Aprendizado e trabalho

O que fazer nas férias sozinha: 14 ideias em casa ou viajando

Aprendizado e trabalho | 17/11/22 | Atualizado em 22/11/22 | Deixe um comentário

Procurando ideias do que fazer nas férias sozinho(a)? Que bom que você chegou neste texto. Eu costumo curtir boa parte das minhas férias sem companhia, e sempre é uma delícia! Vou reunir aqui uma série de sugestões pra você aproveitar o período de folga do trabalho, seja em casa ou viajando por aí.

14 ideias do que fazer nas férias sozinho

1. Descansar

Imagino que você esteja buscando sugestões de atividades pra fazer nas férias, e não um simples “deite na rede e curta”, né? Mas achei importante começar por esse ponto.

Infelizmente, vivemos hoje numa “sociedade do desempenho”, como argumenta o filósofo coreano Byung-Chul Han no livro Sociedade do Cansaço.

Segundo o autor, ao contrário do que acontecia na anterior “sociedade da disciplina”, em que a cobrança era predominante externa, hoje a vontade de ser mais produtivos está internalizada em nós. Nos tornamos “empreendedores de nós mesmos”. E, assim, dificilmente nos permitimos descansar sem culpa.

Ao decidir o que fazer nas férias sozinho, é provável que você pense logo em formas de usar esse tempo pra fazer o que não conseguiu durante o ano, se enchendo de atividades ao ponto de voltar ao trabalho ainda mais cansado.

Os itens a seguir vão ser, sim, sugestões de projetos, atividade e passeios que podem ser muito gostosos e proveitosos, além de estimular áreas da vida que nem sempre têm espaço na rotina corrida. Mas antes de mais nada, fica uma recomendação (que também serve pra mim): cuidado pra não se ocupar demais. Você não precisa ser uma pessoa produtiva nas férias!

2. Experimentar um novo hobby

Durante a pandemia, muita gente começou a praticar novos hobbies como forma de evitar o tédio. Nas férias, também pode ser muito gostoso começar ou se aprofundar em uma atividade nova.

Pense no que você já curte fazer, mas considere também experimentar coisas que nunca imaginou tentar. Mesmo se acreditar que não vai ser bom naquilo, vale a pena começar só pelo prazer. Afinal, o processo é muito mais importante que o resultado! Mas aviso: talvez você se surpreenda com o que é capaz de fazer. ;)

Algumas ideias: cozinhar, tocar um instrumento, cantar, desenhar, pintar, fazer jardinagem, bordar, escrever poesia, fotografar, aprender um novo idioma, começar uma coleção, fazer crochê, tricô, cerâmica…

Se a ideia é experimentar, não é preciso fazer investimentos altos em cursos ou materiais. Consiga emprestado o que for possível, improvise ou comece com as versões mais baratas. E busque aulas gratuitas no YouTube ou opções baratinhas como os cursos da Domestika.

Eu aprendi a pintar com aquarela, técnicas mistas e guache e estou agora aprendendo bordado com aulas da Domestika e super recomendo. Os cursos custam a partir de R$ 25 e são muito bem feitos e gostosos de assistir. Eles sempre têm um projeto prático pra você terminar as aulas já tendo criado algo concreto. Acho muito legal.

Tem opções de várias áreas, tipo artesanato, caligrafia e tipografia, ilustração, música e áudio, fotografia e vídeo, escrita… Vale dar uma olhada lá no site!

começar um novo hobby é uma boa forma de passar as férias sozinho

3. Brincar de turista na sua própria cidade

Quer se sentir viajando, mas não tá podendo ou querendo viajar de fato? Sem problemas! Já publiquei aqui no blog um artigo com um mini guia para ser turista na sua própria cidade.

Em resumo, minhas dicas são:

  • Pesquise sobre lugares e passeios turísticos ou simplesmente diferentes do que você costuma fazer no dia a dia;
  • Se possível, encontre parceiros de aventura pra te dar aquele empurrãozinho, mas não se acanhe de ir dar rolês por conta própria;
  • Deixe de lado a vergonha de “parecer turista”: vá nos lugares bem turísticos mesmo, se der vontade;
  • Exercite encarar tudo como se fosse a primeira ou a última vez: use a imaginação pra pensar como você se sentiria se tivesse acabado de chegar na cidade, ou se estivesse prestes a ir embora por um longo período e estivesse se despedindo dali;
  • Separe um tempo na agenda pra isso, como faria se estivesse viajando. Muitas vezes não conhecemos tão bem o lugar onde moramos porque está tudo sempre ali, então deixamos pra depois.

4. Viajar sozinho como turista

Outra opção maravilhosa do que fazer nas férias sozinho é viajar, é claro! Se você nunca viajou só, talvez esse seja o momento. Eu AMO explorar o mundo na minha própria companhia. Se você tem curiosidade de experimentar, recomendo demais.

Se estiver precisando de um incentivo, olha só esses 6 bons motivos pra viajar só:

  1. Conhecer gente nova (fiz alguns dos meus melhores amigos da vida assim!)
  2. Ter a liberdade de fazer seus próprios planos (e mudá-los quando der vontade)
  3. Superar medos (a sensação de se orgulhar das próprias conquistas é uma delícia)
  4. Aguçar os sentidos (viajando sozinha, fico muito mais atenta a tudo que está a meu redor)
  5. Se conhecer melhor (sair da zona de conforto nos mostra muito sobre nós mesmos)
  6. Poder ser quem você quiser (longe das expectativas de quem já te conhece, é muito mais fácil explorar suas potencialidades e desejos)

Se animou? Então leia os artigos que escrevi com 15 dicas para começar a viajar só e 14 dicas para aproveitar sua companhia viajando só. Veja também todos os meus textos sobre viagem solo.

por que não viajar nas férias sozinha?

5. Fazer um voluntariado viajando

Pra quem quer viajar sozinho, mas ter já uma garantia de que vai ter companhias, uma ótima solução é fazer um voluntariado. Através de plataformas como a Worldpackers você encontra anfitriões que buscam voluntários temporários pra ajudar com tarefas do dia a dia em troca de hospedagem gratuita e outros benefícios, como refeições e passeios.

Já viajei assim três vezes e foram algumas das melhores experiências da minha vida. Dá pra voluntariar em hostels, pousadas, projetos ecológicos, ecovilas, ONGs, entre outros tipos de lugares pelo Brasil e pelo mundo. As tarefas são bem variadas, desde colaborar com permacultura ou cuidar de animais resgatados a receber hóspedes ou arrumar camas.

Existem vagas que aceitam viajantes por apenas alguns dias ou uma semana, mas você também pode ficar um mês inteiro ou até mais. É como fazer um pequeno intercâmbio, só que muito mais em conta que viajando por uma agência. E dá pra começar pertinho de casa!

Na maioria das oportunidades de voluntariado você vai ter a chance de fazer muitos amigos, sejam eles seus anfitriões, outros voluntários, hóspedes ou moradores do lugar. É como “brincar de morador”, criando uma rotina e vivendo uma imersão cultural mais profunda no destino do que alguém que tá só de passagem.

Você pode conferir as vagas no site da Worldpackers gratuitamente, e se quiser se inscrever pra uma ou mais vagas, paga apenas 49 USD pelo ano inteiro, ou 39 USD se usar meu cupom de desconto JANELASABERTAS.

Pra saber mais, veja a página onde reuni todos os meus artigos sobre work exchange, como é chamado esse tipo de voluntariado.

você pode voluntariar nas férias

6. Voluntariar na sua própria cidade

Mas é claro que você não precisa viajar pra fazer trabalho voluntário. Especialmente se você estiver buscando uma experiência de voluntariado com fins sociais e ambientais, não tem nada melhor do que começar onde você vive. Assim você não tem que superar barreiras culturais pra dar sua colaboração e pode ajudar de forma mais consistente.

Com certeza existem instituições na sua cidade que precisam de ajuda, e passar as férias sozinho pode ser uma boa oportunidade pra fazer essa pesquisa e uma primeira aproximação.

Sempre que possível, busque contribuir com algo que você esteja capacitado pra fazer, lembrando que o objetivo maior é trazer valor pra o projeto, e não simplesmente aliviar sua consciência.

7. Começar um “projeto paralelo”

Outra ideia do que fazer nas férias sozinho é dar o start pra aquele projeto paralelo que você sempre disse que começaria um dia.

Mas qual a diferença desse termo pra “hobbies”? Em geral, se considera que hobby é algo que você faz pra si mesmo, enquanto um projeto paralelo requer uma dedicação maior e gera um produto final, que pode ser oferecido a outras pessoas.

Eu já tive vários projetos paralelos ao meu trabalho principal. Esse blog aqui começou assim, até virar minha empresa. E aí criei outros projetos paralelos a ele, como uma pequena marca de colagens manuais.

Leia também: Como criar e monetizar um blog de viagens

Gosto da ideia de projetos paralelos porque eles nos permitem entregar pra o mundo algo de valor, ter muita liberdade pra experimentar coisas novas, conhecer pessoas interessantes, desenvolver habilidades, se conhecer melhor, exercitar a criatividade… E, se bobear, abrir novas portas e acabar criando o emprego dos seus sonhos, como aconteceu comigo. :)

Curtiu a ideia? Leia meu artigo completo sobre por que criar um projeto paralelo.

8. Encontrar ou ligar pra pessoas queridas

Mesmo que você não tenha nenhum amigo ou parente de férias no mesmo período que você, ainda é possível aproveitar esse tempo em boas companhias.

No dia a dia, muitas vezes ficamos naquele eterno “vamos marcar” e não conseguimos alinhar as agendas pra tomar um café ou uns drinques com pessoas queridas. Quando você está de férias, fica mais fácil ajustar os seus horários aos das pessoas que você quer encontrar.

Chame amigos pra fazer alguma coisa nas brechas do trabalho, telefone pra pessoas especiais que moram longe… Curtir a própria companhia é uma delícia, mas compartilhar bons momentos, mesmo que curtos ou virtuais, também é maravilhoso.

9. Acabar com a pilha de livros pra ler

É daqueles que não aguentam esperar terminar todos os livros que têm antes de comprar novos, ou que alimentam uma lista infinita de títulos pra ler? Aproveite o tempo das férias sozinho pra curtir todos esses livros!

Uma das coisas que mais gosto na vida é ter um ou mais dias inteirinhos sem compromissos ou horários, pra tomar café da manhã com calma e passar o resto do tempo na companhia de um livro gostoso. Alterne entre ler na cama, no sofá, na rede, num parque, na praia… Ê, delícia!

aproveite as férias para atualizar as leituras

10. Fazer SPA ou ir num retiro –  “de verdade” ou em casa

Caso o orçamento permita, uma boa dica do que fazer nas férias sozinho é passar um tempo num SPA ou num retiro de yoga, meditação ou alguma filosofia que te chame atenção. Buscando na internet você provavelmente vai encontrar algumas opções perto de casa.

Mas se não tiver como pagar ou se deslocar, ou se as datas não derem “match” com nenhum programa interessante, sem problemas: crie sua própria experiência de SPA ou de retiro em casa. ;)

Você pode fazer um “dia de beleza”, com direito a hidratação capilar, máscara de argila no rosto, automassagem, escalda-pés, músicas relaxantes, manicure… Ou passar um ou mais dias off-line e criar pra si mesmo uma programação que envolva diferentes tipos de meditações, práticas de yoga, leituras ligadas à espiritualidade ou rituais que ressoem em você.

11. Praticar esportes

Se você, assim como boa parte dos seres que vivem em ambientes urbanos com rotinas corridas, sente que precisa mexer mais o corpo, as férias são uma boa hora de começar. Aproveite o tempo livre pra experimentar diferentes atividades!

Você pode fazer aulas experimentais de um esporte ou dança que nunca praticou, ou que não pratica faz tempo. Ou então buscar grupos perto da sua casa que façam a atividade regularmente. Quem sabe você não aproveita o empurrão inicial e dá um jeito de manter o hábito depois das férias?

12. Fazer cursos online

Outra coisa muito comum nas vidas corridas de hoje em dia é comprar cursos online e esquecer de fazê-los, ou não encontrar tempo pra isso. Se estiver passando as férias sem companhia, você pode aproveitar o tempo pra recuperar esses acessos e assistir às aulas que mais lhe interessarem.

Caso não tenha comprado os cursos ainda, recomendo mais uma vez que você dê uma olhada na Domestika, que mencionei quando falei de hobbies. Também vale conferir meu artigo sobre cursos online gratuitos.

13. Adotar o hábito de escrever

Esse item poderia estar lá no começo, na parte de “hobbies”, mas sou tão fã da prática que achei que merecia um tópico à parte. O hábito da escrita é, pra mim e muita gente que conheço, transformador.

Eu sou escritora e jornalista e gosto de praticar a escrita literária, com foco na qualidade do texto, mas escrever vai muito além disso. Manter um diário, por exemplo, é uma ótima ferramenta de autoconhecimento.

Pra começar o hábito, uma dica é experimentar as “páginas matinais”. Essa prática, apresentada pela escritora Julia Cameron no livro “O caminho do artista”, consiste basicamente em escrever à mão algumas páginas (ela propõe 3), assim que acordar, seguindo seu fluxo mental.

A ideia é escrever sem pensar muito e sem se preocupar com a qualidade do texto, ou mesmo seu sentido lógico. Coloque no papel o que vier à cabeça, de forma espontânea e sem autocensura, fazendo uma espécie de “faxina mental”.

Eu só consegui passar cerca de um mês com o hábito certinho, mas incorporei à rotina a prática de escrever um pouco quase todos os dias. Acho essa experiência muito valiosa, porque através da escrita a gente se conecta mais aos nossos sentimentos, desejos e incômodos.

Podem surgir daí alguns bons insights pra sua vida pessoal ou profissional, ou simplesmente mais “espaço mental” pra dedicar a outras coisas durante o dia, depois de despejar no papel aquelas noias que ficam no fundo da nossa mente. Seja como for, recomendo muito!

14. Maratonar filmes e séries

Por fim, uma dica meio óbvia: aproveitar as férias pra ver vários filmes e séries, como uma boa “batata de sofá”, como se diz em inglês. Não recomendo passar um mês inteiro assim, porque é legal espairecer, mover o corpo e exercitar o cérebro, mas é claro que passar umas boas horas consumindo entretenimento também é uma delícia.

Peça recomendações de bons filmes ou séries pra seus amigos ou familiares, faça uma listinha e, se precisar, assine por um mês alguns serviços de streaming. Aproveite!

E aí, curtiu essas sugestões de atividades para as férias sozinho? Tem outras ideias a acrescentar? Me conta nos comentários!

Crédito das fotos que ilustram o artigo: Pexels e Unsplash (Creative Commons – Direitos de uso liberados) e Luísa Ferreira/Janelas Abertas

Fazendo seu cadastro na Worldpackers ou comprando cursos da Domestika pelos links do post, o Janelas Abertas ganha uma pequena comissão que me permite trazer cada vez mais conteúdo e você não paga nada a mais por isso. Transparência é um valor fundamental por aqui. Leia mais sobre as políticas de monetização do blog.

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário