Pernambuco

Litoral Norte de Pernambuco: o que fazer em Itamaracá, Itapissuma e Igarassu

Pernambuco | 04/11/19 | Atualizado em 11/11/19 | Deixe um comentário

Com certeza você já ouviu falar em Porto de Galinhas e Praia dos Carneiros, né? Os dois destinos de praia mais badalados de Pernambuco ficam no Litoral Sul, a caminho de Alagoas. Mas sabia que não foi sempre assim? Até os anos 1980, o point de veraneio por essas bandas era o Litoral Norte de Pernambuco.

Ter uma casa de praia em destinos como Maria Farinha e Ilha de Itamaracá era sonho de consumo de muitos recifenses. Até o ícone Reginaldo Rossi cantou: “Itamaracá, em Tupi Guarani quer dizer ‘pedra que canta’ (…) Itamaracá é uma ilha encantada, lugar mais bonito que eu vi”.

Mas o que aconteceu? “Por fatores diversos, como a existência de três presídios em Itamaracá, além do ‘modismo’ e da divulgação ampla da Praia de Porto de Galinhas, houve uma ‘migração’ dos seus frequentadores e de turistas para o litoral sul do Estado”, observa Adriana Garcia no livro Turismo: múltiplos olhares, novos desafios.

Nos últimos anos, no entanto, essa situação vem mudando. Foram lançados planejamentos estratégicos pra promover o retorno dos turistas. Pouco a pouco, têm sido executadas melhorias em equipamentos turísticos já existentes e instalação de outros novos.

Leia também:
Todo os posts sobre Pernambuco
Roteiro alternativo no Recife e arredores

O Litoral Norte de Pernambuco reúne ótimos destinos de praia pra quem quer sair do circuito mais batido. Tem água quentinha, areia branca e cantinhos com um visual deslumbrante. Mas, além disso, tem também muitos atrativos que vão além do banho de mar.

Toma uns exemplos: tem algumas das construções mais antigas do Brasil, lugares que contam capítulos importantes da história das invasões holandesas em Pernambuco, antigos engenhos, a tradicionalíssima ciranda, uma rica gastronomia, mata atlântica, artesanato…

Quer conhecer um pouquinho dessa lindeza toda do Litoral Norte de Pernambuco? Continua lendo aí!

litoral norte de pernambuco

O que fazer no Litoral Norte de Pernambuco

O Litoral Norte de Pernambuco abrange oito municípios: Abreu e Lima, Araçoiaba, Goiana, Igarassu, Ilha de Itamaracá, Itapissuma, Itaquitinga e Paulista. Nesse post, vou falar de três deles, que visitei num dos dias mais legais do Creators PE.

Esse foi um projeto idealizado por mim, que recebeu muito apoio das Secretarias de Turismo do Recife, Olinda, Igarassu, Itapissuma e Ilha de Itamaracá, além do Sebrae e dezenas de parceiros locais. Convidei cinco produtores de conteúdo de viagem de outras partes do Brasil pra passar uma semana aqui e conhecer o que o Recife e arredores têm a oferecer além dos atrativos turísticos mais famosos.

A seguir, vou falar de algumas das principais atrações da Ilha de Itamaracá, Itapissuma e Igarassu. Fomos nas três cidades no mesmo dia porque nosso tempo era curto, mas cada uma delas merece no mínimo um dia inteiro. E se quiser explorar com calma tudo que menciono nesse post, dá pra passar uma boa semana!

Ilha de Itamaracá

A Ilha de Itamaracá é a mais turística dessas três cidades do Litoral Norte de Pernambuco. Como falei lá em cima, por muito tempo ela foi um dos principais destinos de veraneio pra pernambucanos. O município tá passando hoje por uma renovação e fiquei feliz ao ver que muita coisa tá sendo preservada.

Forte Orange

O principal cartão-postal da Ilha de Itamaracá é o Forte Orange, que ficou fechado durante alguns anos e foi reaberto ao público em 2018 depois de ser restaurado.

A fortaleza foi construída em 1631 pelos holandeses, quando eles invadiram a região. Localizado na entrada do Canal de Santa Cruz, o forte recebeu seu nome original em homenagem ao príncipe holandês Frederico Henrique de Orange, tio de Maurício de Nassau.

Em 1654, com a derrota dos holandeses, a construção ficou em ruínas. Mas os portugueses a restauraram em 1696, trocando os antigos símbolos flamengos pelas armas do Reino de Portugal. Ela passou, então, a ser chamada de Fortaleza de Santa Cruz, mas continua sendo muito mais conhecida pelo nome antigo.

Dentro do Forte Orange você encontra os antigos quartéis, armazéns, calabouços e capela, além de um poço que era usado pra fornecer água potável. Tem também um espaço que abriga ruínas da primeira versão do forte. E em outra sala, encontram-se algumas esculturas bem bonitas feitas por Zé Amaro, morador da Ilha que era conhecido como “guardião do forte”.

Mas a minha preferida é a parte superior, onde ficam os antigos canhões e as muralhas que envolvem a construção. E, é claro, a vista deslumbrante da praia e da Coroa do Avião (ilhota que vai ser assunto mais adiante). Uma lindeza!

forte orange

litoral norte de pernambuco

Vila Velha

A partir do Forte Orange você chega rapidinho à Vila Velha, que fica a 6 km da principal rodovia da Ilha, a PE-35. Essa região era a sede da Capitania de Itamaracá no século 16 e caminhar por lá é como fazer um passeio pelo início da colonização portuguesa no Brasil.

Afinal, o povoado já era habitado em 1528, mas passou a ser considerado vila em 1535. Antigo pacas, né? Conta-se, inclusive, que a primeira invasão francesa no Brasil aconteceu lá em Vila Velha, em 1531.

A principal atração do lugar, que é pequenino e pode ser percorrido facilmente a pé, é a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, considerada uma das mais antigas do Brasil. A igreja é uma graça e tá bem mais preservada do que eu imaginava.

litoral norte de pernambuco

litoral norte de pernambuco

Fofa, né? Mas achei ainda mais interessante o que fica junto dela: as ruínas da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, que era frequentada por escravos.

Já sem teto e com boa parte das paredes faltando, o templo foi tomado pela vegetação. Ainda assim, os moradores continuam tendo uma ligação afetiva com a construção. Eles frequentam o lugar e até deixam algumas imagens de santos.

ruínas de igreja

litoral norte de pernambuco

ruínas de igreja em itamaracá

Por trás das igrejas, você encontra um mirante de onde se enxerga a Coroa do Avião, o Canal de Santa Cruz, a rica vegetação da região e algumas das praias ao redor. Ah, e por ali tem também lojas de artesanato como essa na foto abaixo e bares simples que servem comida caseira e frutos do mar.

loja de artesanato em itamaracá

litoral norte de pernambuco

E não só de turismo vive a Vila Velha. Cerca de 500 pessoas moram por lá hoje em dia, realizando suas atividades do dia a dia.

Visitamos também a sede da ONG Casa Uaná, também conhecida como Pirilampo, que promove atividades como oficinas de música e leitura, voltadas pra crianças e adolescentes da região. O espaço é uma graça e o trabalho deles parece massa.

ong casa uaná

Na visita, conhecemos também o trabalho das Mestras Cozinheiras da Ilha de Itamaracá. Essa associação reúne algumas das mais antigas marisqueiras e cozinheiras da cidade, que além de cozinharem super bem têm muita história pra contar. Quando for fazer uma visita a Itamaracá, você pode ligar pra Clarice (81) 98743.0735 ou Neta (81) 98476.5374 e marcar um almoço com uma delas.

Entre os principais pratos típicos locais, você encontra agulha frita, carcará de macaxeira, casquinho de caranguejo e siri, passa de caju, picolé de mangaba e de araçá, mariscada, rolete de cana e licor de jenipapo. Fico com água na boca só de escrever isso!

mestras cozinheiras de itamaracá

Encheu a barriga? Antes de ir embora, não deixe de caminhar em direção às margens do Canal de Santa Cruz, onde fica o chamado Forno da Cal. Esse é um dos últimos remanescentes dos fornos de cal que eram muito comuns por ali nos séculos 18 e 19. Na época, a cal era usada na construção civil, como tinta e pra sepultamentos.

Esse forno preservado pertence hoje a um particular, que construiu em cima dele uma cabana onde vende artesanato. O resultado é pitoresco e rende fotos bem lindinhas!

forno da cal

Trilha dos Holandeses

Perto dali fica também o início da chamada Trilha dos Holandeses. Com cerca de 2,5 km de extensão, ela liga a Vila Velha à Praia do Forte, lá onde fica o Forte Orange. A ideia é refazer um caminho que era usado pelos holandeses na época da sua dominação.

O passeio percorre um trecho de Mata Atlântica, sendo possível observar animais e plantas típicos da região. Além disso, são feitas paradas em pontos importantes pra história de Pernambuco, como as ruínas da casa de Padre Tenório, um dos líderes da Revolução Pernambucana de 1817.

Não tivemos tempo de fazer a trilha, mas nos disseram que, apesar da baixa dificuldade, ela deve ser feita com guia.

Ciranda

Pra quem é pernambucano, não tem outra: pensou em Itamaracá, pensou na ciranda de Lia. Maria Madalena Correia do Nascimento, mais conhecida como Lia de Itamaracá, canta e compõe desde criança e hoje é a mais famosa cirandeira do Nordeste. E essa ciranda de que falo não é aquela de criança, tá? É uma das principais danças do Nordeste, que imita o vai-e-vem do mar.

Lia, hoje uma lenda viva, trabalhou como merendeira numa escola pública por 28 anos e, nas horas vagas, dedicava-se à música. Gravou discos, fez turnês internacionais e teve seu nome citado por vários compositores pernambucanos.

Uma curiosidade: se você assistiu ao filme Bacurau, já viu Lia na telona. É que ela foi escalada pra interpretar a matriarca da cidade homônima. Ela já começa o filme falecida, mas representa um ícone local do município fictício.

Ah, outro fato interessante: arrisco dizer que a maioria dos pernambucanos ouve falar de Lia pela primeira vez através da música composta por Antônio Baracho da Silva diz assim: “Estava na beira da praia / ouvindo as pancadas / das águas do mar. Esta ciranda / quem me deu foi Lia / que mora na Ilha / de Itamaracá”. Que tal procurar no Youtube pra escutar antes de ir lá?

Praias de Itamaracá

Mas é claro que eu não podia deixar de mencionar também as praias, né? Afinal, a Ilha de Itamaracá tem cerca de 10. Uma das mais conhecidas é a do Forte Orange, onde fica a fortaleza de mesmo nome. A partir dela um passeio comum é ir até a Coroa do Avião, mas vou falar disso mais adiante, porque esse pedacinho já faz parte de Igarassu.

Outra conhecida na região é a Praia do Sossego, que fica a cerca de 30 minutos da Praia do Forte Orange. Ela costuma ser mais tranquila, porque o acesso não é tão fácil. Também é possível fazer um passeio de barco até as piscinas naturais de Itamaracá e ir até a Praia do Pontal, no norte da ilha, onde acontece o encontro do rio com o mar.

Além disso, outro atrativo popular por lá é a Lagoa Azul, onde você pode tomar banho e fazer atividades como pedalinho e caiaque. Funciona ali o Ecocamping Lagoa Azul, que é gerenciado pelo simpático Hari, que foi nosso guia. Recomendo entrar em contato se quiser dar um passeio por lá, porque ele também promove trilhas pela região.

Itapissuma

Nosso segundo destino do dia foi a cidade de Itapissuma, vizinha à Ilha de Itamaracá. Fomos até lá de catamarã, num passeio bem gostoso pelo Canal de Santa Cruz, mas esse ainda não é um roteiro regular. De carro, cerca de 5 Km separam Vila Velha do Centro de Itapissuma.

itapissuma

Casinhas coloridas

Itapissuma não é uma cidade com tradição no turismo. Ainda assim, bem que ela merece uma visita (ou várias). O grande chamariz local é a gastronomia, mas o pessoal da Secretaria de Turismo vem mostrando que a cidade oferece mais que isso. Recentemente a prefeitura pintou as casinhas caiçaras que ficam à beira-mar e o resultado ficou lindo.

Nos faltou tempo pra tirar todas as fotos que queríamos ali, nos barquinhos de pescadores e no colorido das casas. E o que achei mais legal é que cada uma foi pintada de acordo com as preferências dos moradores. Enquanto algumas têm desenhos, outras trazem palavras ou frases, incluindo palavras típicas do linguajar nordestino.

litoral norte de pernambuco

casas coloridas em itapissuma

litoral norte de pernambuco

Piaxaxá

Outra atração de Itapissuma que muitos desconhecem é a tradição do piaxaxá. Essa dança, que lembra o coco, supostamente tem origem portuguesa. Segundo nos contaram, esse é o único lugar onde ela ainda é dançada.

Achei massa ver que existe um grupo cultural que se dedica a manter o ritmo vivo. O povo de Itapissuma foi extremamente simpático e receptivo o tempo inteiro, mas com certeza a parte mais divertida foi quando nos convidaram a entrar na roda e dançar o piaxaxá.

litoral norte de pernambuco

Caldeirada

Sabe quando falei de gastronomia ali em cima? Se come muita coisa gostosa em Itapissuma, tipo moqueca de peixe, muçum ao coco, camarão, caranguejo, agulha grita, galinha de cabidela, lagosta ao coco, mariscada e peixada pernambucana.

Mas o grande destaque, que inclusive faz com que muita gente saia do Recife pra ir até lá só almoçar, é a caldeirada. Que nada mais é que um cozido feito com ostra, siri mole, arraia, marisco, sururu, camarão, polvo e lagosta (ufa!) e refogado com azeite, temperos verdes e leite de coco, servido com arroz e pirão feito a partir do caldo.

Ou seja: uma grande e generosa mistura de frutos do mar. Pra quem é fã desse tipo de comida, é de se lambuzar! Além disso, o lugar onde você encontra a caldeirada é uma espécie de praça de alimentação à beira-mar. Nada como fazer uma boa refeição com vista bonita e brisa gostosa, né?

Ah, e ali junto tem também um mercado de artesanato. Ele tá sendo reformado, mas tem uma parte em funcionamento.

litoral norte de pernambuco

litoral norte de pernambuco

Igarassu

Muito bem alimentados, seguimos pra o terceiro destino do dia. Cercada de verde, a cidade de Igarassu tem uma faixa litorânea com rios, mangues e algumas praias. Mas o que mais chama atenção por lá é seu Sítio Histórico, com edificações antigas de grande valor artístico. O município abriga, por exemplo, a igreja mais antiga do Brasil ainda em funcionamento.

litoral norte de pernambuco

Coroa do Avião

Vou começar, no entanto, pela parte praieira da coisa, já que mencionei a Coroa do Avião um par de vezes lá em cima. Afinal, essa ilhota de areia rodeada de águas claras fica em frente à Praia do Forte Orange, mas pertence oficialmente a Igarassu.

Nela você encontra palhoças que funcionam como bares, então dá pra passar o dia todo curtindo a praia por lá. Esse é, inclusive, um dos passeios mais populares no Litoral Norte de Pernambuco.

Pra chegar até a Coroa do Avião é só pegar um barco em Igarassu, Maria Farinha ou na Praia do Forte Orange. Nesse último caso, a travessia é bem curta e custa cerca de R$ 15 por pessoa (ida e volta).

Na maré baixa, também dá pra ir andando até lá a partir de Mangue Seco, outra praia de Igarassu popular entre moradores e visitantes.

A Coroa do Avião é importante no ciclo de vida de algumas aves migratórias, então em algumas épocas do ano também dá pra observar aves por lá.

Sítio Histórico de Igarassu

Um dos conjuntos arquitetônicos mais antigos de Pernambuco, o Sítio Histórico de Igarassu é composto por um casario bem bonito, museus e igrejas. Os principais prédios ficam um ao lado do outro, então é bem fácil estacionar o carro e ir conhecer todos eles numa caminhada super curta.

A grande estrela do lugar é a Igreja do Santos Cosme e Damião, a mais antiga do Brasil ainda em funcionamento. Construída em 1535 depois da derrota dos índios Caeté pelos portugueses, ela foi reconstruída em 1597 e ampliada no século 18 no estilo Maneirista.

litoral norte de pernambuco

museu e igreja em igarassu

Outro destaque é o Convento Franciscano de Igarassu, que começou a ser construído em 1588. Ele foi o terceiro dessa ordem a ser construído no Brasil e o primeiro dedicado a Santo Antônio.

Ficamos todos encantados com o interior da igreja, que tem azulejos lindíssimos nas paredes e um teto maravilhoso pintado com pigmentos naturais. Como nos explicou o guia, eles usavam urucum, açafrão, casca de ovo e até xixi pra chegar nessas cores da segunda foto abaixo. Incrível, né?

igreja em igarassu

sítio histórico de igarassu

Como se não bastasse, o convento abriga o Museu Pinacoteca de Igarassu, considerado um dos mais importantes da América Latina. Instalado no antigo dormitório dos noviços do convento franciscano, ele foi aberto ao público em 1957. O espaço é basicamente uma grande sala que reúne 24 quadros dos séculos 17 e 18. Nem sou muito fã de imagens religiosas, mas os painéis de madeira são impressionantes.

pinacoteca em igarassu

Também vale visitar o Convento Sagrado Coração de Jesus, fundado em 1742, onde ainda existe uma daquelas “rodas dos enjeitados”. Criada pra o recebimento de doações, ela também era usada por pessoas que abandonavam crianças frutos de relacionamentos proibidos ou de pais que não tinham condições de criá-las. O espaço ainda funciona: freiras vivem lá e realizam atividades com crianças da comunidade.

roda dos enjeitados

Outros prédios interessantes por ali são o Sobrado do Imperador, construído por volta de 1675, e o Museu Histórico de Igarassu, que ocupa três casas do século 18. O museu é simples, mas tem peças interessantes que se relacionam à história da cidade e do Estado.

litoral norte de pernambuco

gravuras antigas de Recife e Olinda

igarassu

Pousada Luar

Terminamos nosso dia em Igarassu visitando a lindíssima Pousada Luar, anteriormente chamada de Metambiental. Eu já tinha ouvido falar do lugar porque meu pai foi passar um fim de semana lá com a esposa e amou. Quando chegamos, na hora do pôr do sol, entendi o encantamento!

A Pousada Luar tem 70 hectares de área verde, uma piscina semiolímpica aquecida e iluminada e um lago que fica maravilhoso no fim da tarde. Além dos chalés, que parecem super aconchegantes. Nem vou falar muito mais porque as fotos falam por si, né?

pousada luar

litoral norte de pernambuco

pousada luar

E você, tem mais dicas do que fazer no Litoral Norte de Pernambuco, seja nessas três cidades ou em alguma outra dessa região? Conta aí nos comentários!

Quer receber conteúdo exclusivo e gratuito sobre viagens?

Inscreva-se na lista de e-mails do Janelas Abertas e receba um e-book de 60 páginas com dicas para viajar só + check-lists para sua viagem + dicas inéditas a cada 15 dias.

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário

Inscreva-se na newsletter do Janelas Abertas

Receba dicas e recursos de viagem de graça!

  • E-book de 60 páginas com dicas para viajar só
  • Check-list para viagens internacionais
  • Check-list para arrumar a mala
  • Newsletter quinzenal com conteúdo exclusivo

É só se inscrever na lista: