Bahia

Chapada Diamantina: passeios em Lençóis com acesso a pé

Bahia | 29/06/18 | Atualizado em 12/07/18 | 6 comentários

Lençóis é a principal cidade-base pra quem vai à Chapada Diamantina, na Bahia. Já contei aqui que dá pra fazer vários passeios no esquema bate-volta a partir de lá, a uma distância que não fica cansativa. Falei também de todos os lugares que visitei nos arredores (veja no final desse post). Só ficou faltando falar dos passeios em Lençóis mesmo, ou tão perto da cidade que possam ser acessados a pé. Pra alguns deles é recomendado contratar um guia, mas muitos podem ser feitos por conta própria.

Leia também: 
Onde se hospedar em Lençóis
Chapada Diamantina: roteiro entre Capão e Lençóis
Quanto custa viajar para a Chapada Diamantina

Centrinho de Lençóis

O Centro Histórico de Lençóis é pequeno, mas bonitinho, com aquela carinha típica de cidade de interior. Uma das ruas principais é a Rua das Pedras, onde você encontra a agência do Banco do Brasil (acredito que ainda é o único banco da cidade), os Correios e algumas agências de turismo (incluindo a Chapada Adventure Daniel, com quem eu fiz os passeios de bate-volta).

Outra rua legal é a Rua da Baderna (só pelo nome dá pra ver que é maravilhosa, né? haha). Ela é estreitinha, fechada só pra pedestres e cheia de bares e restaurantes com mesas do lado de fora. Também tem lugares legais pra comer e beber na Avenida Rui Barbosa, que fica perto do Mercado de Lençóis, pertinho da ponte que cruza o rio de mesmo nome.

Subindo pela Rua das Pedras no sentido contrário à Rui Barbosa você chega numa praça com um coreto, onde fica o prédio da Prefeitura de Lençóis e onde rolam festinhas em datas comemorativas, como o São João. A cidade fica bem animada nessa época, aliá. E bonitinha, como mostram as fotos abaixo. :)

Parque Municipal da Muritiba

Tá, mas cadê os rolês vibes natureza? Calma, olha aqui: se continuar subindo depois da pracinha do Coreto, você chega ao Parque Municipal da Muritiba ou do Serrano. A maior parte das atrações que você consegue visitar sem carro desde Lençóis fazem parte desse “complexo”. No mesmo dia dá pra visitar os Caldeirões do Serrano, os Salões de Areia, o Poço Halley, a Cachoeirinha e a Cachoeira da Primavera.

Caldeirões do Serrano

Assim que deixei a mochila no hostel fui direto pra os Caldeirões do Serrano, que ficam a uns 20 minutos do centro. Esse lugar é considerado a praia de Lençóis e achei massa porque é diferente de tudo que eu tinha visto até então. É tipo uma formação rochosa com buracos que funcionam como piscininhas naturais, ficando cheios d’água.

Achei delícia tomar banho nesses pocinhos, mesmo com a água fria, porque em muitos deles se formam umas mini cascatas e fica uma coisa meio hidromassagem. Outro destaque do lugar é a vista, porque ele fica num ponto mais alto.

O negócio é tão “praia” que quando cheguei tinha até um vendedor de bebidas com música ruim num autofalante, mas felizmente ele foi embora logo. ;) Tinha também uma galera lá tomando umas cervejas, com coolers equilibrados nas pedras.

Achei bom ir de tênis porque é meio ruim de andar nas pedras, mas não é imprescindível. Por mim, um alerta baseado em experiência própria: se resolver deitar, fique ligado, porque do nada pode surgir um filete d’água e molhar suas coisas. :P

Salão de Areias Coloridas

Saindo dos Caldeirões do Serrano tem várias outras atrações que você pode explorar por conta própria tranquilamente, se estiver com alguém que conhece o lugar ou encontrar pessoas indo pra lá. Se não for o caso, vale a pena contratar um dos guias que ficam por lá oferecendo os serviços (vale também negociar o valor com eles).

Voltei lá um dia com uma galera do hostel, já que sozinha não pagaria o valor inteiro do guia, e aproveitei pra fazer o passeio. A primeira parada é o Salão das Areias Coloridas, uma formação rochosa de várias cores. Pessoalmente não me pareceu nada deslumbrante, mas sempre acho massa essas coisas meio doidas da natureza. Antigamente se extraía areia colorida dali pra fazer artesanato em garrafas, mas hoje o lugar é protegido e essa prática é proibida.

Poço Halley, Cachoeirinha e a Cachoeira da Primavera

Depois de lá passamos pelo Poço Halley, Cachoeirinha e Cachoeira da Primavera. Nenhum dos três é super “uau” se você já curtiu outras atrações da Chapada, mas o percurso é fácil e passa por vários poços gostosos pra se refrescar ou relaxar no final do dia. Demos azar de pegar chuva, mas continuamos a trilha e entramos na Cachoeirinha mesmo assim. :)

Achei um bom passeio pra quando você não tá com energia pra fazer nada muito puxado e também curti ver muitos moradores de Lençóis por lá. É realmente o lazer da galera, e não um negócio frequentado principalmente por turistas.

Ribeirão do Meio

Outra trilha próxima ao centro de Lençóis e que não exige a companhia de um guia é a do Ribeirão do Meio. Fui também com o pessoal do hostel e como um dos meninos já tinha ido lá, ele sabia o caminho e nos guiou pelo percurso, que dura cerca de uma hora. Se quiser ir por conta própria mesmo, recomendo pedir instruções bem precisas ou conseguir algum mapa, porque em alguns momentos o caminho tem bifurcações.

Nem mergulhei no poço do Ribeirão do Meio, mas gostei de ficar sentada na beirinha curtindo o silêncio e o visual, que é bonito mesmo num dia nublado. O destaque desse lugar, no entanto, é o “tobogã”, uma pedra lisa por onde dá pra escorregar até o poço. Me lembrou a Cachoeira do Tobogã perto de Paraty. ;)

Cachoeira do Sossego

As opiniões que ouvi sobre a Cachoeira do Sossego foram unânimes: a trilha e a cachoeira em si são lindas, mas o percurso é bem puxado e requer atenção. Também me informaram que nesse caso é preciso ter guia, porque o caminho não é muito simples. Pelo que li, tem trechos subindo e descendo pedras, outros com trilha de terra e outros em que é preciso passar por partes do rio.

Tou falando do que li e ouvi porque, como você deve imaginar, não fiz esse passeio. Infelizmente não consegui achar ninguém pra “rachar” comigo a diária de um guia no meu último dia em Lençóis, então ficou pra próxima.

Segundo minhas pesquisas, são 7km de caminhada e costuma-se levar umas 4 horas e meia pra ir e voltar. É bom levar um lanchinho. Além de, claro, ir com roupa de banho pra dar uns tchibuns pelo caminho e no final. Você já foi até a Cachoeira do Sossego? Conta aí nos comentários!

Passeios de bate-volta a partir de Lençóis

Fiz todos os passeios bate-volta com a agência Chapada Adventure, num pacote de São João, e paguei R$ 640. Dá pra chegar nesses lugares por conta própria se você estiver de carro, mas pra quem viaja só (como era meu caso) vale contar com o apoio de uma agência.

Os passeios que fiz a partir de Lençóis foram divididos em três dias: Gruta da Lapa Doce, Pratinha e Morro do Pai Inácio, Poço do Diabo e Cachoeira do MosquitoPoço Encantado e Poço Azul. Clique nos links pra ler os posts completos sobre cada dia.

Meus demais dias na Chapada Diamantina foram passados no Vale do Capão, vila super aconchegante que me conquistou ainda mais que Lençóis. Por lá, fui num dia pra Cachoeira da Fumaça e Riachinho e no outro dia pra o Poço da Angélica e Purificação, com um guia que contratei na Associação de Condutores do Vale do Capão junto com um pessoal que conheci por lá mesmo.

Contrate seu seguro viagem com desconto
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

6 Comentários

  1. Sempre quis conhecer esta parte da Bahia… Já passei perto de Lençóis uma vez, indo pela estrada até Natal, ufa! Só vi da janela e achei o máximo! Fica a dica para a próxima viagem, valeu!

    Bia

    • A Chapada é incrível, vale mesmo planejar uma próxima viagem por lá :D Obrigada pelo comentário! Um abraço

  2. Angela Versiani

    Achei muito bom as dicas que você deu.

  3. LORETA MELO BEZERRA CAVALCANTI

    Os passeios são realmente incríveis! Fiz a trilha para a Cachoeira do Sossego e foi bem difícil. O guia é essencial não só para indicar os locais como para orientar sobre como ultrapassar as pedras, como, onde pisar e se apoiar. A gente gastou um dia inteiro, ficou moído mas valeu muito a pena.

    • Oi, Loreta! Obrigada pelo relato :) Quero muito fazer essa trilha quando voltar lá! Um abraço

Deixe o seu comentário