Hungria

Budapeste: entendendo o idioma húngaro

Hungria | 12/08/13 | Atualizado em 26/02/18 | 37 comentários

A única língua que o diabo respeita. É, parece que Chico sabia mesmo do que tava falando. O idioma húngaro tem raiz urálica (como o estônio e o finlandês) e várias particularidades que fazem com que ele pareça, de fato, um dos mais complicados do mundo. Infelizmente, dois meses são muito pouco pra entender o funcionamento da língua, mas tou tentando pegar alguma coisa pra me sentir menos ET – a única coisa que me incomoda em Budapeste é não falar o idioma local, mas ao mesmo tempo são essas coisas que tornam a cultura húngara mais fascinante :)

Até agora, aprendi que o idioma possui 22 (você não leu errado: vinte e dooooois!) casos de declinação. A língua tem 14 vogais e 27 consoantes e é aglutinante, ou seja, sílabas são adicionadas ao final das palavras pra indicar coisas que em idiomas como o português são expressas através de preposições ou até frases, como explica o colombiano Gustavo Patiño, autor desse divertido post. Recomendo muito a leitura do texto original se você entende espanhol, mas não podia deixar de mencionar aqui alguns dos aspectos mais interessantes :)

Vai pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório pra entrar lá!
Clique aqui e saiba como contratar o seu com desconto.

Patiño explica, por exemplo, que “Hungria” em húngaro é “Magyarország”, sendo que magyar é o nome da tribo que deu origem ao povo húngaro e “ország” significa “país dos”. Ele conta também que pra dizer “em nossa universidade” você começa pelo substantivo (egyetem), agregando a ele o possessivo (nk), adicionando uma vogal (ü) pra “apoiar a língua” e arrematando com a preposição (ön), o que resulta num mesmo vocábulo, em vez de uma frase: egyetemünkön.

Outra característica bizarra observada por ele é que o húngaro conjuga os infinitivos. “Em húngaro, cada pessoa tem seu próprio infinitivo (egoístas ad infinitum): ‘estudar’ é ‘tanulnom’ na primeira pessoa, ‘tanulnoden’ na segunda e ‘tanulnod’ na terceira do singular”, relata Patiño. Achou pouco? Encara então a tal “posição de foco”, abordada neste outro blog. “Quediabéisso?”, você se pergunta. É que obviamente a básica ordem sujeito + verbo + objeto não se aplica ao magyar, porque isso seria fácil demais. Em vez disso, as informações mais importantes vêm logo antes do verbo, e aí você tem que pensar em qual é o “foco” da frase antes de formulá-la. Simples assim ;)

Minha palavra preferida em húngaro: "mozi" (cinema) :)

Minha palavra preferida em húngaro: “mozi” (cinema) :)

Outra coisa interessante é a lógica de ir do geral pra o particular, que foi uma das primeiras coisas que percebi, nas minhas visitas à imigração: aqui eles têm o hábito de anotar a data ao contrário (ano-mês-dia) e também de usar o sobrenome antes do nome, como em outros países.

Procurando hospedagem em Budapeste? Clique aqui e encontre hotéis e hostels nos melhores bairros

Em relação à pronúncia, alguns dos sons mais importantes são C (é como tz em português), Cs (como tch), G (sempre é como gol, mesmo se estiver antes de E e I), H (rr, como em inglês), S (como nosso X/CH, então “Budapest” pra eles é “Budapext”, parecido com o sotaque recifense hehe), J (como i),  Zs (como J) e Sz (como S em português). As vogais também mudam de acordo com o “acento” (Ü é como no francês “menu” e Ö como em “Richelieu”, por exemplo), mas essa parte dá pra enrolar hehe :)

Leia mais:

Todos os posts sobre Budapeste
Guia completo sobre aprendizado de idiomas

Guia de sobrevivência em húngaro

Como eu disse, confesso que aprendi pouca coisa dessa língua tão intrigante. Entre o trabalho na MRG, o freela pra pagar as contas e as saídas pra aproveitar a cidade não tive muito tempo pra me concentrar no idioma, mas no dia a dia acabei pegando pelo menos o essencial pra sobreviver. Pra quem for vir aqui como turista, também acho válido tentar lembrar de algumas palavrinhas básicas, então segue uma listinha, com a pronúncia aproximada entre parênteses (lembrando que eu não sou naaaada especialista, então se algum falante de húngaro quiser me corrigir fique à vontade :D)

Oi e tchau (informal): Szia (sía)

Bom dia: Jó reggelt (iô raguélt)

Boa tarde: Jó napot (iô napôt)

Boa noite: Jó éjszakát (iô êssacát)

Obrigado: Köszönöm (quêcênem)

De nada: Szívesen (sívexên)

Sim: Igen (iguen)

Não: Nem (nem)

Licença (pra chamar atenção): Elnézést (élnisixt)

Desculpa: Bocsánat (bôchanat)

Você fala inglês?: Beszél angolul? (béssel ângolúl?)

Restaurante: Étterem (êterém)

E pra entender as placas:

Aberto: Nyitva

Fechado: Zárva

Puxar: Húzni

Empurrar: Tolni

Entrada: Bejárat

Saída: Kijárat

Banheiro: Mosdó

Se quiser salvar este post para ler depois, pine a imagem abaixo no seu Pinterest! Aproveite e siga o perfil do Janelas Abertas por lá. :)

curiosidades sobre o idioma húngaro

Contrate seu seguro viagem com desconto na Mondial Assistance
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

37 Comentários

  1. karo

    gostei! algumas coisas (que já te disse ;) ) :
    – ország
    – tanulnod
    :D

  2. RFK

    Interessante demais!!!! Obrigada! RFK

  3. Golbery Lessas

    Achei interessante suas observações. Mas seria importante dizer que não faz sentido acharmos bizarro a gramática do húngaro. Um húngaro poderia dizer o mesmo do português. Como um idioma é um código, o importante é que ele seja eficiente para quem falar e não simples para quem deseja aprendê-lo.

    • É verdade, Golbery! :) Tenho uma amiga húngara que tá começando a aprender português agora e acha bastante difícil. Isso é verdade pra todas as línguas que não têm raiz parecida. Mas é justamente isso que eu acho interessante. Não digo “bizarro” como algo pejorativo de maneira alguma; acho que essas diferenças fazem da língua (e da cultura, inclusive) mais curiosa e fascinante :) O mundo seria muito chato se tudo funcionasse com a mesma lógica em todo lugar.

  4. Lorena Tapavicsky

    E esse “Lore” na foto? É saudade de mim, é? <3

  5. Joaquim Macedo jr,

    KINKAS Muito bom, Luisa, Adoro tudo que vem da Hungria, desde Puskas a Bela Bartok. Em Budapeste, o professor sofre…..

  6. Silvia

    Mas dá p/ se comunicar em inglês numa boa por lá?? Ou não??

    • Luísa Ferreira

      Oi, Silvia! Dá pra se comunicar sim, mas não “numa boa” ;) Não é como em outras capitais europeias, tipo Amsterdam, Berlim ou Estocolmo, onde todo mundo fala inglês. Em lugares como os Correios, o metrô e a padaria, encontrei funcionários que não entendiam uma palavra do idioma. Ainda assim, sempre achei alguém pra me ajudar. Ou seja: especialmente se você estiver só de passagem, é tranquilo! Melhor do que pra um gringo aqui no Brasil, hehe.

  7. Karla Terra

    Olá! Estou procurando intercâmbio de inglês na Hungria pois sou descendente e para conseguir a cidadania, de acordo com a nova lei, tenho que conversar com o Cônsul, então pensei em matar dois coelhos, sabe?! Mas QUE dificuldade em encontrar um curso… vi que você falou que tem um monte, mas não achei nenhum… tem algum para me indicar?! Obrigada

    • Oi, Karla! Uma amiga estudou inglês por lá, mas não sei te dizer onde foi… Colocando “English course Budapest” no Google apareceram vários cursos :) Um abraço!

    • Peter Kell

      Olha, tem um curso de hungaro na cada húngara na rua Gomes de Carvalho na Vila Olimpia, quem da o curso é muito boa gente e realmente ensina. Fica quase em frente de um lugar chamado History. Descendo a rua, logo depois da rua Nova Cidade, do lado esquerdo…

    • Peter Kell

      Olha, tem um curso de hungaro na “casa húngara” na rua Gomes de Carvalho na Vila Olimpia, quem da o curso é muito boa gente e realmente ensina. Fica quase em frente de um lugar chamado History. Descendo a rua, logo depois da rua Nova Cidade, do lado esquerdo…

  8. Cris Silva

    Adorei as dicas do vocabulario! Devidamente anotadas :)

  9. Thaís

    Olá Luisa, só queria dizer que amei seu blog! Está sendo muito útil e inspirador para continuar me inscrevendo para vagas de intercambio em Budapeste. :D

    • Que massa, Thaís! :D Fico muito feliz. Obrigada pelo comentário e boa sorte com o intercâmbio! \o/

  10. Gustavo

    Adorei as dicas!

  11. Ricardo

    Gostei muito do seu texto. Sempre quis aprender essa língua, e me sinto mais instigado agora.

  12. Soraia Bernardes

    Muito bacana! Estou me preparando para visitar minha filha na Hungria, pois ela se casou com hungaro! Gratidão!

    • Oi, Soraia! Que legal :) Espero que você goste muito de lá e passe bons momentos com sua filha e seu genro. um abraço!

  13. Márcio

    Tentei estudar húngaro e a única coisa que consegui foi descobrir que Mestre Yoda é húngaro!

  14. Cláudia

    Só uma pequena observação, o correto para Bom dia é Jó reggelt, jó napot é usado para boa tarde.

    • Eita, Cláudia. Verdade! Pior que pedi pra uma colega húngara que fala português revisar o post e ela nem reparou nisso, hehe. Vou ajustar. Obrigada pelo aviso! :)

  15. Luana Bögös

    Muito boa a matéria. Eu estou húngaro a um ano e acho uma língua bem complicada. A maioria das palavras não parecem em nada com o português, não dá nem para associar. Meu avó é húngaro e para ele aprender português foi uma barra. Eu lembro que o português dele era péssimo, mesmo ele morando anos no Brasil. Esse país me encanta muito. Parabéns pela matéria.

    • Oi, Luana! Imagino sua dificuldade pra aprender o idioma… Mas deve ser ótimo se reconectar com as raízes familiares, né? :) Obrigada pelo comentário!

  16. evie oliveira

    Muito interessante, mas deu até frio na barriga de lembrar q vou encarar isso daqui a 30 dias. rsrssr

    • Oi, Evie! Hhaha entendo o frio na barriga, mas fica tranquila que a gente sempre se vira ;) Boa viagem! \o/

  17. Ana Rita

    Adorando suas dicas e viajando antes da viagem. Obrigadaaaaaa e continue
    Vou ficar 5 dias lá, em setembro, e já estou com medo da lingua. rsrs

    • Oi, Ana Rita! hahha é uma língua muito diferente mesmo, mas podia ser pior: ao menos o alfabeto é igual ao nosso :D Certamente você não terá dificuldades por lá, porque a cidade é bem preparada pra o turismo :) Um abraço e boa viagem!

  18. Clédima

    amei as dicas! Resolvi que quero aprender Húngaro, e o seu post vai me dar uma
    ideia legal por onde começar!!

Deixe o seu comentário