República Tcheca

O que fazer em Praga em 3 ou 4 dias: roteiros

Tive pena de Bratislava, capital da Eslováquia, ao saber que a cidade tem hoje poucos atrativos se comparada à capital-irmã Praga, na República Tcheca, devido a uma decisão pensada. É que quando os dois países eram um só – Tchecoslováquia -, o governo soviético decidiu que Praga concentraria a vida cultural e Bratislava seria mais moderna e industrial, tendo boa parte do seu patrimônio histórico destruído. Felizmente, ao menos em Praga as coisas permanecem bem preservadas. Tanto que seu centro antigo (e arredores) ganha até um ar de conto de fadas. :)

Outra boa notícia é que as áreas turísticas da cidade são bem compactas, então dá pra fazer quase tudo a pé e conhecer o básico em três dias inteiros sem muita correria. Além disso, Praga é um prato cheio pra quem curte vistas bonitas, oferecendo vários pontos mais altos de onde admirá-la, desde colinas a torres.

Passei oito dias por lá na minha segunda visita, no verão de 2017. E além de revisitar suas principais atrações com calma, aproveitei pra caminhar sem pressa, entrar por ruas que não estão em roteiros turísticos, explorar bairros mais residenciais e fazer um bate-volta pra outra cidade Tcheca que é uma graça. Sem falar na vida noturna de lá, que é bem animada. Posso, então, afirmar: caso você tenha mais que três dias em Praga, especialmente com clima bom, não vai ficar entediado.

Vai pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório por lá! Clique aqui e descubra como contratar o seu com desconto.

Como quase todas as atrações ficam relativamente perto umas das outras, é possível distribui-las em seu roteiro de mil formas. Separei os lugares mais conhecidos e alguns não tão turísticos que curti muito e montei sugestões de roteiros pra três dias, com um dia extra pra explorar uma área mais residencial ou ir passar um dia na fofa cidade Cesky Krumlov.

Ah, aproveita e dá play no vídeo abaixo! São 7 minutos com os destaques da minha viagem pra você se inspirar. :)

O que fazer em Praga: roteiro do dia 1

Abaixo você confere o roteiro detalhado do dia 1 e um resumo (com link pra mapas) dos dias seguintes. Nas próximas semanas vou publicar os posts com os demais dias de roteiro completos e atualizo aqui com os links. ;)

Casa Municipal

Ia começar esse rolê pelo próximo item da lista, que dá direito a uma vista linda, mas antes dele vale uma paradinha na Casa Municipal (Obecní dům), que fica do ladinho. Se você gosta de arquitetura art nouveau, vai se encantar por esse prédio, que tem a fachada lindíssima e também pode ser visitado por dentro. Se quiser usar transporte público pra chegar até lá, saiba que ali pertinho fica a parada de tramway e metrô Námestí Republiky.

casa municipal empraga

Torre da Pólvora

De lá, siga pra o tal lugar da vista bonita: a Torre da Pólvora. Essa torre gótica marcava o começo do caminho real de Praga, através do qual passavam os reis da Boêmia no seu processo de coroação, indo em direção ao Castelo. O ingresso pra ir ao topo custa hoje 100 kc (cerca de 3,50 euros) e as escadas não são tantas, mas são bem estreitas. A vista recompensa!

torre da pólvora

vista desde a torre da pólvora

Praça da Cidade Velha

Saindo de lá, vá em direção à principal atração da cidade: a Praça da Cidade Velha (Staroměstské náměstí). Caso você queira começar o roteiro por ali, “pulando” as duas atrações anteriores, saiba que a estação mais próxima é a Staroměstská.

Sempre cheia de turistas, a praça reúne prédios históricos como a Igreja de Nossa Senhora de Týn (que fica escondida atrás de um prédio) e a Prefeitura da Cidade Velha, onde fica o famoso Relógio Astronômico. Caso você chegue por lá perto de uma “hora cheia”, corra pra o relógio pra vê-lo se mexer, mas sem grandes expectativas: já vi muitos turistas decepcionados ao perceber que só tem uns bonequinhos passando, nada muito excepcional. :P

Também costuma ser possível subir na Torre do Relógio, que estava sendo renovada na minha última visita, e visitar o interior da prefeitura, que inclui uma capela gótica do século XIX e uma sala em estilo art nouveau. Ou você pode fazer como eu e sentar no meio-fio da praça pra comer e ver o povo passar antes de ir caminhar pelas ruazinhas (superturísticas) dos arredores.

Falando em comer, tem vários restaurantes pega-turista ali por perto, mas você também pode ir numa das barraquinhas que ficam fixas na praça e vendem um tipo de presunto/porco assado no espeto (100g por 89kc), salsichas (60kc), batatas com couve e bacon (49kc), cerveja (500ml por 60kc) e trdelník, meu grande amor no Leste Europeu – que merece até um tópico só pra ele.

praça da cidade antiga

praça da cidade antiga

relógio astronômico

rua na old town em praga

Comer trdelník

Essa espécie de pãozinho enrolado, normalmente coberto de açúcar e canela, também pode ser encontrado em outros países com nomes diferentes – na Hungria, recebe o nome de kürtőskalács. Você vai encontrá-lo muitas vezes por lá, em versões cada vez mais gordinhas, com direito a recheios mirabolantes. Nessa região, uma das lojas com opções mais variadas é a Good Food.

Fica a dica: procure sempre um lugar que faça o trdelník na hora, porque alguns o deixam já pronto exposto e quando você compra tá frio. Apesar de quentinho, o que é vendido na barraquinha da praça não foi dos meus preferidos porque tinha um pouco de gosto de carvão. :P Também vale pesquisar preços: comprei um com sorvete de baunilha e Nutella por 110 kc, enquanto muitos lugares vendiam só com sorvete por 120kc.

trdelnik

trdelnik com sorvete

Procurando hospedagem em Praga? Clique aqui e veja as melhores opções de hotéis e albergues na cidade.

Bairro Judeu

Saindo de lá, passe pela Rua de Paris (Pařížská) pra ver várias lojas caríssimas, carros chiques, coisa e tal. Ah, nessa rua também tem um banheiro público automático (quem viaja e passa muito tempo andando pela rua sabe como às vezes é difícil lidar com a vontade de fazer xixi).

Vale passear um pouco pelo antigo Bairro Judeu (Josefov), sem rumo mesmo: essa região reúne alguns cafés e bares bem simpáticos, lojas de joias e diamantes e várias sinagogas.

rua de paris em praga

Uma das mais famosas é a Sinagoga Espanhola (Španělská synagoga), que muitos consideram a mais bonita da Europa. Construída no estilo mouro-espanhol, ela tem a fachada bonita, mas é ainda mais linda por dentro. Ali por perto você encontra também o Cemitério Judeu, que não visitei. Pra saber mais sobre ele, veja este post do blog Pé na Estrada. Ah, vale ressaltar: não se esqueça de olhar pra cima pra admirar as charmosas fachadas dos prédios. :)

sinagoga espanhola

Rudolfinum

Saindo de lá, vá em direção ao rio e passe pelo Rudolfinum, prédio de arquitetura neo renascentista que é sede da Filarmônica Tcheca e abriga importantes concertos, como os do festival de música clássica Primavera de Praga. Minha parte preferida desse cantinho, no entanto, nem é o prédio em si, e sim a bonita vista pra o Castelo de Praga e sua catedral a partir da ponte, que costuma ter menos turistas do que a célebre Ponte Carlos.

rudolfinum

ponte em praga

Ponte Carlos

Sim, porque a Ponte Carlos, ou Charles Bridge (Karlův most em tcheco), tá sempre apinhada de gente. Só pra pedestres, ela é uma das pontes mais antigas da cidade, é decorada por estátuas barrocas e serve de local de trabalho pra inúmeros artistas de rua, que aproveitam o fluxo de turistas. A vista pra o rio dos dois lados é lindona.

karluv most, ou ponte carlos

Minha dica é aproveitar pra ver a ponte desde o alto, subindo na Torre da ponte. Assim como na Torre da Pólvora, o ingresso custava 100 kc (cerca de 3,50 euros), mas achei a vista de lá ainda mais bonita. De um lado tem a Igreja de São Nícolas, a colina de Petrín e o Castelo de Praga e do outro a Charles Bridge (vide foto lá no topo do post). Sem falar nos telhados fofos das outras construções ao redor. :)

vista da torre da charles bridge

vista da torre da charles bridge

Museu de Kafka

Depois de cruzar a ponte e chegar ao charmoso bairro de Malá Strana, do outro lado do Rio Moldava, você pode caminhar um pouco pra direita até chegar ao Museu de Franz Kafka. Acabei não visitando porque cheguei junto com um grupo enorme e não queria me espremer lá dentro com eles, mas dizem ser um passeio interessante pra quem é fã do escritor. Se quiser saber mais sobre a visita, dê uma olhada nesse post do blog Juntando Mochilas.

De qualquer forma, vale a pena dar um pulo por lá pra conferir uma curiosa escultura: Čůrající postavy, de autoria do artista tcheco David Černý. Ela mostra dois homens fazendo xixi em uma “lagoa” com o formato da República Tcheca (obviamente uma provocação). Os homenzinhos mexem os quadris e os pênis de modo a desenhar palavras na superfície com seu “xixi”, e dizem que dá pra mandar palavras pra um número de SMS (+420 724 370 770) pra que sejam escritas por eles. :P

estátua de homens fazendo xixi

Ali perto fica também o restaurante Lokál (Míšeňská 66/12), que dizem ser um ótimo lugar pra comer comida tcheca.

Shakespeare and Sons

No caminho pra o museu, você provavelmente vai passar por uma livraria chamada Shakespeare and Sons. Ela não tem o charme da tradicional Shakespeare and Company, em Paris, que foi a primeira coisa que me veio à mente quando vi a fachada. Mas se você gosta de ler, vale dedicar alguns minutos (sabendo que eles correm o risco de tornar-se horas) a explorar o lugar, que tem muitos livros maravilhosos em inglês e outros idiomas, como francês, espanhol e alemão.

Achei os preços altos, mas no subsolo tem umas cadeiras e sofás velhos (e muito mais livros) onde dá pra sentar e folhear uns livros. Ah, eles também vendem uns cartões postais legais, com imagens de Praga antigamente.

Logo depois da livraria, encontrei também duas padarias/cafés bem simpáticas, com coisinhas pra comer lá ou levar pra um piquenique (tem dois parques mais pra frente nesse roteiro, então fica a dica).

fachada da livraria shakespeare and sons

interior da livraria shakespeare and sons

Muro de Lennon

Caminhando de volta no sentido da ponte, rapidinho você chega no Muro de Lennon, uma parede cheia de rabiscos e grafites coloridos. Além de um bom lugar pra fotos, ele chama atenção pela história: o muro surgiu em protesto contra o Regime Comunista. Ele estampava inicialmente uma imagem de John Lennon, que tinha sido assassinado há pouco. A polícia, no entanto, pintou o muro de cinza. Só que não durou muito: a galera logo foi lá fazer novos desenhos e escrever frases em resistência ao comunismo, e continuou fazendo o mesmo sempre que as pichações eram apagadas. Quando estive lá, sempre tinha um cara tocando Beatles no violão em troca de umas moedinhas. ;)

muro de lennon

Parque Kampa

De lá, siga pra o Kampa, um parque pequenino e delicinha, na beira do rio com vista pra o Teatro Nacional (e, no verão, pra um monte de pedalinhos passando pelo rio). Um dos destaques do parque é outra escultura de David Cerny que mostra bebês de bronze gigantes com códigos de barra nos rostos.

Vale a pena explorar também a região ao redor do parque, especialmente esse cantinho charmoso à beira do rio com vista pra Charles Bridge e banquinhos onde você pode sentar e espiar um monte de patos e gansos. Por ali você também encontra vários cafés, bares e restaurantes fofos.

rio no malá strana

Alebrijes Bar Bar

Falando em restaurantes, almocei um dia no Alebrijes, um restaurante mexicano que fica pertinho do Kampa Park. Achei o atendimento super simpático, o ambiente aconchegante e o burrito que comi (padre, de carne de porco) tava bem bom, ainda que não tenha sido um dos melhores da vida. Ah, o pessoal é mexicano mesmo, e o chef morou em SP por dois anos e fala português. Além do burrito tomei uma Pilsner Urquell e paguei o equivalente a 8,50 euros no total. É uma boa opção caso você se canse de comida Tcheca ou queira um lugar descontraído e confortável pra tomar umas cervejinhas.

alebrijes

Colina de Petřín

Pronto pra última parada do dia? Imagino que a essa altura suas pernas já estejam meio cansadas, então sugiro pegar um agradável “atalho” pra chegar até o Monte Petřín: vá até a estação Újezd e suba de funicular. Às vezes se forma uma fila grandinha pra subir, mas costuma andar rápido. Pra embarcar no funicular você usa bilhetes normais de transporte (que também servem pra o metrô e tramway). Se não tiver um, pode comprar lá numa máquina, mas ela só aceita moedas.

Inicialmente o funicular faz uma parada num restaurante e depois sobe até o topo; em alguns minutinhos você chega lá. Ao descer, vale conferir o roseiral que fica logo pertinho do ponto de chegada, e ali você encontra também um observatório onde é possível ver manchas no sol durante o dia ou observar planetas e estrelas à noite.

funicular para petrin

funicular para petrin

roseiral em petrin

observatório de petrin

Caminhar pelo parque sem rumo já é uma delícia, mas a principal atração é a torre que parece uma mini Eiffel e dá direito a uma vista deslumbrante de Praga. As escadas são puxadinhas e lá em cima o espaço é um pouco apertado quando tá cheio, mas vale a pena demais.

torre de petrin

vista da torre de petrin

Paguei 150kc (uns 5,50 euros) pra subir. Existe a opção de pagar mais 60kc (2 euros e pouco) pra ir de elevador, mas ele estava em manutenção no dia da minha visita. Ah, outra opção é comprar o ingresso da torre conjugado com o labirinto de espelhos, que fica logo ao lado, por 210kc. Dessa vez não fui no labirinto porque já tinha visitado antes e queria economizar, mas com o ingresso conjugado não fica caro e é divertido.

Spoiler dos dias 2, 3 e 4

Não deu tempo de fazer tudo isso no primeiro dia? Sem problemas: guarde Petřín pra depois. Estou publicando aos poucos posts com os outros roteiros detalhados, mas caso você vá viajar antes disso, incluo aqui um pequeno spoiler com um resumo e mapas dos dias seguintes:

Dia 2 – MAPA

Parque Vyšehrad (pra caminhar sem pressa e curtir as vistas), Náplavka Farmers’ Market (funciona aos sábados, de meados de fevereiro até dezembro, das 8h às 14h), Dancing House (casa “dançante” que você já deve ter visto no Instagram), Teatro Nacional, Cervejaria U Fleků (criada antes da “descoberta” do Brasil), Cafeteria Super Tramp (cantinho charmoso escondido) e Praça Venceslau.

Atualização em 11/04: veja o roteiro completo do dia 2 aqui.

Dia 3 – MAPA

Castelo de Praga (se for entrar nas partes pagas, espere passar ao menos metade de um dia por lá), andar pelo bairro de Malá Strana sem pressa (você já terá passado por lá no dia 1, mas vale voltar com mais calma) ou ir na Colina de Petrîn (se não tiver conseguido ir antes). Termine o dia vendo o pôr do sol no Parque Letná (vá até o beer garden ou procure a parte mais alta, que dá direito a uma vista linda).

Atualização em 10/05: veja o roteiro completo do dia 3 aqui.

Dia 4 – MAPA

Bate-volta pra charmosa cidade Cesky Krumlov (3 horas de ônibus, bem confortável com a Regiojet). Ou, caso você queira explorar uma região mais residencial da cidade, sugiro um roteiro pela Torre de Televisão Zizkov (vá no restaurante em vez de pagar o ingresso pra subir), Parque Riegrovy Sady ou Parukářka (parques mais “residenciais”,, mas agradáveis pra dias bonitos), Žižkovská štrúdlárna (lugarzinho que vende strudels enormes, gostosos e baratos), Parque Vitkov e Bar Přístav 18600 (meio isolado, mas com uma ótima atmosfera; bom pra dias de clima ameno).

E você, o que mais gostou de fazer em Praga? Conta aí nos comentários!

Se quiser salvar este post para ler depois, pine a imagem abaixo no seu Pinterest! Aproveite e siga o perfil do Janelas Abertas por lá. :)

o que fazer em praga

Contrate seu seguro viagem com desconto
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

4 Comentários

  1. Vanessa Nobre

    Eita, o roteiro dos outros dias ainda não saiu, não foi?

    • Ainda não, Vanessa! :s Tou alternando com outros destinos. Mas com esses resuminhos aí acho que já ajuda, né? Acho que ainda vou demorar umas semanas pra publicar todos… :/

Deixe o seu comentário