Hungria

Budapeste: conheça as principais comidas típicas

Hungria | 18/10/13 | Atualizado em 28/05/18 | 14 comentários

Esse post vai pra quem também é adepto do turismo comilônico \o/ Até porque não recomendo a ninguém experimentar as bebidas húngaras de que eu falei aqui de bucho vazio, né? E quer forma melhor de conhecer a cultura de um lugar que provando (e repetindo) as delícias locais, seja na mesa ou na rua? Por isso, preparei um breve guia com algumas das comidas típicas húngaras que você encontra facilmente em Budapeste.

É claro que na própria capital e no resto do país há muitas outras tradições gastronômicas, mas aqui eu me limito ao que eu provei – e, em graaande parte, aprovei! Se joguem (e saibam que provavelmente encontrarão muito sour cream e pepino pelo caminho).

Leia também:

Todos os posts sobre Budapeste
Onde se hospedar em Budapeste: os melhores bairros

Comidas típicas húngaras

Paprikás csirke e galuska

Pra começar, um dos elementos-chave da culinária húngara: a páprica (luzinhas piscando). Esse condimento tem duas versões, doce e picante, e é o que você mais encontra no Mercado Central como souvenir alimentício ;) A páprikas csirke nada mais é que galinha com um molho cremoso de páprica, servida muitas vezes com outra comida típica: galuska, uma massa feita de ovo, farinha e sal e jogada em pedaços em água fervente, resultando em bolotinhas disformes como essas da foto. Ela também é chamada de nokedli e é igual ao spätzle, comido na Alemanha, Suíça, Áustria e alguns outros países.

Páprikas csirke com galuska

Paprikás csirke com galuska

Gulyás

Se você não tiver reconhecido essa palavra, provavelmente conhece a versão inglesa, goulash. Um dos pratos mais tradicionais do país, o goulash húngaro é, resumidamente, um ensopado ou sopa de carne (gulyásleves, ou “goulash soup”). Feito com páprica (claro) e legumes, esse é um prato “obrigatório” – mesmo no calor do verão, quando você vai comendo e suando, como foi meu caso.

Comi a sopa duas vezes num restaurante chamado Kantin, na rua chamada “Champs Élysées de Budapeste” (Andrassy Utca, nº 44), e recomendo o lugar, principalmente se não estiver frio e der pra sentar na calçada :) Eles têm menu com entrada + prato + sobremesa por 2.500 florins (25 reais, preço bem justo pra quantidade e qualidade da comida + ótima localização e bom atendimento) e se você pedir o goulash de entrada (pede! pede!) aviso logo: vai sair de lá rolando.

Goulash soup no Kantin

Goulash soup no Kantin

Pörkölt

Esse prato também não tem mistério: é um ensopado de carne, normalmente cortada em cubos, temperada com – adivinhem – páprica e acompanhada por vegetais. Ele pode ser comido com pão ou batatas cozidas, por exemplo, e assim como muitas outras comidas húngaras, costuma ser cozinhado em gordura de porco (bem saudável, como vocês podem ver). Delícia!

Vai pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório pra entrar lá!
Clique aqui e saiba como contratar o seu com desconto.

Lángos

O guia de um city tour sobre comunismo que fiz lá em Budapeste definiu o lángos como “a pizza comunista”. Trata-se de uma massa tipo pão frita em gordura e coberta com queijo ralado e sour cream – pra ficar na versão mais tradicional. Também é possível encontrar um milhão de outras coberturas, incluindo (mas não se limitando a) presunto e legumes.

Um dos melhores lugares pra comer o seu é o Mercado Central (Central Market Hall em inglês e Nagy Vasarcsarnok em húngaro). No primeiro andar, do lado direito de quem entra, você pode ter o prazer de se espremer e se estapear com outros famintos pra provar essa iguaria gordelícia, que provavelmente será servida em um papel, porque prato é pra fracos (não se esqueça de pedir guardanapos – serão necessários). Por lá, rolam até opções doces, cobertas de Nutella, canela, mel, caramelo etc etc etc.

~IMG_0307

Meu primeiro lángos :D

_IMG_0740

As barracas de comida no Mercado Central

Palacsinta

Essas são, basicamente, crepes (ou panquecas). Ainda assim, são tratadas como prato nacional – sendo servidas sempre enroladas, nunca dobradas como na França. Tem restaurantes dedicados a palacsintas, mas eu acho bem mais legal comer numa barraquinha como as que você encontra no Central Market Hall ;) Os recheios são beeem variados, incluindo opções salgadas e doces.

Procurando hospedagem em Budapeste? Clique aqui e encontre hotéis e hostels nos melhores bairros

Pogácsa

À primeira vista, o/a pogácsa pode nem chamar atenção. Afina, é só um pãozinho, parecido com os “scones” ingleses, só que melhor (foi mal aê!). Normalmente ele é coberto com queijo gratinado, mas também é feito em muitas variações, como integral ou com diferentes sabores.

Ele é encontrado facilmente – até no metrô, onde você provavelmente vai dar de cara com uma cheirosa pékség (padaria) em toda estação, e pode aproveitar pra voltar pra casa com um deles quentinho. Essa é uma comida bem comum por lá, seja no lanche, no café da manhã ou em festinhas.

Dizem que os melhores são os feitos em casa, mas como eu não tive a sorte de conhecer um(a) húngaro(a) que assasse uma fornada pra mim, recomendo provar os da rede húngara de “bar de leite” Cserpes Tejivó, que tem três unidades na cidade (clique aqui pra entender por que “bar de leite” e ver o que mais comer por lá).

Pogácsa Foto: Burrows (Wikimedia Commons)

Pogácsa
Foto: Burrows (Wikimedia Commons)

Somlói Galuska

Favor não confundir com o galuska, mencionado lá em cima, ou você vai pedir bolo com galinha ;) Esse aqui é uma sobremesa, também bastante tradicional. Trata-se de um bolo de chocolate “esponjoso” salpicado com rum e baunilha e coberto com chocolate e chantili. Infelizmente, da única vez em que provei achei meio decepcionante, mas com uma descrição dessas acho que vale a pena tentar, né? Se você achar um restaurante onde façam um somlói galuska gostoso vem me contar!

Túró Rudi

Ahhh, Túró Rudi! <3 Esse chocolate é, pra mim, sinônimo de Budapeste ^^ A beleza (e tristeza) da coisa é que ele só é vendido na Hungria, e sua inacessibilidade em outros países torna-se a grande lamentação de muitos húngaros expatriados. Mas uma vez em Budapeste, é a coisa mais fácil encontrá-lo: basta entrar em qualquer supermercado/mercadinho/loja de conveniência e procurar pela embalagem branca com bolinhas vermelhas.

Ele fica exposto na parte de comidas congeladas/frias, porque deve ser armazenado na geladeira e comido geladinho. É difícil de explicar o sabor, mas é basicamente uma espécie de coalhada coberta com chocolate. O tradicional é o “natur”, mas tem também sabores diferentes, como banana e morango. Ele é vendido em dois tamanhos, o normal e “óriás” (gigante).

Meu vício: Túró Rudi Foto: aurin (Wikimedia Commons)

Meu vício: Túró Rudi
Foto: aurin (Wikimedia Commons)

Kürtőskalács

O nome é complicadinho, mas a comida em si é simples: uma massa enrolada em forma de cilindro e assada, coberta com canela e açúcar (meu preferido!) ou uma mistura de nozes e açúcar. Tente comprar um quentinho, recém-saído do forno, que fica muito mais gostoso. Comprei o meu na Váci utca, a famosa rua pra pedestres no centro de Pest. Em inglês ele costuma ser chamado de “chimney cake” e também pode ser encontrado em outros países – comi pela primeira vez em Praga, com o nome de trdelnik :D

E tá bom de post, que minha barriga tá roncando…

~IMG_0308

Kürtőskalács na Váci utca ;)

Leia mais:

Budapeste: Bebidas

Budapeste: Bares – Parte 3

Budapeste: Bares – Parte 2

Budapeste: Bares – Parte 1

Budapeste: Saudades antecipadas

Budapeste: Transporte público e endereços

Budapeste: “Aprendendo” húngaro

Budapeste: Minha primeira ida 

Contrate seu seguro viagem com desconto na Mondial Assistance
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

14 Comentários

  1. Yara

    Oi Luiza
    Ameis suas dicas. Estou indo para Budapest e vou seguir seus conselhos. Na volta te conto as “experiências” gastronômicas.
    bjs
    Yara

    • Luísa Ferreira

      Oi, Yara! Que bom que você gostou :D Aproveita muito por lá e depois me conta mesmo! :) Um abraço

  2. muito bom! vou experimentar essas comidinhas na minha trip em maio!!

    • Luísa Ferreira

      Come por mim, Erika! :D

  3. Amei as dicas!! Estarei indo para Budapeste em julho e já avisei toda a família que iremos comer só comida húngara nos três dias de passeio! Hahahaha
    Obrigada pelas dicas !!

  4. Isabelle

    Obrigada pelos seus posts. Sou viajante nata e peguei muitas dicas legais com vc. Em novembro será a minha próxima “trip” e uma das paradas é a linda Budapeste. Beijo pra vc e não deixe de investir no seu blog.

    • Oi, Isabelle! Eu que agradeço pelo comentário! :D Mensagens assim dão todo o ânimo pra continuar blogando :) Espero que sua viagem seja uma delícia! Um abraço

  5. rita coccarelli

    adorei as dicas, vou aproveitar em em fevereiro.. show

  6. Olá, Vou para Budapeste em fevereiro, voce levou dolar ou Euro para, onde voce trocou as moedas?
    e o custo das comidas, café e lanches?

    muito obrigada

    • Oi, Ana! Levei euros, porque tava morando na Espanha, mas lá fiquei sacando num caixa eletrônico com meu cartão do Brasil. Não sei por que, mas nem todos os caixas funcionavam; achei alguns que sim e fiquei indo neles. Os valores lá são bem bons pra Europa; a maioria era equivalente ou mais baixo do que numa cidade de médio porte brasileira. Espero que você goste da cidade! :)

  7. Muito bons seus pots sobre BUDA…. gravei as comidas quero provar

  8. Juliano

    Olá Luiza sou descendente de húngaro por parte de mãe. Passei minha infância deliciando estas e outras guloseimas. Minha saudosa avó fazia cada prato mais gostoso que o outro, o meu favorito é o pogacsa e Almas pite (torta de maçã )
    Quem sabe um dia DEUS permita que eu vá conhecer pessoalmente minha segunda Pátria. Manda bens pelo blog

    • Oi, Juliano! Que delícia crescer com essa culinária maravilhosa dentro de casa :) Espero que você consiga mesmo ir lá pessoalmente, a Hungria é incrível! Um abraço e obrigada pelo comentário :D

Deixe o seu comentário