Uruguai

O que fazer em Montevidéu: guia completo com dicas práticas

Uruguai | 17/08/22 | Atualizado em 31/08/22 | Deixe um comentário

Além de ser a principal porta de entrada pra quem visita o Uruguai, Montevidéu concentra metade da população do país. Ainda assim, às vezes nem parece uma capital. Tranquila e acolhedora, a cidade tem bons bares e restaurantes, praias de rio com agradáveis calçadões, parques, museus, livrarias maravilhosas e belos prédios históricos. Há quem pense que não tem tanto o que fazer em Montevidéu, mas não é verdade.

Aqui neste artigo, vou falar sobre as principais atrações turísticas de Montevidéu e alguns lugarzinhos especiais que descobri por lá, de bares a livrarias. Mas antes, vou compartilhar algumas dicas práticas pra sua viagem: quando ir, quanto tempo ficar, como levar dinheiro, como se deslocar, como ter internet no celular e quais as melhores regiões pra ficar.

Leia também: Roteiro pelo Uruguai para viagens de 3 a 10 dias e dicas de planejamento

Informações práticas para sua viagem a Montevidéu

Quando ir

Se você, assim como eu, mora numa parte do Brasil em que as estações não são muito definidas, é bom lembrar que em Montevidéu elas são, sim. A cidade tem clima temperado e muda bastante a depender da época do ano.

De dezembro a fevereiro é o auge do versão, com temperaturas máximas acima dos 25 graus, podendo passar de 30 em alguns dias, e mínimas a partir de 18. Chove pouco nessa época e costumam rolar eventos ao ar livre.

De março a maio é outono, então espere árvores com folhas secas e amareladas, pouca chuva e temperaturas amenas, geralmente entre 13 e 23 graus.

De junho a agosto é inverno, época em que só vale visitar Montevidéu se você não se importar com frio e chuva. Venta muito por lá e isso tende a deixar a sensação térmica ainda mais baixa que as temperaturas “reais” do inverno: o frio pode ser parecido com algo em torno de 2 graus Celsius, e as máximas não costumam passar de 15ºC. Essa é, também, a época mais chuvosa na cidade.

De setembro a novembro a primavera vai chegando, mas ainda segue frio, especialmente até outubro. Se quiser pegar o começo do calorzinho, viaje a partir de novembro, quando a mínima já fica por volta de 15ºC e as máximas lá pelos 22ºC, e a chuva vai diminuindo.

Estive lá na época ao redor do Natal e achei a temperatura muito agradável. À noite e em lugares mais ventilados, usei um casaquinho, mas no geral estava bem tranquilo.

praia em Montevidéu

Quanto tempo ficar em Montevidéu

Dá pra conhecer os principais pontos turísticos de Montevidéu em dois dias, mas recomendo ficar pelo menos três se quiser realmente curtir a atmosfera local.

A partir de lá também dá pra fazer alguns passeios de bate-volta para vinícolas e até mesmo para destinos como Punta del Este e Piriápolis, então vale programar uma estadia mais longa se puder. Há quem faça também bate-volta para Colônia del Sacramento, mas como é um pouco distante eu recomendaria dormir lá.

Como levar dinheiro para o Uruguai

A moeda usada no Uruguai é o Peso Uruguaio. É difícil encontra-lo à venda em casas de câmbio no Brasil, e quando existe, a cotação costuma ser ruim. Por isso, o ideal é viajar com Reais e trocar o dinheiro lá no Uruguai. É bem fácil fazer essa troca por lá.

Como de costume, nas casas de câmbio dos aeroportos a cotação é ruim, mas se chegar por via aérea você pode trocar só um pouco de dinheiro para as primeiras despesas, como pegar um ônibus até o centro.

No Centro de Montevidéu há várias casas de câmbio com cotação melhor, e na rodoviária Tres Cruces também achei boas opções. Na época da minha viagem (dezembro de 2021) no aeroporto a cotação estava a 7,15; na rodoviária, 7,40; e no centro, 7,50.

Em estabelecimentos turísticos em Montevidéu muitas vezes se aceita Reais ou Dólares, mas a cotação nem sempre é boa.

Ah, detalhe importante: em geral, usar cartão de crédito em viagens ao exterior não é um bom negócio, já que se aplica o IOF de 6,38%. No entanto, restaurantes e hotéis no Uruguai costumam dar 22% de desconto pra estrangeiros que paguem no cartão (correspondente ao IVA, imposto local). Nesse caso, compensa.

Transporte em Montevidéu

O sistema de transporte público em Montevidéu parece eficiente: dá pra ver as rotas dos ônibus no Google Maps e as pessoas costumam ser gentis e informar quando descer caso você esteja em dúvida. Também vi bastante gente andando de bicicleta por lá, e achei uma opção bem gostosinha.

A maior parte do seu roteiro em Montevidéu provavelmente vai ser feito a pé, se você se planejar pra conhecer os lugares que estão mais próximos uns dos outros. De resto, dá também pra usar táxi ou Uber. Achei as corridas de Uber bem caras por lá, mas o custo de vida da cidade é alto mesmo.

Chip de celular

Muitos lugares em Montevidéu têm wi-fi, mas se você quiser estar sempre conectado vale a pena comprar um chip de celular local.

Assim que cheguei na cidade eu fui até a rodoviária Tres Cruces comprar passagens de ônibus para meus outros destinos no Uruguai e aproveitei para passar no quiosque da companhia telefônica Movistar, que também tem lojas em outras partes de Montevidéu.

Bastou apresentar um documento e pedir chip com um pacote de dados de uma semana. Paguei 200 pesos (cerca de R$ 27) por um pacote de 36gb e depois fiz uma recarga numa espécie de lotérica no centro.

Seguro-viagem

Não é obrigatório contratar seguro-viagem para o Uruguai, mas recomendo. Só cidadãos uruguaios são atendidos gratuitamente nos hospitais de lá, então caso você fique doente ou sofra um acidente, vai ter que pagar.

Seguro-viagem é o tipo de investimento que a gente faz torcendo pra não precisar, mas posso atestar por experiência própria que é um grande alívio quando você tem algum problema e pode contar com o seguro.

Para comparar os preços e benefícios das melhores seguradoras do mercado e contratar o plano ideal para minhas necessidades, uso sempre o site Seguros Promo. Com o cupom JANELASABERTAS5 você ganha desconto no site, e pagando por boleto ou Pix economiza mais 5%.

Se quiser saber mais sobre o assunto, confira meu artigo sobre como funciona o seguro-viagem.

Onde ficar em Montevidéu

Eu me hospedei no Centro e gostei do custo-benefício e do fato de estar perto de quase tudo que me interessava, mas algumas regiões podem ser mais desertas, e por isso menos seguras. Fique atento aos comentários de hóspedes anteriores no site de reservas para avaliar isso.

Outros bons bairros onde se hospedar em Montevidéu são Punta Carretas e Pocitos, mais residenciais e de classe média/alta. Nessas regiões você não fica tão perto da maioria dos pontos turísticos e provavelmente vai pagar mais caro, mas tem uma ótima oferta de restaurantes, cafeterias e bares. Outro bairro de alto padrão com boas opções de hospedagem é Carrasco.

Veja aqui onde ficar em Montevidéu.

o que fazer em Montevidéu

O que fazer em Montevidéu

Agora que respondi às principais dúvidas de quem planeja uma viagem para a capital uruguaia, vamos às dicas de o que fazer em Montevidéu? A seguir, vou dar destaque às principais atrações turísticas da capital, mas antes devo confessar que o que mais curti por lá foi “brincar de uruguaia”.

Comer comidinhas típicas, como doce de leite, alfajor, chivitos e parrilla, provar o mate que eles carregam pra cima e pra baixo, explorar as feirinhas, tomar cervejas artesanais com pizza, me perder nos mercados, caminhar sem rumo, deitar num gramado, ver a vida passar sentada numa cafeteria charmosinha…

Senti que as pessoas usam bastante os espaços públicos por lá e adoro isso! Especialmente no final de semana vi muita gente passeando de bicicleta ou skate, jogando conversa fora na areia da praia e carregando uma cadeira de praia pra sentar num pedacinho de grama qualquer e tomar mate.

Recomendo fazer um roteiro lentinho para ter tempo de curtir um pouco desse estilo de vida tranquilo.

Boa parte das melhores atrações de Montevidéu fica na Ciudad Vieja, o centro antigo da capital. O ideal é visitar essa área em dia de semana, quando o comércio tá funcionando.

Plaza Independencia e Palácio Salvo

Um bom ponto de partida para seu roteiro por Montevidéu é a Plaza Independencia, que fica no fim da Avenida 18 de Julio, a principal rua do centro moderno da cidade, e no começo da parte antiga (Ciudad Vieja).

Ali você encontra o Monumento a José Artigas, uma estátua dedicada a esse general que é considerado o maior herói do Uruguai, por sua atuação nos movimentos pela independência. Embaixo dela fica um mausoléu com seus restos mortais.

Ao redor da praça ficam vários prédios históricos muito bonitos, com destaque pra o Palácio Salvo. Com 27 andares, esse edifício inaugurado em 1928 foi por um tempo o prédio mais alto da América Latina e é um dos principais cartões-postais de Montevidéu.

Minha parte preferida, no entanto, foram os jardins, onde um monte de gente aproveitava para tomar sol e brincar com cachorros.

Do outro lado da praça, a caminho da Ciudad Vieja, fica a Puerta de la Ciudadela. Esse é outro ponto turístico de Montevidéu bem conhecido, sendo uma réplica da porta que, no século 18, dava acesso à fortaleza militar construída pelos espanhóis para defesa da cidade murada.

plaza independencia

Teatro Solís

Logo junto de uma das esquinas da praça você vai ver o imponente Teatro Solís, inaugurado em 1856. Além de ser um prédio muito bonito, com fachada neoclássica, o teatro pode ser conhecido por dentro numa visita guiada, que não consegui fazer porque os horários não batiam com minha programação. Para compensar, aproveitei para tomar um café na bonita cafeteria que funciona por lá.

teatro solís

teatro solís

Plaza Constitución

A 5 minutinhos dali você chega na Plaza Constituición, a mais antiga da cidade. Ela é muito linda, cheia de árvores, e costumam se instalar por lá algumas barraquinhas de antiguidades.

praça constitución em Montevidéu

Café Brasilero

Em uma das ruas que saem da praça você encontra o Café Brasilero, histórico e aconchegante, com aquela cara de cafeteria “de antigamente” bem preservada.

Fundado em 1877, esse café era frequentado por personalidades uruguaias como Eduardo Galeano e Mario Benedetti. Nas paredes você encontra fotos e recortes de jornais antigos emoldurados.

Apesar de ser um ponto turístico, quando estive lá eu era a única pessoa que parecia ser de fora. Vi vários habitués fofos lendo os jornais que ficam na entrada. Achei o atendimento muito bom, as comidas deliciosas e fiquei com vontade de ser frequentadora também.

café brasilero

Rua Sarandí

Lembra da Puerta de la Ciudadela que mencionei lá em cima? Logo depois dela tem início a Calle Sarandí, uma rua só para pedestres. Ela é cheia de lojas e barraquinhas de artesanato, chimarrão e coisinhas aleatórias. Vale a pena caminhar por lá e observar o movimento!

calle sarandí em Montevidéu

Plaza Zabala

Nessa região você encontra mais uma praça, a Zabala, batizada em homenagem ao fundador de Montevidéu. Tem uma estátua dele bem no meio, andando a cavalo.

Libros Moebius

A uns dois minutinhos dali você encontra a Moebius, que não costuma a parecer em listas de o que fazer em Montevidéu, mas foi um dos lugares que achei mais especiais por lá. Ela é uma livraria e antiquário bem fofa, com itens peculiares e livros maravilhosos. Fiquei com vontade de comprar vários livros, mas os altos preços uruguaios me impediram.

Mercado del Puerto

Se você não tiver parado para comer no Café Brasilero, provavelmente estará com fome a essa altura do passeio. Aproveite, então para caminhar até o Mercado del Puerto, uma das principais atrações turísticas de Montevidéu. Inaugurado em 1868 em frente ao porto da cidade, o mercado abriga principalmente bares e restaurantes.

É um lugar bem turístico, mas também segue sendo frequentado por moradores. O mais clássico por lá é comer o famoso churrasco uruguaio (parilla). Em alguns dos restaurantes dá para ver as carnes sendo assadas e até mesmo sentar no balcão perto delas, levando fumaça, hehe.

Não venho comendo carne, mas abri uma exceção para provar o entrecôte no El Palenque, um dos melhores restaurantes por lá. Custou cerca de R$ 80 e veio bem servido; daria para dividir para duas pessoas com pouca fome. Achei bem gostoso!

mercado del puerto - visão externa

mercado del puerto em Montevidéu

Alfajores de Uruguay

Juntinho do mercado, fica outro lugar muito turístico, mas que achei que vale a visita: a loja Alfajores de Uruguay tem alfajores nos mais variados sabores, bem bonitos. É uma boa opção tanto para comer no local quanto para levar para casa. Provei um tradicional, com chocolate meio amargo, e adorei. Custou cerca de R$ 10.

loja Alfajores de Uruguay em Montevidéu

Feira de Tristán Narvaja

Outro lugar bem turístico, que costuma aparecer em todas as dicas de o que fazer em Montevidéu, é a Feira de Tristán Narvaja, realizada há muitos anos na rua de mesmo nome. Ela acontece aos domingos, das 9h às 16h, e mistura frutas, verduras, itens de camelô e um pouco de artesanato e antiguidades.

feira tristán narvaja

feira tristán narvaja

Não é das feirinhas mais interessantes que já visitei, mas se estiver na cidade num domingo vale a pena dar uma passada lá. Além da feira em si, no percurso onde se instalam as barraquinhas você pode visitar várias livrarias e sebos e alguns antiquários.

O Babilionia Libros é um deles: já tinha visto muito esse sebo no Instagram e realmente tem alguns ângulos fotogênicos, mas na real não achei assim tão interessante. Por outro lado, adorei descobrir por acaso a livraria Guyunusa, com livros ilustrados belíssimos e ótimos títulos sobre feminismo e outros temas.

sebo Babilonia em Montevidéu

Na feira tem também algumas barraquinhas de comida uruguaia e de outros países, como Venezuela. Mas acho mais interessante caminhar por 10 minutos até o Mercado Ferrando.

Mercado Ferrando

Se você gosta de mercados gastrô descoladinhos, uma das melhores coisas para fazer em Montevidéu é visitar o Mercado Ferrando, que funciona num galpão art-déco onde funcionava uma fábrica de móveis. Eles usam a tipografia original, bem linda, e o espaço é bem gostoso.

Lá você encontra vários pequenos restaurantes com gastronomia bem variada: tacos, poke, indiano, húngaro, filipino, hambúrguer, churros, waffles, cafeteria, utensílios de cozinha, vinhos, especiarias, cervejas artesanais, livros…

mercado ferrando

mercado ferrando

Livraria Escaramuza

A poucos minutos do Mercado Ferrando fica outro pequeno tesouro de Montevidéu: a Escaramuza Libros é uma ótima livraria e tem um café no pátio dos fundos com ambiente bem gostoso, cheio de plantas.

Achei as opções de comida meio sem graça, se limitando a pãezinhos, bolos e biscoitos, mas vale a pena tomar um café e folhear um livro, além de dar uma olhada na programação de eventos culturais do espaço.

escaramuza libros em Montevidéu

Parque Rodó

A cerca de 1km dali fica o Parque Rodó, um dos principais parques de Montevidéu, no bairro de Punta Carretas. O parque é bem grande e tem parque de diversões, lago com pedalinhos, cassino, anfiteatro e outras “atrações”.

Nos finais de semana, costuma ficar bem concorrido, como é de se imaginar. E aos domingos também acontece uma feirinha por lá, geralmente das 9h às 15h. Nessa, encontrei principalmente roupas, sapatos e acessórios, e em muitas barraquinhas achei os preços similares aos do Brasil.

Museu de Artes Visuais, cafeteria e restaurante

Ali no parque fica também o Museu Nacional de Artes Visuais, que tem entrada grátis e uma exposição permanente de artistas uruguaios. Pessoalmente não curti tanto, mas gostei das obras de artistas contemporâneos que estavam expostas numa sala menor.

museu em Montevidéu

museu em Montevidéu

Bem na entrada do museu fica a cafeteria The Lab Coffee Roasters, com ambiente bem gostosinho (e comidas mais ou menos, na minha opinião). Um bom lugar para fazer uma pausa e tomar um café com qualidade melhor do que a média do que você vai encontrar na cidade.

cafeteria em frente ao museu

Ali nos arredores você encontra também alguns outros bares e restaurantes. Almocei no De Toque y Toque e gostei muito – comi um Pad Thai por uns R$ 35 e tomei um chai indiano por R$ 20.

Playa Ramírez

Em frente ao Parque Rodó fica a Playa Ramírez, que não é das melhores para banho, mas é um lugar legal para ver o pôr do sol. Em frente à ela ficam alguns bares bem animados à noite. Parei para descansar e tomar um smoothie de morango num bar chamado Lisa, que tem espaço para shows.

Plaza de los Pocitos

Outra praia mais legal em Montevidéu é a Los Pocitos, no bairro de mesmo nome. Além de tomar um banho no Rio de la Plata ou tomar um solzinho, caso você esteja por lá no verão, vale simplesmente curtir uma preguicinha ou observar os montevideanos.

Aproveitei para tomar uma cerveja uruguaia e comer um brownie com doce de leite delicioso numa cafeteria em frente à praia, a Rossler.

em Montevidéu - praia no entardecer

Caminhada pelas Ramblas

Depois, fui fazer um dos mais tradicionais passeios em Montevidéu: caminhar pela Rambla de República del Perú, uma das mais famosas Ramblas, como eles chamam as avenidas à beira do rio. Adorei observar as pessoas, os prédios, crianças jogando futebol num campinho e até mesmo uma escola de samba que começou a se apresentar na avenida.

o que fazer em Montevidéu - início da noite nas ramblas

Museus de Montevidéu

Meu roteiro em Montevidéu foi mais flâneur que propriamente turístico, então deixei de fora a maioria dos museus da cidade, mas existem boas opções – a maioria na Ciudad Vieja. Na minha próxima visita, quero conhecer o Museu do Carnaval, que fala sobre essa festividade muito importante por lá – são cerca de 40 dias de festa, com candombe e outros ritmos.

Outras opções interessantes são o Museu de Arte Pré-Colombino e Indígena, que abriga um acervo arqueológico e etnográfico dos povos originários da América, e o Museu de Artes Decorativas, com uma coleção europeia de pinturas, esculturas, mobiliário e tapeçarias.

Você também pode conferir o Museu Histórico Nacional e o Museu Torres García, que é dedicado a esse importante artista uruguaio que criou um movimento artístico conhecido como Universalismo Construtivo.

Ah, tem também o peculiar Museu Andes 1972, que conta a história da queda de um avião com 45 passageiros nos Andes, em 1972. Foi um fato chocante, já que apenas 16 dos passageiros sobreviveram por 72 dias, vivendo uma situação extremamente desafiadora.

Estádio Centenário

Se você for fã de futebol, certamente não vai deixar de fora do seu roteiro por Montevidéu uma visita ao Estádio Centenário, sede da primeira Copa do Mundo de Futebol, em 1930. Ele fica no bairro Parque Battle, um pouco mais afastado, então acabei não indo lá.

Para quem curte, vale conferir o estádio em si e também visitar o Museu do Futebol, que funciona lá e conta a história dos títulos da Seleção Uruguaia e dos principais clubes de futebol do país.

Vinícola perto de Montevidéu: Bodega Bouza

Se em vez de fã de futebol você for amante de vinhos, a dica final sobre o que fazer em Montevidéu é um bate-volta: a Bodega Bouza é uma vinícola familiar a 20 km do centro da capital, com visitas guiadas gratuitas.

Fui de Uber até lá e achei o preço do trajeto salgado (mais de R$ 100), mas o passeio guiado, que dura cerca de 1 hora, é interessante. Passamos pelos vinhedos, adega e também por uma coleção de carros antigos da família.

Você pode reservar o tour online, além das opções de degustação e almoço com harmonização (que obviamente são pagas, hehe).

bodega bouza

barris de vinho na bodega bouza

o que fazer em Montevidéu - mapa da vinícola Bouza carros antigos na bodega bouza, próxima a Montevidéu

Curtiu essas dicas de o que fazer em Montevidéu? Ficou com alguma dúvida? Fala aí embaixo nos comentários!

 

 

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário