Dicas Práticas

Imigração na Europa: documentos necessários e como funciona

Dicas Práticas | 17/09/19 | Atualizado em 19/11/19 | 8 comentários

Vai ao Velho Continente pela primeira vez? É provável que você esteja se perguntando quais são os documentos necessários pra passar pela imigração na Europa, em que país vai fazer esse procedimento, como ele funciona e que perguntas o agente pode lhe fazer.

Depois de umas 10 viagens ao continente europeu, já me acostumei aos procedimentos necessários, mas já tive esses questionamentos. Por isso, preparei um guia bem completinho com as informações necessárias pra você não ter problemas na entrada na Europa.

Onde é feita a imigração na Europa

Boa parte dos voos do Brasil pra Europa tem conexão em outros países do continente europeu. Ou seja: é provável que, no caminho pra seu destino final, você faça uma ou mais paradas em outras cidades pra trocar de avião.

Geralmente essas paradas acontecem no país de origem da companhia aérea com que você estiver voando. No caso da AirFrance, os voos costumam ter conexão em Paris; na TAP, em Lisboa; na KLM, em Amsterdam; e assim por diante.

Por isso, muita gente fica em dúvida sobre quantas vezes e onde vai passar pela imigração. A resposta quase sempre é: uma vez só, no primeiro aeroporto onde você chegar. Mas existem algumas exceções. Pra entender isso, é preciso conhecer o chamado “Espaço Schengen”.

Em resumo, se trata de um acordo entre vários países europeus que promove, entre outras coisas, a livre circulação de pessoas. Ou seja: quando você viajar entre as nações que assinaram esse tratado, não vai passar por fronteiras. Na prática, é como se viajasse dentro de um mesmo país.

Leia também:
O que é o Espaço Schengen

Por isso, os voos dentro do Espaço Schengen são considerados domésticos e não têm imigração. Como brasileiro, você pode permanecer como turista por até 90 dias em países que fazem parte desse acordo. Mas a “pegadinha” é que nem todos os países da Europa estão incluídos.

Países parte do Espaço Schengen:

Alemanha – Andorra – Áustria – Bélgica – Dinamarca – Eslováquia – Eslovênia – Espanha – Estônia – Finlândia – França – Grécia – Holanda – Hungria – Islândia – Itália – Letônia – Liechtenstein – Lituânia – Luxemburgo – Malta – Mônaco – Noruega – Polônia – Portugal – República Tcheca – San Marino – Suécia – Suíça – Vaticano

Países fora do Espaço Schengen:

Albânia – Bielorrússia – Bósnia – Bulgária – Chipre – Croácia – Irlanda – Macedônia – Moldova – Montenegro – Reino Unido – Sérvia – Romênia – Rússia – Turquia – Ucrânia

O que isso significa? Que caso você chegue na Europa por um país e faça só uma conexão lá antes de seguir pra outro país que seja realmente seu destino, a imigração quase sempre será feita apenas nessa primeira parada. Ali será registrada a sua entrada no Espaço Schengen, e depois disso você está liberado para circular como se estivesse dentro de um mesmo país.

Um exemplo: se você tem um voo para Budapeste com conexão em Amsterdam, sua imigração vai ser feita em Amsterdam. Se está indo pra Paris com conexão em Madri, vai passar pela imigração em Madri.

Depois da imigração, é só procurar o portão de embarque do voo seguinte. Já a bagagem que você despachou no Brasil vai seguir diretamente até o destino final, onde você vai retirá-la na esteira. Você pode conferir essa informação checando o recibo de bagagem que o funcionário da companhia aérea vai colar no seu cartão de embarque.

As exceções: países fora do Schengen

Tá, mas eu falei que existiam exceções, né? A questão é diferente caso você tenha como destino final um daqueles países que fazem parte do Espaço Schengen, mas a conexão seja num país fora do Schengen. Um exemplo: se estiver voando pra Paris com conexão em Londres.

Nesse caso, quando chegar em Londres você não vai sair da área de trânsito internacional e entrar oficialmente na Inglaterra. Ao descer do avião, você já procura seu novo portão de embarque e fica lá esperando o próximo voo. Só chegando em Paris é que você vai passar pela imigração.

O processo é o mesmo se acontecer o contrário: você vai pra um destino fora do Schengen com conexão em um país do Schengen. Se, por exemplo, você estiver indo pra Londres com conexão em Paris, não vai sair da área de trânsito internacional do aeroporto de Paris. Quando descer do avião, você procura o portão de embarque do voo pra Londres, e só vai fazer a imigração quando chegar lá.

Também é assim se você for passar por dois países fora do Espaço Schengen. Se for viajar pra Sérvia com conexão em Londres, por exemplo, vai só trocar de avião na primeira parada, sem sair da área internacional do aeroporto. A imigração vai ser feita na chegada na Sérvia.

Existe, no entanto, um caso em que você faz duas imigrações: quando se voa à Irlanda com conexão no Reino Unido e vice-versa. Isso porque os dois países não fazem parte do Espaço Schengen, mas têm um acordo de livre trânsito dos seus cidadãos.

Por exemplo: se você viaja pra Londres com conexão em Dublin, não vai ter como ficar na área de trânsito internacional no aeroporto de Dublin, porque os voos de uma cidade pra outra são considerados voos “domésticos” (como se fossem dentro do mesmo país). Então, você vai ter que passar pela imigração ao chegar em Dublin. E, quando chegar a Londres, precisa fazer o procedimento outra vez.

Também vale ressaltar que podem existir exceções pontuais de acordo com a vontade das autoridades. Já passei por controle de imigração indo da Espanha pra França, por exemplo. Isso teoricamente não deveria acontecer, mas me informaram na época que estavam fazendo um controle extra porque aquela fronteira era usada por pessoas que imigram ilegalmente.

De qualquer forma, a dica sempre é ter todos os documentos e informações necessárias, evitar marcar voos com horários muito apertados e manter a calma. E falando em documentos, vamos a eles?

Documentos para entrar na Europa

Antes de viajar pra o exterior eu sempre preparo uma pastinha com os principais documentos relacionados à viagem. No caso da imigração na Europa, existe uma lista de documentos específicos que podem ser solicitados na sua entrada.

Em linhas gerais, a ideia é que você possa comprovar que está ali só como turista, não tem a intenção de imigrar ilegalmente e tem condições de se manter financeiramente durante sua estadia.

Anote aí os documentos necessários pra um brasileiro entrar na Europa a turismo:

1. Passaporte

O passaporte deve ter uma validade mínima de seis meses e validade superior a três meses após a data prevista de saída do território dos Estados-Membros do espaço Schengen. Algumas nações europeias que estão fora do tratado exigem uma validade ainda maior: seis meses após a data final da viagem. Por isso, recomendo conferir seu passaporte com antecedência antes de viajar, pra tirar um novo caso ele esteja dentro desse período.

Leia também:
Check-list: o que fazer antes de uma viagem internacional

2. Passagem de volta pra o Brasil

Quem vai fazer um mochilão longo ou volta ao mundo muitas vezes parte sem passagem de volta, mas é importante você ter como comprovar que não pretende ficar na Europa por mais tempo do que o permitido. Por isso, mesmo que não tenha ainda a volta pra o Brasil, mostre uma passagem de saída do Espaço Schengen antes dos 90 dias.

3. Reservas de hospedagem

Teoricamente você deveria mostrar onde vai ficar durante toda a estadia, mas quando vou passar muito tempo viajando não costumo fazer reservas relativas ao período inteiro antes de sair do Brasil. Nesse caso, levo o comprovante de reserva dos primeiros dias de viagem e anoto nomes de hospedagens em outros destinos que pretendo visitar. Lembrando que isso não é uma regra oficial.

Leia também:
Como reservar hospedagem pela internet

Caso vá ficar na casa de um familiar ou amigo, peça que eles façam uma carta-convite explicando que vão recebe-lo. A carta deve conter o endereço do anfitrião na Europa, o período em que vão recebe-lo e os nomes completos de ambos. Ela deve ser assinada, escaneada e enviada por e-mail.

4. Seguro viagem com cobertura médica mínima de 30 mil euros

Verifique se o cartão de crédito que você usou pra comprar a passagem oferece esse serviço. Se não, jamais deixe de contratar um seguro. Afinal, além de ser obrigatório pra imigração na Europa, o seguro viagem faz toda a diferença caso você sofra um acidente ou fique doente. Tire suas dúvidas sobre seguro viagem e veja como contratar o seu com desconto.

5. Comprovantes de meios financeiros

É preciso mostrar que você tem como se manter durante a viagem. O valor varia de acordo com o país, mas geralmente se considera o equivalente a 65 euros por dia (e no mínimo 600 euros pelo período total da viagem). Você não precisa gastar isso de fato, nem ter esse dinheiro em euros com você. O importante é poder mostrar que tem como arcar com essa despesa.

Nunca me pediram esses comprovantes, mas sempre levo um extrato bancário, cartões de crédito internacionais, algum dinheiro em espécie e o extrato do Visa Travel Money, se tiver feito um.

imigração na europa

Como é a imigração na Europa

Mas como é, na prática, a imigração na Europa? Muita gente fica nervosa ao pensar nisso, com medo de ter sua entrada negada no continente. De fato, apesar de sermos isentos de visto pra fazer turismo na Europa, nossa entrada não está automaticamente garantida. É preciso passar por um agente de imigração que decidirá se vamos ou não poder entrar.

No entanto, se você estiver viajando pra turismo ou tiver comprovações de outras finalidades da viagem é muito difícil ter problemas na imigração na Europa. Quase sempre, o procedimento é bem simples e rápido.

Afinal, turistas levam dinheiro pra os países e isso interessa a eles. O objetivo dos agentes é apenas verificar se você não parece ser alguém perigoso ou um “imigrante ilegal”. Prepare-se pra comprovar isso e vai dar tudo certo!

Antes da viagem, lembre-se de separar todos os documentos que mencionei lá em cima, guardando-os numa pastinha na sua bagagem de mão. Lembre-se de que nesse momento você não estará com a mala que despachou no balcão da companhia aérea, então esses documentos devem ir com você no avião.

Quando você chegar nos guichês de imigração, vai esperar na fila até ser chamado pra uma das cabines. Tenha em mãos seu passaporte e mostre-o pra o agente de imigração quando chegar ao guichê correspondente.

Se você estiver viajando em família, podem ir juntos ao guichê. Caso esteja com amigos, isso geralmente não é permitido. Cada um deve, então, aguardar sua vez na fila, e após passarem pela imigração vocês se reencontram.

O agente de imigração vai pegar seu passaporte pra inserir seus dados no sistema e colocar nele o carimbo de entrada. No entanto, antes disso é possível que ele faça algumas perguntas.

A entrevista pode acontecer na língua materna do país, se você souber falar nela, ou em inglês. Caso você não consiga se comunicar com o oficial de imigração, recomendo aprender a dizer em inglês pelo menos “eu não falo inglês”. Nesses casos, geralmente existe um intérprete disponível pra ajudá-lo.

Na imensa maioria das vezes, os funcionários fazem poucas perguntas. Não existe uma regra, mas essas são algumas perguntas comuns na imigração na Europa:

Qual o objetivo da sua viagem
Por quanto tempo você vai ficar naquele país (ou na Europa)
Com quem você está viajando
Onde vai se hospedar
Quais atrações turísticas quer conhecer no país
Qual sua profissão no Brasil
Que outras cidades vai visitar
Quanto dinheiro você tem

O agente também pode pedir pra ver os documentos daquela lista lá em cima, como seu comprovante de hospedagem, contrato de seguro viagem e comprovação de meios financeiros. Deixe tudo com fácil acesso, mas só mostre o que for solicitado. Se você estiver tranquilo e não mentir, certamente será liberado. :)

Ah, e outra dúvida de muitos viajantes que vão ao exterior, seja pra Europa ou outras partes do mundo, é sobre a alfândega. Quais são as regras da Receita Federal pra entrar com compras no Brasil? Tem um post no blog Apure Guria com ótimas informações sobre a alfândega no aeroporto.

Ainda tem alguma dúvida sobre imigração na Europa? Pergunta aí nos comentários!

Crédito das fotos que ilustram o post: Unsplash (direitos de uso liberados)

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá!

Posts Relacionados

8 Comentários

  1. Priscila Crossan

    Olá Luiza Ferreira…estou muito nervosa para minha segunda viagem para a irlanda…fui em 2014 ,acompanhada e através de intercâmbio…mas agora em janeiro de 2019 vou sozinha e a turismo. Sou casada com um cidadão irlandês…nos casamos em 2016 aqui no Brasil…mas ele retornou em 2018 por problemas de saúde de seu pai. Estou indo visitar os dois,por 30 dias…como sou casada com ele no Brasil,meu nome passou a ter o nome dele,no passaporte e em outros documentos…não tenho intenção de morar na Irlanda,pois sou funcionária pública e tenho filhos aqui…mas tenho receio de a imigração tanto de Londres e de cork (Irlanda) pensem isso…minha conexão será em Londres. Sei q terei que passar pelas duas imigrações e isso me deixa nervosa…meu passaporte está ok,carta convite do meu marido,passagem ida e volta, e dinheiro em espécie …um montante de 700 euros…estarei levando um cartão de débito, e um de crédito…mas o de crédito o titular é do meu marido..tem algum problema? Por favor analise minhas informações e veja se preciso me preocupar com algo…estou nervosa, tem o lance das vacinas ,tomei todas faz tempo… é preciso comprovar? Eles perguntam sobre vacinas,febre amarela e etc. Por favor me ajude. Obrigada

  2. jackson silva

    ola, tudo bem?
    boa tarde, tenho uma grande duvida em relação a imigração em Londres já que o reino unido saiu do BRexit, em outubro irei pra Madri passar 04 dias e de lá prentendo seguir pra londres. em relaçao aos carimbos e imigração como é feito por gentileza?
    sendo que em madri vou ter apenas passagem de chegada e de madri sigo pra londres e de londres volto pro brasila
    como é o caso da imigração e dos carimbos?

    • Oi, Jackson! Você vai passar pela imigração em Madri e depois de novo em Londres :) Já seria assim antes do Brexit, não precisa se preocupar. Um abraço!

  3. Jefferson

    Olá Luisa, obrigado pelas informações!

    Estou indo fazer um mochilao de um ano e fiquei com uma dúvida. Meus trajetos no leste europeu serão feitos de ônibus, independente do ônibus que eu pegar eu passarei pela imigração ou tenho que me atentar a isso? Exemplo vou dá Bósnia para Montenegro….

    Valeu!

  4. Luiz Fernando

    Oi boa tarde, estou indo para ialia daqui a duas semanas saio de Sao Paulo com destino a Italia fazendo uma escala em Zurique de 3 horas pra depois tomar outro voo pra Italia , terei que fazer imigraçao nos dois lugares.
    Obrigado

    • Oi, Luiz Fernando! Teoricamente, não, mas por causa da pandemia é possível que os procedimentos estejam diferentes. Recomendo checar com as autoridades!

Deixe o seu comentário