Hungria

Minhas primeiras impressões de Budapeste

Hungria | 02/05/13 | Atualizado em 03/01/19 | 14 comentários

Como eu já disse aqui, meus dias em Budapeste foram beeem cheios – mas quase tudo foi dentro do European Youth Centre (EYC), que pelo menos nos presenteou com uma vista incrível pra admirar durante os coffee breaks ^^ Daí que só tive um fim de tarde/noite e uma manhã pra realmente bater perna pela cidade, então não posso – ainda – dar tantas dicas por aqui. No entanto, contudo, entretanto, não podia deixar de registrar aqui o quanto ela me cativou e de recomendar alguns lugarzinhos especiais nessas minhas primeiras impressões de Budapeste.

Atualização: depois dessa viagem, voltei à cidade pra passar dois meses ainda em 2013 e mais duas semanas em 2017 e produzi bastante conteúdo fresquinho sobre ela. Veja aqui todos os posts sobre Budapeste.

Acho que quase todo mundo sabe que a cidade é dividida entre Buda e Pest, com o rio Danúbio (que infelizmente não é azul) no meio. O EYC fica em Buda, o mesmo lado da Colina do Castelo (Várhegy), um complexo de construções medievais renovadas depois da Segunda Guerra.

Essa é uma das principais atrações da cidade. Pudera: as ruas são charmosas, os restaurantes são bem turísticos, a Igreja de São Matias (Mátyás) é incrível com seu telhado colorido que parece uma tapeçaria e a vista desde o Bastião dos Pescadores (torres que parecem ter saído de um conto de fadas) é de tirar o fôlego. O palácio em si não é lá essas cooooisas; chegando nele, garanto que o que mais vai chamar sua atenção é a vista do Parlamento, que fica lá do outro lado, em Pest.

~~~IMG_8345.jpg

Pelas ruas da Colina do Castelo

~~~IMG_8329

Bastião dos Pescadores

~~~IMG_8299

Música húngara, dia de sol… :)

~~~IMG_8386

Parlamento <3

Castelo visto desde Pest

Castelo visto desde Pest

O tal Parlamento era o grande txans da nossa vista de lá do EYC e realmente impressiona, com seu estilo neogótico lindão. Na frente dele, o calçadão à beira do rio convida pra um agradável passeio, com jardinzinhos pululando pelo caminho. Ainda em Pest, perambule pelo centro da cidade e dê uma parada na Sinagoga da Dohany Utca, que tem influência moura e é bem interessante. Dizem que ela é a maior da Europa, mas na minha caminhada por essa zona passei também por outras duas sinagogas bonitinhas.

Procurando hospedagem em Budapeste? Clique aqui e encontre as melhores opções de hotéis e albergues na cidade

Parlamento à noite desde o EYC

Parlamento à noite desde o EYC

~IMG_8161

Sinagoga

Outro grande destaque da capital da Hungria é a vida noturna. Sem exageros, enquanto andávamos vi uns dez bares suuuper fofos/descolados em questões de minutos e morri de vontade de entrar em todos. Infelizmente acabei meio desorientada nas minhas andanças, porque saímos com um menino de lá e ele andava beeem rápido, mas acho que é bem fácil achar esses lugares charmosos pelo centro. Depois de jantar no Castro Bistro, um restaurante legal com comida boa e preços baixos (sério, me espantei: tomei uma cerveja local + um prato de massa típica gostosinha e paguei o equivalente a 5 euros), seguimos para o que foi o ponto alto da noite.

Fofo :)

Fofo :)

Encontramos a galera no Szimpla, um dos muitos bares-ruínas da cidade – uma trend muito massa. O bar é um dos mais famosos e fica numa região cheia de outros bares e beer gardens legais. Nosso “guia” húngaro não tava lá muito animado em ir pra lá, porque disse que só dá gringo, enquanto os locais preferem outros lugares menos badalados. Mas quando for a Budapeste, por favor não deixe de dar um pulo no Szimpla, que se gaba de ter iniciado o boom de bares-ruínas. Instalado num prédio antigo que ia ser demolido, o bar é super amplo, meio escuro e meio alterna.

Szimpla

Szimpla

Daria pra perder algumas horas só observando cada detalhe, desde bicicletas e cadeiras de bebê caindo do teto a um telão de cinema no muro, com direito a cadeiras de cinema no primeiro andar pra ver as projeções através da janela. Banheiras viram sofás, as cadeiras são desemparelhadas e o lugar ainda recebe eventos culturais. Certamente faria o maior sucesso no meu Recife… Quero voltar!

Leia mais:

Study Session em Budapeste

Quer receber conteúdo exclusivo e gratuito sobre viagens?

Inscreva-se na lista de e-mails do Janelas Abertas e receba um e-book de 60 páginas com dicas para viajar só + check-lists para sua viagem + dicas inéditas a cada 15 dias.

Posts Relacionados

14 Comentários

  1. Fábio

    Em março de 2013 passei 4 maravilhosos dias em Budapeste. Vontade doida de voltar lá!!

  2. Marcela

    Oi !!! adorei deu post,gostaria de saber onde vc ficou hospedada.

  3. Tatiana Grigoriou

    Oi, tudo bem?
    Seu post será muito útil pq estou indo pra budapest 30/12 para o ano novo. Não existe outro post tão bem explicado como o seu. Parabéns e obrigada por compartilhar. Eu moro em Atenas, vc já veio na Grécia?

    • Luísa Ferreira

      Oi, Tatiana! Que bom que o blog foi útil! Espero que você ame a cidade tanto quanto eu, apesar do frio ^^ Ainda não fui à Grécia, mas adoraria! Um abraço :)

  4. Cris Silva

    Olá! Indo em agosto para Praga, Budapeste e Viena sozinha sem falar ingles rs Pergunta: tranquilo pegar um taxi nessas cidades e chegar ao destino escrito no papel? Alguma antipatia gratuita por brasileiros? Obrigada!

    • Oi, Cris! Em geral deve ser tranquilo sim :) Nunca tive problemas, nem soube de alguém que tivesse. Acho que brasileiros despertam mais simpatia do que qualquer outra coisa ;) Só evitaria ficar na rua à noite e em lugares meio estranhos, já que pode ser difícil pedir ajuda caso sintas que algo está errado. Durante o dia no verão vai ter muitos turistas e provavelmente outros brasileiros que podem até te ajudar. É só ficar ligada. Boa viagem \o/ Um abraço!

      • Cris Silva

        Obrigada!!

  5. Lu Melo

    Ola!
    Estou indo pra Budapeste daqui uma semana (!!!) e estou super animada.
    Gostaria de saber qual a faixa etaria nesses lugares da vida noturna que vc citou. Tenho 30 anos, solteira, e gostaria de passear e curtir a night, mas evitando lugares de pessoas muito mais jovens. Sera que consigo isso em Budapeste?? rs

    • Oi, Lu! Na maioria dos bares a faixa etária, pelo que eu via, era entre 25 e 35, mais ou menos. Acho que vai ser tranquilo pra vc! :)

  6. Adriana

    Luisa td bem? to querendo fazer um bate e volta de viena para budapeste mas so tenho o domingo. Sera que vale ou nao vai ter nada aberto? E onde eu poderia comprar florim hungaro? Sera q domingo abre casa de cambio? Eles nao aceitam euro de jeito nenhum? Seria so 1 dia…. valeu!

    • Oi, Adriana! Normalmente não aceitam euros, mas você pode encontrar casas de câmbio abertas aos domingos, sim. Acredito que no centro turístico elas estarão abertas, e shoppings também costumam funcionar. Pesquisei pra confirmar e encontrei essas casas de câmbio aqui: http://topbudapest.org/faq/prices-and-tipping/currency-exchange Também é possível que você consiga trocar a moeda em Viena, se quiser adiantar. Sobre não ter nada aberto, tem muita coisa pra fazer no domingo, sim :) Museus, caminhar pelas ruas, bares… :) Só acho meio corrido um bate-volta porque as cidades não são assim tão próximas e tem muita coisa pra ver por lá; se possível, dormiria uma noite… Um bate-volta pra Bratislava seria mais fácil, mas ela não é tão legal quanto Budapeste hehe. Um abraço!

Deixe o seu comentário

Inscreva-se na newsletter do Janelas Abertas

Receba dicas e recursos de viagem de graça!

  • E-book de 60 páginas com dicas para viajar só
  • Check-list para viagens internacionais
  • Check-list para arrumar a mala
  • Newsletter quinzenal com conteúdo exclusivo

É só se inscrever na lista: