Dicas Práticas

Como economizar pra fazer a viagem dos seus sonhos

“Não viajo porque não tenho dinheiro”. Muitas vezes, o que essa frase realmente significa é “não viajo porque essa não é minha prioridade, então gasto meu dinheiro com outras coisas”. A não ser que não sobre nada do seu salário depois de satisfazer suas necessidades básicas, é possível sim fazer aquela viagem dos sonhos – mas pode exigir um esforcinho, como quase tudo que vale a pena nessa vida ;)

Este ano, tou me organizando mais do que nunca pra economizar de verdade, então acabei juntando uma série de pequenas estratégias, depois de me agarrar com a calculadora e a planilha do Excel e de ler blogs como o Nomadic Matt. Às vezes, atos simples como parar, colocar as coisas na ponta do lápis e refletir sobre seus padrões de gastos já fazem uma boa diferença!

Ah, e a melhor parte é que quando você começa a transformar os sonhos em planos, a viagem se torna mais real <3 Vamos lá?

prioridades

O que eu quis dizer lá em cima é simples: como tudo na vida, viajar é uma questão de prioridade. Se você faz questão de ter um carrão e a versão mais atualizada do iPhone, ir pra baladas caras e conhecer todos os restaurantes “do momento”, é uma escolha sua; tudo certo, tudo joia. Mas se você, assim como eu, prefere viajar, talvez seja o caso de rever seus hábitos de consumo.

Tem uma “viagem dos sonhos”? Pode ser um intercâmbio, um “mochilão”, uma volta ao mundo, um cruzeiro, seja o que for: se você tem isso como meta, tem que se esforçar pra alcança-la, né? O tamanho do esforço é que vai depender das suas condições financeiras e da sua pressa pra chegar lá ;)

Como diz Stephanie do Twenty-something Travel, economizar dinheiro pra viajar é parecido com fazer uma dieta. Quando você quer perder peso, tem que mudar seus hábitos e sua forma de pensar em comida. A única maneira de poupar é gastar menos e ganhar mais, assim como a única forma eficaz de perder peso é comer menos e se exercitar mais. Pode não ser fácil, mas o resultado vai valer a pena – e no meio do caminho você vai acabar se acostumando a olhar pra seu dinheiro de outra forma.

planeje-se

O primeiro passo pra juntar a grana da viagem é fazer uma estimativa do que vai gastar. Pra isso, pesquise muito, levando em consideração os valores de passagem, deslocamentos internos, hospedagem, seguro viagem, vistos, alimentação, compras e gastos pontuais/emergenciais. Pra ter uma ideia desses gastos, você pode conversar com quem já foi ou pesquisar em blogs de viagem e sites como o Numbeo e o Expatistan.

Meus gastos em viagens não são dos mais altos, já que costumo seguir dicas como as que dei neste post. Ainda assim, prefiro arredondar os valores pra cima, porque imprevistos são uma parte quase intrínseca das viagens. Acho válido você fazer isso também!

Depois disso, vem o segundo ponto: você sabe o quanto gasta no dia a dia? Mesmo que ache que sabe, anote. Passe pelo menos um mês registrando (em papel, computador ou num aplicativo como o Money Wise) tudo o que você gasta. Desde as despesas fixas como aluguel, TV a cabo, seguro de saúde, conta de telefone, conta de luz etc. à grana que vai pra comida, cinema, baladas, compras, café, cigarros, coisa e tal.

Ver tudo isso por escrito provavelmente vai lhe assustar um pouco: sim, a gente gasta muito com pequenas coisas. Mas também deve lhe fazer chegar a uma conclusão: é possível viajar com menos do que você precisa pra viver numa grande cidade brasileira.

O terceiro passo é decidir quando você quer viajar e criar uma planilha determinando quanto precisa juntar por mês até lá, pra chegar no valor necessário. É claro que nisso você deve levar em consideração quanto consegue efetivamente guardar do salário do mês, pensando no item anterior, então seja realista.

Não adianta colocar uma meta impossível, mas depois de estipular um objetivo, atenha-se a ele. Coloque esse valor todo mês na poupança (se possível, programe uma transferência automática) e finja que ele não existe. Se tiver algum gasto extra inesperado, tudo bem pegar emprestado de si mesmo, mas depois devolva. Pode ser necessário passar um pouco de aperto um mês ou outro, mas vai valer a pena. Foca na meta!

foca

Ainda não tá seguindo o Janelas Abertas nas redes sociais? Curta o blog no Facebook e no Instagram e receba mais conteúdo de viagem todo dia!

corte-gastos

A próxima etapa é óbvia, mas difícil: cortar gastos. Veja naquelas suas anotações o que mais pesa no seu orçamento e reflita sobre o que é dispensável. A ideia não é viver uma vida totalmente austera, se privando de tudo, mas sim ficar mais consciente sobre aonde seu dinheiro tá indo e sobre o que é mais importante pra você. Não sabe por onde começar? Olha algumas dicas:

Controle seu impulso consumista.

Pra começar, evite ir a lojas. Eu voltei da Europa pela última vez há um ano e posso contar nos dedos as vezes em que fui a shoppings desde então. Como resultado, comprei muito pouca coisa, simplesmente porque não tinha a tentação.

Também diminuí a quantidade de blogs de moda, beleza e decoração que leio e deixei de ter uma “wishlist” interminável de produtos relacionados. Continuo gostando desses assuntos, mas me afastar um pouco desse mundo foi bem saudável. Recomendo!

Outro grande vilão é o impulso. Quem nunca comprou um monte de coisas e se arrependeu logo depois de clicar no “comprar” ou de sair da loja? Sempre que possível, espere pelo menos um dia até concluir a compra. Se você continuar pensando muito na(s) coisa(s), ok, mas é bem capaz de você começar a reconsiderar a importância desse item na sua vida.

Cancele a TV a cabo e evite ir ao cinema.

Isso seria mais difícil alguns anos atrás, mas hoje tem Netflix, Youtube, Torrent e companhia, então gastar algumas dezenas de reais com TV a cabo não é exatamente essencial, né? Lá em casa já cortamos há um tempo, depois de muitos anos de Sky, e não sinto a menor falta. Também dá pra cortar muitos gastos evitando ir ao cinema, que hoje em dia tá mega caro (saudades, carteira de estudante). Se não quiser ser radical, deixe os momentos de tela grande pra filmes mais especiais e priorize salas fora do circuito comercial, que costumam ter preços mais baixos.

Mude de plano de celular.

Vive pendurado no telefone? Por que não usar serviços gratuitos como Whatsapp, Skype ou Viber? Tem um plano pós-pago ilimitado? Que tal trocar pra pré-pago ou controle? Usa mais a internet do que ligações? Será que não existe um plano com mais dados e menos voz, que acabe saindo mais em conta pra você? Analise sua conta, entre em contato com a operadora e busque algo mais econômico. Às vezes vale até usar aquela técnica de ameaçar mudar de operadora pra ver se eles oferecem algum desconto ;)

Tente reduzir taxas.

Essa mesma “estratégia” de ameaçar mudar de operadora pode ser usada com outros tipos de empresa, como companhias de TV a cabo e bancos. Muitas vezes, essa galera sai aumentando nossas taxas sem que a gente perceba, ou até nos damos conta e temos preguiça de fazer algo a respeito. Mas você certamente conhece alguém que ligou pra cancelar um cartão de crédito e, txarans, ganhou um desconto de 90% nas taxas. Morro de preguiça dessas coisas e ainda não fiz isso, mas não tenho dúvidas de que vale a pena tentar.

Evite o salão de beleza.

Faz as unhas toda semana? Quando estiver viajando, provavelmente isso vai ser bem difícil, já que manicures boas e baratas são raras lá fora. Então que tal ir se acostumando a dar um jeito nas unhas sozinha? A mesma coisa vale pra depilação, já que uma “brazilian wax” pode custar os olhos da cara no exterior, além de ser bem mal feita. Hidratação? Dá pra fazer em casa, né, amigue? Dá também pra escolher um corte de cabelo ou tintura que precise de menos manutenção, e assim por diante. Confesso que essa parte é uma das mais fáceis pra mim, porque tenho zero paciência com salão, hehe.

Evite comprar livros.

Já esse tópico é um pouco mais difícil :B Trabalho perto de uma Livraria Cultura e toda vez que passo lá, quero comprar uns cinco livros (eu e todo mundo, né?). A mesma coisa acontece quando aparece alguma promoção pra compra online :~ Mas há algum tempo, caí na real e resolvi primeiro terminar de ler tudo que tá na minha estante ;)

Se você quiser muito algum livro, será que não é mais barato comprar o ebook? Assim, dá também pra levar vários quando for viajar, no amigo Kindle. Na época do mestrado eu consegui evitar ao máximo os gastos em livrarias e fiquei surpresa com a quantidade de obras disponíveis em PDF web afora. Sem falar que existem lugares mágicos chamados bibliotecas, onde você pode pegar livros de graça! :O Incrível, né?

Evite o cafezinho.

Ah, o cafezinho. Arqui-inimigo das poupanças, de acordo com todas as dicas de “economia do dia a dia” publicadas desde que o mundo é mundo. Não por acaso: aqueles R$ 4 por dia podem custar R$ 1.000 por ano – imagina quantos dias incríveis você vive no Sudeste Asiático com essa grana?

Se você é do tipo que não funciona sem o líquido preto mágico, existem alternativas como tomar só aquele que tem de graça no trabalho ou fazer o seu próprio café com pó solúvel (eu sei, não é o ideal, mas o mundo não é uma fábrica de realização de desejos :P). Tem quem diga que essa história do cafezinho é uma besteira, mas pra mim é um bom exemplo pra gente se acostumar a dar mais valor aos R$ 2 de moedas perdidos na bolsa e por aí vai. De grão em grão…

Use o bom e velho cofrinho.

Essa dica foi lembrada pela leitora Gabriela Bazzo: “Sempre jogo todas as minhas moedas num pote – apesar das reclamações infinitas da minha mãe – e, depois de um tempo, troco em algum café, padaria, mercado. E daí o dinheiro vai direto pra poupança” :) Ela conta que chegou a juntar R$ 700 nessa brincadeirinha. Pra mim, não serve muito porque uso todas as moedas pra pegar ônibus (odeio aquela cara feia do cobrador quando dou uma nota de R$ 20 hehe), mas é uma boa. Todo mundo correndo pra comprar um porquinho djá!

Evite viajar muito.

Eita, que contrasenso, né? Eu aqui falando pras pessoas viajarem e venho agora dizer justamente o contrário. Mas não tou falando pra ninguém ficar trancafiado em casa, é claro. É só que se você tem um objetivo que custa uma grana mais alta e um salário que não é dos mais maravilhosos, vai ser difícil chegar lá aproveitando todas as promoções de passagens anunciadas no Melhores Destinos. Já fiquei me coçando pra ir passar um finde prolongado em Brasília por um preço legal ou ir finalmente conhecer Noronha, mas a viagem grande que quero fazer vale mais a pena pra mim no momento. Mais uma vez, é questão de priorizar. Pra me aquietar, aproveito pelo menos as casas de praia dos amigos de vez em quando ;)

Faça exercícios de graça.

Academia, pilates, yoga, spinning… Tudo muito legal (pelo menos é o que dizem por aí), mas felizmente também existe vida saudável do lado de fora, de graça e tudo mais :) Corrida, caminhada, ciclismo, dança, levantamento de peso, alongamentos e outros exercícios podem ser feitos sem gastar um tostão. Se você vai fazer uma viagem longa, melhor ainda: se acostume desde já a poder se exercitar em qualquer lugar. Afinal, é bom ter preparo físico pra encarar horas de caminhada em outra cidade, né?

Evite comer fora.

Pra mim, comer é um dos maiores prazeres da vida. Já falei aqui que grande parte do meu salário vai embora em comida, mas tou tentando reduzir esses gastos. Sempre que posso, levo uma “marmita” pra o trabalho. Tou tentando sair pra jantar só de vez em quando e pensar duas vezes antes de pedir aquele prato mais caro ou sobremesa que na verdade nem aguento comer.

Faça sua faxina.

É muito prático ter uma “fada da limpeza” que faz os pratos sujos aparecerem magicamente limpos no escorredor, né? Mas por mais que você esteja acostumado a ter uma empregada doméstica, diarista ou faxineira em casa, será que não dá pra dar um jeito no lar sozinho? Mais uma vez, se você estiver se preparando pra uma viagem longa pra o exterior provavelmente vai ter que limpar sua própria sujeira aonde for. Por que não ir se acostumando desde já com os produtos de limpeza e guardar aquela grana da diarista pra diárias de albergue?

Compre coisas usadas.

Precisa comprar alguma coisa? Será que ela tem que ser nova mesmo? Aqui no Recife os brechós têm pipocado ultimamente e uma amiga vai em todos eles desde a hora em que abrem, montando o guarda-roupa quase todo com os frutos desses garimpos. Fui com ela uma vez e me impressionei com a quantidade de coisa legal que ela levou por um preço irrisório. Nesse sentido, vale a pena apostar não só em roupas, mas vários tipos de objetos de segunda mão, como livros (Estante Virtual, sua linda), eletrônicos, móveis…

Deixe de morar sozinho.

Eu prefiro continuar morando com minha mãe por enquanto por vários motivos. Entre eles, os financeiros ;) Se você tá morando só, que tal voltar a viver com os pais por um tempo, ou dividir o apê com um ou mais amigos? Se estiver planejando se mudar, será que não rola de adiar um plano por um tempo? As economias em aluguel e outras contas vão ser significativas.

Pare de beber e de fumar.

Sinto que esse é um dos pontos mais polêmicos dessa lista, hehe. Mas não se pode negar que álcool e cigarro são caros e podem ter um impacto enorme no seu orçamento. Se não conseguir parar completamente, tente pelo menos diminuir o consumo – sua saúde também vai agradecer.

Procure lazer gratuito.

Tá cheio de “evite”, “pare” e “deixe” nessa lista, né? Pra terminar com uma vibe mais positiva, deixei esse item pro final :P É que cortar gastos não significa se privar de diversão! Deixar de ir a muitos programas pagos (aquele show caro em que você nem faz questão de ir, mas vai só porque “todo mundo vai” é um exemplo) não significa necessariamente ficar em casa abraçado no Netflix. Com certeza existem opções de lazer perto de você que não exigem grana, principalmente pra quem mora em cidades grandes. Desde atividades ao ar livre como andar de bike e fazer um piquenique no parque a programas culturais gratuitos, cuja existência muitas vezes a gente desconhece. Uma boa fonte pra procurar esses babados é o Catraca Livre.

ganhe-dinheiro

Além de evitar a saída da bufunfa da conta, é bom aumentar os ingressos, né? Enquanto não ganho (nem jogo) na Mega, nem descubro um parente rico, preciso fazer como os meros mortais e ganhar dinheiro da forma tradicional: trabalhando. Mas existem algumas maneiras de acrescentar uma graninha ao salário nosso de cada mês. Olha algumas delas:

Venda suas coisas.

Já falei de comprar coisas de segunda mão. Por que não fazer o contrário: vender suas roupas e outros objetos? Já li muitas histórias de gente que partiu pra um período sabático (você encontra algumas delas aqui, na categoria Histórias de Viajantes) e vendeu tudo que tinha no apartamento, de móveis a equipamentos eletrônicos. Pra quem vai passar muito tempo fora, isso também resolve o problema de onde guardar as tralhas todas.

Se quiser ser menos radical, venda só aquele videogame que você já não usa, a guitarra que tá acumulando poeira há anos ou faça aquela limpa no armário e se desfaça das roupas que não usa há milênios. Existem vários sites de páginas no Facebook onde você pode vendê-las. Outra opção é montar um brechó com amigos – coisa que tou planejando pra o próximo mês \o/ A sensação de desapego é massa!

Venda seu carro.

Não gosto muito de dirigir – principalmente no trânsito insano do Recife – e não faço a menor questão de ter um carro. Mesmo que ganhasse um num sorteio de shopping ou whatever, ia preferir vendê-lo do que ter a comodidade de vir trabalhar sempre no ar condicionado. É que carros são praticamente crianças, né? Tem seguro, consertos, gasolina, IPVA, flanelinha, estacionamento… Nessa brincadeirinha, quantos porcento do seu salário vão embora? Se ter um carro não for realmeeente essencial pra você, vendê-lo pode ser uma forma de conseguir uma boa quantidade de dinheiro rapidinho.

Trabalhe mais.

Sim, a forma mais óbvia – ainda que menos agradável – de ganhar dinheiro é trabalhar. Se você não estiver satisfeito no emprego atual, que tal procurar outro que pague melhor? Se não for o caso, será que rola de pegar um trabalho de fim de semana, ou um freela que você possa fazer fora do horário comercial? Se pegar jobs avulsos não for comum na sua área de trabalho, explore outras habilidades: dá pra dar aulas de reforço, línguas ou instrumentos musicais, fazer doces e bolos pra vender… E aí já sabe, né? Toda essa grana extra vai direto pra poupança da viagem!

Não tem nada de glamouroso nisso: você vai ficar cansado, sem tempo, blablabla. Mas sempre que pensar “ahhhhhh, só quero ficar jogado na cama por uma semana!”, visualize aquela praia no Caribe ou aquele templo no Vietnã que você tanto quer conhecer. Não resolve, mas ajuda ;) Ah, e bonus points: quanto mais você trabalha, menos tempo tem pra sair e gastar dinheiro. hehehe.

Peça dinheiro de presente.

Sinto saudades de quando eu era criança e ganhava vários presentes em datas comemorativas, hehe. Ainda assim, pode rolar de aproveitar aniversário e Natal pra comentar com os parentes e amigos que nenhum presente lhe faria mais feliz do que uma contribuição pra viagem. Pra não ficar tão “me dá dinheiro aí”, por que não materializar o destino da grana criando uns “vales”? Pense que cada contribuição “vale hospedagem no México”, “vale passagem pra França”, “vale dois dias de ingressos pra os parques da Disney”… Outra opção é pedir doação de milhas aéreas. As pessoas provavelmente vão ficar felizes por se sentir parte, de certa forma, da sua viagem :)

Inscreva-se em concursos.

Acho que esse item não se aplica a muita gente, mas achei que valia a pena mencionar, ainda mais porque sei que muitos leitores também são jornalistas. Antes de ir pra Lyon estudar francês, eu ganhei um prêmio de jornalismo com uma matéria que tinha escrito. Não foi uma fortuna, mas foi um “extra” e serviu pra pagar boa parte da viagem que fiz com minha irmã depois, passando por Amsterdã, Paris, Praga e Berlim.

Será que não rola de você se inscrever em algum concurso ou premiação na sua área também? Pra quem é jornalista ou fotógrafo, isso rola bastante. A inscrição às vezes é chata, mas super vale a pena – afinal, o mais difícil, que é o trabalho que você vai inscrever, já tá feito ;)

nao-desista

Esse post foi um dos mais longos que já escrevi, como você deve ter percebido. Gostaria muito de ter uma fórmula mágica pra economia, que pudesse resumir em um só parágrafo salvador. No entanto, tal fórmula não existe (se você conhecer uma, me avisa, pelamor!). Passar meses controlando gastos enquanto seus amigos continuam saindo loucamente, comprando mil roupas legais e fazendo pequenas viagens em todos os finais de semana pode ser um saco, mas se você realmente quer fazer a tal “viagem dos sonhos” tudo vai valer a pena. Se acostume a pensar em todo dinheiro poupado como um dia a mais de viagem, um passeio legal que você pode fazer, uma comida gostosa que vai provar em outro país. Foco!

E você, tem dicas pra economizar e ganhar grana? Tou nesse caminho ainda, me acostumando a implementar muitas das dicas acima (outras são mais difíceis, hehe) e quanto mais ideias, melhor! \o/

Já curtiu a página do Janelas Abertas no Facebook? Clique aqui pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens. 

Vai viajar pra o exterior? Não deixe de fazer um seguro viagem! Clique no banner e contrate o seguro que eu sempre uso :) Com este link, você não gasta nada a mais e ainda ajuda o blog a se manter vivo.

600x80

Posts Relacionados

17 Comentários

  1. LAFS

    Excelentes as dicas, Luisa!
    Tentarei seguir algumas.

    Abs,

    • Legal, LAFS! :D Tenta mesmo. E passa aqui depois pra contar se conseguiu ;) Um abraço

  2. Thais

    Imprimindo o post e colando na parede neste instante…rs.
    Ei Luisa, adorei as dicas, inclusive já faço muitas (já vendi o carro, junto moedinhas e compro muito pouco), mas eu sei que tudo vale a pena no final.
    Btw, encontrei seu blog extamente por que vou colher os frutos do meu esforço no ano que vem, passarei um mês na AF de Lyon :)

    Parabéns pelo blog, um grande abraço.

    • Thais

      *exatamente, rs. Desculpa o errinho.

    • Luísa Ferreira

      Hahaha :) Que bom que você gostou, Thais! E que ótimo que o esforço deu certo <3 Espero que gostes tanto de Lyon quanto eu, no mínimo! :) Obrigada pelo comentário ^^ Um abraço

  3. neusa oliveira

    Parabéns pelas dicas, quem seguir e ter saúde pode viajar muito….

    • Luísa Ferreira

      Que bom que você gostou, Neusa! :) Obrigada pelo comentário.

  4. Rosa Maria

    Super adorei suas dicas, e acabei de baixar o aplicativo Money Wise, agora posso andar com a planilha de gastos por onde eu for. ;)
    Bjs e obrigada!

    • Oi, Rosa! Que bom que você gostou! Boa sorte usando o app e se organizando mais :D Um abraço!

  5. ana

    Olha, faz mais ou menos uma semana que estou lendo as suas dicas. Eu sonho desde sempre viajar, mas guardei o sonho de fazer mestrado e viajar por muito tempo; a grana sempre foi o fator limitante, hoje desempregada e zerada, estou tentando me soerguer, pelo menos com os pensamentos positivos, . Hoje ja estou com 39 e com muitas frustrações, justamente nestes pontos que citei. Parabéns!!!!

    • Oi, Ana! Sempre é tempo de realizar nossos sonhos! Espero que de tudo certo pra voce :) Fico feliz porque o blog te inspirou. Um grande abraco!

  6. Luisa, que postagem legal!

    Sigo muitas dessas dicas! Ano passado viajei para Paris e Londres. A viagem dos meus sonhos passei 11 dias (5 em Londres). E é algo exatamente como falou nessa postagem ou em outra que li aqui no seu blog. Que pode ser caro mas bem mais barato do que imagina! Me surpreendi em muitos lugares, comi ao lado da notre dame um crepe delicioso por 3 euros, em um bistrô super local em Paris um croissant e chocolate quente maravilhosos também nesse valor. Quando converto sai mais barato que a tapioca e refri que como nos finais de semana na feirinha de artesanato daqui! Não queria incluir Londres no roteiro por medo da libra mas achei um hostel super legal na zona 1 pertinho do Hyde Park! Ia a pé para os lugares e chegava rapidinho. Gastei menos do que na minha hospedagem no Rio kkkk Enfim, acho que é como descreveu ao longo desse post tudo é questão de prioridade e estou vendo tudo dessa forma depois dessa viagem pois ampliou meu olhar sob o que vale a pena. Estou organizando minha próxima viagem para Buenos Aires para final desse ano e ano que vem quero ir para os EUA. Dessa vez junto com o marido <3

    bjooo, amando ler suas dicas.

    • Oi, Luziane! Que massa tuas experiências, valeu pelo comentário! :D É bem por aí mesmo: infelizmente não dá pra fazer tudo (a não ser que sua conta bancária seja muito gorda), mas priorizando e sendo estratégica dá pra fazer muita coisa legal :) Boa sorte nas próximas viagens! \o/

  7. Amanda V Silva

    Oi Luísa. Amei seu blog!!! tô favoritando tudo! Você faz planejamento de viagem? com todas essas diquinhas de forma personalizada?

  8. Israel

    Eu realmente adorei o post. Super útil e vai me ajudar muito!
    Obrigadoooo

    • Oi, Israel! Que bom que você gostou, muito obrigada pelo comentário e boa sorte com seus planos! :) Um abraço!

Deixe o seu comentário