Viagem pra Dentro

15 dicas para começar a viajar só

Viagem pra Dentro | 04/11/18 | Atualizado em 09/11/18 | 2 comentários

Muita gente me pergunta como começar a viajar só. Não existe uma fórmula exata, tipo um passo a passo fechadinho que sirva pra todo mundo e garanta que sua viagem vai ser perfeita. Mas existem, sim, algumas dicas que você pode seguir pra facilitar essa iniciação no maravilhoso mundo das viagens solo.

Se você tem medo de viajar só, é importante lembrar: o primeiro passo é sempre o mais difícil, mas é o único jeito de alcançar o segundo. E quando você se acostumar com o caminho, o maior risco vai ser querer aproveitar qualquer dia livre pra cair na estrada, sem esperar a companhia de ninguém. :)

dicas para começar a viajar só

15 dicas para começar a viajar só

1. Treine na sua cidade

Tem quem sinta medo de viajar só, mas consiga simplesmente mandar o medo pras cucuias, comprar uma passagem e se jogar pra o outro lado do mundo. Se esse não for seu caso, não tem problema: é só ir começando no nível easy e progredindo aos poucos.

Se você não tem coragem nem de ir jantar só, que tal começar fazendo isso? Faça um teste na sua própria cidade, indo pra algum passeio ou restaurante por conta própria. Depois, faça um bate-volta pra algum lugar perto de onde você mora, ou vá passar um final de semana num lugar próximo e que você já conhece. Celebre cada conquista e vá aumentando o nível do desafio no seu ritmo.

2. Procure grupos

Viajar sozinho não significa necessariamente passar a viagem toda só. Na verdade, isso dificilmente acontece: costuma ser bem fácil fazer amigos quando você tá viajando sem companhia. Mas se você quiser garantir, uma ótima opção é começar viajando com grupos.

Pode ser um pacote completo, que inclua saída da sua cidade, hospedagem, refeições e tudo o mais – seja ele oferecido por uma agência tradicional como uma CVC da vida, ou por um esquema mais independente, como as expedições de Patchinpixels.

Mas pode, também, ser um pacote que inclua só os passeios. Quando fui pra Chapada Diamantina sozinha, por exemplo, programei a viagem toda por conta própria, mas pra os tours a partir de Lençóis contratei um pacote com uma agência local. Assim, eu já sabia que ia ter uma galera junto comigo. E foi massa!

passeios em grupo são uma bota opção para quem vai começar a viajar só

3. Escolha destinos fáceis

É super enriquecedor conhecer destinos muito diferentes do lugar de onde viemos, e é massa visitar lugares não explorados pelo turismo de massa. Só que isso também costuma ser mais desafiador.

Se você não sente 100% de segurança pra começar a viajar só, não precisa começar com um tratamento de choque. Não tem que ir, por exemplo, pra um país onde ninguém fala sua língua nem usa seu alfabeto, ou com tradições culturais completamente distintas das nossas.

Por que não começar escolhendo lugares mais fáceis? Opte por cidades com boa estrutura pra turismo, fácil acesso, onde você fala o idioma e entende a cultura. Ou mesmo, se preferir, onde tenha algum conhecido pra ajudar em caso de problemas.

Nosso Brasilzão, por exemplo, abriga maravilhas pra todo tipo de turista. E se quiser sair do país e desenrolar um portunhol, vale conferir polos turísticos de países como Argentina, Chile e Peru, que são bem amigáveis pra brasileiros.

A Europa ocidental também é uma boa, já que não há um choque cultural muito grande, a infraestrutura costuma ser ótima e os níveis de segurança também. Países como Estados Unidos e Canadá também oferecem muitas facilidades pra os turistas, e suas principais cidades são cheias de brasileiros (caso isso te reconforte).

Leia também:
6 bons motivos para viajar só
8 desvantagens de viajar só e como lidar com elas
Carta pra mulheres que têm medo de viajar sozinhas

4. Entenda o que você quer

Vejo muita gente perguntando em grupos do Facebook: “tenho x dias de férias e moro em tal cidade. Aonde devo ir?”. Eu entendo que esse mundão é gigante e é difícil escolher, mas só quem pode determinar aonde você deve ir é você mesmo.

Uma viagem solo é algo muito pessoal. É como um presente ou um gesto de carinho que você dá pra si mesmo. E é também uma chance de fazer tudo do seu jeito, sem negociar nada com ninguém. Por isso (e pra aumentar as chances de que você se sinta confortável sozinho e curta a experiência) é importante escolher um estilo de viagem que combine com você e com seu momento de vida.

Tá querendo paz e tranquilidade, ou tá procurando agito? Faz questão de conhecer pessoas ou tá tranquilo com a ideia de ficar só? Quer contato com a natureza e introspecção ou prefere estar numa cidade grande com muitas atividades pra se distrair? Leve tudo isso em consideração antes de escolher um destino.

O fato de sua tia, colega de trabalho ou amiga do Instagram ter amado um lugar não garante que ele seja interessante pra você!

passeio de barco viajando só em ilha grande

5. Pesquise

Viver momentos espontâneos e não se prender demais a roteiros pode tornar sua viagem incrível, mas isso não exclui a importância do planejamento. Não dá pra controlar tudo, mas especialmente pra quem vai começar a viajar só, acho legal tentar reduzir riscos e aumentar a sensação de segurança.

A informação é a melhor arma de qualquer viajante pra evitar cair em roubadas e aproveitar ao máximo o tempo passado fora. Converse com quem já foi pra o destino ou mora lá, leia guias e blogs.

Procure saber quais são os bairros mais interessantes e seguros pra se hospedar, como andar de transporte público, que atrações você quer visitar, que lugares e situações deve evitar, como trocar dinheiro etc. Se for pra o exterior, tente aprender o basicão da língua local, ou pelo menos anotar frases importantes.

6. Se organize

Sempre acho bom ser organizado na hora de viajar, mas quando tou sozinha tomo um cuidado extra com isso, pra minimizar possíveis problemas. Reservo os hotéis e passagens com antecedência e imprimo os comprovantes de reservas, do seguro viagem, meu roteiro, endereços, instruções pra ir do aeroporto à hospedagem…

Tenha também cópias dos seus documentos e uma versão deles na nuvem, pra facilitar caso (deusolivre) você os perca ou seja roubado. E se a viagem for internacional, dê uma olhada nesse check-list de coisas a fazer antes de embarcar.

7. Faça seguro viagem

Se for pra o exterior, não deixe de contratar um seguro viagem, caso esse serviço não seja oferecido pelo seu cartão de crédito. Não saio do país sem seguro mesmo quando tou acompanhada, mas sozinha acho imprescindível.

Afinal, não vai ter ninguém do seu lado pra cuidar de você se der alguma bronca, como uma indigestão, gripe forte ou (deusolivre) algo mais complicado.

Leia direitinho a apólice do seguro contratado, veja como entrar em contato com a empresa caso necessite acionar o seguro e guarde essas informações de contato sempre com você, sejam impressas ou online.

Leia também:
Como contratar seguro viagem com desconto
Seguro viagem é realmente necessário?
Como funciona o seguro viagem: tire suas dúvidas

8. Pegue leve na bagagem

Outra dica que vale pra qualquer viajante, mas é especialmente importante pra quem vai começar a viajar só, é se esforçar pra não levar muita bagagem. Qualquer que seja o período que você vá passar fora, não é preciso levar roupa pra mais de uma semana, já que dá pra repetir alguns itens e lavar outros. E com uma mala ou mochila pequena e leve, fica muito mais fácil se deslocar e manter controle sobre seus pertences.

Vale lembrar que pessoas simpáticas podem até oferecer ajuda pra guardar sua mala pesada no compartimento do trem, mas também é possível que você precise se virar só. Pense duas vezes antes de incluir aquele sapato extra na mala!

viajante com mochilão

Leia também:
O que levei no mochilão para passar quatro meses na Europa
O que levei no mochilão para dois meses de viagem

9. Leve distrações

Pra algumas pessoas, não ter com quem conversar pode gerar momentos de tédio. Se for seu caso, um pequeno arsenal de itens pra entretenimento pode ajudar na hora de começar a viajar só.

Música e fones de ouvido, livros, revistas e um tablet ou app da Neflix com filmes ou séries podem ser bem úteis. Pra quem gosta de escrever, um bloco ou caderninho pode ser uma ótima companhia.

Em momentos em que eu tava viajando só e fiquei meio pra baixo por alguma razão, o combo bom livro + música + caderninho sempre me ajudou muito.

10. Hospede-se em lugares legais

Ao viajar só, me preocupo mais do que nunca com a localização da hospedagem: sempre olho mapas e os reviews de antigos hóspedes pra ver se o lugar fica numa região segura e com fácil acesso a outras partes da cidade.

Além disso, quando quero conhecer gente dou preferência a albergues, onde normalmente você encontra outras pessoas viajando sozinhas, grupos que também tão a fim de socializar e opções de passeios tipo free walking tours e pub crawls.

Caso você não curta a ideia de dividir o quarto com desconhecidos, vale ficar num quarto individual e aproveitar as áreas comuns pra socializar. Muitos albergues oferecem essa opção.

Leia também:
Albergues para iniciantes: tudo que você precisa saber

albergue em curitiba

11. Procure outros recursos pra fazer amigos

Além de albergues, existem muitas outras formas de conhecer pessoas viajando só, caso isso não aconteça naturalmente. O app do Couchsurfing, grupos no Facebook, tours guiados e cursos são minhas preferidas, mas falei aqui sobre outras formas de conhecer viajantes e moradores do lugar.

12. Prepare-se pra lidar consigo mesmo

Mas e se mesmo seguindo todas as estratégias possíveis, você não conseguir fazer amigos? E se acabar passando a viagem inteira só? Vou te contar um segredo: não tem nada de errado com isso.

Um medo que costuma ser mencionado por muita gente que quer começar a viajar só é o fato de ter que lidar com a própria companhia 24 horas por dia. Muita gente tem pavor de ficar só com os próprios pensamentos, seja porque isso pode despertar emoções negativas ou por tédio mesmo.

Caso esse medo seja muito grande, sugiro fazer terapia pra entender as razões por trás dele. Mas no geral, acho importantíssimo entender que estar só não é sinônimo de sentir solidão.

Encare esse tempo só pra você como um privilégio. Uma oportunidade de organizar os pensamentos, entender o que você realmente quer, tomar decisões sem precisar fazer concessões.

Uma das partes mais legais das viagens solo é aprender a gostar da própria companhia, se conhecer melhor e se sentir bem consigo mesmo. Nem sempre é fácil, mas é daqueles aprendizados que a gente leva pra vida. Muito melhor do que qualquer souvenir!

Leia também:
O que fazer viajando só: dicas pra aproveitar a própria companhia

viajando sozinha pelo méxico

13. Prepare-se pra lidar com a saudade

Outro receio comum pra quem quer começar a viajar só é sofrer com saudades de casa e das pessoas queridas. Especialmente pra quem tem filhos pequenos ou um(a) companheiro(a), a saudade pode bater forte em alguns momentos, sim.

Felizmente, hoje em dia isso é superfácil de atenuar, com Whatsapp, Skype, e-mail, Facebook e tantas outras maravilhas da tecnologia.

Mas lembre-se que você viajou justamente pra ir pra um lugar diferente, experimentar coisas novas e conhecer outras pessoas. Por isso, tente não ficar tão apegado à sua casa e focar mais no que tá vivendo no momento.

A viagem vai passar rápido e tudo vai estar mais ou menos do mesmo jeito quando você voltar. Ah, e matar as saudades na volta é uma delícia!

14. Se ligue na segurança

De certa forma, quem viaja só tá mais exposto a certos riscos – especialmente mulheres. Mas pode acreditar: apesar do que o noticiário parece indicar, tem muito mais gente boa do que ruim nesse mundo. Sem falar que muitas vezes corremos mais perigo em nossas próprias cidades, né?

A maioria das dicas de segurança pra quem viaja só é questão de bom senso: evitar andar só de madrugada, exagerar na bebida ou drogas, sair mostrando coisas de valor pra deus e o mundo, deixar o drinque abandonado e voltar a beber do mesmo copo depois, chegar em um lugar desconhecido tarde da noite… E, é claro, ter sempre muita atenção com seus pertences, especialmente o passaporte (que deixo sempre no cofre ou na doleira).

Uma prática legal é enviar seu roteiro a alguém de confiança antes de viajar, ou pelo menos informar onde vai se hospedar e mandar notícias de vez em quando. Também é bom ter algum dinheiro extra pra emergências; por exemplo, se você se perder num lugar estranho, o celular descarregar e precisar pegar um táxi.

E volto à questão da pesquisa/informação: além de dicas de passeios, vale a pena perguntar quais partes da cidade você deveria evitar e se existem golpes comuns contra turistas. Entenda também a situação política atual, se existem conflitos em andamento etc.

Por ser mulher, tomo umas precauções extra, como evitar falar que tou sozinha se a pessoa se comporta de alguma forma que me deixa insegura. Vale soltar um “minhas amigas tão no hotel me esperando” ou “minha mãe vai me encontrar daqui a pouco” só por precaução, caso seu instinto diga que pode ter algo meio errado ali. Falando em instintos, confie neles: se uma situação parecer desconfortável, não hesite em ir embora ou ignorar a pessoa.

Por fim, é importante entender como mulheres costumam se vestir e se comportar no destino, como é o machismo naquele lugar… e agir de acordo. Afinal, viajar também é se adaptar ao diferente, mesmo que às vezes não concorde, porque quem é a “estranha” ali é você.

15. Vá!

Pare de enrolar, inventar desculpas e esperar o momento perfeito. Tá com vontade? Tá com dinheiro suficiente pra o que pretende fazer (lembrando que viajar não precisa ser caro)? Tá com uns dias livres? Compre a passagem e vá. Se der medo, vá com medo mesmo. E depois vem aqui me contar. :)

Você tem outras dicas pra quem quer começar a viajar só? Fala aí nos comentários!

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

2 Comentários

  1. Maria da gloria

    Amei ter conhecido este blogue! parabéns pela criação?

    • Oi, Maria da Gloria! Que bom que você gostou do blog. :) Muito obrigada pela mensagem!

Deixe o seu comentário