Pernambuco

Turismo alternativo no Recife e arredores: roteiro de uma semana

Pernambuco | 15/10/19 | Atualizado em 28/11/19 | 2 comentários

Seis produtores de conteúdo de viagem, uma semana e uma missão: explorar o Recife e arredores indo além do óbvio. Esse foi o #CreatorsPE, projeto que criei pra mostrar às pessoas um bocadinho do turismo alternativo no Recife.

Durante sete dias, visitei junto com outros blogueiros e instagrammers vários atrativos turísticos pouco convencionais de Olinda, Recife e do Litoral Norte do Estado. O foco da programação, que montei com todo carinho junto com ótimos parceiros, era no turismo criativo, turismo de base comunitária e na riquíssima cultura popular pernambucana.

E depois de mostrar tudo lá nos stories do Instagram, chegou a hora de trazer o roteiro detalhado, dia a dia, pra quem quiser reproduzir. Teve alguns pontos turísticos mais famosos, mas sempre que possível com uma pitada de experimentação e interação. E teve, também, muita coisa que boa parte dos recifenses nem conhecem.

turismo alternativo no recife - recife antigo

Recomendo todos os passeios e restaurantes, que foram escolhidos porque têm a ver com a alma da cidade. Afinal, somos muito mais que sol e mar. E infinitamente mais que uma paradinha rápida no caminho pra Porto de Galinhas, pelamordedeus!

Se interessou pelo roteiro e quer fazer essa viagem toda organizadinha, junto com um grupo de pessoas com interesses parecidos? Manda um e-mail pra luisa@janelasabertas.com com o assunto Expedição Recife. Vou tentar montar um grupo pra fazer uma viagem inspirada nessa aqui, só que um pouco mais enxuta. Bora?

Turismo alternativo no Recife e arredores

Dia 1

Ficamos hospedados na maior parte do tempo no Recife Antigo Hostel, no Bairro do Recife. Escolhi ficar lá em vez de em Boa Viagem, principal polo hoteleiro da cidade, por várias razões. O bairro é uma delícia, tem muito mais a ver com a cultura local e é mais central. Pra um roteiro de turismo alternativo no Recife, acho a localização perfeita!

turismo alternativo no recife - hostel recife antigo

Almoço no Restaurante São Pedro

O Restaurante São Pedro foi a primeira parada da nossa programação. E ele entrou no roteiro primeiramente pela qualidade do menu do chef Thiago das Chagas. O cardápio é enxuto e focado em frutos do mar deliciosos, com ingredientes comprados de fornecedores locais. O arroz de camarão e o arroz de caranguejo são uma delícia!

Além disso, escolhi o lugar pela localização. O Pátio de São Pedro, onde fica o restaurante, era a “praça de alimentação” do Centro do Recife antigamente. Nas últimas décadas, no entanto, essa área foi ficando abandonada.

Recentemente, Thiago e outros empreendedores têm se unido pra trazer nova vida à região e o poder público também vem se mexendo. Acho esse movimento de revitalização do Pátio extremamente importante.

Endereço: Pátio de São Pedro – R. das Águas Verdes, 52 – São José, Recife

turismo alternativo no recife - restaurante são pedro

Tour pelo Recife Antigo

Nossa parada seguinte foi uma caminhada pelo Recife Antigo, bairro fofíssimo no coração da capital. Você pode fazer esse percurso com um guia contratado ou com o Recife Free Walking Tour (que no momento não tem saídas regulares). Mas também pode ir por conta própria, usando como base esse meu roteiro turístico do Recife Antigo.

passeio pelo recife antigo

Jantar na pizzaria Morosi

Na primeira noite, fomos jantar no tradicional bairro de Casa Forte. Localizada na Zona Norte da cidade, essa região foi lar de intelectuais como Ariano Suassuna e Gilberto Freyre. Ela abriga o Museu do Homem do Nordeste, o Poço da Panela, entre outros atrativos.

A Forno Morosi é uma pizzaria inaugurada há pouco mais de um ano num casarão antigo na Praça de Casa Forte, que tem paisagismo assinado por Burle Marx. As pizzas de lá são de estilo romano, com massa de fermentação natural e técnicas artesanais italianas. É, hoje, minha pizzaria preferida no Recife.

A chef é Cecilia Bellucci, italiana simpaticíssima. E pra completar, na mesma casa funciona também a gelateria Bellucci. Ela é dos mesmos donos e tem sorvetes artesanais maravilhosos.

Endereço: Praça de Casa Forte, 426, Recife

Dia 2

Catamaran até a Ilha de Deus

No segundo dia, pegamos um catamaran da empresa Catamaran Tours pra ir até a Ilha de Deus. Localizada a 10 minutinhos de carro do centro do Recife, essa ilha já foi chamada de “Ilha sem Deus”. Nela, faltava infraestrutura e sobrava violência. Mas a realidade do lugar mudou, e um dos motores pra essa transformação foi o turismo.

Hoje, o passeio da Catamaran Tours que vai até lá aos sábados às 10h e passa cerca de uma hora no lugar. Mas melhor ainda é passar a noite lá, no hostel solidário que recebe voluntários e turistas. E foi isso que a gente fez, como vou contar no próximo tópico.

Endereço: Catamaran Tours – Cais Santa Rita, s/n – São José, Recife

Dia e noite na Ilha de Deus

Hoje a Ilha de Deus tem asfalto, saneamento e segurança. E tem um povo lindo que dá continuidade à cultura de pesca de sururu e marisco. O que, vale ressaltar, garante o sustento de 90% da população da ilha.

Quem visita o lugar pode conhecer de perto essa história de transformação, que por si só já é massa. Mas também pode andar de baiteira (barquinho artesanal) e aprender sobre a pesca de sururu e marisco. Quer mais? Que tal fazer oficina de culinária com Negra Linda no bistrô-escola que capacita jovens, fazer trilha no mangue e ver um pôr do sol bem lindo? E, de quebra, fortalecer um turismo criativo, sustentável e com protagonismo da comunidade.

No nosso roteiro, teve recepção festiva com jovens da Cia de Dança Nativos, almoço no Bistrô da Negralinda, tour pela comunidade da Ilha de Deus e visita aos viveiros de camarão. Além de muita conversa boa e muito carinho. Confesso que foi uma das minhas partes preferidas desse roteiro de turismo alternativo no Recife!

Se quiser fazer um passeio ou dormir lá, entre em contato com eles pelo número 81 99725.1411.

ilha de deus no recife

hostel da ilha de deus

Dia 3

Almoço no Borsoi

O Borsoi Café Clube também foi escolhido pra integrar o roteiro por mais de um motivo. O primeiro foi a qualidade das comidinhas servidas por lá e principalmente dos cafés e bolos. Os bolos mais fofos da vida!

O segundo foi o carinho com que seus donos, Paloma Amorim e George Gepp, comandam a casa. Tudo começou com uma história de amor e resultou em duas cafeterias. George, aliás, é considerado um dos melhores baristas do Brasil e seleciona grãos excelentes.

E o terceiro motivo foi, mais uma vez, a localização. O Borsoi fica não só num lugar super conveniente pra atividade seguinte do nosso roteiro alternativo no Recife, como também bastante emblemático. Ele tá instalado no térreo do Edifício Califórnia, um dos primeiros prédios altos de Boa Viagem.

Considerado um ícone modernista, o edifício foi projetado por Acácio Gil Borsoi, cujo nome batiza a casa. A presença do café e outros empreendimentos por lá ajuda a manter viva a memória desse patrimônio.

Borsoi Café Clube – Edifício Califórnia – R. Artur Muniz, 82 – Boa Viagem, Recife

café borsoi no recife

Tour de bike La Ursa

Saindo do Borsoi, é só andar dois minutinhos pra chegar no ponto de partida do passeio de bicicleta da La Ursa Tours. No caminho, você ainda encontra dois bônus. Tem o Centro de Atendimento ao Turista (CAT), onde você pode pegar mapas, folhetos e informações sobre a cidade e se refrescar no ar condicionado. E tem o letreiro gigante e coloridíssimo que diz OXE e fica bem bonitão nas fotos.

turismo alternativo no recife - letreiro oxe

Encontramos nosso guia Roderick, co-criador da La Ursa Tours, junto de uma estação das bicicletas de aluguel da cidade. Operadas pela TemBici e patrocinadas pelo Itaú, essas bikes são leves e bem confortáveis (o modelo vem do Canadá). Pra usar, é só baixar o aplicativo, cadastrar o cartão e ativar lá na estação.

O roteiro da La Ursa é bem gostoso e muito fácil, mesmo pra quem não tem muito costume de pedalar. A maior parte do percurso é feita em ciclovias, e quando vamos pra rua não são trechos muito movimentados. Além disso, os trechos são todos planos. Amém!

turismo alternativo no recife - passeio da la ursa tours

Começamos a pedalar na orla da Praia de Boa Viagem e fomos até o Centro do Recife. Entre os pontos visitados estão o edifício Oceania, que deu origem ao ótimo filme Aquarius, e o bairro de Brasília Teimosa, comunidade de pescadores que tem uma história de resistência muito massa.

É interessante ver o contraste entre os prédios altíssimos (e caríssimos) da orla e as casinhas de Brasília Teimosa. E o mais legal é que Roderick vai pontuando o roteiro com comentários sobre esses contrastes, abordando questões como o grave problema da especulação imobiliária na capital pernambucana. Tudo a ver com essa pegada de turismo alternativo no Recife, né?

Adorei ir pedalando até o Parque das Esculturas de Francisco Brennand, que fica em frente ao Marco Zero. A vista de lá é linda, com os pescadores e o horizonte da cidade, e sempre curto ver as esculturas de perto. Outra parte massa é fazer a travessia de barquinho, com bicicleta e tudo, até o Recife Antigo.

Já de volta à terra firme, continuamos pedalando até a Rua da Aurora. Lá, observamos prédios históricos como o da Assembleia Legislativa de Pernambuco e um grande caranguejo criado em homenagem ao Mangue Beat.

Também dá pra ver, desde lá, o lindo painel de Luiz Gonzaga feito pelo artista Kobra na lateral do prédio da Prefeitura do Recife.

E aí fomos voltando, com direito a uma parada na Praça da República, que abriga um grande baobá e é rodeada pelo Palácio do Governador e pelo deslumbrante Teatro de Santa Isabel. Demos uma passadinha rápida no Mercado de São José, um dos mercados públicos mais interessantes da cidade. E voltamos, então, ao Recife Antigo.

A La Ursa Tours é feita por gente que ama a cidade e está hoje em primeiro lugar em “atividades ao ar livre no Recife” no TripAdvisor. Eles têm outros roteiros, como um tour da lua cheia que rola uma vez por mês e eu adorei.

Endereço da saída do tour: Segundo Jardim de Boa Viagem, Recife

turismo alternativo no recife - bicicletas no barco para travessia

Jantar no Gemedeira

Depois de um bom banho, fomos jantar no Gemedeira Cozinha no Quintal, restaurante pequeno e aconchegante nos fundos do efervescente CoLaboratório Ceça. Localizado no Centro da cidade, esse lugar acolhedor é focado na culinária nordestina.

Comemos um ótimo arrumadinho, que tem também versão vegetariana, e o pessoal provou sua primeira cartola. Infelizmente, o Gemedeira está se mudando pra São Paulo muito em breve.

Endereço: Av. Manoel Borba, 339 – Boa Vista, Recife

Dia 4

Cais do Sertão

O quarto dia começou com uma visita ao meu museu preferido no Recife. O Cais do Sertão se dedica a retratar a vida e a cultura do Sertão nordestino, terra de origem e fonte de inspiração do grande Luiz Gonzaga.

O museu usa a vida desse artista pernambucano como fio condutor, ao mesmo tempo em que mistura o tradicional ao moderno. Ele foi instalado no lugar de antigos armazéns do Porto do Recife e aproveita vários recursos tecnológicos pra abordar diferentes facetas da vida sertaneja: viver, trabalhar, cantar, ocupar, crer, migrar e criar.

cais do sertão no recife

Eu já tinha ido lá no mínimo umas 10 vezes, mas essa foi a primeira em que participei da experiência Embalança. Realizada numa sala cheia de instrumentos musicais, essa vivência apresenta os principais ritmos pernambucanos.

Além de aprender um pouco sobre maracatu, caboclinho, forró pé-de-serra e outros ritmos gostosíssimos, tentamos também tocar os instrumentos. Achei super divertido, como dá pra ver na foto abaixo. ;)

experimentação com instrumentos musicais no cais do sertão

Leia também:
Como é a visita ao Cais do Sertão

Endereço: Cais do Sertão – Armazém 10, Av. Alfredo Lisboa, s/n – Recife

Almoço no Vapor

O almoço desse dia teve tudo a ver com a temática da manhã. Fomos no Vapor Cozinha Afetiva, outro restaurante bem aconchegante, Ele fica no bairro de Santo Amaro, perto do Recife Antigo. Inspirado em memórias afetivas gastronômicas das criadoras, o menu da casa mistura “a leveza do mar e a quentura do Sertão”.

Comi a “picanha com molho de uva do quintal de casa” com espaguete à carbonara feito com nata do sertão, paçoca de bacon e purê de macaxeira. Achei uma delícia! Eles também têm opções vegetarianas e arrasam muito na apresentação dos pratos e nas combinações inusitadas de sucos.

Endereço: Vapor Cozinha afetiva: R. Rocha Pita, 108 – Santo Amaro, Recife

restaurante vapor

Tour cervejeiro

Já bem alimentados, partimos pra o item seguinte do roteiro: o Recife Beer Tour. Esse passeio cervejeiro é capitaneado pelo beer sommelier José Jayme, autor do blog Juntando Mochilas e do Guia da Cerveja Artesanal Pernambucana.

O roteiro tá em reestruturação, mas o percurso que fizemos foi bem legal. Começamos no Jardim do Baobá, cantinho bem agradável na Zona Norte do Recife. Lá, pegamos um barco e navegamos por alguns minutos pelo Rio Capibaribe. Enquanto isso, Jayme explicou que a primeira cerveja das Américas foi feita naquelas imediações.

turismo alternativo no recife - passeio de barco

Provamos um dos rótulos deliciosos da Frieda Haus lá no barco mesmo e então pegamos a van até a fábrica da cervejaria Ekaut. Além das próprias cervejas, eles produzem rótulos de outras cervejarias do Recife e de estados próximos.

Achei massa o tour pela fábrica porque vimos não só o processo de fabricação das brejas, mas também o engarrafamento e colocação dos rótulos. Fiquei feito criança vendo as garrafinhas passando, haha.

E aí começou a melhor parte de todas: degustamos vários rótulos da casa enquanto Raphael da Ekaut nos trazia insights super interessantes sobre as diferenças entre cada tipo de cerveja.

Quer mais? Tudo isso ainda foi harmonizado com os caldinhos maravilhosos do Bar do Vizinho, que fica no Mercado da Boa Vista e também merece muito uma visita. Gostaria, inclusive, de ter incluído o mercado no meu roteiro de turismo alternativo no Recife, mas não deu tempo. Anota aí no teu!

Pra informações atualizadas sobre o Recife Beer Tour, entre em contato com José Jayme pelo Instagram.

turismo alternativo no recife - recife beer tour

turismo alternativo no recife - recife beer tour

Dia 5

Ilha de Itamaracá

Nesse dia, acordamos cedinho pra ir explorar o Litoral Norte de Pernambuco. A ideia era mostrar ao pessoal que temos muitas belezas e muita história desse lado do estado. O Litoral Sul é onde ficam Porto de Galinhas e Carneiros, praias badaladíssimas e também já meio sofridas pelo excesso de exploração turísticas.

Começamos o passeio pela Ilha de Itamaracá, terra da célebre cirandeira Lia, que fica a cerca de 50 km do Recife.

Nossa primeira parada foi no Forte de Santa Cruz de Itamaracá, mais conhecido como Forte Orange. Construída pelos holandeses em 1631 e reconstruída pelos portugueses, essa fortaleza vale a visita tanto pelo aspecto histórico quanto pela vista deslumbrante que oferece lá de cima.

forte orange

De lá, fomos conhecer a ONG Casa Uaná, que atua junto às crianças e adolescentes da comunidade de Vila Velha. Eles promovem atividades de leitura, têm um grupo de maracatu e apoiam também as Mestras Cozinheiras da Ilha.

Essas mestras são senhoras que trabalharam a vida toda como catadoras de marisco e cozinheiras. Além de terem ótimas histórias pra contar, elas cozinham super bem. Pra comer as delícias delas, é só ligar pra os números 81 98743.0735 (Clarice) ou 81 98476.5374 (Neta) e agendar. É uma experiência bem mais especial que sentar num restaurante aleatório, né?

mestras cozinheiras de itamaracá

Nossa manhã terminou com um passeio pelo pequeno centro histórico de Vila Velha. Lá, você encontra a Igreja de Nossa Senhora da Conceição (que já foi considerada a mais antiga do país), as ruínas da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, um mirante e um antigo forno de cal com uma cabaninha super fotogênica. ;)

forno da cal em itamaracá

Itapissuma

A parada seguinte foi no município vizinho, Itapissuma. Bem menos conhecido turisticamente, Itapissuma leva fama pela sua caldeirada. Esse prato delicioso mistura uma variedade enorme de frutos do mar fresquinho.

Recentemente, o lugar ficou ainda mais interessante porque pintaram com mil cores as casinhas de pescadores que ficam à beira-mar. Além disso, eles preservam a tradição de uma dança de origem portuguesa chamada Piaxaxá, que se parece com o coco.

piaxaxá em itapissuma

Fomos muito bem acolhidos pelo povo de Itapissuma e enchemos o bucho de caldeirada numa espécie de praça de alimentação ao ar livre deliciosa. Tem quem saia do Recife até lá só pra comer esse prato, então dá pra imaginar que é mesmo bom, né?

caldeirada de itapissuma

Igarassu

O último destino do dia foi Igarassu, também ali pertinho. O grande destaque por lá é o Sítio Histórico, que é bem compacto, mas muito charmoso. Encontramos uma guia turística do município no Centro de Atendimento ao Turista e fomos explorar alguns dos monumentos de lá.

Visitamos o Museu Histórico de Igarassu, que funciona dentro de casas do século XVIII e expõe móveis, documentos e reproduções de quadros antigos.

Junto dele fica a Igreja Matriz dos Santos Cosme e Damião, que é considerada a mais antiga do Brasil e é dedicada aos padroeiros da cidade. Descobrimos, inclusive, que a Festa de Santos Cosme e Damião dura vários dias lá em Igarassu. Preciso ir no ano que vem!

Também vimos o Convento do Sagrado Coração de Jesus, que ainda tá em funcionamento e tem na entrada uma daquelas “rodas dos enjeitados”.

E o maior destaque da visita foi o Convento de Santo Antônio. Construído no final do século XVI, ele tem uma pintura incrível no teto da igreja, toda feita com pigmentos naturais. Além disso, o espaço abriga o Museu Pinacoteca de Igarassu. São mais de 20 quadros e painéis com motivos religiosos, datando dos séculos XVII e XVIII. Somando a isso o clima gostoso de cidade pequena, achei Igarassu uma gracinha.

igarassu

igarassu

Fim de tarde na Pousada Luar

No caminho de volta ao Recife, fizemos uma parada estratégica pra conhecer a Pousada Luar. O lugar é muito lindo e já tinha sido recomendado a mim pelo meu pai, que passou um finde com a esposa há algum tempo. Além de uma piscina deliciosa e quartos rústicos e charmosos, eles têm uma vista incrível do pôr do sol sobre um açude.

Endereço: Estrada de Nova Cruz, km 3, s/n Após aeródromo 500 metros (lado direito), Igarassu

turismo alternativo no recife e arredores - pousada luar em igarassu

Leia também:
Litoral Norte de Pernambuco: o que fazer em Itamaracá, Itapissuma e Igarassu

Dia 6

Free walking Tour em Olinda

No sexto dia, nos mudamos pra Olinda. Essa cidade fica coladinha no Recife, mas fomos passar a noite por lá pra curtir a vida noturna com mais calma. Depois de deixar nossas coisas no Hostel Canto dos Artistas, que tem ótima localização e uma dona simpaticíssima (Dona Anginha!), fomos pra o ponto de encontro do Free Walking Tour de Olinda.

O passeio começa no Mercado Eufrásio Barbosa, que abrigou a primeira Casa da Alfândega de Pernambuco. Ele já serviu de espaço pra shows e passou alguns anos fechado. No ano passado, foi reinaugurado como espaço cultural. Hoje você encontra lá algumas exposições gratuitas, o Museu do Mamulengo e uma livraria da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe).

No passeio, a guia Raquel nos ajudou a relembrar partes da história de Pernambuco, mostrando a importância de Olinda na época colonial. Ela também contou várias curiosidades sobre a cidade.

Descobrimos, por exemplo, por que as casinhas do Sítio Histórico são todas coloridas: é que não existiam endereços, então as cores eram usadas como referência. Tipo “moro na casa azul entre a verde e a rosa”. Achei fofo.

Além de caminhar bastante pelas ruas (felizmente evitando as ladeiras mais íngremes), entramos em alguns lugares lindos como o Mosteiro de São Bento. Sabia que o altar dessa igreja passou um ano exposto no Museu Guggenheim de Nova York? Também adorei ir até o pátio do Convento de Nossa Senhora da Conceição, que tem uma vista bem legal e a maioria das pessoas desconhece.

Passamos, ainda, pelo Observatório de Olinda e pela Catedral da Sé, que fica lá no topo da cidade e tem outra vista maravilhosa. Vale a pena ir lá no pôr do sol, de preferência pra tomar uma cerveja num dos barzinhos que ficam por ali.

free walking tour olinda

Leia também:
O que fazer em Olinda: de igrejas a cachaça no Sítio Histórico

Atualmente, o Free Walking Tour tem saídas regulares em inglês e espanhol. Se tiver um grupo que queira fazer o tour em português, entre em contato com eles.

Assim como em outros tours do tipo mundo afora, a ideia é promover uma experiência descontraída, mas também informativa. Os participantes pagam o quanto quiserem no final do passeio.

Fizemos uma versão “gameficada” do tour, com uma brincadeira em que era preciso identificar quatro igrejas importantes da cidade com base em silhuetas feitas em impressão digital por Ju do Souvenir Digital. Achei a ideia muito legal, porque nos estimula a ficarmos mais atentos aos detalhes e valoriza o patrimônio local. Eles estão estudando formas de incluir esse produto no portfólio permanente do tour.

Endereço de início: Mercado Eufrásio Barbosa, Av. Joaquim Nabuco – Varadouro, Olinda

turismo alternativo no recife e arredores

Almoço no Lagostinho

Terminamos o passeio na Casa Criatura, um espaço bem legal que abriga exposições, eventos, uma cafeteria e o Boteco Lagostinho, onde almoçamos. Comemos caldinho de mariscos e uma sinfonia marítima deliciosa e tomamos suco de acerola da fruta geladinho!

A Casa Criatura é um dos projetos que estão rolando em Olinda pra valorizar e movimentar a economia criativa por lá. Tivemos a honra de almoçar com Iza do Amparo, artista local que faz parte desse ecossistema vibrante da cultura olindense.

Endereço: Casa Criatura – R. do Amparo, 83 – Amparo, Olinda

casa criatura em olinda

Tapiocas no Alto da Sé

Depois de umas horinhas de descanso, fomos novamente ao Alto da Sé, mas dessa vez pra comer. Lá você encontra várias barracas de tapioca. Mas não é qualquer tapioca: essa aí, de tão tradicional, é considerada Patrimônio Imaterial e Cultural de Pernambuco. Apenas 40 tapioqueiras são autorizadas pelo município pra atuar ali, passando por várias capacitações.

O sabor mais tradicional é coco ralado e queijo coalho, mas existem dezenas de outras opções. Tem tapioca sabor pizza, frango e queijo, sabor cartola (banana, queijo, açúcar e canela), morango com Nutella… Cada uma vale praticamente por uma refeição.

Tour Boêmio em Olinda

Observe que mais uma vez, forramos a barriga antes de iniciar a programação alcoólica. Tudo bem planejadinho nesse roteiro, tá vendo? ;) A parada seguinte, afinal, foi o Tour Boêmio de Olinda, também promovido pelo pessoal do Olinda Free Walking Tour. Esse, no entanto, não funciona no esquema “pague o quanto quiser”. Atualmente, o valor fixo é R$ 45, que dá direito a ao menos 3 shots e entrada pra uma festa.

O ponto de encontro do tour é na Bodega de Veio. De lá, o grupo passa por cerca de seis bares emblemáticos da Cidade Alta de Olinda. Não consegui fazer o passeio completo porque estava doente, mas os outros participantes adoraram a experiência.

Afinal, não se trata de um “pub crawl” comum, como os que se encontra facilmente em destinos badalados na Europa. Os lugares visitados têm história e refletem muito da cultura olindense, que é super boêmia. Achei interessante até pra recifenses!

Endereço de início: Bodega de Véio – R. do Amparo, 212 – Amparo, Olinda

turismo alternativo no recife e arredores - tour boêmio em olinda

tour boêmio em olinda

Dia 7

Visita à Bomba do Hemetério

O último dia do Creators PE foi na Bomba do Hemetério, bairro de onde se originam 40% das agremiações carnavalescas do Recife. A comunidade local promove diferentes roteiros pelo bairro com uma pegada cultural.

O nosso tour aconteceu no Terreiro Obá Ogunté, mais conhecido como Sítio de Pai Adão. Ele fica no bairro de Água Fria, parte da região expandida da Bomba do Hemetério. Tombada pelo Governo de Pernambuco, essa é a mais antiga casa de culto Nagô do Estado e uma das mais veneradas do Brasil.

Lá, conhecemos a história do terreiro e entendemos como o maracatu era usado pra evitar a repressão contra religiões afro-brasileiras. Todo mundo foi super simpático e mostrou o orgulho que têm das suas tradições.

Também pudemos vestir acessórios de rei e rainha de maracatu e fizemos uma pequena oficina pra produzir nossos próprios adereços. O passeio terminou com uma mini oficina de percussão, em que os participantes tocaram alfaia e abê.

turismo alternativo no recife - visita ao sítio de pai adão

turismo alternativo no recife - oficina na bomba do hemetério

Leia mais:
Turismo de base comunitária na Bomba do Hemetério

Endereço: Centro Cultural Afro Sítio Pai Adão – Ilê Obá Ogunté – Estr. Velha de Água Fria, 1644 – Água Fria

Almoço no Reteteu

A poucos minutos do terreiro fica um dos meus restaurantes preferidos no Recife, o Reteteu Comida Honesta. Capitaneado pelo mesmo chef do São Pedro (restaurante onde almoçamos no primeiro dia), ele é puro aconchego. O Reteteu fica instalado na antiga casa da avó do chef, com mesas no espaço interno e no quintal.

Com um menu focado em comida nordestina, a casa também privilegia pequenos produtores. É pra se sentir num quintal de vó mesmo, sabe? Mas saiba que aos finais de semana é preciso chegar bem cedo, ou ir preparado pra esperar.

Recomendo muito o cupim cozido a baixa temperatura com molho escuro, que vem acompanhado de macaxeira frita, arroz, farofa na manteiga e vinagrete. Outra vedete da casa é a coxinha de costela com massa de macaxeira. Sem falar no bolo de chocolate denso e tépido com areia de cacau e sorvete de leite feito na casa. Ele só durou dois minutos na nossa mesa!

Endereço: R. Prof. Otávio de Freitas, 256 – Encruzilhada, Recife

bolo de chocolate do reteteu

Paço do Frevo

À tarde, voltamos ao Recife Antigo pra última atividade oficial desse roteiro de turismo alternativo no Recife: visitar o Paço do Frevo. Esse espaço fica bem no meio do Recife Antigo, mas já vi muito turista passar direto ou não valorizar direito essa belezura toda.

O Paço é mais que um museu sobre frevo. Ele é dedicado à difusão, pesquisa e formação, e lá você encontra escola de dança, escola de música, estúdio de gravação e um centro de documentação. Tudo pra manter vivo esse ritmo tão pernambucano.

Se você quiser só passar olhando as salas rapidamente, dá pra ir lá rapidinho. Mas eu sugiro visitar com calma, parar pra ler o Glossário do Carnaval e se emocionar com as poesias escritas nas janelas emoldurando a paisagem.

Escutar o frevo tocando, observar os detalhes dos estandartes expostos sob seus pés, ver as fotos que retratam o frevo durante o ano… É, diria, um museu-poesia.

turismo alternativo no recife - paço do frevo

Leia também:
Como é a visita ao Paço do Frevo

Pra completar, também tivemos lá outra experiência que eu não tinha vivido ainda: uma vivência de frevo. Não participei ativamente porque ainda estava doente, mas foi massa ver o pessoal arriscar seus primeiros passos de frevo. Prepare-se pra suar bastante!

Endereço: Rua da Guia, 117, Bairro do Recife, Recife

Jantar no Boi Voador

E a última refeição do roteiro foi ali pertinho, na rua do Paço do Frevo e do Recife Antigo Hostel. O Boi Voador é um restaurante simples, mas também muito especial. Seu nome é inspirado numa história curiosa da época da dominação holandesa no Recife.

Conta-se que o Conde Maurício de Nassau fez um boi “voar” pra arrecadar dinheiro pra construção de uma ponte. Um boi falso pendurado em cordas, no caso. :P Saiba mais sobre a história do Boi Voador.

O restaurante mantém viva a lembrança desse causo e serve pizzas deliciosas. Provamos uma de camarão bem fininha, que tinha camarões até dentro da borda. Mas minha parte preferida foi a inusitada pizza de bolo de rolo, que fez o maior sucesso lá no Instagram. Não sei como nunca tinha comido isso antes!

Endereço: Rua da Guia, 93, Bairro do Recife, Recife

turismo alternativo no recife - pizza de bolo de rolo no boi voador

Noite Cubana

Pra encerrar a noite, o pessoal foi mostrar seu talento na dança na tradicional Noite Cubana do Clube Bela Vista. Digo “o pessoal” porque minha febre não permitiu que fosse junto (não que eu tivesse algum talento pra mostrar :P). Mas esse evento dedicado a ritmos latinos é superdivertido.

No salão se misturam desde jovens a idosos. E mesmo quem não sabe dançar acaba aprendendo, se tiver coragem de aceitar o convite de um dos mais experientes. A festa acontece no primeiro e terceiro domingos do mês e a entrada custa R$ 10. Ah, eles não aceitam cartão!

Endereço: Clube Assistencial Esportivo Bela Vista – Av. Aníbal Benévolo, 636 – Água Fria, Recife

Gostou desse roteiro de turismo alternativo no Recife, Olinda e Litoral Norte? Já conhece alguns desses lugares? A ideia desse projeto era mostrar pra o máximo de pessoas possível que o Recife tem muito mais atrações do que praia e os museus dos Brennands. Me conta se consegui!

E se quiser fazer um passeio parecido, escreve pra luisa@janelasabertas.com com o assunto Expedição Recife que a gente vê o que dá pra desenrolar. ;)

~

Eu fui a idealizadora e organizadora da press trip #CreatorsPE, que trouxe ao Recife e arredores os produtores de conteúdo Marcelo Castro do @temaiseme, Cristiane Marques do Raízes do Mundo, Natália Becattini do 360 Meridianos, Willy Barros do @eimaetovivo e Robson Franzói do Um Viajante.

O projeto aconteceu entre 30/09/2019 e 06/10/2019 e foi viabilizado com o apoio da Secretaria de Turismo do Recife, do Sebrae Pernambuco e da Recria Turismo Criativo, além das instituições e empreendedores locais mencionados neste post.

Quer receber conteúdo exclusivo e gratuito sobre viagens?

Inscreva-se na lista de e-mails do Janelas Abertas e receba um e-book de 60 páginas com dicas para viajar só + check-lists para sua viagem + dicas inéditas a cada 15 dias.

Posts Relacionados

2 Comentários

  1. Fabiana

    Puxa! Fiquei quase triste agora! Acabei de passar uma semana em Recife e estava morrendo por um roteiro como este. Tudo bem! Vou ter que voltar. Foi minha primeira vez e curti bastante. Mas já fiquei com muita vontade de retornar e visitar estes lugares (alguns eu visitei, e foram ótimos). Mas adorei este teu olhar e proposta de ver o lugar fora do lugar-comum. Vou salvar. Quem sabe da próxima vez.

    • Oi, Fabiana! Que pena que o post não chegou em você antes :( Mas é como você disse: sempre é bom ter motivos pra voltar! :) Fico muito feliz que tenhas gostado da proposta e do conteúdo. Obrigada pelo comentário <3 Um abraço e boas viagens!

Deixe o seu comentário

Inscreva-se na newsletter do Janelas Abertas

Receba dicas e recursos de viagem de graça!

  • E-book de 60 páginas com dicas para viajar só
  • Check-list para viagens internacionais
  • Check-list para arrumar a mala
  • Newsletter quinzenal com conteúdo exclusivo

É só se inscrever na lista: