluguel operadas pela TemBici, com direito a cruzar do Parque das Esculturas pra o Marco Zero com as bicicletas num barquinho.

Outra opção de roteiro da La Ursa é o que sai do Recife Antigo e vai até a cidade vizinha Olinda, que também já fiz e gostei muito. Eles também oferecem um tour pra ver o nascer da lua cheia perto do Marco Zero – esse é sem bicicleta, mas é super legal.

Leia também:
Como é o tour de bicicleta no Recife

o que fazer no recife - passeio de bicicleta no recife

Praia de Boa Viagem

Talvez você esteja se perguntando cadê a praia nesse roteiro, né? A maioria das pessoas pensa logo nisso quando fala sobre o que fazer no Recife, mas gosto de lembrar que a cidade vai muito além de sol e mar. O que não significa, é claro, que não valha a pena curtir a Praia de Boa Viagem, principal praia urbana e um dos cartões-postais da cidade.

A orla não é das mais bonitas do mundo, mas tem lá seu charme. E provavelmente você vai ficar hospedado por lá, já que o bairro abriga a imensa maioria dos hotéis e albergues do Recife. Minha parte preferida da praia são as comidinhas comercializadas por vendedores ambulantes (caldinhos, ovos de codorna, queijo assado, camarão etc.), além das caipirinhas ou caipiroscas de frutas como acerola e umbu-cajá.

Como você deve saber, não é muito recomendável entrar no mar, já que os tubarões vez ou outra dão um pulo por lá. Mas se for beeem no rasinho, com maré baixa e céu limpo, até arrisco um mergulho rápido. Outra opção gostosa (e tubarão-free) é correr ou pedalar na orla: o calçadão tem uns 8km de extensão, com uma pista de cooper, uma ciclovia e várias estações de bikes de aluguel. Em Boa Viagem também ficam a Feirinha de Boa Viagem, com barraquinhas de artesanato e eventuais apresentações culturais, e o Parque Dona Lindu, onde acontecem eventos.

Ah, e se tiver curtido o filme Aquarius, do diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho, aproveite pra dar uma olhada no charmoso edifício onde vive a protagonista interpretada por Sonia Braga. O nome do Edifício Aquarius na vida real é Edifício Oceania e ele fica na Avenida Boa Viagem, 560.

praia de boa viagem

Instituto Ricardo Brennand

Outra figurinha carimbadíssima em listas de o que fazer no Recife é o Instituto Brennand, que chegou a ser escolhido como o melhor museu da América Latina pelo TripAdvisor. Não sou muito fã do espaço, mas a maioria das pessoas curte o passeio.

Lá você encontra um grande castelo “medieval”, uma pinacoteca com várias obras de Frans Post, além de óleos e gravuras de outros artistas, reproduções de alguns quadros famosos, tapeçarias, esculturas, mobiliário e uma grande coleção de armas brancas, incluindo espadas, punhais, facas e armaduras. A área é bem arborizada e agradável.

Endereço: Alameda Antônio Brennand, s/n – São João – Várzea

o que fazer no recife - instituto ricardo brennand

Oficina Francisco Brennand

Perto do Instituto Brennand fica a Oficina Brennand, criada pelo primo de Ricardo, Francisco. Ele é o mesmo artista responsável pelas esculturas de cerâmica que você vê a partir do Marco Zero e por várias obras espalhadas por painéis e prédios da cidade.

Instalado numa antiga fábrica de tijolos e telhas herdada pelo artista, nas terras do Engenho Santos Cosme e Damião, o complexo de museu e ateliê abriga centenas de esculturas, murais, painéis, pinturas, desenhos e objetos cerâmicos assinados por Brennand, com inspiração na mitologia grega romana, história, fauna e flora e muitos temas fálicos. :P

Endereço: Propriedade Santos Cosme e Damião, s/n, Várzea

oficina francisco brennand

Zona Norte do Recife

Uma das regiões mais bonitas do Recife é ignorada por boa parte dos turistas, mas espero que você não faça o mesmo. A Zona Norte da cidade abriga bairros charmosos como Casa Forte, Jaqueira, Graças e Espinheiro, que são mais residenciais, mas valem a visita.

Além de contarem com algumas ruas (ainda) arborizadas e agradáveis e ótimos restaurantes, bares e cafeterias, esses bairros abrigam algumas atrações mais turísticas.

No bairro de Casa Forte, recomendo dar um pulo na Praça de Casa Forte, primeiro jardim público criado pelo paisagista Burle Marx. Além de apreciar as vitórias-régias que decoram os “laguinhos” da praça, aproveite pra tomar um sorvete na Gelateria Bellucci, comer uma pizza na italianíssima Morosi Pizza & Forno ou tomar um café no Pellicanno.

Depois, atravesse a Avenida 17 de Agosto e adentre a histórica Estrada Real do Poço, uma das entradas pra o charmoso bairro Poço da Panela. Ele é quase um santuário urbano, com seu casario antigo e ruas tranquilas. A região é lar principalmente da classe média alta e muita gente que mora lá hoje herdou as casas construídas ali por aristocratas que queriam se beneficiar dos banhos do Capibaribe, que na época supostamente faziam bem à saúde. Além de andar sem rumo, sugiro passar pela simpática igrejinha de Nossa Senhora da Saúde e dar uma olhada na mini Abbey Road que fica na Rua Monsenhor Lôbo, pintada no muro e calçada por uma moradora. Ah, também tem uns bistrôs bem fofos por lá.

Outras recomendações de o que fazer no Recife também ficam ali pertinho, como o Museu do Homem do Nordeste e a Casa-Museu Gilberto Freyre. O primeiro fica na Av. 17 de Agosto, 218, e reúne obras que representam a pluralidade das culturas negras, indígenas e brancas que formam nosso país. Ele nasceu em 1979, da fusão de três outros museus: o Museu de Antropologia, o Museu de Arte Popular e o Museu do Açúcar (1963-1978). Adoro o acervo!

o que fazer no recife - museu do homem do nordeste

Já a Casa-Museu Magdalena e Gilberto Freyre, localizada mais adiante na Rua Jorge Tasso Neto, Apipucos, abriga a antiga residência do sociólogo pernambucano, conservada da forma em que ele a deixou. No casarão do século XIX, rodeado por um sítio ecológico, são mantidos em exposição objetos pessoais, móveis antigos, porcelanas, pratarias e peças de arte popular.

casa-museu gilberto freyre

Sugestão de roteiro no Recife dia a dia

Dia 1: Passeio pelo Recife Antigo

Se você for visitar todos os museus e equipamentos culturais, comer num restaurante e fazer o passeio de catamarã, pode reservar um dia inteiro pra o Recife Antigo e esticar pela noite. Se quiser só caminhar por lá e entrar em um ou dois museus, uma tarde pode ser suficiente, possivelmente combinada com uma manhã na praia ou em Olinda.

Dia 2: Praia + Passeio de bicicleta ou Passeio de bicicleta + Centro

Passe a manhã na praia e depois faça o passeio da La Ursa Tours que sai de Boa Viagem e vai até o Centro, ou então comece o dia com esse passeio e aproveite pra caminhar pelo Centro quando chegar por lá, no fim do tour.

Dia 3: Casa Forte e Brennands

Caminhe pelo Poço da Panela, vá no Museu do Homem do Nordeste, visite a Casa-Museu Gilberto Freyre e então pegue um Uber pra o Instituto Brennand e/ou pra Oficina Brennand.

Dia 4: Olinda

Ao fazer uma visita ao Recife, aproveite pra conhecer também o Sítio Histórico da cidade-irmã Olinda. Confira os posts sobre o que fazer em Olinda e onde ficar em Olinda. Confira também se o Free Walking Tour Olinda está funcionando.

Dia 5: Outras atrações

Vá passar um dia comendo e bebendo à beira-mar, se não fez isso ainda (ou se quiser repetir). Se preferir, confira meu roteiro alternativo no Recife e arredores e escolha alguns passeios. Ou então faça um bate-volta ou vá passar uns dias numa das praias próximas ao Recife, como Porto de Galinhas, Calhetas ou Itamaracá. Leia também meu post sobre as melhores praias de Pernambuco.

Ficou com alguma dúvida sobre o que fazer no Recife? Tem dicas de passeios que não mencionei aqui? Fala nos comentários!

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário