Hungria

Os melhores bares de Budapeste: parte 1

Hungria | 29/09/13 | Atualizado em 21/05/18 | 4 comentários

Meu chefe em Budapeste (que não é húngaro, vale ressaltar) dizia que tem basicamente duas coisas pra conhecer na cidade: “spas and bars”. É claro que a cidade oferece muito mais, mas a brincadeira faz sentido. A parte dos spas quase todo mundo sabe, né? Tratam-se dos famosos banhos termais, que vão ser assunto aqui no futuro. Mas o que me interessa neste post é a segunda parte: os bares. E olha, falando sério, mesmo que você não beba, se for jovem (de idade ou espírito) é bem provável que elija os bares de Budapeste entre as atrações mais legais da capital. Já ouviu falar dos “bares em ruínas”? Lê aí!

Cerveja com vista pro Danúbio ;)

Cerveja com vista pro Danúbio ;)

Não sei em quantos eu fui (mãe, juro que é memória ruim mesmo, não é de bêbada, tá? beijo!), mas gostei de todos eles. E separei alguns dos mais legais que conheci pra compartilhar com vocês e reforçar: mesmo depois de um dia batendo perna como turista, guarde uma energiazinha pra visitá-los. São tantos que dividi o post em três partes – e escrevendo isso, fico pensando em todos os outros que não conheci :(

Obs.: só estive na cidade na primavera e no verão e o “txans” de muitos desses lugares é o fato de serem abertos, então alguns fecham ou mudam no inverno.

Leia mais:

Todos os posts sobre Budapeste

Szimpla

O primeiro deles já foi mencionado aqui no blog duas vezes (aqui e aqui). Ele é o mais famoso, e não por acaso: foi o pioneiro dessa história de bares em ruínas, modinha que faz a fama da night em Budapeste. O Szimpla abriu em 2002, no prédio de uma antiga fábrica, e tem uma decoração no melhor estilo “pegue um monte de lixo e coloque junto que fica bonito” (adoro). Ele é frequentado principalmente por estrangeiros, pelo que eu pude perceber.

Szimpla gatinho durante o dia

Uma parte do Szimpla gatinho durante o dia

São vários ambientes, incluindo uns mais reservados e uma sala com narguilé. Eles também vendem comida até tardão (como muitos outros bares por lá :D adoro²). Logo na entrada, do lado esquerdo, você pode se deliciar com uma Töki Poppos, uma espécie de pizza húngara, e rola também hambúrguer, outros sanduíches e opções vegetarianas.

E além do bar em si, rolam programações culturais (shows, teatro, cinema etc) e tem minha parte preferida: se você acordar sem ressaca no domingo pela manhã, dê um pulo por lá pra conferir a feirinha de orgânicos, que funciona das 9h às 14h.

Farmer's market do amor

Farmer’s market do amor

São vários vendedores de frutas, verduras, queijos, pães, geleias etc, o próprio bar em funcionamento (pra tomar um smoothie, um café ou uma limonada e terminar de acordar) e minha parte preferida: um pessoal que se junta pra cozinhar e vender almoço em troca de doações (você pode pagar quanto quiser, mas a média é uns 6.000 florins, ou seja, uns 6 reais) pra ajudar ONGs.

Delícia demais sentar num dos bancos ou cadeiras velhos/bizarros, ouvir uma música gostosa ao vivo (sempre tem alguém diferente cantando e/ou tocando) e ver o pessoal passar. Em tempo: tem uma senhora que vende uma geleia de chocolate com cereja sem açúcar que é só amor, gente. Só amor.

Endereço: Kazinczy utca 14 (7º distrito)

[Ah, e desde 2009 existe também um Szimpla em Berlim, que foi criado com o objetivo de “exportar a cultura alternativa do leste europeu”]

Fogas Haz

O Szimpla foi meu primeiro amor, porque o conheci já em abril, quando fui fazer a study session. Depois dele, quem me ganhou foi o Fogas, que tem uma vantagem: costuma estar menos cheio. Nesse outro ruinpub, rola uma parte aberta e uma pra dançar. Tem também umas salas com fliperama antigão, totó e outros jogos, um monte de sofás e Deus sabe mais o quê.

Nunca vi a pista de dança muuuito animada (fora uns grupos de amigos dançando engraçado), mas a parte do jardim é uma delícia e sempre movimentada, com o pessoal bebendo em pé ou em mini mesas com bancos altos. Também rolam apresentações teatrais, exposições, coisa e tal. Recomendo! Ah, e dizem que eles têm comida gostosa :D

Endereço: Akácfa utca 51 (7º distrito)

anKERT

Taí outro espaço massa. Também localizado numa casa em ruínas, o anKERT é mais amplo e clean, com decoração em branco e tons claros e clima mais de bar do que balada (mas tem aqui uma lista de eventos, com os djs que vão tocar e tal). Mais iluminado e aberto, ele tem cadeiras e mesas de verdade, além de sofás.

Além do lugar em si ser massa, um motivo pra eu ter ido muito lá é que enquanto eu vivi em Bp ele era o bar escolhido pra os encontros quinzenais do International Meeting Point Budapest, que acontecem nas quartas-feiras, na parte de trás (chamada de “praia”, mas nem se iluda: é só porque tem uma areiazinha. hehe).

O evento é bem legal: cada um ganha uma pulseira de papel dessas de show e concorre a uma rifa de vinho ou algo do tipo. E aí é bem fácil alguém simplesmente se aproximar de você, vendo sua pulseirinha, e começar a puxar papo. O evento é gratuito e também costuma ter húngaros por lá querendo praticar inglês e conhecer estrangeiros :)

Outro destaque do bar é a porção grandinha de batata frita por 300 florins (3 Dilmas). Ah, e dizem que a pizza de lá é bem gostosa, o que não parece ser comum nessa cidade :P Ele tá fechado pro inverno agora, mas depois deve voltar com tudo ;)

Procurando hospedagem em Budapeste? Clique aqui e encontre as melhores opções de hotéis e albergues na cidade

Entrada do anKERT

Endereço: Paulay Ede utca 33 (6º distrito)

E isso é só o comecinho! Fiquem ligados nos próximos posts ;)

Leia mais:

Budapeste: Saudades antecipadas

Budapeste: Transporte público e endereços

Budapeste: “Aprendendo” húngaro

Budapeste: Minha primeira visita

Posts Relacionados

4 Comentários

    • Oi, Dan! Obrigada! Dei uma passada lá e adorei o post sobre Carneiros. A praia é linda mesmo :) Um abraço!

  1. Lu Melo

    Ola Luisa!
    Realmente seu blog eh bem completo! To adorando!!!
    Precisava de umas dicas sobre Budapeste:
    Eh realmente muito frio em Budapeste a noite, mesmo no verao?? Como as pessoas se vestem nas baladas?? Mulheres de salto??
    Realmente o fator “roupas” sempre pega, ainda mais q nao consigo nunca ser compacta na hora de fazer a mala!
    valeu!!

    • Oi, Lu! No verão as noites não costumam ser frias. Quando eu estive por lá, cheguei a pegar 40 graus durante o dia, então à noite o máximo que usei foi um cardigan. Nas festas as meninas usam roupas “de balada”, mas nada muito formal… Eu botava um vestidinho qualquer e pronto ;) Um abraço!

Deixe o seu comentário