França

24 horas em Paris: roteiro com as principais atrações

França | 28/04/15 | Atualizado em 12/01/18 | 6 comentários

No fim do ano passado, uma mudança de voo me fez ficar 24 horas em Paris. Que chato, né? :P Já tinha ido lá três vezes, mas como tava com um amigo que ainda não conhecia a Cidade Luz, aproveitei pra fazer um passeio que dá um ótimo panorama da cidade pra quem tem pouquinho tempo por lá. É claro que explorar com calma é muito melhor, mas se você também estiver numa conexão mais longuinha dá pra aproveitar um bocado! E se tiver mais tempo, pode fazer o mesmo roteiro entrar nos lugares que só pudemos olhar de fora ;)

Ficamos hospedados em hostels na região do Quartier Latin, uma das áreas mais legais da cidade, então foi de lá que começamos a peregrinação. A própria rua do albergue Young and Happy, a Rue Mouffetard, já rende um passeio legal. Ela é uma das mais antigas da cidade e abriga em sua parte mais baixa, perto da estação Censier Daubeton, um mercado ao ar livre com frutas, queijos e outras delicinhas. Tem também uma padaria legal com quiches do amor <3

Leia mais: 
Onde se hospedar em Paris: um guia bairro a bairro

1559279_10203026929700400_1917331166809998869_o

1412804_10203026929860404_8477788274672991165_o

Continuando por ela, você chega na Place Contrescarpe, uma pracinha rodeada por cafés e restaurantes que fica animadinha à noite. Ah, e ali por perto fica também o Jardin des Plantes, um jardim que abriga estufas e museus sobre paleontologia, mineralogia e evolução. Visitei em outra ocasião e achei simpático :)

Vai pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório pra entrar lá!
Clique aqui e saiba como contratar o seu com desconto.

Outro jardim que fica nessa região, mas um pouquinho mais longe, é mais famoso: o Jardin de Louxembourg é o maior parque público da cidade, segundo a Wikipédia. Já fui lá no inverno (branquinho, branquinho, e quase deserto, obviamente) e na primavera (aproveitei pra me esparramar na grama e comer cerejas ^^).

luxemburgo3

Pra chegar lá saindo da Place de la Contrescarpe você pode passar pelo Panthéon, monumento em estilo neoclássico onde foram sepultadas/homenageadas personalidades como Alexandre Dumas, Voltaire, Marie Curie, Rousseau, Diderot e Victor Hugo.

Depois de dar uma espiada no Panthéon, seguimos em direção ao rio e passamos pela Sorbonne, edifício histórico onde funciona a célebre universidade. E aí, antes de chegar no Sena vale a pena fazer uma parada pra conhecer um dos meus pontos turísticos preferidos na cidade: a Shakespeare and Company, livraria especializada em literatura em inglês. Ela foi aberta originalmente em outro endereço por Sylvia Beach em 1919 e reunia gente fraquinha tipo Hemingway e James Joyce, até que foi fechada em 1940 durante a ocupação alemã.

560087_4425117072283_1952352649_n

Em 1951, a livraria foi reaberta no lugar atual em tributo à versão anterior e já apareceu em filmes como Antes do Pôr do Sol e Meia Noite em Paris. Amo muito a fachada do lugar, os livros usados expostos na frente, as pilhas de livros pelos cantos, as poltronas e colchões no primeiro andar, a máquina de escrever pra quem queira deixar um registro, os recados de quem já passou por lá… Só não amo tanto a confluência de turistas bobos como eu, mas fazer o quê, né? hehe.

Tem pouco tempo em Paris? Compre ingressos online com entrada prioritária e evite filas:

Torres de Notre Dame
Museu do Louvre
Arco do Triunfo
Museu d’Orsay
Centre Pompidou

2

E vale mesmo dar um pulinho lá, já que bem pertinho da Shakespeare and Co. fica a super célebre catedral de Notre Dame. A entrada é gratuita e não costuma formar filas muito enormes, mas pra quem tiver mais tempo recomendo muito subir nas torres e ver a vista, que é uma das minhas preferidas na cidade (porque não fica tão alto e dá pra reconhecer as coisas, além de essa ser uma das partes mais bonitas de Paris). Só fique ligado porque pra subir é preciso pagar alguns eurinhos e ficar em outra fila – recomendo fazer um sanduíche pra ir almoçando enquanto espera, por exemplo. hehe. Se quiser evitar a fila, compre o ingresso com antecedência aqui.

1

Na mesma ilhota da Notre Dame, a chamada Île de la Cité, ficam a capela gótica Sainte Chapelle e a Conciergerie (usada como prisão durante a Revolução Francesa), por onde demos uma passadinha. Lá, você também fica relativamente perto do Hôtel de Ville (prefeitura) e do Centre Pompidou (museu incrível que inclui também equipamentos culturais como cinema, biblioteca e uma lojinha mara).

Esse pedacinho da cidade ficou pra outra vez, então da Île de la Cité seguimos pra dar uma olhada (só por fora, devido às restrições temporais) no Louvre, ladeando o Sena e vendo pontes famosas como a Pont des Arts ^^ Depois, cruzamos o Jardin des Tuileries e a Place de la Concorde até chegar na Champs Élysées. Não deu pra gente ver, mas ali perto da Concorde ficam a Place Vendôme, a Opéra e a Galeries Lafayette.

182675_4425114592221_1770141583_n

10682362_10203026931780452_5158742463932403727_o

Dispostos que estávamos, superamos o cansaço e caminhamos por toda a extensão da famosa avenida até o Arco do Triunfo (onde também dá pra subir e ver a vista) e pegamos um metrô pra voltar pra Rue Mouffetard – onde aproveitamos pra comer um crepe antes de cair mortos em nossas camas ;)

10712577_10203026929420393_3768953711417714277_o

No dia seguinte, o voo saía à noite, então ainda deu tempo de acordar razoavelmente tarde e ir até a Torre Eiffel, onde eu fiquei relaxando com um café au lait enquanto o miguxo subia pra ver a vista. Sim, vale a pena subir se você nunca foi, mas não é um passeio que eu faça que$tão de repetir, hehe.

10636766_10203026930700425_1539372900824327185_o

E pra fechar essas cansativas – e prazerosas – 24 horas na Cidade Luz, ainda caminhamos um bocado margeando o Sena mais uma vez, passando pelo Quai Branly (onde fica o lindão do Musée du Quai Branly, coberto de plantas) e pelo Quai d’Orsay, onde você encontra (surpresa!) o Musée D’Orsay, meu preferido (impressionismo é amor). Ufa! C’est fini :)

Roteiro de 7 dias em Paris e arredores: guia completo em formato digital

579981_3345899932529_1513086592_n

10712577_10203026931460444_8713668506414065521_o

Já curtiu a página do Janelas Abertas no Facebook? Clique aqui pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens. 

Vai viajar pra o exterior? Não deixe de fazer um seguro viagem! Contrate o seguro que eu sempre uso :) Neste post você encontra um código pra ganhar 15% de desconto. Você economiza e ainda ajuda o blog a se manter vivo.

600x80

Posts Relacionados

6 Comentários

  1. Paula

    Oi Luisa! É tranquilo pra entrar na França? Para passar só um mês precisa quais documentos são imprescindíveis? Precisa fazer uma declaração de trabalho no Brasil caso para fazer intercâmbio? Ou comprovar renda? Quanto por dia?! Obrigada!

    • Luísa Ferreira

      Oi, Paula! Brasileiros podem entrar no espaço Schengen (que inclui a França) sem problemas, como turistas, por até 90 dias. Recomenda-se levar seguro viagem válido pra Europa (podes encontrar mais informações aqui: https://www.janelasabertas.com/2014/10/13/seguro-viagem-necessario/), reserva de hospedagem, passagem de volta pra o Brasil e comprovantes de que você tem 65 euros por dia de viagem. Um abraço!

  2. Edmilson Farias

    Gostei bastante das suas 24 horas em Paris. Estou analisando a minha ida em julho/2016. Eu e “my wife” em clima de aniversário de casamento. Diante do que você expôs, acredito que dá pra economizar legal com hospedagem. Já me vi caminhando nas ruas parisienses. Gostamos de caminhar. Suas dicas são precisas e esclarecedoras. Valeu Luísa!!!

    • Luísa Ferreira

      Que ótimo, Edmilson! Espero que dê tudo certo pra viagem de vocês ^^ Um abraço!

  3. Que sonhoooooooooo!
    Acredito que 24h só em Paris não seja o suficiente, mas para quem tem pouco tempo para ficar por lá é o ideal para pelo menos conhecê-la um pouquinho.

    Adorei as dicas

    • Com certeza, Isabela! Acho que tempo nenhum é suficiente, mas dá pra fazer muita coisa legal em 24h, né? Valeu pelo comentário! :)

Deixe o seu comentário