Dicas Práticas

Dicas para viajar sozinho: guia para iniciantes

Dicas Práticas | 05/05/19 | Atualizado em 15/05/19 | Deixe um comentário

Enquanto há quem ame sair por aí desbravando outras terras na companhia apenas de uma mochila, muita gente sequer cogita embarcar rumo a novo destino sem contar com a companhia do seu par, família ou amigos. Mas viajar sozinho é incrível – viciante, até.

Afinal, não faltam vantagens. Começando pela liberdade: você não precisa conciliar o orçamento, destino ou o período da viagem com outras pessoas. Sem falar na maior possibilidade de interação com moradores locais, que pode render experiências super ricas e novas amizades.

Quer organizar uma viagem solo e não sabe por onde começar? Montei um guia prático com as principais dicas para viajar sozinho (ou sozinha), seja pelo Brasil ou para o exterior. Vamos lá?

Leia também:
Todos os posts do blog sobre viajar só

Dicas para viajar sozinho

1. Como escolher o destino

Muita gente pergunta qual o melhor destino para uma viagem solo. Tem um monte de listas do tipo na internet, mas acredito que a resposta é bem pessoal.

Antes de decidir para onde ir, é preciso entender quais são seus objetivos com essa viagem, sua personalidade e seu momento. Não é só porque aquela sua adorou a viagem para um lugar X e postou fotos lindas no Instagram que você deve ir também, né?

Uma das principais dicas para viajar sozinho, a meu ver, é fazer o que te faça sentir confortável. Quer se desafiar num país com cultura diferente do outro lado do mundo? Se joga! Mas se achar mais tranquilo ir para um destino mais próximo e “familiar”, faça isso.

Gosta de cidades grandes e de estar sempre ocupado? Então considere ir a uma grande metrópole. Ama a natureza e quer uma viagem mais introspectiva? Pesquise destinos com belas trilhas e tranquilidade.

Está precisando urgentemente de descanso? Vá a uma praia bonita. Acha que vai ficar deprê se estiver rodeado de casais? Evite destinos típicos de lua de mel, como ilhas gregas.

Tá, mas como escolher um lugar específico? Se você não tiver destinos “dos sonhos” já em mente, aproveite para se guiar pelos fatores práticos.

Quais lugares têm clima bom na época em que você pretende viajar? O período que você tem disponível é suficiente para curtir esse destino ou vai ficar muito corrido? Qual o preço das passagens? Os custos de hospedagem, transporte interno, passeio e alimentação são compatíveis com seu orçamento?

2. Por que investir tempo em pesquisa

Como descobrir a resposta para as perguntas do item acima? Pesquisando! E essa etapa de pesquisa, aliás, continua depois de você decidir aonde quer ir. Para quem viaja sozinho, especialmente nas primeiras vezes, quanto mais informações, mais fácil evitar perrengues.

Ainda assim, não é bom se prender demais às informações que você encontrou antes da viagem, já que chegando no lugar você certamente vai descobrir muita coisa nova. Nem ficar amarrado a uma programação, já que imprevistos sempre acontecem – e muitas vezes são as melhores partes da viagem.

Guias e blogs de viagem, redes sociais e canais do Youtube são boas fontes de informação. Com base nos relatos de outros viajantes, faça uma lista dos atrativos que quer conhecer e avalie se o tempo que terá no destino vai ser suficiente ou se precisará priorizar algumas coisas.

Informe-se também sobre questões práticas, como que moeda levar (caso vá para o exterior), como funciona o transporte público local, quais documentos são necessários para a viagem, quais as melhores áreas para se hospedar e que tipos de roupa deve usar, por exemplo.

3. Como montar o roteiro

Chegou a hora de montar o roteiro propriamente dito: planeje seus dias priorizando o que faz questão de conhecer, levando em consideração os deslocamentos e deixando tempo disponível para descansar e curtir os lugares sem estresse.

Uma dica nessa etapa é abrir o Google Maps e colocar nele todas as atrações que você quer visitar. Assim, fica mais fácil definir uma ordem geograficamente lógica para conhecer os pontos turísticos, especialmente em cidades grandes.

Não se esqueça, no entanto, de checar os horários de funcionamento de cada atração, além de conferir se existe entrada gratuita ou eventos especiais em algum dia da semana.

Lembre-se também que os dias de deslocamento entre uma cidade e outra muitas vezes são cansativos e que fazer check-out e check-in nas hospedagens toma tempo, então o ideal é não planejar muitas atividades para os dias de chegada e partida.

Outra dica é reservar um dia “livre” no roteiro, que pode ser usado para revisitar algum lugar que gostou muito, conhecer algo cuja existência você só soube durante a viagem ou compensar algum imprevisto.

dicas para viajar sozinho

4. O que fazer antes da viagem

Antes de qualquer viagem, é preciso fazer alguns preparativos básicos como comprar passagens e fazer a mala. Também recomendo montar uma farmacinha com os remédios que você usa mais frequentemente e salvar uma versão digital dos seus documentos mais importantes na “nuvem”.

Mas se você for para o exterior, existem outros itens que merecem atenção. É preciso, por exemplo, conferir de quais documentos precisa para entrar no país: RG é suficiente? O seu está em boas condições? Tem que ser passaporte? Qual a validade do seu? É preciso solicitar vistos? Com quanta antecedência? É exigida alguma vacina e comprovante internacional?

Também é importante contratar um seguro viagem, comprar moeda estrangeira e avisar ao banco que você vai viajar, para que não bloqueiem seus cartões caso verifiquem o uso no exterior.

Caso vá passar muito tempo fora, também pode ser interessante fazer um check-up médico e emitir uma procuração no nome de alguém de confiança.

Leia também:
Check-list para viagens internacionais

5. Como economizar na viagem

Entre as muitas dicas para viajar sozinho, um dos temas que mais trazem dúvidas é a questão da grana. Como aproveitar a viagem gastando pouco, especialmente se você não tiver com quem dividir as despesas?

Dependendo do seu nível de exigência ou de flexibilidade, dá para economizar bastante em várias partes da viagem. E a melhor parte é que muitas dessas alternativas mais econômicas facilitam o contato com moradores do lugar e outros viajantes – você só vai ficar sozinho se quiser!

Passagens aéreas

O transporte desde sua cidade até o destino costuma ser um dos gastos mais pesados no orçamento de uma viagem. Por isso, cada economia nesse item pode fazer uma grande diferença.

Para encontrar passagens aéreas baratas, o ideal é ter flexibilidade em relação às datas, especialmente, se puder, evitar alta temporada e feriados.

Recomendo comparar preços em buscadores e, também, dar uma olhada no site da MaxMilhas, onde muitas vezes você encontra passagens com preços bem mais em conta que nas companhias aéreas.

Deslocamentos internos

E dentro do destino, como se locomover? Especialmente para quem viaja só, alugar um carro ou pegar táxi geralmente sai caro.

Para economizar no transporte local, algumas dicas são escolher bem a localização da sua hospedagem de acordo com os lugares que você quer visitar, além de usar transporte público e caminhar sempre que possível.

Aplicativos de transporte público como Moovit e o próprio Google Maps são muito úteis, além do Maps.me (que pode ser acessado off-line). Apps de carona, como Blablacar, também são uma boa pra quem viaja só.

Leia também:
Como economizar com transporte em viagens

Hospedagem

Outro gasto pesado na maioria das viagens é hospedagem. Por isso mesmo, uma das principais dicas é economizar nesse item. Hotéis costumam sair muito mais em conta para quem tá em dupla, é claro. Por outro lado, sem companhia você pode achar mais facilmente um sofá para ficar de graça na casa de amigos, conhecidos ou usuários do Couchsurfing.

Outra opção de hospedagem “gratuita” (em troca de algumas horas diárias de trabalho) é o work exchange, que também ajuda a conhecer pessoas e desenvolver novas habilidades.

Já no quesito hospedagem barata, o grande destaque são os hostels, que já não têm mais aquele estigma de espaços bagunçados e só para jovens. Além de serem ótimos lugares para conhecer pessoas, muitas vezes os albergues têm até quartos privativos com preços razoáveis.

Também vale buscar quartos em Airbnbs ou pousadas mais afastados das áreas turísticas, levando em consideração se o deslocamento diário compensa ou não.

Leia também:
Tudo sobre work exchange
Couchsurfing: muito mais que hospedagem gratuita
Albergues para iniciantes: tudo que você precisa saber

Alimentação

Para economizar com alimentação durante a viagem, algumas dicas são pesquisar sobre restaurantes com bom custo-benefício antes da viagem, pedir dicas a moradores, usar apps como Foursquare e Tripadvisor e evitar regiões mais turísticas.

Também vale a pena comer bastante no café da manhã (caso esteja incluído na reserva da hospedagem), escolher uma refeição para ser a principal e lanchar nas demais, procurar hospedagens com cozinha e fazer sua própria comida, explorar feirinhas de rua e buscar menus executivos nos restaurantes.

Leia também:
Como comer bem em viagens gastando pouco

Passeios

O valor gasto com passeios vai variar muito de um lugar para outro. Enquanto em destinos como Orlando as principais atrações são pagas, em muitos outros não falta o que fazer sem gastar absolutamente nada.

Nova York, por exemplo, tem desde museus caríssimos a parques e bairros que rendem boas horas de caminhada, além de lugares lindos com entrada gratuita como a Biblioteca Pública.

E na maioria das cidades turísticas mundo afora você encontra free walking tours, que são passeios guiados sem preço fixo, onde você paga o que achar justo.

Pesquisas online e conversas com moradores do lugar também são ótimas formas de descobrir as melhores atrações gratuitas ou baratinhas. Também basta uma olhadinha na internet para saber se o museu que você quer visitar tem entrada grátis em algum dia da semana, por exemplo.

Quem viaja sozinho pode ter dificuldade de economizar com passeios que exijam a contratação de guia, mas até para isso tem jeito: peça à empresa para procurar outros viajantes que possam se juntar a você, ou pergunte à galera da sua hospedagem.

Leia também:
Guia para viajar gastando pouco

Costuma se jogar pelo mundo sem companhia e tem outras dicas para viajar sozinho? Compartilha aí nos comentários! Para conferir mais dicas para viajar sozinho, acesse também o artigo melhores lugares para viajar sozinho no Brasil e no mundo.

Este post foi patrocinado pela MaxMilhas e escrito por mim. As opiniões expressas aqui são sinceras e não sofreram interferência da instituição. O Janelas Abertas preza pela transparência e sempre sinaliza eventuais parcerias e patrocínios. Saiba mais sobre as políticas de monetização do blog.

guia para viajar só

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário