Hungria

Endereços e transporte público em Budapeste: como funcionam

Hungria | 14/08/13 | Atualizado em 07/02/18 | 42 comentários

Uma das coisas que eu mais gosto em Budapeste é o charme de algumas coisas que são antigas e/ou mal cuidadas, haha. Suponho que se eu fosse daqui preferiria ter tudo novinho, mas não vou mentir que amo meu prédio antigão com o elevador que dá medo e adoro andar no metrô da linha 1 (o mais antigo da Europa continental – porque o de Londres veio antes) e nos tramways mais antigos. Já que as coisas são como são, acho bonito. :) Sem mais enrolação: vou explicar nesse post algumas coisas sobre transporte público em Budapeste e locomoção em geral.

Procurando hospedagem em Budapeste? Clique aqui e encontre hotéis e hostels nos melhores bairros

O sistema de transporte da cidade, como eu disse, não é muito modeeerno, mas funciona bem direitinho e eu nunca tive dificuldades pra chegar do ponto A ao B, mesmo sem falar a língua. Mais uma vez, fico pensando nos coitados dos turistas que visitam o Recife (e nos próprios moradores, é claro, porque eu mesma sofro com isso) e precisam adivinhar que ônibus passam na parada…

Tramways :)

Tramways :)

O transporte público em Budapeste

A empresa de transporte público de Budapeste é a BKV e eles têm um site meia-boca, mas que quebra um galho quando você precisa descobrir um determinado roteiro. Aliás, o Google Maps também funciona bem na função “transporte público”, e os mapas turísticos costumam incluir a indicação dos caminhos das principais linhas de metrô, ônibus e tramway. Tem também um trem que vai aos subúrbios e um barco que circula pelo rio, mas volto a ele mais à frente ;)

Vai pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório pra entrar lá!
Clique aqui e saiba como contratar o seu com desconto.

Dá pra explorar o centro da cidade andando, mas pra chegar a alguns lugares como a colina do castelo, dependendo do seu tempo disponível o ideal é pegar um busão mesmo (no caso, o número 16, que sai da praça Deák Ferenc tér). Existem, atualmente, três linhas de metrô: a M1 (amarela), que passa por baixo da Andrássy (a “Champs Élysées” deles :P), a M2 (vermelha), que vai de leste a oeste, e a M3 (linha azul), que vai no sentido sul. A linha 4 tá sendo construída há mil anos (parece minha pátria querida).

Interior do metrô da linha M1, a mais antiga da Europa ocidental

Interior do metrô da linha M1, a mais antiga da Europa continental

Nas paradas de ônibus e tram tem sempre um painel com os números das linhas que passam por ali, as próximas paradas e os horários (nem sempre eles são superpontuais, mas dê uma olhada nas horas previstas porque tem umas linhas que não circulam em algumas horas do dia). À noite, o metrô para (por volta das 23h), mas existem alguns ônibus noturnos (indicados com um desenho de corujinha nas paradas) e tramways seguem funcionando com uma frequência bem menor.

Ah, e tem também o tal barco :) Desde o verão do ano passado, você pode explorar o Danúbio de barco público (além daqueles barcos de turista, bem mais caros). Eles não são tão frequentes (acho que na hora do rush passam a cada 20 minutos) e o percurso me parece lento pra quem realmente queira usá-los como meio de transporte (é tipo uma hora contra a corrente), mas o passeio é bem agradável! :) Andei nele semana passada no pôr-do-sol e curti.

Passeio de barco :)

Passeio de barco :)

As passagens

Os mesmos bilhetes servem pra todos os tipos de transporte (exceto a chairlift pra  János Hill e o funicular pra Castle Hill, que custam respectivamente 850 HUF e 1.000 HUF), mas se você for pegar um ônibus e um metrô, por exemplo, tem que usar duas passagens. O bilhete único custa 350 HUF (atualmente, basta cortar dois zeros pra converter pra Real), mas se você estiver num grupo grande ou for rodar muito vale a pena comprar o bloco de 10 bilhetes, que custa 3.000 HUF. Existem também outras opções, como os cartões de viagem de 24 horas (1.650 HUF), 72 horas (4.150 HUF), 7 dias (4.950 HUF) e o mensal, que compraram pra mim na ONG e eu acredito que custa 10.500 HUF.  Ah, e tem o “transfer ticket”, que permite fazer um mesmo caminho trocando uma vez de um transporte pra outro e custa 530 HUF. Esses têm que ser validados em cada um dos meios de transporte.

O Budapest Card dá direito a acesso livre no sistema de transporte público, dois passeios guiados gratuitos, além de entrada gratuita para oito museus e o Lukács Bath. Clique aqui para comprar o seu.

Os bilhetes podem ser comprados nas estações de metrô, tanto em máquinas (que tem a opção de “inglês”) quanto no guichê (on de nem sempre o pessoal fala inglês, mas normalmente entendem o básico). Depois de comprado, lembre-se de validá-lo! Isso pode ser feito em máquinas laranja que ficam antes da escada rolante nos metrôs e em várias partes dos ônibus e tramways. Tem umas mais novas, como essa aqui, onde basta enfiar a passagem (com a parte dos números pra dentro) e esperar o barulhinho do carimbo. Nas mais antigas, como essa, você enfia o bilhete num buraco que tem na alavanca preta e puxa essa alavanca pra baixo, até ela furar o papel. Tem gente que não valida a passagem, principalmente no tram, mas sempre é bom fazê-lo já que os controladores são bem cri-cris e obviamente tem multa pra quem é pego viajando sem validar: 16.000 HUF (uns 160 reais). Se você tiver um passe válido pra vários dias, basta andar sempre com eles e mostrar pra os controladores quando necessário (eles quase sempre tão na frente da escada do metrô).

Encontrando um endereço

Outro aspecto importante da locomoção na capital húngara é se ligar nos endereços. Isso porque a cidade tá dividida em 23 distritos (chamados de kerülets, abreviado como ker.) e muitos nomes de ruas são usados mais de uma vez em diferente distritos (sem que se trate da continuação da mesma rua). Sem falar que tem umas ruas enooooormes, como a minha, que vai até fora da cidade :B Por isso, quando for procurar um endereço, fique atento ao número romano no começo, que indica o distrito. Depois dele vem o nome da rua, o “tipo de via” (se é rua mesmo, estrada ou avenida) e depois o número do prédio. Se o endereço não incluir o número romano antes, você pode descobrir o distrito pelo código postal, que tá representado pelos dois algarismos do meio (são 4 no total). Por exemplo, o 1079 fica no 7º distrito :)

Também preste atenção à diferença entre “utca” e “út” (aquela história que eu falei lá em cima do “tipo de via”). Um erro comum, como observa o guia Frommer’s, é confundir a Váci út, uma ruazona que sai da estação de trem Nyugati, com a Váci utca, uma ruazinha pra pedestres cheia de lojas e restaurantes. Outra dica importante (dou ênfase a isso porque me perdi indo pra imigração da primeira vez por causa disso, haha): nem sempre os números pares seguem a mesma ordem de “crescimento” que os ímpares. Ou seja: você pode estar na frente do nº 60 e ver o 21 do outro lado. Por isso, ao buscar um número atravesse a rua pro lado dos pares/ímpares de acordo com o que esteja procurando :P

Principais termos usados em endereços

utca (abreviada como u.): rua

út: estrada

körút (abreviada como krt.): avenida

tér: praça

tere: praça de

liget: parque

sziget: ilha

híd: ponte

pályaudvar (abreviada como pu.): estação de trem

Leia mais:

Todos os posts sobre Budapeste

Contrate seu seguro viagem com desconto na Mondial Assistance
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

42 Comentários

  1. Ray

    Que liindo! Uma cidade com aparência antiguinha é bonito *-* você se sente nostálgico! Hahaha parabéns pelo blog lindo e por compartilhar suas experiências Luisa!^^

    • Pensava que tinha respondido esse comentário, Ray! Obrigada pelas palavras e pelas visitas :) Budapeste dá mesmo uma sensação de nostalgia de algo que a gente não viveu… Um abraço!

  2. Regina Carvalho

    Beleza! Estou adorando suas dicas…anotando tudo! Muuuuito legal! Obrigada?

    • Luísa Ferreira

      Oi, Regina! Que bom que você está gostando, obrigada! :) Um abraço e volte sempre ;)

  3. Stephanny

    Oi, Luíza! Não pretendo andar muito de ônibus em Budapeste, afinal só vou ficar uns poucos dias e pelo mapa a maioria das coisas dá para ver a pé.

    No entanto, vou precisar pegar um ônibus na chegada, para sair da estação de trem para chegar até o hostel e na volta, para ir do hostel até a estação de trem novamente. Como faço? Compro os bilhetes assim que chegar na estação de trem e já válido os dois na hora? Ou compro apenas um (o que vou precisar para chegar no hostel) e o segundo bilhete, na volta, posso comprar diretamente com o motorista do ônibus?

    Acho essa questão da validação muito confusa. Porque ela é necessária?

    • Luísa Ferreira

      Oi, Stephanny! O ideal é você comprar logo os dois bilhetes, mas a validação é feita ao usá-lo. Ela é necessária porque não existe um cobrador pra você pagar, então você valida o bilhete “pré-pago” pra mostrar que o usou. Se não fosse assim, você podia subir em vários ônibus reutilizando o mesmo bilhete pra sempre, hehe. O transporte público funciona em esquema parecido em outras cidades europeias também :) Parece estranho a princípio, mas não tem muito mistério. Lembrando apenas que lá não dá pra comprar direto com o motorista (a não ser que tenham mudado algo nos últimos meses). Boa viagem!

      • Stephanny Marques

        Obrigada pela resposta, Luíza! Então é melhor assim que eu chegar na cidade já comprar os bilhetes na estação de trem mesmo, certo? Posso comprar direto com o cartão (VTM, no meu caso) ou tenho que procurar um câmbio primeiro para trocar o dinheiro?

        Pergunto isso porque já li que fazer o câmbio nas estações de trem é prejuízo na certa, por causa de taxas, etc.

        PS: Vou ficar poucos dias em Budapeste, mas o seu blog está sendo uma mão na roda, MUITO OBRIGADA! :D

        • Luísa Ferreira

          Oi, Stephanny! Eu acho bom você trocar um pouco de dinheiro assim que chegar, pra passagem e outros possíveis gastos/imprevistos… Sempre comprei passagem de ônibus e tal em cash, porque é um valor baixo, então não sei te dizer se eles aceitam o VTM. Mas chegando lá você também pode perguntar e aí resolver o que fazer :) Trocar na primeira casa de câmbio que a gente vê não costuma ser vantajoso mesmo, mas em muitos casos eu acho que vale a pena trocar só um pouco, pra não passar perrengue depois :) Espero que você goste tanto da cidade quanto eu! :))

  4. Oi Luísa! Obrigada pelos posts maravilhosos sobre Budapeste! Vou este mês e estou ansiosíssima preparando o meu roteiro, tô pegando todas as suas dicas!
    Eu tenho uma dúvida, se você puder me ajudar…
    vamos chegar em Budapeste às 22h de ônibus (perto do FC Stadion) e vou precisar pegar o metrô M3 pra ir pro apt em que estarei hospedada. Vi que a essa hora não terão guichês pra comprar os bilhetes… vou ter que comprar na máquina. Elas aceitam cédulas ou só moedas?
    Não tenho ideia de como adquirir moedas antes de chegar na cidade… Tô preocupada com isso.
    E outra coisinha…. É seguro caminhar a essa hora pela cidade?
    Agradeço a atenção ;)

    • Luísa Ferreira

      Oi, Nicole! Finalmente consegui um tempinho pra responder os comentários da última semana :) Perguntei a uma amiga húngara, já que não me lembro bem, e ela disse que também não tem certeza porque não costuma utilizar as máquinas (ela usa o passe mensal, assim como eu fazia), mas que acredita que aceitam moedas e cartões. Ela falou também que as máquinas foram trocadas este ano, então devem aceitar mesmo… Caso você tenha algum problema ou fique achando a região ao redor meio estranha, aconselho pegar um táxi mesmo. Nessas situações às vezes vale a pena gastar um pouco mais (e acredito que não seria tanto assim, né? ou o apto é muito longe da estação? táxi lá não é tão caro). Sobre a hora, eu sempre caminhei às 22h ou mais numa boa, mas a cidade não é suuuuper segura como outras na Europa, então vale a pena ficar ligada e não pegar ruas desertas e escuras, por exemplo. Boa viagem! :)

  5. Tuany Marques Miranda

    Boa tarde Luisa, estou indo pra Budapeste agora em março e minha próxima parada depois de Budapeste é Istambul, estou com muita dificuldade em encontrar meios de transporte baratos que façam esse percurso, você poderia me indicar algum bem baratinho? alguma empresa de ônibus ou site em que eu posso pesquisar? Estou achando os sites das empresas húngaras muito difíceis de entender.
    Desde já agradeço imensamente,

    Tuany Marques Miranda

    • Oi, Tuany! Talvez você encontre algo na RailEurope… Senão, infelizmente não sei :( Costumava quebrar a cabeça nos sites húngaros com o Google Translate haha. Boa sorte!

  6. MONICA MELLO

    Olá Luisa, tudo bem?
    Parabéns pelo seu Blog. Descobri hj e estou me deliciando! Bem, já li sobre como ir do aeroporto para a cidade e também como ir da estação de trem para a cidade. Mas o meu caso será o inverso. Eu vou chegar de trem e então posso comprar o bilhete do ônibus, como vc explicou acima. Mas vou sair de avião. Como fazer prá conseguir esse shuttle da cidade para o aeroporto? Tem como pedir pelo site deles? Agradeço sua resposta. Um abraço.

    • Oi, Monica! Eu pedi por telefone, falando inglês, e foi bem tranquilo :) Eles me perguntaram a hora do meu voo e informaram a hora correspondente pra o shutter me pegar. Um abraço!

  7. Galu Alt

    Oi, Luiza:

    Existem bancos no aeroporto p trocar euros por florins? E onde compro bilhete p ônibus do aeroporto até a estação de metro; e bilhete de metro p estação de metro Deak Ferenc?

  8. Rejane

    Oi Luisa!
    Excelente seu site, parabéns!
    Pretendemos, eu e uma amiga, ir em março para Budapeste e gostaria de saber qual a melhor região para alugar um apto, ficarei de 5 a 6 dias por lá.
    Obrigada.

  9. FLAVIO LIMA

    Super obrigado pelas dicas , estou organizando meu roteiro Praga-Budapeste-Viena e consegui tirar várias dúvidas,mas ainda sobre o transporte público de Budapeste, com o cartão de 72 horas é necessário fazer a validação nas máquinas antes de usar as opções de transporte toda vez que eu for utilizá-lo ? Como funciona a validação deste bilhete em específico ?

    • Oi, Flávio! Se o sistema ainda funcionar da mesma forma que em 2013, você só precisa mostrá-lo pra os fiscais, caso eles estejam na entrada da plataforma ou lhe abordem durante a viagem. No bilhete tem dizendo as datas, então eles checam isso :)

  10. Luiz Henrique de Carvalho Gatti

    Boa noite.

    Primeiro parabéns pelo site e obrigado pelas dicas.

    Gostaria de saber a respeito das baldeações.

    Pra trocar de linhas no metrô, tenho que comprar um novo bilhete ou funciona igual outros locais que, se não sair da estação, você pode continuar usando o mesmo bilhete?

    Obrigado

  11. Diego

    Oi Luisa,

    Parabéns pelo site, primeiramente.

    O ticket transfer (HUF 530) pode ser usado no trajeto do aero. para o centro. Por exemplo, pego o onibus 200E, depois o Metro 3 e depois o Metro 1 ?

    Obrigado.

    • Oi, Diego! Como falei no post, se você for pegar um ônibus e um metrô, por exemplo, tem que usar duas passagens. No seu caso, na hora de mudar de estação de metrô pode continuar com o mesmo bilhete, então são duas mesmo, ou então você compra o “transfer ticket”, que permite fazer um mesmo caminho trocando uma vez de um transporte pra outro e custa 530 HUF. Esses têm que ser validados em cada um dos meios de transporte. Um abraço! :)

  12. Nuno

    Oi Luísa, muito obrigado pelas informações. Irei em breve com minha esposa para um tour pelo leste europeu e planejamos ficar 4 noites em Budapest. Estou encontrando uma oferta muito boa pro hotel ibis Styles Budapest Center, que fica na Rákókzi út, que fica a pouco menos de 1km da estação Keleti, por onde chegaremos. Vi que fica a uns 2,5km do Parlamento, p.ex., então nos parece tranquilo de percorrer boa parte do que queremos conhecer a pé ou de transporte público. Porém, sempre fico com receio do bairro em si, pois ficar em um lugar sujo ou mal cuidado, mesmo que seguro, passa uma impressão ruim, o que acaba afetando a viagem de certa forma, por isso, gostaria de saber se conheces a região onde fica este hotel e/ou indicar alguma outra que achaste interessante.
    Falo nisso pois aprendi que o local onde ficamos é importante quando fomos à Buenos Aires (não sei se conheces): gostei do local onde ficamos (San Telmo, mais tradicional, porém já mal cuidado) – não somos de gastar muito em hotel, mas gostamos de ficar em um lugar mais bem cuidado, pra variar um pouco da nossa triste realidade de centros mal conservados do Brasil. Assim, no caso de Buenos Aires, um bairro como a Recoleta passa uma melhor impressão, apesar de um pouco mais caro e longe do centro, mas dá uma boa sensação ao caminharmos por ele sem destino certo, o que adoramos fazer nos locais que visitamos.
    Desculpe a longa mensagem, espero ter me feito entender! ;)
    Desde já, agradeço qualquer dica! Abraço!

    • Oi, Nuno! Entendo o que você diz, mas essa região é legal :) Tem umas partes da cidade mais bonitas, como a Andrassy Ut e os arredores da Basílica de São Estêvão, mas esse endereço que você falou também é bom. Pode ficar tranquilo :) Boa viagem!

  13. ricardo gonçalves

    Oi Guria:
    estarei em Budapest entre 06 e 09/06/17, em seguida, rsrsrs.
    Visitei o blog e estou tentando entender a cidade, ideias, deslocamentos…
    Contratei um apartamento através do airbnb, tenho feito muito isso e tem sido uma baita experiência.
    Bem, gostaria de algumas dicas de onde ir, o que fazer, coisas básicas (e econômicas). Me falaram do mercado público, que é fantástico.
    Tenho que ir do aeroporto até o apartamento (Airbnb – 1082 Budapest, Horváth Mihály tér 16, Hungary – Petra), e de lá como chegar na Universidade de Veterinária de Budapest… uffaaaaaaa… Louco pra chegar.
    Veja se tens como me ajudar.
    Tks.
    Ricardo

  14. Meire Francisco

    Olá Luisa, grata pelas ótimas informações. Irei a Budapeste setembro próximo e gostaria que, se possível, me informasse sobre moeda, posso usar euros ou devo trocar, e onde ? Meu inglês é bem básico, consigo me virar?
    Grata,
    Abração

    • Oi, Meire! A moeda lá é o florim, você pode trocar euros por florins facilmente em casas de câmbio no aeroporto (onde normalmente a conversão é pior) ou nas principais áreas turísticas. Sobre o inglês, sugiro pesquisar o máximo possível antes de ir e levar consigo (impresso, num tablet, no celular ou num guia mesmo, ou como achar melhor) as principais informações sobre a cidade, funcionamento de transportes etc. Assim fica mais fácil de se virar, mas com um básico de inglês e a boa e velha mímica você também deve conseguir desenrolar :) Conheço muita gente que já viajou pela Europa sem falar nada de inglês e, com disposição e bom humor, fez uma ótima viagem. Espero que você goste! Um abraço

  15. Raquel Vicente

    Olá Luísa! Antes de mais, parabéns por este blog maravilhoso!
    Tenho uma questão! Eu preciso de apanhar o tram 2 para ir do meu hotel até à Ponte das Correntes. Basta comprar um bilhete único, certo? E são os tais 350HUF? Posso comprar directamente na estação?

    Obrigada!!

    • Oi, Raquel! :) Isso, basta um bilhete único mesmo, que custa 350HUF. Caso você pretenda usar transporte público nos dias seguintes pode ser que valha a pena comprar o carnê com 10 bilhetes por 3000 HUF pra economizar um pouco. Os bilhetes são vendidos em máquinas nas estações; acho que elas não dão troco, mas aceitam cartão. Não se esqueça de validar o bilhete quando entrar no tramway. Um abraço!

      • Raquel Vicente

        Muito obrigada pela sua rápida resposta Luísa! Tenho só mais uma dúvida!
        Em princípio, irei adquirir o bloco de 10 tickets para dividir entre mim e a minha mãe. A minha questão é: tem que ser tudo usado no mesmo dia ou posso usar durante os 3 dias de visita?
        Obrigada!

  16. Luciane Dall'Agnol

    Olá Luisa! Tudo bem? Estou adorando seu blog…você explica muito bem! Estou com uma dúvida. Vamos chegar em Budapeste de trem ou ônibus (não sei) e gostaria de saber se consigo fazer cambio na estação. Vou precisar para comprar passagem para deslocamento até o hotel. Abraço!

    • Oi, Luciane! Depende da estação e do horário em que você chegar, mas em todo caso se você tiver um cartão do tipo Visa Travel Money ou cartão de crédito internacional você pode sacar a moeda local em caixas eletrônicos, caso não encontre uma casa de câmbio imediatamente :) Um abraço!

  17. Karla

    Oi Luisa
    Muito legal seu blog, com informações claras e bem interessantes. Vou para Budapeste agora em março e queria fazer a travessia pra Viena pelo Danúbio, preciso comprar o ticket com muita antecedência ou tem como chegar lá na hora e comprar? Sabe se posso comprar via site? não precisa ser aquele barco de turismo.
    Obrigada desde já e Parabéns pelo blog!

    • Oi, Karla! Não fiz essa travessia, então infelizmente não sei te dizer :/ Fui pra Viena a partir de Budapeste, mas de trem mesmo. Boa viagem e muito obrigada pelo comentário! :) Um abraço

  18. Rejane

    Oi Luísa!
    Adorei o seu site, excelente!
    Vou para Budapeste em julho e tirei várias informações muito úteis aqui.
    Muito obrigada!
    Rejane

    • Que ótimo, Rejane! Fico muito feliz :) Espero que você se apaixone pela cidade assim como eu! <3 Um abraço

Deixe o seu comentário