Hungria

Os melhores bares de Budapeste: guia atualizado com mapa

Era 2013. Eu tinha ido a Budapeste participar de um curso e tive só uma tarde livre pela cidade. Já tinha me encantado pela vista do Parlamento todo iluminado à noite e pelo pôr do sol rosado sobre os prédios antigos. Mas quando entrei no Szimpla, o primeiro e mais famoso dos “ruin pubs” da cidade, não tive dúvidas: precisava voltar ali.

E foi isso que fiz, pouco depois. Passei dois meses fazendo um estágio em Budapeste e frequentando o maior número possível dos tais bares em ruínas, e na volta escrevi três posts com dicas de bares por lá: Parte 1, Parte 2 e Parte 3.

No outono de 2017, voltei pra capital húngara pra fazer um work exchange e aproveitei pra revisitar muitos daqueles bares e conhecer outros. Fui conferir se ainda estavam todos funcionando, com o objetivo altruísta de fazer um guia atualizado pra vocês (juro que nem me diverti no processo :P).

Você encontra aqui, então, uma versão atualizada dos meus lugares preferidos pra tomar uma cerveja ou um fröccs (bebida típica à base de vinho), com direito a mapinha pra fazer seu pub crawl particular (spoiler: dá pra ir andando rapidinho entre a maioria deles).

Sobre os bares em ruínas

Prédios antigos, muitas vezes com marcas de degradação, repletos de móveis propositadamente descombinados, velhos ou reformados. Muitas vezes, as cadeiras e mesas são feitas a partir de itens inusitados, como um antigo Trabant (carro típico da Alemanha Oriental), uma banheira ou pedaços de barcos.

Objetos de todo tipo pendurados nas paredes, desde estátuas bizarras a escadas, canos e cadeiras. Grafites, muitas cores e, sempre que possível, uma área aberta tipo jardim. Não restam dúvidas: você está num ruin bar. Sim, o conceito é meio hipster, mas é bem maravilhoso.

Os bares em ruínas viraram moda em Budapeste em 2002, quando o icônico Szimpla foi criado. Vários outros estabelecimentos seguiram seus passos, e felizmente não parece ter sido uma moda passageira. Até hoje, esses bares com carinha alternativa continuam super populares, sendo frequentados tanto por turistas quanto por moradores. A maioria fica no Bairro Judeu (Erzsébetváros), uma das regiões mais vivas da cidade.

Quando alguém me pergunta o que fazer em Budapeste, minha primeira dica sempre é explorar o máximo possível desses bares, nem que seja só pra olhar. Afinal, muitos deles são bem grandes e guardam várias surpresas. Dá pra passar um bom tempo só observando a decoração e circulando pelos ambientes até encontrar um que lhe agrade.

E o que é melhor: sem precisar ir à falência. :) Nenhum dos lugares que conheci por lá cobra entrada, então literalmente não custa nada dar uma olhada. Sem falar que vários deles têm “atrações” pra diferentes vibes: uma parte pra sentar e conversar, outra pra dançar; bebidas diversas e comidinhas pra petiscar. Perfeito pra ir num grupo grande, em que cada um quer uma coisa, né?

Sem falar na praticidade: tudo é pago na hora em que você faz o pedido, todo mundo fala inglês e geralmente não tem muitas filas.

Leia também:
Onde se hospedar em Budapeste: um guia bairro a bairro
Todos os posts sobre Budapeste

Os melhores bares de Budapeste

É claro que qualquer lista de “melhores” de alguma coisa não é definitiva, muito menos exaustiva. Existem outros bares em Budapeste tão legais quanto esses abaixo, mas fiz uma seleção dos meus preferidos e que também eram quase unanimidade entre os meus amigos.

Também vale procurar os bares com rooftops, que não cheguei a conhecer. Me indicaram o Intermezzo e o 360, mas no dia em que tentei ir os dois estavam fechados porque tava ventando muito.

Kuplung

Com design um pouco mais minimalista que muitos dos seus concorrentes, ms sem deixar de lado a vibe underground, o Kuplung foi um dos meus bares preferidos nessa última temporada. É um ótimo lugar pra ir tanto durante o dia quanto à noite, quando às vezes rolam shows na parte de trás, que é surpreendentemente grande. Ele fica na Kiraly Utca, uma das ruas mais famosas pra curtir a vida noturna da cidade, e pode ser um bom ponto de partida pra uma noite animada.

Endereço: Király utca, 46 (6º distrito)

kuplung

Instant

O Instant, um bar em ruínas que tá mais pra boate, ocupa um edifício inteirinho. A maioria dos ambientes é pra quem quer dançar, com diferentes estilos de música em cada sala, mas no meio você também encontra um espaço aberto onde dá pra beber e conversar de boas. A decoração é das mais curiosas, com coelhos e uma estátua de coruja-mulher gigante pendurados no teto. Meus amigos sempre acabavam batendo lá no fim da noite, e sempre tava bem animado.

Endereço: Nagymező u. 38 (6º distrito)

instant

Vai pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório pra entrar lá! 
Clique aqui e saiba como contratar o seu com desconto.

Fogasház

Se o Instant não for bem seu estilo, sugiro seguir pra o Fogasház (“casa de dentes” em húngaro :P), que fica ali juntinho e é mais minha vibe. Lá você também encontra várias áreas diferentes pra dançar, mas acho a atmosfera um pouco menos “balada”. Você também encontra ali umas salas com fliperamas antigos, mesa de ping pong, sofás que aparentemente foram achados na rua e um jardim bem delícia, onde o pessoal bebe em pé ou em mesinhas com bancos altos. E sim, como dá pra ver na foto, o lugar também fica bem cheio nos finais de semana.

Endereço: Akácfa utca 51 (7º distrito)

Fogasház

Kőleves kert

O bar mesmo se chama Kőleves Vendéglő, funciona o ano inteiro e supostamente tem comida boa, mas nos meses mais quentes eles abrem também a parte do jardim, Kőleves Kert, que é minha queridinha (a propósito, “kert” significa jardim em húngaro). O espaço é bem colorido, com decoração bem fofa e uma vibe super verão, com direito a redes pra você curtir sua cerveja no maior conforto. É um ótimo cantinho pra o fim da tarde em dias ensolarados.

Endereço: Kazinczy u. 41 (7º distrito)

koleves kert

koleves kert

Mika kert

Outro bar que fica ainda mais maravilhoso nos meses de clima bom é o Mika Tivadar Mulató, que é conhecido pelos drinques e comidinhas, mas me conquistou mesmo pelo jardim, o Mika kert. Eles transformaram barcos em bancos, decoraram as paredes com grafites coloridos e colocaram umas luzinhas charmosas pelo espaço, fazendo dele outro cantinho gostoso pra curtir o fim de tarde e começo de noite (mas não te julgo se você quiser ficar lá o dia todo).

Endereço: Kazinczy u. 47 (7º distrito)

mika kert

Ellátó kert

Na mesma rua você encontra também o Ellátó, que além do ambiente gostoso (com direito a sofás, jardim, mesa de sinuca e uma vibe tão aconchegante quanto a dos outros bares) também chama atenção pela comida. Eles servem ótimos tacos e outras delicinhas mexicanas, o que veio bem a calhar pra fazer baixar o álcool quando eu tava no meu périplo de bar em bar (tudo em nome do blog, vocês sabem). A trilha sonora é a cereja no bolo, ao menos pra quem gosta de indie. No inverno eles colocam um toldo pra continuar usando o espaço aberto.

Endereço: Kazinczy utca 48 (7º distrito)

ellato kert

ellato kert

Gozsdu udvar

O Gozsdu Udvar não é um bar específico, e sim um pátio “escondido” entre vários prédios e cheio de barzinhos e cafés. Você encontra ali desde bares-bistrôs descoladinhos como o Spíler a cafés fofos como o Blue Bird. Como ele fica bem no coração do bairro judeu, vale a pena dar uma conferida durante o dia pra voltar à noite. ;)

Endereço: Király utca, 13 (7º distrito)

melhores bares de budapeste

Szimpla

É claro que eu não podia deixar de falar no pioneiro, né? O Szimpla é mega turístico, mas continua sendo massa. Instalado num prédio de uma antiga fábrica que ia ser demolido, ele leva a outro nível aquele estilo de decoração meio “pegue um monte de lixo e coloque junto, que fica bonito”. São vários ambientes, desde um pátio central aberto ao primeiro andar com poltronas de cinema e salinhas mais reservadas pra conversar ou fumar narguilé.

Fui lá umas dezenas de vezes e a cada visita sempre reparava em alguma outra coisa interessante na decoração. Uma banheira onde você pode sentar, uma sala cheia de monitores de computador com imagens psicodélicas, rabiscos de clientes nas paredes, uma escultura-robô que fica se mexendo…

Por mais que uns 80% dos frequentadores sejam estrangeiros, o Szimpla ainda pode ser considerado um lugar representativo de Budapeste, já que simboliza o renascimento da vida noturna da cidade. Também é um bom lugar pra ir durante o dia, quando ele fica mais tranquilo e dá até pra trabalhar enquanto você come um sanduíche e toma uma limonada com frutas vermelhas. <3

Eles organizam também uns projetos paralelos, como um mercadinho de produtos orgânicos aos domingos (Szimpla Farmers’ Market) que eu frequentava toda semana, além de exibições de filmes e eventos com música ao vivo. O negócio cresceu tanto que hoje tem outros lugares com a “marca”, como o Szimpla Café a Szimpla Design Shop, e há alguns anos chegou também em Berlim.

Endereço: Kazinczy utca 14 (7º distrito)

szimpla ruin bar

szimpla ruin bar

szimpla ruin bar

Street Food Karaván

Esse não é bem um bar, tanto que nem coloquei no mapa aí embaixo, mas achei válido mencionar: a Street Food Karaván é um pátio com food trucks inaugurado mais recentemente, quase ao lado do Szimpla. O espaço é agradável, com mesas tipo de piquenique, mas fica cheio nos finais de semana. Além de comidas típicas como goulash e lángos (muito gostoso, mas mais caro do que em outras partes da cidade), fiquei babando pelos hambúrgueres, massas e sanduíches. Ah, e também tem quiosques com bebidas quentes e bebidas alcoólicas, claro.

Endereço: Kazinczy utca 18 (7º distrito)

street food karavan

Püder

Cansou do bairro judeu e quer explorar opções gastronômicas e alcoólicas em outras partes da cidade? Não muito longe dali, perto do Mercado Municipal, você encontra a rua Ráday, que reúne vários restaurantes fofos e costuma ser mais frequentada por locais do que turistas.

Meu lugarzinho preferido lá é o Püder, que arrasa nas comidinhas e na decoração. Um pouco mais “intimista” do que os bares em ruínas tradicionais, ele também é bem alternativo, com umas boas tralhas aleatórias penduradas nas paredes, teto descascando “artisticamente”, coisa e tal.

Na minha última visita, sentei no grande sofá de veludo que fica num canto e fiquei trabalhando enquanto comia um sanduíche bem gostoso de pulled pork. <3 Eles também promovem eventos culturais.

Endereço: Ráday u. 8 (9º distrito)

bar puder

bar puder

raday utca em budapeste

Morrisson’s 2

Outra opção pra sair do miolinho do 7º distrito é ir na direção oposta. O Morrison’s 2 não tem a decoração tão interessante; é um bar mais normal. Mas ganha alguns pontos porque fica pertinho do rio – vale a pena, aliás, andar um pouco mais e dar uma passadinha na ponte Margit híd pra ver a vista linda.

Apesar de ter um pátio central que funciona como bar, a proposta do lugar é mais boate. São umas cinco pistas de dança diferentes, sendo que numa delas costumam rolar músicas retrô e sempre tinha uma galera fazendo dancinhas engraçadas (adoro). Normalmente eles oferecem preços especiais no happy hour, das 17h às 21h.

Endereço: Szent István krt. 11 (5º distrito)

morrisson's 2

E aqui tá o mapa pra você programar a maratona de bares com a galera:

Fellini Római Kultúrbisztró

Pra quem vai a Budapeste no verão e não tá com o tempo tão corrido, recomendo muito a pequena viagem pra ir até uma parte à beira-rio chamada Romái, afastada do centro turístico. O passeio pode ser feito de metrô e ônibus ou usando um dos barcos que compõem o sistema de transporte público da cidade, gerenciado pela empresa BKK.

Peguei o barco número 12 na estação Boráros tér, perto do hostel onde eu trabalhava, pagando 750 florins (uns R$ 9) pelo bilhete comprado na máquina que vende os bilhetes de tramway (só fique atento pra escolher a opção do barco). O percurso é bonito, mas beeeeem lento: saímos às 17h30 e chegamos umas 19h em Rómaifürdö.

Definitivamente não é uma opção legal pra quem tá com pressa de ir do ponto A ao B, mas se você estiver querendo relaxar e/ou estiver em boa companhia, acho um rolê agradável (e uma forma mais barata de passear pelo Danúbio do que pegando um daqueles barcos turísticos). Pra conferir os horários e pontos de saída, acesse o site da BKK, clique em “Timetables” e selecione o ícone que parece um “D”, que representa os barcos.

Descendo do barco, foi só andar uns 500m pra direita até chegar no Fellini Római Kultúrbisztró, um dos bares mais legais que já conheci, que me foi indicado por uma amiga húngara.

Amei a vibe do lugar, com cadeiras de praia à beira do rio, assentos feitos com pallets e almofadas e uma mesinha com assentos baixos numa plataforma flutuante, que se transforma numa tela de cinema ao ar livre. Eles vendem paninis, nachos e outras comidinhas, mas os preços são um pouco salgados pra o padrão húngaro. Ah, e além do ambiente, amei a trilha sonora jazzística que tava rolando lá.

Endereço: Kossuth Lajos üdülőpart, 5 (3º distrito)

 fellini romai

 fellini romai

Ket Rombusz

E já que você foi até tão longe, não deixe de aproveitar pra conhecer outro bar superlegal por ali. Encontramos por acaso o Ket Rombusz, que parece saído de um filme de fantasia. São dois ônibus antigos fazendo as vezes de bar com assentos tipo poltronas de ônibus (inclusive no teto dos ônibus!), e atrás deles umas “cabanas” com redes e uma montanha de almofadas… Tudo isso envolto em luzes neon, com cumbia na trilha sonora e um dos melhores lángos que já comi. Amei!

Nessa região você encontra também outros quiosques de comida e bares à beira do rio, mas muitos estavam fechados porque chegamos meio tarde, num dia de semana em setembro. Na alta temporada imagino que deve ficar bem agitado por ali. Ah, e se você não encarar o barco o percurso é mais tranquilo: voltamos de ônibus e metrô e levamos uma hora pra chegar no hostel no 8º distrito.

Endereço: Római part, 43 (3º distrito)

ket rombusz

ket rombusz

Aqui tá o mapinha mostrando esses dois últimos bares, que ficam bem afastados do resto:

Você foi nesses ou em outros bares em Budapeste? Quais foram os mais legais? Conta aí nos comentários!

Contrate seu seguro viagem com desconto
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário