Colômbia

O que fazer em Bogotá: roteiro completo e dicas úteis

Colômbia | 07/07/23 | Atualizado em 04/08/23 | Deixe um comentário

Eu não dava muito crédito a Bogotá, mas quando vi, estava passando dias encantada pelas suas ruas e histórias. Na capital colombiana você encontra opções para todos os tipos de viagem, seja de aventura, de luxo, ou gastronômica e de noitadas. Para te dar aquela ajuda, vou compartilhar aqui várias dicas de o que fazer em Bogotá.

Conhecida como a Atenas da América do Sul, Bogotá tem uma arquitetura que chama atenção, mas também se destaca pela arte, as pinturas em murais de grafite, a quantidade de museus e livrarias, e a diversidade cultural. Recheada de histórias de povos originários e paisagens de tirar o fôlego, é fácil esquecer que a cidade é uma grande capital latina.

A maioria das atrações de Bogotá fica concentrada no Bairro de La Candelaria, mas vou te contar como curtir a cidade toda e também os arredores. E para te ajudar ainda mais a decidir o que fazer em Bogotá, vou sugerir também um roteiro dia a dia, dicas do que comer, e informações práticas sobre documentação, além de recomendações de como lidar com a altitude na terceira capital mais alta da América do Sul. Boa viagem!

Leia também:
Onde ficar em Bogotá: melhores bairros
Viagem pela Colômbia: roteiro completo
O que fazer em San Andrés: roteiro e dicas
Todos os artigos do blog sobre a Colômbia

O que fazer em Bogotá?

Cerro de Monserrate

O Cerro Monserrate é o cartão postal da capital colombiana, a paisagem mais bonita da cidade. No topo de um dos morros que rodeiam a cidade está a Basílica Santuário del Señor Caído de Monserrate, fundada em 1640. Lá de cima é possível ver todo o mar de prédios da capital e admirar as montanhas que abraçam a cidade.

Para chegar até lá em cima você pode encarar mais de 2km de degraus com um ganho de 470m de altimetria. Se ficar sem fôlego só de pensar na subida, também tem a opção de subir e descer de bondinho. Os valores variam de acordo com o dia da semana, feriados, idade e se é ida e volta ou só um trecho. A ida e a volta custa atualmente cerca de 27.000 pesos colombianos.

Caso você não queira desgastar os seus joelhos na escadaria duas vezes, pode optar por comprar só um ticket do bondinho e fazer o outro trecho pelas escadarias. O valor de um trecho só é de 16.000.

Além da Basílica, você pode visitar as lojinhas, feira de artesanato, restaurantes e cafeterias. A paisagem atrás do morro também é linda!

monserrate

cerro monserrate

Monserrate trilha

Chorro de Quevedo e Murais de Graffiti

O Chorro de Quevedo fica no topo do Bairro de La Candelaria, um dos mais emblemáticos da capital. É uma pequena praça colorida, cheia de cafés e restaurantes, lojas, e arte em todas as paredes. É um encontro entre o passado pré-hispânico e a história da fundação da cidade com o presente.

Antes mesmo da chegada dos espanhóis, o Chorro já era um lugar importante para os nativos da região, os Muiscas, onde eles performavam rituais à montanha e ao sol. E foi no Chorro de Quevedo que a cidade de Bogotá foi fundada.

Entre artesãos, bares, lojinhas, murais de arte, a praça é um lindo lugar para conhecer mais do passado e presente de Bogotá.

passeios em bogotá

Ali do lado, na rua estreita chamada Callejón del Embudo, é onde tem os murais mais famosos de toda Bogotá. Apesar de ser uma cidade com muita arte e pintura, neste pequeno bairro eles estão por todo lado. Embora existam alguns graffitis icônicos, as artes vão sempre mudando com o passar do tempo e abordando temas da atualidade.

roteiro bogotá

Plaza Simón Bolívar e arredores

A Plaza Simón Bolívar é uma das praças mais bonitas de Bogotá. Nela, se encontram a grande Catedral Primada de Bogotá, de estilo neoclássico, o Palácio da Justiça, e o Capitólio Nacional. No centro, tem uma estátua de Simón Bolívar, sempre com vendedores ambulantes em volta e crianças correndo e alimentando as pombas que ficam à espera do milho jogado pelos passantes.

A Peatonal Carrera 7, uma longa rua para pedestres com diversas atrações pelo caminho, também começa ali na praça. Nela você encontra restaurantes, cafeterias, lojas de roupa e eletrônicos, centros comerciais, artesanato, livrarias… A princípio pode ser um pouco confuso, mas é essa mistura doida que está sempre presente nas capitais latinas.

Aos domingos, costuma-se encontrar por lá bandas de música, tabuleiros de xadrez, apresentações de teatro, dança, e mais ambulantes na rua. Um passeio divertido para quem gosta de ver mais da rotina e não tanto de pontos turísticos em si, porque é a vida acontecendo. Estar nessa praça e seus arredores é como participar da correria da cidade grande, mas podendo aproveitar para observar o dia a dia na capital e aprender mais sobre ela.

o que fazer em Bogotá - plaza bolívar

Museo Del Oro

O Museo del Oro é um dos museus mais famosos da Colômbia. Ele conta sobre os povos ourives, que manipulavam metais nobres e confeccionavam itens a partir deles. Diferente de nós, a maioria dos povos não usavam ouro, prata e cobre como moeda, algo que tinha valor econômico, e sim como valor espiritual, um “atalho” para se conectar com as divindades.

Como o sol é amarelo e brilha, o ouro era considerado uma materialização do sol na terra. Por isso, alguns povos latinos faziam brincos, colares, piercings de nariz e outros artefatos para poderem se aproximar do Deus Sol (que na língua kichwa, muito falada no continente sul-americano, é chamado de Inti). Nos quatro andares do museu você encontrará informações sobre lendas, rituais, como eles moldavam os metais, as divindades, e como eles enxergavam a vida e a morte.

Fechado apenas às segundas, atualmente o museu funciona das 9h às 19h de dia de semana e custa 5 mil pesos colombianos. Aos domingos fica aberto das 10h às 17h e é gratuito. Se você gosta desse assunto, reserve duas horinhas para se perder no Museu do Ouro!

museu do ouro em bogotá

museu do ouro em bogotá

museo del oro em bogotá

Museo Botero

O Museo Botero é uma delícia para quem gosta ou não de arte. Fernando Botero foi um pintor e escultor colombiano que retratava o próprio país por diversas lentes. Em suas obras, ele trazia um olhar mais rotineiro, mostrando a cultura popular e cenas do dia a dia, mas também expondo problemas de violência entre guerrilhas.

Sem dúvida a marca registrada de Botero é que as pessoas e animais em suas obras têm proporções irregulares. Os olhos pequenos, os dedos curtos e a cabeça pequena em corpos grandes demais causam certa estranheza à primeira vista. Quando questionado, Botero diz não pintar pessoas baseado na realidade, e por esse motivo não tem compromissos com dimensões reais.

Todas as obras foram doadas à Colômbia pelo artista Fernando Botero. Ele doou mais de 200 obras, sendo a maioria de sua autoria, mas também de outros artistas como Picasso, Salvador Dalí, Claude Monet, Juan Miró e outros. O museu é gratuito todos os dias.

museu botero

museo botero

Free Walking Tour

Existem diferentes estilos de free walking tours pela capital colombiana. Tem a caminhada histórica, que conta sobre como Simón Bolívar fundou a Gran Colômbia (quando Venezuela, Colômbia, Equador e Panamá eram um só país). No passeio, aprendemos sobre como ele escapou da morte e fez parte da independência de alguns países sul-americanos, além de dar nome à Bolívia.

Tem também o free walking tour de arte e graffiti, onde ao caminhar pela cidade você consegue entender os significados das pinturas nas paredes e aprender sobre os movimentos artísticos da cidade. Os guias contam sobre as histórias ancestrais dos murais da cidade e como a arte é usada para falar de causas sociais da Colômbia.

Se você viaja buscando conhecer mais sobre a gastronomia, também tem tours gastronômicos, em que você pode aprender sobre as comidas e bebidas típicas. E tem até um tour de bicicleta e outro que é focado no Cerro Monserrate.

A maioria das guiagens são feitas em espanhol ou inglês. Lembrando que free walking tour não quer dizer que o passeio seja realmente gratuito, e sim que você contribui com um valor que achar justo considerando o tempo e conhecimento compartilhado pela pessoa que te guiou.

Veja aqui todas as opções de free tour em Bogotá que podem ser reservados online pela Civitatis, parceira do blog.

free tour em bogotá

Plaza de Mercado de La Perseverancia

Toda cidade tem o mercadão pra comer aquele prato tradicional, né? O La Perseverancia é o de Bogotá. Apesar de não ser um grande mercado em tamanho, os restaurantes de lá têm as melhores comidas. Seja um prato da região da costa, da região amazônica ou dos Andes: lá você encontra o melhor da gastronomia colombiana.

Apesar de não ter tantas opções, não sendo um grande mercado tal qual estamos acostumados, o Mercado de La Perseverancia é tão bom que foi o cenário da série da Netflix Street Food América Latina da Colômbia. Para saber sobre os pratos tradicionais colombianos, vá até o item “O que comer em Bogotá”, mais abaixo.

mercado la perseverancia

Usaquén

Bogotá já era uma cidade antes da chegada dos espanhóis. Quem ocupava boa parte da região eram os Muiscas, povo que venerava o sol e tinha rituais que sobrevivem até hoje (como o Tejo). Eles se concentravam na região que hoje é chamada de Usaquén. Curioso como em uma capital tão grande e ainda assim encontramos esses pequenos tesouros da história.

Naquela praça, fiquei tentando imaginar a região na época pré-colonização, com a serra de fundo e as ruas de pedra. Durante a luta pela independência, o exército que lutava pela separação da coroa espanhola acampou na praça. Hoje ela virou um grande centro comercial com empresas e restaurantes, mas ainda guarda o ar de pracinha da cidade, com direito a igreja com cara de interior.

O mercado indígena tem artefatos de muitas etnias do país e fica aberto a semana toda. Aos finais de semana acontece lá uma grande feira de pulgas, mas durante todos os dias da semana, de 10h às 18h, algumas tendas vendem artigos pelas ruas de Usaquén.

Mercado Indígena Usaquen

o que fazer em Bogotá

Jogar Tejo

Se você gosta de conhecer tradições, o jogo de Tejo é pra você. É algo inusitado quando se pensa no que fazer em Bogotá, mas além de ser muito divertido, é uma prática ancestral pra eles. É um jogo que teve origem no povo Muisca, que o jogavam antes mesmo dos espanhóis chegarem, e consiste basicamente em acertar pesadas bolas metálicas em buracos sobre a terra.

Na época dos Muiscas a bola era feita de ouro, o que para eles representava a divindade do Sol. Com a chegada dos espanhóis, eles melhoraram o jogo colocando pólvora nos buracos. Ao acertar, um barulho de explosão tomava conta do lugar junto com a celebração de quem joga.

Se você quiser jogar, basta buscar por “tejo” no mapa e ver algum mais próximo de onde você está. Se você estiver no centro, recomendo o Tejo Ancestral que fica perto da Plaza Bolívar. É um bar com vários petiscos regionais e eles fazem explicações sobre o jogo para turistas.

Arredores de Bogotá

Se você está com tempo e quer se aventurar por perto de Bogotá, vou deixar algumas sugestões do que fazer. A cidade de Zipaquirá tem a famosa Catedral de Sal, em que você pode fazer um tour de ida e volta. Ali perto também fica o Embalse de Tominé, uma grande e linda lagoa perto de Guatavita.

Se você tem mais dias, quer conhecer outras cidades, e gosta de escalada, Suesca é uma cidade rodeada de puras rochas e vias para você subir e acompanhada de uma pequena e pitoresca vila. Um pouco mais longe tem a Villa de Leyva, uma cidade colonial entre as montanhas colombianas, com diversas trilhas.

O que fazer em Bogotá à noite

Se você gosta de curtir a noite e não sabe o que fazer em Bogotá, a Zona Rosa e o Parque de la 93 são os lugares ideais para você. A Zona Rosa fica mais afastada do centro histórico; é um bairro conhecido pelos restaurantes (como o Andrés Carne de Res) e bares. Uma região agitada, com opções 24h para curtir a cidade. Ambas são regiões consideradas seguras.

Dentro da Zona Rosa tem a Zona T (Carrera 12a e Calle 83), que são ruas fechadas para carros repletas de lojas, bares e restaurantes espalhados por todo lado. Você encontra muitas baladas de salsa, reggaeton e música eletrônica pelo bairro também.

Outro bairro conhecido pela vida noturna é o Parque de la 93, no bairro El Chicó. Não tão agitado quanto a Zona Rosa, o Parque de la 93 é mais conhecido pelas opções gastronômicas e de bares do que de balada em si. É uma região residencial, também considerado segura, e com muitas opções culturais.

Se não quer sair pra curtir a noitada, mas gosta de beber uma cervejinha, recomendo a Bogotá Beer Company (BBC), que tem em várias partes da cidade.

cerveja BBC

O que fazer em Bogotá dia a dia: roteiros

Quer ajuda para planejar seu roteiro de viagem para Bogotá? Veja uma sugestão para curtir três dias por lá:

Roteiro em Bogotá para 1 dia

  • Cerro Monserrate
  • Plaza Simón Bolívar
  • Museo Botero
  • Chorro de Quevedo
  • Callejón del Embudo
  • Restaurantes e bares do centro histórico

Segundo dia em Bogotá

  • Free Walking tour
  • Andar pela Peatonal Carrera 7
  • Museo del Oro
  • Plaza de Mercado de La Perseverancia
  • Jogar tejo
  • Noite na Zona Rosa ou Parque de la 93

Roteiro do terceiro dia

  • Manhã mais tranquila na feira e praça em Usaquén
  • Ou visitar a Catedral de Sal em Zipáquira ou o Embalse de Tominé em Guatavita
  • Terminar o dia com uma cerveja na BBC

o que fazer em bogotá

O que fazer em Bogotá numa conexão

Está numa conexão e quer dar uma escapada do aeroporto para visitar Bogotá? Antes de mais nada, faça as contas de quanto tempo tem para conhecer a capital colombiana. O trajeto do aeroporto até o centro, La Candelaria, é de meia hora na teoria, mas o trânsito é imprevisível e costuma ficar bem complicado nos horários de rush na manhã, almoço e fim do dia. Planeje bem!

O primeiro lugar que eu recomendo é o Bairro de La Candelaria. Ali você pode visitar o Chorro de Quevedo, o Callejón del Embudo, e de lá caminhar para a Plaza Bolívar. No caminho tem o Museo del Botero e do Ouro, muitos restaurantes de comidas tradicionais da região e do país todo. Nessa região também tem lojas de artesanatos e mercados tradicionais para se esbaldar antes de pegar o voo.

Caso você tenha mais horas para gastar na cidade e queira ir ao cartão postal da capital, pode arriscar ir ao Monserrate. Recomendo subir e descer de bondinho porque ir pela trilha pode demorar muito e você corre o risco de perder o voo. Apenas fique atento porque de bondinho tem fila, então pergunte o tempo estimado no guichê e veja se cabe no teu tempo contando pelo menos 1h de trajeto para voltar ao aeroporto El Dorado.

O que comer em Bogotá

Quando pensamos sobre o que fazer em Bogotá, também queremos provar algumas refeições locais, certo? Recomendo provar uma arepa, a famosa massa de milho frita que pode ou não ser recheado com queijo ou outro recheio a sua escolha. Se você é do time que defende que sopa é janta (meu time!), o prato Ajíaco vai te surpreender com o sabor que aquece o corpo todo.

A Bandeja Paisa é um prato da região de Medellín, recheado com todos os tipos de carne, arroz, feijão, abacate, ovo, saladinha. Quase um Prato Feito, só que colombiano – e é muito pesado!

Os Tamales são uma versão da nossa pamonha, mas com recheio de carne e arroz. O peixinho frito tradicional da costa colombiana vem com arroz de coco e banana frita, uma delícia. Outro prato típico colombiano bem gostoso são os patacones, feitos de banana da terra verde frita. De sobremesa, aproveite que quase sempre tem pessoas vendendo obleas recheadas na rua (são bolachas finas com recheio doce).

Não deixe de tomar um tinto, que é como chamam o café na Colômbia, que é um dos melhores do mundo. A rede de café Juan Valdez oferece vários tipos de cafés do país e vendem os grãos colombianos para você levar também. Além disso, na rua vendem canelazo, um chá de canela com um leve toque de cachaça bem saboroso. Por último, as aromáticas, chá de frutas bem docinho e é ótimo para esquentar no frio.

Comida colombiana da costa

obleas - comida colombiana

Cuidados com a altitude em Bogotá

Bogotá é a terceira capital mais alta da América Latina, perdendo só para as da Bolívia e do Equador. Ela fica a 2.625m do nível do mar e já que nós brasileiros vivemos em baixas altitudes, nosso corpo não está acostumado. Por isso, podemos sentir o soroche, mal da altitude. Pode ser que você não sinta os efeitos da altitude em seu corpo, ou pode ser que se sinta mais cansado e sem ar que o normal. Não tem como saber até chegar lá.

Caso tenha dor de cabeça ou nariz sangrando, fique calmo. Sente-se, respire fundo, beba água e tenha menos pressa nas caminhadas. O teu corpo está se adaptando a ter menos oxigênio, então ajude-o a se regular. Para diminuir os efeitos, é recomendado comer alimentos mais leves, reduzir a quantidade de café (tristeza, eu sei!), beber muita água e moderar a intensidade das atividades físicas. Saiba mais sobre como lidar com o mal de altitude.

E lembre-se: não vale a pena viajar para o exterior sem seguro-viagem! No site do Ministério de Relações Exteriores do Brasil, eles afirmam: “A Colômbia não oferece sistema público de saúde, portanto, recomenda-se enfaticamente a contratação de seguro de saúde durante a estadia no país, independentemente do motivo da viagem”. Veja aqui como funciona e como fazer um orçamento online sem compromisso (dica: ganhe 15% de desconto na plataforma Seguros Promo com o cupom JANELASABERTAS15).

monserrate

Voluntariado em Bogotá

Quer viver experiências novas e descobrir lugares fora do convencional em Bogotá? Uma dica é fazer um voluntariado pela Worldpackers, plataforma brasileira de troca de trabalho por hospedagem. Você ajuda o anfitrião com algumas horas de trabalho por semana e recebe em troca acomodação e outros benefícios, como refeições e passeios.

Além de ser uma ótima forma de economizar, esse tipo de viagem permite uma imersão cultural mais profunda. É ótimo para quem quer fazer amigos de várias partes do mundo, praticar outros idiomas e conhecer o destino indo além dos pontos turísticos.

Existem várias oportunidades de voluntariado em Bogotá bem legais. Você pode ajudar na recepção ou no bar de um hostel, colaborar com pintura e decoração, ajudar na cozinha, dar uma mãozinha com marketing digital e muito mais.

Qualquer pessoa pode conferir as vagas da Worldpackers gratuitamente. Caso queira se inscrever em uma delas e ter acesso ao suporte da plataforma, é preciso pagar uma taxa anual de 49 USD. Mas se você clicar aqui ou usar o cupom de desconto JANELASABERTAS você paga apenas 39 USD. A inscrição dá direito a viajar voluntariando quantas vezes você quiser, pelo Brasil e dezenas de outros países, durante um ano.

Para mais informações, dê uma olhada neste guia completo sobre work exchange.

o que fazer em Bogotá

Dúvidas comuns sobre viagem para Bogotá

Qual a melhor época para visitar Bogotá?

Como Bogotá lida com temperaturas extremas, o ideal é visitar nas épocas de transição. De dezembro a fevereiro e entre junho e setembro as temperaturas costumam ser mais amenas e estáveis. Se você não for nessas épocas, não tem problema; ainda dá para curtir mesmo nos meses de chuva ou calor intenso. Apenas leve um agasalho impermeável, porque a cidade é conhecida pelas chuvas e garoas passageiras.

Quanto tempo ficar?

Isso vai depender muito do quanto você gosta de cidades grandes. O mínimo recomendado é dois dias para fazer tudo com calma, mas se você gosta de vida noturna, variedade de restaurantes, eventos culturais, e quer curtir as trilhas ao redor da cidade, tem como ficar uma semana. O ideal são pelo menos três dias para conseguir curtir sem correr.

Bogotá é perigosa?

Bogotá é uma capital da América Latina, então vai ter problemas de segurança, mas nada que não tenhamos também no Brasil. Os problemas de guerrilhas que aconteciam nos anos 90 deixaram um estereótipo em nossa mente de que até hoje o país segue assim, mas não é verdade. A Colômbia tem feito uma ofensiva contra a violência e a situação atual é bem melhor.

Como sempre, recomendo se informar sobre os lugares que é melhor evitar e tomar cuidados básicos, como estar atento aos pertences e bolsos e evitar andar à noite por ruas que não conhece. Já fui quatro vezes ao país e nunca tive problema em nenhuma cidade, mas é sempre importante estar atento.

Como é o clima em Bogotá?

Em Bogotá você vai ter uma variação grande de temperatura e chuvas esporádicas. É como se fosse a “terra da garoa” colombiana, chegando a chover em mais da metade dos dias do ano. Pela altitude, é comum ter temperaturas mais baixas. Independente de quando você for, as noites costumam ser mais frias. Leve um casaco e uma jaqueta impermeável!

Como é o transporte na cidade?

A cidade de Bogotá não conta com metrô nem trens. Uma solução foi criar linhas de ônibus que cruzam a cidade toda e funcionam como se fossem estações de metrô, o TransMilenio. Para se locomover pela cidade recomendo usar o app Moovit, que mostra vários jeitos de chegar até o lugar de transporte público. Os táxis não costumam ser caros, mas é recomendado pedir por um aplicativo para não cair em golpes.

transporte em bogotá

Como levar dinheiro para a Colômbia?

Não é recomendado levar Real para a Colômbia. Se trouxer dinheiro físico, o ideal é dólar ou euro. Caso você tenha algum cartão internacional, é muito comum aceitarem cartões Visa ou Mastercard.

Para sacar com cartão internacional pela Wise, o banco Davivienda não cobra taxa, mas só te permite sacar 400 mil pesos por vez. Outra opção é fazer envios pela Western Union, empresa de remessa internacional que conta com muitas agências pela Colômbia.

Se você ainda não usa a Wise, recomendo! É uma ótima forma de usar dinheiro no exterior, com taxas menores que no cartão de crédito e sem surpresas na chegada da fatura. Com este convite, você abre sua conta online na Wise e ganha direito a uma transferência de até R$ 3 mil sem taxas.

o que fazer em Bogotá

Precisa de passaporte e visto?

Para brasileiros entrarem na Colômbia não é necessário visto, mas precisamos preencher um formulário online chamado CheckMig. De documento, você vai precisar ter um passaporte dentro da validade (6 meses antes de vencer já não é considerado válido para entrar no país) ou RG com menos de 10 anos de expedido e em bom estado.

Às vezes, os agendes de imigração pedem também uma passagem de saída do país, que pode ser de ônibus ou avião. Mesmo não sendo obrigatório, isso pode te dar dor de cabeça, então é bom providenciar se possível. Além disso, você vai precisar apresentar Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) de Febre Amarela, e atualmente também pedem o certificado de vacinação contra a COVID.

Onde ficar em Bogotá?

A região do centro histórico de Bogotá é onde está concentrada a maior parte das atrações turísticas que abordei aqui, então se hospedar em La Candelaria ou Santa Fé te deixa pertinho de quase tudo. Porém, se você gosta mais de vida noturna, a Zona Rosa ou Zona T é o ideal para você.

Ou então, se busca um bairro mais residencial, com parque por perto e muitos restaurantes, a região do Parque 93 é uma boa pedida. E se o seu estilo for algo mais descolado, artístico, residencial e tranquilo, dá uma conferida em outras partes de Chapinero, a área mais moderna da capital.

Para mais dicas, veja meu artigo completo sobre onde ficar em Bogotá, com sugestões de hotéis e albergues para cada perfil de viajante. Ou então veja aqui todas as opções de hospedagem em Bogotá e faça sua reserva online.

roteiro em Bogotá

Qual o melhor seguro-viagem para a Colômbia?

Como mencionei acima, a Colômbia não tem sistema público de saúde, então é importante ter um seguro para receber atendimento na rede privada sem custos extras caso você tenha algum acidente ou fique doente durante a viagem.

A escolha do melhor seguro-viagem para a Colômbia vai depender do orçamento que você tem disponível e do estilo da sua viagem. Se você pretende fazer atividades de aventura ou esportes radicais, por exemplo, é importante procurar um seguro que inclua cobertura pra acidentes durante a prática de esportes.

Outro ponto a se observar é o limite máximo de cobertura. No caso dos Estados Unidos, por exemplo, é recomendável procurar uma opção com cobertura de no mínimo 30 mil dólares, porque os valores cobrados por procedimentos médicos por lá costumam ser absurdamente altos. Já na Colômbia, se seu orçamento for mais apertado dá para fazer uma cobertura mais básica.

Vale lembrar, no entanto, que não adianta economizar uns poucos Reais contratando um seguro muito limitado e ter que arcar com os gastos extras caso aconteça algum imprevisto, né? Por isso, sempre comparo o que é oferecido em cada plano para avaliar o melhor custo-benefício. E além da cobertura médica, muitos seguros oferecem cobertura em casos como extravio de bagagem e voos atrasados.

Para encontrar um bom seguro-viagem, minha dica é usar um comparador de seguros. São plataformas online que reúnem no mesmo lugar as melhores opções de seguro-viagem oferecidas por diversas empresas com boa reputação. Assim, você consegue comparar os preços e as coberturas em poucos minutos.

Há muitos anos, eu uso o site Seguros Promo para fazer essa busca. Ele é bem fácil de usar e reúne a maioria das boas seguradoras que atuam no mercado brasileiro. Atualmente, você encontra lá os produtos de empresas como Universal Assistance (antiga Travel Ace), Coris, Assist Card, GTA, Affinity, Travel Care, ITA Tavel, Vital Card e Intermac. E clicando aqui você aplica automaticamente o cupom JANELASABERTAS15, que dá direito a 15% de desconto em qualquer plano escolhido. Dica extra: pagando por Pix, boleto ou transferência, você tem mais 5% off.

Para mais informações, leia o artigo aqui no blog sobre como fazer um seguro-viagem barato.

Texto por Lanna Sanches, criadora do Elas Viajam Sozinhas e viajante do continente latino-americano há 6 anos. Fotos por Lanna Sanches, cedidas para publicação no Janelas Abertas, e por Luísa Ferreira, editora do blog Janelas Abertas.

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário