Dicas Práticas

Como tirar um sabático: planejamento, dicas práticas e reflexões

Dicas Práticas | 04/05/21 | Atualizado em 09/07/21 | 2 comentários

Ficar longe do trabalho durante meses ou anos se dedicando ao autoconhecimento, a algum projeto especial ou simplesmente descansando e curtindo a vida. Parece um sonho, né? Mas tirar um sabático não é algo tão inalcançável quanto muitos pensam.

Com informação e planejamento, é possível tirar um sabático muito legal gastando pouco. Fiz isso em 2017 e foi maravilhoso!

Nesse artigo, vou compartilhar reflexões sobre por que tirar um sabático e dicas de planejamento pra você ter essa experiência de forma tranquila, econômica e alinhada com seus objetivos.

O que é um período sabático

Antes de mais nada, o que é exatamente esse tal de “período sabático”? O termo vem da tradição judaica. De acordo com o Torá, livro sagrado dos judeus, cada seis anos de trabalho na terra deveriam ser seguidos por um ano de descanso, pra que o solo e os trabalhadores pudessem descansar e se recuperar pra um novo ciclo.

Hoje em dia, geralmente se fala em sabático no sentido que mencionei no começo do texto. A ideia é que profissionais tirem um período (que teoricamente seria de um ano, mas pode ser menos ou mais) pra se distanciar da sua rotina e responsabilidades de sempre e se preparar pra viver novos ciclos pessoais e/ou profissionais.

Em inglês, o sabático também pode ser chamado de “gap year”, um ano de pausa ou intervalo usado pra explorar o mundo ou seus próprios interesses. Já conheci vários jovens europeus que tiraram um ano sabático entre o ensino médio e a faculdade pra viajar pelo mundo, voluntariar ou trabalhar poucas horas por dia enquanto decidem que profissão seguir.

Parece um privilégio, né? E é. Acho importante ressaltar que, na sociedade em que vivemos, simplesmente ter um emprego ou acesso a direitos básicos é algo impensável pra maioria das pessoas.

Outras tantas têm que sustentar a família inteira com um salário mínimo, são responsáveis pelo cuidado com idosos ou pessoas doentes, entre outras questões que as impedem de poupar grana, se ausentar por muito tempo ou de correr o risco de não conseguir um novo trabalho depois do sabático. Nesses casos, é claro que passar um tempo sem trabalhar por vontade própria não é nada simples.

Ainda assim, tirar um sabático não precisa ser tão caro ou difícil quanto a maioria pensa. Vou dar aqui algumas dicas pra mostrar como pode ser mais acessível, e espero que um dia seja algo possível pra todo mundo.

Por que tirar um sabático

Antes de tirar um sabático, é interessante ter clareza sobre suas motivações e objetivos. Abrir mão da sua fonte de renda, mudar radicalmente de rotina e optar por um caminho que nem sempre é bem aceito pela sociedade pode gerar inseguranças. Mas quanto mais certo você estiver das suas razões, mais fácil lidar com elas.

E as possíveis razões pra tirar um sabático são inúmeras. Tem quem queira colocar em prática um projeto pessoal, como a escrita de um livro, por exemplo. Outros estão em crise com a carreira e sentem a necessidade de se distanciar do dia a dia pra ter mais clareza sobre novos caminhos a seguir.

Também tem quem esteja passando por muito estresse ou mesmo um burnout e precise simplesmente descansar. Já conheci, também, pessoas que tiraram um sabático pra realizar um sonho antigo de conhecer o mundo, depois de perceber que não precisavam esperar pela aposentadoria pra isso.

Outra motivação pra tirar um sabático pode ser o desejo de ter tempo livre pra se dedicar às pessoas que ama, o que nem sempre é possível com as pressões do mercado de trabalho.

E muita gente também faz um sabático pra adquirir novos conhecimentos voltados pra carreira, como aprender um idioma ou fazer um curso de especialização.

Leia também:
Dicas para viajar sozinho(a)

Vantagens de tirar um sabático

Um período sabático costuma trazer muita realização pessoal, novas experiências, mudanças de estilo de vida e aprendizado de novas habilidades, incluindo coisas que você nunca imaginou.

Vivemos, afinal, numa sociedade em que dedicar-se ao trabalho e ser produtivo é um dos principais parâmetros morais. Costuma sobrar pouco tempo e energia nos nossos dias pra outras partes importantes da vida, como autocuidado, autoconhecimento, cultivo de relações, questionamentos sobre estilo de vida e expressão da criatividade.

Durante um sabático, é mais fácil abrir espaço pra essas outras dimensões de nós mesmos. Por isso, essa experiência tem o potencial de ser transformadora.

Além disso, é comum que as pessoas tenham ótimos insights profissionais, desde úteis pra carreira anterior a ideias de novos caminhos e negócios. Não que eu ache que esse deva ser o objetivo de todo mundo com essa prática, mas pode ser um ótimo bônus, né?

Ah, e falando em insights profissionais, vale ressaltar que os benefícios de um sabático também podem se estender pra o empregador. Muitas pessoas iniciam essa jornada com a intenção de deixar pra trás um cargo ou profissão que não as satisfaz, mas outras tantas buscam apenas um período de descanso pra retomar as atividades com mais energia e criatividade.

Por isso, pra as empresas pode ser vantajoso oferecer uma licença não remunerada pra funcionários que queiram tirar um sabático, garantindo a recolocação na mesma vaga na volta.

como tirar um sabático - viagem barata

O que fazer durante um sabático

Com base nas suas motivações pra tirar um sabático, fica mais fácil definir como ocupar esse período. Não que você precise ficar preso ao objetivo inicial, mas é legal ter um norte, até pra se planejar.

Algumas sugestões de atividades pra um período sabático são aprender novos idiomas, viajar pelo mundo, fazer trabalho voluntário, lançar um projeto na internet, aprender a pintar ou tocar um instrumento, aperfeiçoar dotes culinários, estudar algo relacionado à sua profissão, aprender sobre permacultura ou bioconstrução, fazer pesquisa de campo pra lançar um empreendimento ou um projeto artístico… Ou talvez você tenha como meta algo mais subjetivo, tipo “superar medos”, e resolva praticar várias atividades que parecem desafiadoras. O céu é o limite!

E mesmo com um objetivo definido, minha dica é manter a cabeça aberta e ficar atento às oportunidades que surgirem nesse período. Talvez algo que nunca passou pela sua cabeça se apresente como possibilidade e traga ótimas surpresas e transformações internas.

Leia também:
Viajar com propósito: como dar mais significado às suas viagens

O que fiz no meu período sabático

No final de 2016, pedi demissão do meu último emprego CLT como coordenadora de conteúdo numa agência digital. Meu objetivo era profissionalizar este blog, que já existia como hobby desde 2012. Mas antes de focar de fato nessa “nova carreira”, tirei um sabático de cerca de um ano.

Eu queria, antes de mergulhar de cabeça no trabalho, me capacitar pra fazer essa transição profissional com mais segurança, aproveitar a recém conquistada liberdade geográfica pra viajar muito e conhecer destinos pra, posteriormente, produzir conteúdo pra o blog.

Fiz vários cursos nesse período, como de pacote Adobe na Expolab, Empretec no Sebrae, empreendedorismo criativo no Decola Lab, escrita criativa na Escola de Escrita, entre outros. Também estudei um bocado por conta própria sobre SEO e outros temas importantes pra criar e monetizar um blog. No resto do tempo, passei seis meses mochilando pelo Brasil e pela Europa.

Leia também:
110 dias pela Europa: meu mochilão em números

Pra reduzir custos, já que eu estava gastando minhas economias, fiquei morando na casa da minha mãe e usei várias estratégias pra viajar barato. Troquei trabalho por hospedagem, me hospedei nas casas de vários amigos e conhecidos e por permuta e me desloquei de ônibus de baixo custo, por exemplo. Além disso, frequentei pouquíssimos bares e restaurantes e priorizei atrações gratuitas.

Gastei pouco, mas vivi muito! Fiz vários amigos, pratiquei três idiomas, desenvolvi novas habilidades, ganhei experiência de trabalho na minha área de produção de conteúdo, aprendi sobre outras culturas, conheci mais do meu próprio país, saí da minha zona de conforto diversas vezes e me tornei mais que nunca minha melhor amiga.

Na volta, estava cheia de gás pra colocar em prática meus aprendizados e compartilhar as experiências que vivi. No ano seguinte, me dediquei pra fazer o blog crescer em audiência e monetização e o transformei no meu novo trabalho.

Leia também:
Como criar e monetizar um blog de viagens
10 coisas que aprendi sobre empreendedorismo

na croácia durante meu período sabático

Como se planejar para tirar um sabático

Já decidiu que quer mesmo tirar um sabático, mas não sabe por onde começar? Ao ler esse post você já deu um passo importante: buscar informações.

Depois de entender quais são seus objetivos pra esse período sabático, o passo seguinte é avaliar quais são os lugares onde você pode viver o que deseja. Não que seja preciso viajar pelo mundo durante seu sabático, hein?

Se a ideia é escrever um livro, estudar pra uma seleção de mestrado ou passar mais tempo com os filhos, por exemplo, talvez você consiga aproveitar esse tempo em casa mesmo, ou numa casa de campo ou de praia pertinho de onde mora.

Mas muita gente escolhe viajar durante o sabático, e não por acaso. Afinal, quando nos afastamos dos contextos que nos são mais familiares e confortáveis, costuma ser mais fácil rever velhos hábitos e conceitos, se abrir pra outras experiências e repensar escolhas.

Tendo em mente seus objetivos, atividades que pretende fazer e lugar(es) aonde quer ir, pergunte-se: quanto tempo você pretende passar longe do trabalho? Quanto dinheiro estima que vai precisar nesse período?

As respostas a essas questões vão depender do seu contexto pessoal. Você pretende voltar pra o mesmo emprego depois do sabático? Já conversou com seu chefe ou o RH pra saber se pode tirar uma licença não remunerada? As atividades que pretende realizar durante o sabático têm custo alto?

O estilo de vida que você pretende manter nesse período é mais simples ou mais luxuoso? Quanto você tem de reserva financeira no momento e quanto conseguiria economizar antes do sabático?

Leia também:
Como juntar dinheiro para fazer uma grande viagem
Guia completo para planejar um mochilão

Dica bônus: pra quem está planejando um período sabático ou quer aprender sobre planejamento de viagens, sejam elas temporárias ou como estilo de vida a longo prazo, recomendo os cursos online da Worldpackers Academy. Com o cupom JANELASABERTAS você ganha 10 USD de desconto pra ter acesso às dezenas de cursos da plataforma.

como tirar um sabático - planejamento

Dinheiro

Quanto custa tirar um sabático? Essa pergunta não tem resposta única, porque vai depender das respostas àquelas perguntas do item anterior. Pense nos lugares aonde você pretende ir, estilo de vida e viagem que vai manter, atividades que quer realizar nesse período…. E pesquise os custos de cada item do orçamento.

Meu conselho é fazer uma estimativa desses gastos com base em pesquisa e conversas com pessoas que tiveram uma experiência parecida. Faça uma lista dos custos que provavelmente terá com passagens aéreas, hospedagem, alimentação, transporte interno, seguro viagem, cursos etc.

Leia também:
Seguro viagem é realmente necessário?

Também recomendo incluir nas contas uma reserva financeira pra se manter por uns seis meses quando voltar do sabático. Assim, você consegue mais “fôlego” pra se recolocar no mercado de trabalho ou fazer uma transição profissional.

Se sua ideia é ter tempo e concentração pra investir num projeto artístico pessoal, por exemplo, os custos podem se limitar ao aluguel de uma casa simples no interior e gastos básicos com alimentação e contas. Se quiser ir fazer um curso de teatro numa escola renomada em Nova York, por outro lado, o orçamento fica bem mais alto.

Outro exemplo: se você pretende fazer um mochilão de baixo custo, dá pra viajar com pouquíssima grana. Mas se quiser dar uma volta ao mundo com conforto, ficando em hotéis, se deslocando de avião e fazendo todos os passeios turísticos, vai sair muito mais caro.

Algumas formas de tirar um sabático barato são viajar por perto da sua cidade de origem, ir pra destinos com moeda mais desvalorizada que o Real e usar as estratégias de economia que compartilhei nos posts 15 dicas para uma viagem barata, 10 dicas para viajar gastando pouco (vídeo) e Como viajar sem dinheiro.

Outra dica massa é viajar trocando trabalho por hospedagem. Sim, sei que pra muita gente a ideia de um sabático é justamente não trabalhar. Mas nesse tipo de voluntariado você costuma trabalhar poucas horas por dia e a filosofia de aprendizado e colaboração pode até contribuir pra ressignificar sua relação com o trabalho.

Essa é uma ótima forma de economizar, já que hospedagem é um dos custos mais altos pra quem viaja por muito tempo. Mas além disso, recomendo muito esse tipo de voluntariado pra quem quer ter alguma rotina durante o sabático, se conectar mais profundamente com o lugar visitado e conhecer pessoas.

Muita gente também usa esse tipo de voluntariado pra praticar habilidades que pensa em usar numa nova carreira no futuro. Dá pra atuar em várias funções diferentes, e nem todas as vagas exigem experiência, então pode ser uma forma bem legal de fazer uma transição profissional.

Se você é fotógrafo amador e quer trabalhar com isso, por exemplo, procurar anfitriões que precisem de trabalhos com fotografia é uma excelente forma de aprender na prática e compor um portfólio pra trabalhos remunerados no futuro.

Pra encontrar vagas de troca de trabalho por hospedagem, recomendo a plataforma brasileira Worldpackers. Pra se inscrever e ganhar 10 USD de desconto, clique aqui ou use o cupom JANELASABERTAS.

Leia também:
Tudo sobre troca de trabalho por hospedagem

Emprego

Outro obstáculo comum pra quem pensa em tirar um sabático é o medo de deixar o emprego. Num cenário de instabilidade econômica e altos índices de desemprego acho isso bem compreensível, especialmente pra quem não tem uma rede de apoio.

Não tenho como avaliar o risco dessa decisão pra seu contexto pessoal e recomendo pensar bem nisso. Mas também acho importante ficar alerta pra não se deixar paralisar por um medo irracional. Tem gente que tem bastante grana guardada, ou poderia viajar de forma bem econômica, mas não tem coragem de realizar esse sonho.

Muitas das pessoas que conheço que tiraram um sabático passaram a ganhar menos que antes assim que voltaram pra “vida normal”, mas nenhuma ficou sem grana. Na verdade, é bem comum que as mudanças de visão de mundo que acontecem durante um sabático façam com que você não queira ou precise ter o mesmo estilo de vida de antes, tanto em relação a padrão de gastos quanto a profissão.

Depois do sabático, muita gente decide investir numa nova carreira, por exemplo. Tenho uma amiga que trabalhava numa multinacional de petróleo e depois de viajar pelo mundo por anos se tornou professora de inglês, um conhecido que era designer e virou fotógrafo, um amigo que trabalhava num banco de investimentos e abriu uma startup de viagens, vários colegas que passaram a trabalhar produzindo conteúdo pra internet… As possibilidades são bem variadas.

Amigos e família

Outro receio que muita gente sente em relação a tirar um sabático é sobre a reação de familiares e amigos, ou a saudade que sentirá deles no período.

Se as suas ações não vão afetar diretamente os demais, tipo deixar seus dependentes desassistidos, acredito que o importante é ter um diálogo aberto, explicando suas motivações e mostrando que está se planejando pra isso.

Pessoas que amam você podem querer dissuadi-lo da decisão por proteção, reflexo de medos deles mesmos ou até mesmo inveja. É importante tentar filtrar isso e ter confiança nas suas motivações, se isso for o que você realmente quer.

Se o problema for o medo de sentir saudades, lembre-se que a distância vai ser temporária e que hoje em dia temos tecnologia de sobra pra ajudar. Além disso, a experiência de desapegar e exercitar a independência e a solitude nos ensina muito. Sem falar que muita gente tira um sabático junto com a família, ou com o/a parceiro(a).

Reflexões sobre tirar um sabático

Sabático não é férias

Se você escolher tirar um sabático viajando, é bom entender que viajar de férias é diferente de estar na estrada por um tempo prolongado.

Nas férias, geralmente queremos aproveitar tudo intensamente, já que temos um tempo bem limitado no destino e estamos ansiosos pra fugir da realidade diária. É comum, então, que o viajante queira ir em todos os pontos turísticos, frequentar muitos restaurantes e bares e ocupar cada minuto de viagem. E também que se permita gastar mais do que gastaria na vida normal.

Numa viagem mais longa, como num sabático, o ritmo costuma ser diferente. Pra começar, tem a questão da grana: se não tem um salário pra continuar entrando normalmente, você não deve encarar os gastos da mesma forma. A não ser que tenha muitas economias disponíveis, o ideal é pensar no seu orçamento como se você estivesse em casa, no dia a dia comum.

Além disso, é bom se permitir momentos de tédio e dias de descanso. É insustentável ficar fazendo maratonas de passeios ou festas por muito tempo. Também acho importante entender que às vezes pode bater tristeza, desânimo etc., assim como costuma acontecer na vida normal.

Leia também:
10 dicas para quem vai fazer um mochilão longo

Seus problemas vão junto

Há quem veja um sabático como uma fuga de problemas, acreditando que sair do trabalho ou viajar é uma solução mágica. Acho válido buscar mudanças acredito que viajar ou experimentar novas vivências é uma ótima forma de colocar nossos problemas em perspectiva e nos libertar de crenças limitantes, por exemplo.

Mas se você pensa que tirar um sabático vai resolver todos seus problemas, acho importante ressaltar que não é assim tão simples. Se você não estiver preparado pra realmente organizar as coisas aí dentro, vai ser infeliz do mesmo jeito, seja no Brasil ou nas Maldivas. Afinal, não é a viagem que vai provocar mudanças internas significativas. É você.

Leia também:
A viagem não faz nada sozinha
Você não precisa viajar pra “se encontrar”

Você não precisa produzir

Pra justificar a iniciativa de tirar um sabático (seja pra si mesmo ou pra outras pessoas), você pode ficar tentado a criar muitas metas e preencher esse período com atividades. Isso não é necessariamente ruim, mas nem sempre um sabático precisa trazer um “retorno sobre investimento” quantificável.

Tudo bem se você quiser simplesmente descansar, viver a vida sem grandes planejamentos, curtir o imprevisível. Vale lembrar de onde o conceito partiu inicialmente: a ideia era fazer uma pausa renovadora, como a terra que descansa numa estação pra dar frutos em outra. Acredito que é importante nos questionarmos sobre como atrelamos uma suposta “utilidade” à necessidade de estar sempre produzindo algo que gere dinheiro ou que possa ser mostrado aos demais.

Antes de começar o período sabático e várias vezes durante o processo, olhe pra dentro e pergunte-se: essas escolhas me fazem feliz? Se a resposta for não, altere a rota. :)

Leia também:
Você precisa mesmo ser mais produtivo?

Tem alguma dúvida sobre como tirar um sabático? Pergunta aí nos comentários!

Crédito das fotos que ilustram o post (exceto a imagem em que eu apareço): Unsplash – licença Creative Commons – Direitos de uso liberados

Transparência: os links da Worldpackers presentes no post são de afiliados, o que significa que se você usar meu cupom de desconto ou assinar um plano usando meu link, eu ganho uma comissão e você não paga nada a mais por isso. Essa é uma forma de me ajudar a manter o trabalho aqui no blog, que exige um esforço muito grande. Eu só recomendo a empresa porque usei e aprovei, além de conhecer pessoalmente os fundadores e equipe e confiar no trabalho deles. Clique aqui se quiser saber mais sobre as formas de monetização do Janelas Abertas.

Posts Relacionados

2 Comentários

  1. Julia

    Eu queria te abraçar de tanto amor que vc passou com cada palavra. Obrigada

    • Ahhh que comentário mais fofo! <3 Super obrigada, Julia! Um abraço virtual pra você

Deixe o seu comentário