Dicas Práticas

Como comer bem em viagens gastando pouco

Dicas Práticas | 03/12/16 | Atualizado em 10/07/18 | 6 comentários

Quer forma melhor pra conhecer um lugar novo do que pela barriga? :P Sou adepta do turismo comilônico, mas também sou a favor de viajar sem gastar muito. Felizmente, essas duas crenças podem conviver harmonicamente no universo viajante. :)  Veja dicas para comer bem por aí afora sem estourar o orçamento:

Pesquise antes de ir

Se um dos seus objetivos na viagem for conhecer restaurantes ou bares descolados, vale a pena incluir esse item na pesquisa quando estiver montando o roteiro. Assim, você já chega com uma ideia de lugares onde vale a pena comer, a média de preços e a localização da maioria deles – o que pode até influenciar sua escolha de hospedagem.

Pra fazer essa pesquisa prévia, você pode usar o bom e velho Classiface (ou seja, perguntar na timeline se algum amigo já foi pra o destino e tem indicações), blogs de viagens, revistas e jornais do destino e sites como o Destemperados, do qual sou colaboradora, e o Time Out, que traz dicas valiosas (em inglês) como essa compilação de comidas de rua em Berlim. Os tradicionais guias de viagem podem ser úteis, mas normalmente os restaurantes indicados neles já ficaram muito turísticos e podem ter se tornado mais caros e menos “autênticos”.

Use aplicativos

Além dos sites, apps que usam sua localização e compilam dicas de usuários são uma mão na roda especialmente quando você não fez a tal pesquisa prévia e tá no meio da rua esfomeando querendo saber onde comer sem ter que “dar um tiro no escuro”. Yelp, Foursquare e TripAdvisor são alguns exemplos úteis. Costumo confiar mais nas resenhas feitas pelos moradores do lugar.

Peça dicas de moradores

Esse conselho é dos mais velhos – e certeiros. Puxar assunto com pessoas que moram no lugar é uma das melhores formas de descobrir restaurantes e bares com ótimo custo-benefício, onde a galera costuma ir na vida real. Só fique ligado porque às vezes recepcionistas de hotéis e taxistas recebem comissão quando recomendam algum estabelecimento.

Leia mais:

Dicas pra economizar em viagens

Fuja das regiões mais turísticas

Com raras exceções, você consegue comer muito melhor pagando muito menos se puder ir pra regiões menos turísticas. Jantar de frente pra Notre Dame ou com vista pra o Parlamento Britânico tem seu preço.

Tome café na hospedagem

Sou aloka do café da manhã de hotéis/pousadas, então esse item é zero esforço pra mim. ;) Mas mesmo nos albergues mais simples, onde o café é limitado a pães de caixa, manteiga e geleia (já fiquei em um que regulava até a quantidade de fatias de pão por pessoa), vale a pena aproveitar a refeição “gratuita”, se houver, pra forrar o estômago pela manhã. E, se possível, levar umas coisinhas pra o lanche… Sem abusar, claro. :P Uma fruta na mochila pode evitar que você precise matar a fome num lugar caro e ruim no meio do dia.

Escolha uma refeição pra ser a principal

Essa dica vai de mãos dadas com a anterior: depois de comer bem pela manhã e levar um lanchinho, você pode almoçar um pouco mais tarde, pagando um pouco mais pra comer algo especial, e deixar pra comer uma fruta à noite, por exemplo. Ou você pode preferir um jantar mais txans e almoçar sanduíche ou alguma comidinha de rua pra compensar o valor. Entendeu a ideia, né? Economizar nas outras refeições do dia pra investir mais em uma. ;)

1001370_10200294980043366_1410355834_n

Procure hospedagens com cozinha

Na sua rotina normal, em casa, você sabe que comer na rua todo dia sai muito mais caro do que cozinhar. Não é nenhuma surpresa, então, que ao viajar seus gastos com alimentação sejam altos, né? A não ser que você fique hospedado num lugar com cozinha. :) Muitos albergues oferecem cozinha compartilhada – onde você pode até fazer amigos e cozinhar junto com eles, se der sorte –, assim como apartamentos com aluguel por temporada, studios etc.

Se não quiser perder muito tempo, faça coisinhas básicas tipo macarrão com  atum (minha comida da preguiça preferida), omelete, frango com salada, coisas assim. Só que essa dica depende de onde você estiver: em alguns países, comer na rua é tão barato (e o câmbio é tão favorável pra nós) que nem vale a pena cozinhar.

Vai pra o exterior? Não se esqueça do seguro viagem, que é importante para evitar problemas sérios e prejuízos financeiros. Clique aqui e saiba como contratar o seu com desconto!

Explore o supermercado

Esse item merece atenção mesmo que você não vá cozinhar. Amo muito explorar supermercados e sempre que tou num país novo passo um bocado de tempo explorando as prateleiras em busca de produtos que desconheço.

Além de divertido, o passeio também pode ser uma forma de economizar, seja comprando coisinhas que precisam de um preparo mais complexo ou se abastecendo de lanches como frutas, iogurtes, queijos, sucos, chocolates, biscoitos, bolos ou mesmo saladas e sanduíches (que em muitos lugares são vendidos prontos, bem baratinho).

Na Europa, procure pela “marca branca” dos supermercados, que costuma ser superbarata e tão gostosa quanto a maioria. Ah, e aproveite pra fazer um piquenique num lugar bem bonito!

Aposte nas comidas de rua

Sou suspeita pra falar porque curto muito mais uma boa comida de rua do que um restaurante estrelado, então isso sempre foi óbvio pra mim. Se não for seu caso, vale ficar mais atento às barraquinhas, observar o que os moradores comem e procurar saber quais são as delicinhas típicas (e provavelmente baratas) das ruas de cada lugar.

1412804_10203026929860404_8477788274672991165_o

Aproveite os menus executivos

Na Europa e nos Estados Unidos (e provavelmente em outros cantos também) muitos restaurantes têm menus “executivos” no almoço. Essa pode ser sua chance de visitar aquele lugar que não cabe no orçamento. Em países como Espanha e França, por exemplo, você encontra os “menús del día” ou “formules” com entrada, prato e sobremesa por preços bem simpáticos. <3

Peça a comida pra viagem

Isso depende do país, mas vale ficar atento: na França e na Itália, por exemplo, se você pedir a comida pra viagem ou comer no balcão os preços podem ser bem mais baixos do que se pedir sentado à mesa.

Faça degustações em mercados

Em Amsterdam, um dos meus passeios preferidos foi pro Albert Cuyp Markt, que ia ser só uma olhadinha despretensiosa e se tornou uma ótima forma de encher a barriga de graça. :P Em quase todas as barracas onde parava me ofereciam algo pra provar, e de grão em grão saí de lá quase rolando.

O mesmo já aconteceu num mercado em Montpellier, na França, e em outros cantos por aí afora. Vale usar a cara de pau e unir o útil (matar a fome) ao agradável (experimentar várias comidinhas novas).

1966348_10203026930420418_8244101482241814606_o

Explore os restaurantes de imigrantes

Se quiser custo-benefício excelente combinado com sabores bem diferentes, procure as regiões com maior quantidade de imigrantes na cidade onde estiver. Restaurantes asiáticos e árabes na Europa, por exemplo, costumam valer muito a pena.

Fique atento às surpresas no caminho

Já aconteceu várias vezes de eu estar no caminho pra um restaurante que me recomendaram e passar por outro que me chamou atenção ao ponto de me fazer mudar de destino. Também já parei pra comer quando nem tinha tanta fome, só porque encontrei um lugarzinho que me encantou. E na maioria das vezes, me surpreendi positivamente. Moral da história: por mais que você pesquise e planeje, fique sempre de olhos abertos pra o inesperado.

531755_4358500846919_1303035311_n

Beba água da torneira

Pra quem toma muita água, como eu, poder bebê-la diretamente da torneira é uma bênção. Por isso, em destinos onde a água encanada é potável não se esqueça de andar com sua garrafa na bolsa e reabastecê-la sempre que possível, em banheiros e bebedouros.

Além disso, quando estiver num restaurante e quiser pedir água, especifique que você quer da torneira e economize uns tantos dinheiros. “Tap water” são as palavras mágicas nos EUA, e “une carafe d’eau” na França, por exemplo (se você pedir “une bouteille d’eau”, vai ter que pagar pela água engarrafada).

Peça o vinho da casa

Pra quem gosta de vinho, vale perguntar se o restaurante tem o “da casa”. O preço costuma ser bem inferior a rótulos tradicionais, ainda que a qualidade caia também (às vezes nem tanto assim, segundo o povo que entende da bebida). Pode sair mais barato do que água!

Esbanje com consciência

Depois desse tratado de mãodevaquice comilônica, pode parecer que sou contra qualquer refeição mais extravagante, mas não é bem isso: se couber no seu orçamento (o que fica mais fácil seguindo as dicas acima) e você tiver vontade, é claro que vale a pena ir naquele restaurante dos sonhos, com uma vista incrível ou menu assinado por um chef famosinho.

Só é bom dar uma olhada nas avaliações do lugar, em vez de ir só pelo “oba oba”. E uma última dica: se possível, deixe esse momento de ryqueza pra última noite da viagem – assim, o ponto de comparação não começa tão alto e as delicinhas ficam mais frescas na mente quando você voltar pra casa. ;)

E você, quais são seus truques pra comer bem gastando pouco em outras terras? Conta aí nos comentários!

Contrate seu seguro viagem com desconto
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

6 Comentários

  1. Marcel

    Muito bom!!! Eu estou indo dia 13/06. visitarei 9 países.A viagem dos meus sonhos. adorei o blog!

    • Que delícia, Marcel! Aproveita muito, certamente vai ser uma experiência inesquecível! :) Um abraço!

  2. Érica Aparecida de Brito

    Olá! Adorei suas dicas, vou para Paraty -RJ no dia 03/07, e queria saber se por um acaso você conheceu algum restaurante Vegetariano bom e barato por lá? Um super abraço, adorei seu blog..

    • Oi, Érica! Que bom que você gostou :D Vou publicar vários posts sobre Paraty, mas acho que a maioria vai entrar depois de você ir :/ Adianto que vale muito a pena ir passar pelo menos um dia em Trindade e outro na Praia do Sono e ir conhecer as cachoeiras :) Não comi nada vegetariano, mas um restaurante turco numa galeria na frente da Rodoviária chamado Istambul tem sempre um prato do dia vegetariano, além de lanches que não levam carne. Só não é muito barato; acho que o prato sai por uns R$ 25. Nessa região vi também um restaurante menor que era vegetariano, mas não lembro o nome, nem sei se é bom… Acho que não é o forte por lá, mas com certeza você encontra alguma opção. A dica pra achar restaurantes mais baratos é, como sempre, sair do centro histórico, que é mega turístico. Um abraço!

  3. Leonardo Bolson Munhoz

    Oie! dicas preciosas, vou para o rio de janeiro no dia 11/01/18, e 15/01 para buzios, vamos eu e minha namorada, primeira viagem juntos (no rio vamos ficar hospedados na lapa, e em buzios, próximo a praia da tartaruga) queria saber se por um acaso você conheceu alguns lugares bons e barato para comer por la. grande abraço!!! teu blog é show de bola.

    • Oi, Leonardo! Que massa, aproveitem! :D Em Búzios eu acabei fazendo quase todas as refeições no hostel e comi um PF bem razoável por R$ 10 perto da Rua das Pedras, mas não lembro o nome do lugar :/ Desculpa por não poder ajudar mais com isso. Um abraço!

Deixe o seu comentário