Bósnia

10 razões para visitar Sarajevo

Bósnia | 08/03/18 | 4 comentários

Pra muita gente, a palavra Sarajevo traz uma associação imediata: guerra. Quem viveu os anos 1990 guarda na memória imagens e histórias do Cerco de Sarajevo, o mais longo da história da guerra moderna. Mais de 60% dos prédios da cidade foram destruídos durante o período, incluindo alguns que se tornaram alvos especificamente por causa do seu grande significado histórico e cultural, como a grande biblioteca da cidade. Milhares de pessoas morreram e centenas de milhares fugiram. Em 1996, com o fim da Guerra da Bósnia, a capital se encontrava destruída e sua população, imagino, traumatizada.

 

Mas apesar de recente, esse passado sangrento é isso: passado. As marcas da guerra ainda são visíveis, sim. Tanto literalmente, já que faltam investimentos pra reformar todos os prédios cheios de buracos de balas ou parcialmente destruídos, quanto figurativamente. Mas ao mesmo tempo a energia da cidade é tamanha que quase dá pra tocar com as mãos. Já faz tempo que Sarajevo voltou a ser um lugar seguro e receptivo pra visitantes, e que merece muito ser conhecido.
Me senti segura andando sozinha à noite, tanto nas regiões centrais quanto no bairro de subúrbio onde fiquei hospedada. O centro, aliás, é bem moderno, com várias lojas de redes internacionais. E não é difícil encontrar pessoas com alguma noção de inglês pra dar informações.

 

O transporte público é organizado, ainda que pouco frequente, o que se explica em parte pela baixa demanda da população: são menos de 400 mil habitantes, e vi os ônibus sempre meio vazios. Ainda assim, é muito fácil se locomover por lá e a maioria das atrações fica concentrada numa área pequena, então dá pra fazer praticamente tudo a pé.

Quer outras razões para visitar Sarajevo?

1. A Baščaršija

Acho difícil alguém discordar: a parte mais charmosa de Sarajevo é a Baščaršija, centro histórico e cultural da cidade. Localizada à beira do rio Miljacka, que cruza a cidade, essa região reúne mesquitas, cafés e muitas lojinhas e estandes de artesanato, além da famosa Praça dos Pombos, onde vários desses ratos voadores fazem a alegria das crianças. É uma ótima opção de passeio pra quem quer observar as pessoas, já que o lugar é muito frequentado por moradores, e não só turistas.

 

Também é ótimo pra quem quer comer e tomar café (falarei disso adiante) e principalmente comprar: entre echarpes, bijuterias, bolsinhas, objetos de decoração e outras mil coisinhas, é fácil perder algumas horas (e alguns marcos, moeda local representada por KM ou BAM). No tempo dos otomanos, cada rua era dedicada a uma profissão, como sapateiros, chaveiros e a galera que trabalhava com couro. Hoje ainda é possível visitar a rua do cobre, cheia de utensílios feitos com esse material.

 

praça dos pombos

 

centro histórico de sarajevo

 

praça dos pombos

 

objetos de cobre no centro histórico de sarajevo

2. A influência Otomana

Fundada em 1461 pelos otomanos, a cidade preserva até hoje uma forte influência turca, que pode ser vista na gastronomia, na arquitetura, na música e em alguns hábitos culturais. E também, é claro, nos muitos itens vendidos no bazaar do centro histórico. ;)

 

lanternas turcas na bósnia

3. A cultura dos cafés

Sentar num banco baixo numa calçada e tomar um café (kafa) por horas na companhia de amigos, jogando conversa fora e vendo o tempo passar. Esse ritual é um dos costumes locais que mais chamam a atenção dos visitantes, e certamente um dos meus preferidos. E não é qualquer café: o bósnio (bosanska kahva) é influência dos séculos de dominação otomana na região. Espesso e forte, ele vem pra mesa nessa jarrinha mini aí embaixo, a džezva, com o pó no fundo, pra você colocar na pequena xícara de cerâmica sem alças.

 

cafeteria em Sarajevo

 

café bósnio

4. As colinas

A cidade está construída no vale de Sarajevo, uma pequena depressão cercada por colinas. Essas montanhas já abrigaram tanques de guerra, que aproveitavam a posição privilegiada para disparar em direção ao vale. Hoje, criam um lindo pano de fundo ao redor da capital, repletas de pinheiros bonitões, e servem como área de lazer pra população.

montanhas em sarajevo

pinheiros em sarajevo

Procurando hospedagem em Sarajevo? Veja as melhores opções de hotéis, albergues e apartamentos para sua estadia.

5. As vistas

Se você me segue aqui no blog, já sabe que eu adoro vistas. Como não poderia deixar de ser, aproveitei várias oportunidades pra ver Sarajevo de cima: tanto desde algumas das suas colinas, durante o passeio com Toorico Tours, quanto subindo a pé até o Yellow Bastion (Žuta tabija), a White Fortress (Bijela tabija) e a Avaz Tower. Entre prédios modernos e tradicionais, ícones históricos, áreas residenciais e um bonito pôr do sol, não tinha como não cair de amores.

 

vista do yellow bastion

 

bastião amarelo

 

avaz tower

 

selfie no yellow bastion

 

fortaleza branca

6. A história

Sarajevo é, claro, um prato cheio pra quem tem interesse em entender melhor as causas e implicações da Guerra da Bósnia e do cerco à capital. Alguns museus na cidade trazem interessantes perspectivas sobre o conflito, como o War Childhood Museum, que reúne relatos de jovens que cresceram durante esse período, e a Galerija 11/07/95, onde estão expostas fotos sobre o terrível genocídio de Srebrenica, em que mais de 8 mil pessoas foram mortas. Impossível não se emocionar.

 

Também aprendi muito fazendo o tour sobre a guerra que já mencionei, que passa também pelos restos das estruturas usadas nas Olimpíadas de Inverno de 1984, e um free walking tour mais genérico. Nele, revisitamos episódios mais antigos da história do país, como aquele que você provavelmente também associa a Sarajevo: o assassinato do arquiduque austro-húngaro Franz Ferdinand, que é tido como estopim da Primeira Guerra Mundial.

 

Além de caminhar sem rumo, admirando os prédios otomanos e os da época de domínio austro-húngaro, recomendo fazer um tour guiado pra entender melhor o que tá por trás de cada lugar.

 

exposição sobre o massacre de srebrenica

 

tunnel of hope

 

war childhood museum

7. As comidas e bebidas

Carne, legumes, ensopados, temperos, pães deliciosos, muitos doces… A culinária dos Balcãs é bem delícia, como já falei no post com curiosidades sobre a Sérvia, e em Sarajevo não é diferente. Além dos meus queridos bureks (folheado amanteigado e recheado, geralmente com queijo, espinafre ou carne), me esbaldei nas mussacas (tipo uma lasanha de berinjela típica da Grécia e Turquia) e nos cozidos bósnios (carne com tomate, cebola, cenoura, tomate e vários outros legumes e molho).

Também adorei os pães de lá, que costumam ser servidos junto aos pratos quentes e são bem fofinhos (ótimos pra levar discretamente pra comer no jantar, inclusive :P). Sem falar no cevapi, uma espécie de salsicha de carne moída servida com cebola e kajmak, e nos muitos legumes recheados com carne. Sim, carne e carne e mais carne: aparentemente não é muito fácil ser vegetariano e comer comidas típicas na Bósnia, mas não impossível. Aqui e ali, vi pratos que focavam em legumes e grãos.

moussaka e cerveja bósnia

cozido de carne

burek

Ah, e tem os doces, né? Existem dezenas de tipos, quase sempre com muita influência turca (e muito, muito açúcar). Provei a tufahija, uma maçã cozida recheada com nozes e chantilly, e a baclava, um dos pratos nacionais da Turquia (um folhado feito com uma pasta de nozes trituradas e banhado em mel, disponível também em variedades com avelã, pistache e outros itens – vide foto abaixo).
Também vale provar o café bósnio, que mencionei lá em cima, as cervejas locais, como a Sarajevska, e a rakija, destilado feito a partir de ameixa e outras frutas.  Leia mais sobre a gastronomia da Bósnia e Herzegovina.

doce bósnio

rakija

8. Os preços baixos

Além da minha barriga, meu bolso também ficou fã da Bósnia. É que o país é bem barato pra turistas, especialmente em relação a outros destinos europeus. Senti um pequeno choque ao sair de lá pra Croácia. :P Paguei cerca de R$ 20 pelos pratos de comida que aparecem ali em cima, em restaurantes bem fofos numa área turística, enquanto um café Bósnio custa uns R$ 4 e uma cerveja sai por uns R$ 6. Também é fácil achar hotéis no Centro com ótimas avaliações por cerca de R$ 100/diária, apartamentos com quartos pra duas pessoas por R$ 60 ou camas em quartos compartilhados em hostels por R$ 45.

9. A mistura de religiões

Quando você pensa em religião na Europa, provavelmente pensa em cristianismo, né? Na Bósnia não é o caso: cerca de 50% da população é muçulmana. Por isso, em Sarajevo você vai encontrar muitas mesquitas por todo lado, ver minaretes despontando na paisagem e ouvir todo dia a linda chamada pra oração ecoando pelas ruas.

 

Além disso, a cidade é chamada de “Jerusalém da Europa”, por causa da sua diversidade religiosa. É que ela também abriga comunidades expressivas de ortodoxos e católicos, e já houve também muitos judeus (hoje eles são poucos porque quase todos foram deportados ou mortos na Segunda Guerra). É massa ver, numa área pequena no coração da capital, uma mesquita, uma sinagoga, uma igreja católica e uma igreja ortodoxa romana coexistindo em harmonia.

 

área com templos de várias religiões

 

mesquita em sarajevo

 

mesquita em sarajevo

10. A superação

Nem tudo são flores. De acordo com os guias dos passeios que fiz por lá, a tensão entre os três grupos étnicos envolvidos na guerra (bosníacos, sérvios e croatas) ainda existe. Além disso, a Bósnia é o quinto país mais pobre da Europa e quase 20% do seu PIB vem dos 40% de cidadãos bósnios que moram no exterior e mandam dinheiro pra família. Questões políticas e burocráticas seguem sendo entraves pra o desenvolvimento do país, mas o povo tá se esforçando como pode pra seguir em frente e isso é bonito de testemunhar.

Depois de ler O Diário de Zlata e saber como a cidade foi destruída impiedosamente tão pouco tempo atrás, não pude deixar de me emocionar um pouco ao caminhar pelas ruas de Sarajevo e vê-la viva e alegre. Espero que em breve a situação da Bósnia melhore, mas enquanto isso vale a pena demais ir lá visitar. Além de conhecer um país incrível, você vai dar uma ajudinha na economia. E aí, #partiusarajevo? :)

Contrate seu seguro viagem com desconto
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

4 Comentários

  1. Hugo Santos

    Olá Luiza Ferreira, eu tenho uma agência de viagens no interior de S. Paulo e faço pequenos grupos e opero com Vam na europa.
    Geralmente são roteiros conhecidos e solicitado pelos meus passageiros como por exemplo Portugal e Espanha , Paris com Italia., Espanha e Portugal etcc.
    Mas resolvi fazer um roteiro diferente incluindo os países da antiga iugoslavia e outros e gostei muito dos seus comentários e dicas sobre Saraievo.
    Espero contar com vc. em outros roteiros que ainda não conheço.
    Abs.
    Hugo

    • Oi, Hugo! Que bom que você gostou das dicas. Vale a pena mesmo sair do comum e explorar esses países menos conhecidos :) Um abraço e boa sorte com esses novos roteiros!

Deixe o seu comentário