Hungria

Budapeste: Roteiro básico

Hungria | 13/11/13 | Atualizado em 07/02/18 | 23 comentários

Já falei por aqui do que comer e beber em Budapeste, de como chegar desde o aeroporto, como se locomover pela cidade, falei sobre a língua húngara e muito mais. Tanta coisa que deixei de lado o básico: o roteiro com os principais pontos turísticos, pra quem tá indo à capital da Hungria pela primeira vez e não sabe nem por onde começar. Depois da minha primeira visita, escrevi um post contando um pouco da cidade. Falei, por exemplo, que ela é dividida em Buda e Pest e que um dos melhores programas por lá é ir na Colina do Castelo, em Buda, e se impressionar com a vista de Pest. Mas pra facilitar, aqui vai uma listinha com uma geral dos lugares legais pra marcar no mapa :) Ah, e aqui neste link você encontra um índice com os 19 posts que já publiquei sobre a cidade!

Colina do Castelo

Começo pela dita cuja, que já apareceu no tal post da primeira visita. A Colina do Castelo não é tão alta, podendo ser acessada de três formas: a pé, pelos degraus que saem da Clark Ádám tér (uma pracinha na ponta da Chain Bridge, a ponte mais famosa da cidade); de funicular, que sai da mesma praça (mas o trajeto só dura cerca de um minuto e a passagem custa 1.000 HUF, ou cerca de R$ 10, por um trecho e 1.700 HUF, ou R$ 17, pela ida e volta – não fiz o passeio, mas acho que se você quiser economizar não perde muita coisa); ou de ônibus, com o número 16, que sai de Deák ter. Chegando lá em cima, você pode conferir o palácio, que abriga alguns museus, ou simplesmente ver a vista desde o Bastião dos Pescadores (que tem o lindo Parlamento como destaque ^^), conferir o teto de mosaico bonitão da Saint Matthias Church e dar umas voltas nas ruazinhas simpáticas por lá. Essa é uma área bem turística, então espere preços mais altos do que em Pest.

Vai pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório pra entrar lá!
Clique aqui e saiba como contratar o seu com desconto.

Colina Gellert

Essa colina fica ao sul da do Castelo e se destaca na paisagem, já que é bem mais alta e tem no seu topo uma estátua – a Liberty Statue deles (que era a vista da janela do meu quarto ^^). Não tem muito o que fazer lá em cima, além de ver muitas árvores e alguns monumentos e, é claro – minha parte preferida – contemplar uma bela vista da cidade. É um bom passeio pra hora do pôr do sol em dias de clima ameno, mas se você tiver pouco tempo em Budapeste não considero uma prioridade.

Vista da Gellert Hill

Vista da Gellert Hill

Praça dos Heróis 

Essa praça (Hősök tere em húngaro) é uma das mais importantes da cidade, localizada num dos extremos da Andrássy. Ela é bem ampla, rodeada por estátuas de personalidades importantes da história húngara, como os líderes das sete tribos que fundaram a Hungria no século IX e vários reis. De cada lado dela tem um museu: o Museu de Belas Artes e o Palácio da Arte.

Praça dos Heróis

Praça dos Heróis

Leia mais:

Todos os posts sobre Budapeste

Parque Municipal

O Városliget (que significa “parque da cidade”) é o maior – adivinhem – parque da cidade (hehe). Ele me surpreendeu, porque não tinha ouvido falar muito sobre ele, mas o lugar é bem fofo – especialmente na primavera e verão, por motivos óbvios :) Na entrada tem um lago bonito, que lembra um pouco o do Parque do Retiro, em Madrid, e onde dá pra fazer pedalinho. No inverno, tem pista de patinação, pra quem tem mais coordenação motora que eu ;) Andando um pouco mais e virando à direita você cruza uma pequena ponte e encontra um complexo de museus e prédios bonitões, com o Castelo Vajdahunyad, o Museu dos Transportes e o Museu da Agricultura. Em volta do parque, ficam as termas Széchenyi (ver tópico abaixo) e o Zoológico da cidade. Esse zoo não é dos mais incríveis, mas é bem legal pra quem viaja com crianças, já que é possível “interagir” com muitos animais, o que inclui entrar numa “gaiola” de pássaros e dar comida a girafas ;)

Laguinho do parque <3

Laguinho do parque <3

Procurando hospedagem em Budapeste? Clique aqui e encontre hotéis e hostels nos melhores bairros

Banhos termais

Os banhos termais estão entre os ícones de Budapeste. Eles atraem muita gente de outros países, e isso nem é novidade: uma das razões pelas quais os romanos colonizaram a área foi pra usar as tais fontes de águas termais que deram origem às termas atuais, que foram construídas durante o período de domínio turco (de 1541 a 1686) e também tinham fins medicinais. Eu fui no Széchenyi, que fica junto do Parque Municipal e é a única das termas “antigas” encontradas em Pest (ele foi construído em 1913). O legal de lá é que além das piscinas termais e saunas instaladas em salas fechadas, ele tem piscinas a céu aberto, sendo duas pra nadar mesmo e uma que mais parece de parque aquático, com uma mini correnteza, pseudo hidromassagem e umas bolhas saindo do chão de tempos em tempos. O lugar é muito bonito e a experiência é interessante, por isso recomendo muito a visita. Ainda assim, confesso que ficar sentada numa minipiscina quente com um monte de gente estranha sentindo o cheiro esquisito dos componentes químicos na água não é o meu programa preferido :P Ah, uma dica pra os party animals: no verão sempre rola festa por lá à noite ;)

Piscina externa do Széchenyi

Piscina externa do Széchenyi

Avenida Andrassy

A “Champs Élysées” húngara, como dizem por aí (adoro essas comparações breguinhas) não chega aos pés da parisiense, mas não deixa de ser interessante, principalmente no trecho mais próximo ao Parque da Cidade, bem arborizado e com casarões impressionantes. Mais pra perto do centro, na frente do metrô Opera, você encontra – txaram – a Ópera Estatal Húngara, onde é possível fazer um tour ou assistir a um espetáculo de ópera ou balé. A avenida também abriga a Terror Háza (Casa do Terror), um museu dedicado às vítimas dos regimes fascista e comunista na Hungria. Ah, e tem também um bocado de lojas de luxo, como uma boa “Champs Élyséesinha“, é claro.

Compre seu ingresso para um cruzeiro turístico no Rio Danúbio e veja Budapeste desde outro ângulo

Basílica de São Estêvão e Sinagoga

A Basílica de São Estêvão é a maior igreja da Hungria, construída entre 1851 e 1905. Em estilo neoclássico, ela tem alguns cafés simpáticos em volta, e vale muito se perder por essa região :) Se você for do tipo maníaco por vistas como eu, também vale a pena subir na cúpula. São 364 degraus, mas se você quiser um elevador te leva por boa parte do caminho. A Sinagoga de Budapeste fica perto, na rua Dohány, e é a maior da Europa.

A basílica ;)

A basílica ;)

Da cúpula da Basílica de São Estêvão

Da cúpula da Basílica de São Estêvão

Váci Utca + Vörösmarty tér 

A Váci Utca é a principal rua de compras da cidade, cheia de H e M’s da vida (loja de roupas sueca jovem e barata que você encontra em toda grande e média cidade europeia) e restaurantes bem pega-turista. Em uma das pontas dela fica a Vörösmarty tér, uma praça que fica superanimada no verão, com artistas de rua, barracas de comida e música. De lá, você pode aproveitar pra passear na beira do Danúbio, andando até o Parlamento. Por ali, você encontra o memorial “Shoes on the Danume Promenade”, uma série de sapatinhos na beira do rio em memória dos judeus que foram mortos durante a Segunda Guerra. A escultura foi feita desse jeito por causa de um episódio em que um grupo de judeus foi obrigado a tirar os sapatos antes de ser fuzilado na beira do rio. Os corpos deles foram levados pela água, enquanto os sapatos permaneceram lá :(

Mercado Central

O Mercado Central (Nagycsarnok em húngaro) fica no fim da Liberty Bridge e da Váci Utca e é o mais antigo mercado fechado da cidade. Ele foi construído no finalzinho do século XIX e é muito bonito, principalmente por fora. Dentro, você encontra frutas, verduras e outras “coisas de mercado” (hehe), com destaque pra muita, muita páprika. No primeiro andar, tem stands com souvenirs e as barracas de comida como as de lángos e palacsinta que eu mencionei aqui. Uma dica: pesquise antes de comprar alguma coisa no térreo (acho que no primeiro andar é tudo turístico mesmo), porque os stands mais centrais/visíveis costumam ter preços mais altos.

Mercado Municipal

Mercado Municipal

O Budapest Card dá direito a acesso livre no sistema de transporte público, dois passeios guiados gratuitos, além de entrada gratuita para oito museus e o Lukács Bath. Clique aqui para comprar o seu.

Ilha Margarita

Essa ilha (Margitsziget em húngaro) é a mais interessante das que ficam no meio do Danúbio, podendo ser acessada facilmente com o tramway 4 ou 6, que tem uma parada na Margaret Bridge. Ela tem várias atrações, como uma fonte colorida que se mexe no ritmo de uma música a cada hora, piscinas, quadras de esportes, hotéis de luxo, pista pra cooper, bares e um jardim japonês meio chinfrim. Não é imperdível, mas é um bom lugar pra fazer um piquenique no verão, e a vista do parlamento desde a ponte é incrível!

Fontes coloridas na Margaret Island

Fontes coloridas na Margaret Island

Vista desde a Margaret Island

Vista desde a Margaret Bridge

Contrate seu seguro viagem com desconto na Mondial Assistance
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Quer receber conteúdo exclusivo e gratuito sobre viagens?

Inscreva-se na lista de e-mails do Janelas Abertas e receba um e-book de 60 páginas com dicas para viajar só + check-lists para sua viagem + dicas inéditas a cada 15 dias.

Posts Relacionados

23 Comentários

  1. Luana

    Oi Luisa, vi sobre você em uma reportagem no estadão! Estou precisando muito de uma ajuda a respeito de estudar fora… Vc pode me ajudar? Se possível, vamos trocar email sobre, ou então do jeito que for melhor para você! Muito obrigada
    Luana

  2. Camila

    Oi, Luisa! Gostei muito do seu blog. Gostaria muito de fazer um mestrado fora de preferência Espanha ou Portugal. Você pode me ajudar? É que estou bem confusa.
    Muito obrigada. Um Abraço.

    Camila Fittipaldi

      • Cαmilα Fittipαldi

        Oi. Luisa. Vi seu post sim. Achei incrível o blog. Eu sou engenharia ambiental e gostaria de fazer um mestrado na Espanha, mas como meu espanhol é básico tenho um pouco de medo de arrisca e então estava pensando se não seria melhor ir para Portugal. Mas estou com dificuldades de consegui informações para essa área. Se você pudesse me informar alguma universidade.Gostaria de te perguntar quando vc foi para Espanha, vc fala espanhol fluente?
        Desde já agradeço.

        Date: Sat, 4 Jan 2014 00:08:32 +0000
        To: camilafittipaldi@hotmail.com

        • Oi, Camila! Me desculpa pela demora pra responder, viajei no fim de semana. Muita gente vai pra Espanha falando pouquíssimo espanhol, inclusive porque algumas universidades não pedem comprovação de nível da língua (como o DELE), o que é o caso da Universidad de Valladolid, onde eu estudei. No entanto, eu acredito que pra um mestrado é muito importante você saber se comunicar e escrever bem na língua, além de ter facilidade pra compreender os muitos artigos e livros que vai precisar ler… Não faço ideia de como é a área de engenharia ambiental em Portugal, mas você já olhou os sites das maiores universidades de lá? De Lisboa, Coimbra, Porto… Vai fuçando as páginas das pós-graduações, pode ser que você encontre algo legal pra sua área :) E você também pode passar esse ano se dedicando ao espanhol e se inscrever pra fazer o mestrado no ano que vem, quando estiver mais preparada. Boa sorte! Um abraço.

          • Cαmilα Fittipαldi

            Oi, Luisa! A alguns dias mandei e-mail para as Universidades do Porto e Nova Lisboa, estou aguardando resposta. Muito obrigada pela ajuda, abraço.
            Camila

            Date: Tue, 7 Jan 2014 00:44:16 +0000
            To: camilafittipaldi@hotmail.com

          • De nada, Camila! Boa sorte! :)

  3. Adorei seu blog. Parabéns!! Ele é super bem escrito e tem me ajudado muito.
    Irei para Viena e Budapeste, mas tenho apenas 06 dias para os dois. Você acha que é possível? 03 dias para cada ou 02 e 04 dias?
    Super obrigada

    • Oi, Carol! Que bom que você gostou, muito obrigada! ^^ Não conhecia o teu, vou dar uma olhada :D
      É bem possível sim. Se você não entrar em muitos museus, dá pra ver bastante coisa nesse período em cada uma das cidades. Eu acho que deixaria três dias pra cada mesmo :) Um abraço!

  4. Renata

    Olá Luisa. Estou indo para Budapeste em agosto deste ano e procurando dicas me deparei com seu blog….. Que maravilha!
    Já estou separando aqui as dicas dos pontos turísticos, comidas, bebidas, bares……. Vou com um casal de amigos e acho que será tudo!!!
    Pena que ficaremos só 3 dias e será o final de uma viagem por Lisboa, Barcelona, Berlim, Praga e Viena…. estaremos naquele pique mais lento, mas tentaremos aproveitar tudo o que vc postou!!!!
    Ficaremos num ape em Mátyás St. Ainda não me situei se estamos num ponto central ou afastado, mas já dei uma olhada em suas dicas dos transportes tb e será fácil, tenho certeza!!!
    Vou continuar visitando seu blog para não perder nadinha…. Bjs

    • Oi, Renata! Que bom que você gostou do blog e das dicas, fico feliz! Em agosto a cidade deve estar bastante quente, mas vai ter também muita gente do lado de fora, bares com mesas nas calçadas etc :) Certamente vocês vão se divertir! Dava pra passar mais tempo por lá, mas em três dias vocês conseguem conhecer um bocado da cidade. A rua onde vocês vão ficar é bem perto do primeiro apartamento onde eu me hospedei por lá… Não é o maaaais central, mas é uma localização bem legal, sim! :) Aproveitem! Um abraço

  5. Amanda Caribé

    Oi Luisa!
    Parabens pelo seu blog! Vou para Budapest em novembro e estou apreensiva com o inverno! É muitoooo frio? A pista de patinação no Parque Nacional ja vai estar aberta?

    Bjos e obrigada!

    • Luísa Ferreira

      Oi, Amanda! Eu não estive lá no inverno, então infelizmente não sei te responder com segurança. Faz bastante frio no inverno sim, pelo que ouvi dizer e pelas fotos que vi… Mas a cidade fica bonita branquinha! Com certeza vai ser uma experiência interessante. E tem sempre outros lugares mais frios :P hehe. Boa viagem e um abraço!

  6. Rubens Meyer

    Bom dia! Estamos indo para Budapeste, e vou aproveitar muito suas dicas!
    Muito Obrigado Luisa!

    • Luísa Ferreira

      Que ótimo, Rubens! :D Aproveitem a cidade por mim e depois, se puderem, me contem o que acharam ^^ Um abraço!

  7. Fernando Henrique

    Oi Luisa, muito bom seu blog. Pretendo viajar para o leste europeu em 2016. Vou fazer o itinerário abaixo: (2,5 dias) em Cracóvia, (3,5 dias) em Praga, (2,5 dias) em Viena, (2,5 dias em Budapeste. Não pretendo entrar em museus. abç

    • Luísa Ferreira

      Oi, Fernando! Sem entrar em museus, parece um tempo razoável, mas lembre-se de considerar os deslocamentos! :) Podemos perder bastante tempo e ficar cansados com a chegada e saída de cada cidade… Se puder, tente reservar um dia a mais pra Viena e pra Budapeste! Boa viagem!

  8. Esio Padilha Cursino

    Li algumas informacoes suas sobre Budapeste. Estou em Outubro indo correr algumas maratonas e iniciareI em Kosice, na Eslovaquia, depois irei para Budapeste. Qual a Melhor forma de ir de Kosice a Budapeste, irei logo apos a Maratona no Domingo. Queria saber se melhor de trem ou onibus. Tambem moro em Recife.

  9. Chalana

    Oi Luísa. Tbm. Estarei indo a Budapeste na Páscoa. Passarei 4 dias mas não falo em inglês ou húngaro. Sera se vc conhecer alguém ou alguma empresa que possa ter o serviço de guia turisticos que fale em português? A guardo anciosa sua resposta. Abraço

    • Oi, Chalana! Infelizmente não conheço, mas numa busca no Google encontrei esse link aqui, ó: https://www.tripadvisor.com.br/ShowTopic-g274887-i263-k7476821-Guia_turistico_falando_portugues-Budapest_Central_Hungary.html Um dos comentários diz o seguinte: “Re: Guia turístico falando português!
      25 de Maio de 2016, 20:10
      Tivemos o prazer, eu e minha esposa, de visitarmos Budapeste, Hungria, agora em maio/2016, onde fomos recepcionados pelo guia húngaro-brasileiro Americo Prepeliczay: americo747@gmail.com . Ele nos mostrou e nos informou com competência os belos e encantadores recantos da magnífica capital da Hungria. Dono de um ótimo conhecimento de viagens, o Américo nos proporcionou momentos muito agradáveis, sempre expondo suas experiências e modo de vida. Com um caráter exemplar e sempre muito solicito, pontual e honesto, o Américo sempre está à disposição e com mil e uma idéias para planejar e transformar uma viagem em algo inesquecível.”

      Espero que ajude! Boa viagem :D

Deixe o seu comentário

Não saia do Brasil sem seguro viagem!

Use o cupom de desconto JANELASABERTAS5 e economize.