Finlândia

O que fazer em Helsinque: atrações famosas e “alternativas”

Finlândia | 25/04/19 | Atualizado em 02/05/19 | 2 comentários

A primeira coisa que me chamou atenção em Helsinque foi o silêncio. Nas ruas, no supermercado e até na pequena praia, mesmo cheia de crianças. A cidade reflete muito do espírito introvertido dos finlandeses e é, provavelmente, a capital mais tranquila que já visitei. O que faz dela um ótimo destino especialmente no verão, quando a maior parte da Europa fica lotada de turistas. Quer saber o que fazer em Helsinque? Vou contar aqui sobre as principais atrações da cidade e alguns cantinhos que pouca gente conhece.

café regatta

Passei quase um mês na capital da Finlândia, através de uma espécie de intercâmbio promovido pelo Ministério das Relações Exteriores do país pra jornalistas de várias partes do mundo. Entre um item e outro da programação oficial  e durante alguns dias depois do encerramento, aproveitei pra curtir os encantos da cidade. Que são, principalmente, muito verde, muita água, design, arquitetura e a já mencionada tranquilidade, é claro.

Helsinque é uma cidade portuária segura e agradável. Também é bastante cara, mas nada que não se possa amenizar com medidas simples, tipo ir ao supermercado em vez de comer em restaurantes.

Muita gente passa por lá a caminho de outras regiões do país, especialmente no inverno, pra ver o Papai Noel ou a aurora boreal. Tenho muita vontade de voltar um dia numa época mais fria, quando os contrastes em relação ao nosso país tropical devem se tornar muito mais evidentes. No verão, no entanto, não falta o que fazer em Helsinque.

Recomendo separar ao menos dois dias inteiros pra curtir a cidade com calma. Caso você tenha mais tempo, role esse post até o fim e dê uma olhada também nas sugestões de passeios que fiz fora da rota mais convencional.

Leia também:
Onde se hospedar em Helsinque
10 curiosidades sobre a Finlândia
Todos os posts sobre a Finlândia

O que fazer em Helsinque

Free walking tour

Começo a lista de “o que fazer em Helsinque” com uma atração que na verdade tá presente em boa parte das cidades turísticas do mundo: um tour guiado “gratuito”. Esse tipo de passeio não é realmente grátis, já que se espera que os participantes paguem no final, mas o valor depende do que você achar justo.

Fiz o Free Walking Tour Helsinki, com saída a partir da Praça do Senado e dura de duas a três horas. E achei uma ótima forma de entender diferentes aspectos da cultura local, como algumas das curiosidades sobre a Finlândia que já mencionei aqui no blog. Pelo que vi, eles mudam os horários e dias de funcionamento de tempos em tempos, então é importante checar antes.

região portuária de helsinque

Praça do Senado

O ponto de encontro do Free Walking Tour que fiz é também um dos principais pontos turísticos de Helsinque. A Praça do Senado abriga o que provavelmente é o maior cartão-postal da cidade: a Catedral de Helsinque. Essa igreja protestante é bem imponente, porque além de ser gigante fica no alto de uma escadaria.

Outros prédios localizados ao redor da praça são o edifício principal da Universidade de Helsinque e o Palácio do Governo (fui pra uma reunião lá, com vista pra Catedral, e fiquei achando o máximo haha).

catedral de helsinque

Praça do Mercado

Outra praça simbólica em Helsinque é a Praça do Mercado (Market Square em inglês ou Kauppatori em finlandês). Ela também é rodeada por prédios importantes, como o Palácio Presidencial e a Câmara Municipal.

Pra os turistas, o que costuma chamar mais atenção são as barraquinhas que se instalam lá durante o dia, vendendo souvenirs e comidinhas. Uma boa chance de experimentar algumas das carnes exóticas comuns na Finlândia, como de rena ou alce, por um preço razoável (ainda que a qualidade deixe a desejar em comparação com um bom restaurante).

A praça fica numa região portuária e é dali que saem as balsas pra várias ilhas nos arredores, mas vou falar mais sobre isso mais adiante.

Planejando uma viagem pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório! Clique aqui e veja como fazer seu orçamento online e contratar um seguro confiável com desconto.

Havis Amanda

Junto da Praça do Mercado você encontra uma estátua de uma mulher nua no meio de uma fonte com focas ao redor. O nome dela é Havis Amanda e ela é um símbolo do “renascimento” de Helsinque.

A escultura foi construída em 1906 e rolaram controvérsias na época por ter sido considerada muito “sensual” e inapropriada; grupos feministas viam a disposição dos elementos na obra como uma objetificação do corpo feminino, porque a mulher nua tá num pedestal e as focas “babando” ao redor.

Hoje, esse é um dos lugares mais icônicos da cidade. Segundo o guia do walking tour, esse costuma ser o ponto de encontro em dias de eventos importantes e já aconteceu várias vezes de pessoas ficarem nuas e pularem na fonte pra celebrar vitórias esportivas.

estátua em helsinque

Catedral Ortodoxa Uspenski

Ali pertinho, você encontra a outra catedral famosa de Helsinque: a Uspenski, que é ortodoxa, como herança da dominação russa no país. Acho ela uma graça, feita com tijolos vermelhos e localizada no topo de uma colina. Por dentro, é pura ostentação, com muitas imagens e muuuito dourado.

catedral ortodoxa em helsinque

Roda gigante, piscinas e sauna

Também nessa região portuária, outra atração é a roda gigante Skywheel. Com cabines fechadas, ela é quase uma versão mais modesta da London Eye. O passeio  custa hoje 12 euros por pessoa e quando eu passei nunca tinha filas longas.

Repare que uma das cabines é diferente das outras, feita de madeira: ela é uma sauna! Um dos tantos exemplos da obsessão que finlandeses têm por saunas, hahah. Só achei ruim o fato de os vidros das cabines serem azuis, atrapalhando as fotos lá de cima.

Junto da roda-gigante também fica o complexo Allas, com uma sauna e duas piscinas ao ar livre no meio do mar. Uma é aquecida e a outra é de água do mar mesmo (imagina o gelo no inverno!). O ingresso custa 14 euros.

o que fazer em helsinque

piscinas a céu aberto em helsinque

Sauna Löyly

Aproveitando o gancho da sauna, vale mencionar a Löyly, uma das saunas públicas mais legais de Helsinque. Com uma arquitetura bem interessante, ela fica à beira-mar e reúne um bar, uma sauna a lenha regular e uma que eles chamam de “sauna defumada”.

A tradição é alternar entre o calor das saunas e um mergulho no mar Báltico, ali juntinho. Eu entrei e até gostei da experiência, mas confesso que não passei nem um minuto no mar – mesmo no verão, a água é bem gelada!

sauna pública em helsinque

Esplanadi

Sabe a Havis Amanda, aquela escultura da mulher pelada? Logo depois dela fica o Esplanadi, uma pequeno parque bem agradável ladeado por ruas com lojas sofisticadas. Costumam acontecer eventos por lá; fui num festival de música bem legal. Um dos destaques do parque é o Café Kappeli, que além de super charmosinho é um dos restaurantes mais antigos da Finlândia, aberto em 1867.

esplanadi

Antigo Mercado

O Antigo Mercado (Old Market Hall, ou Vanha Kauppahalli) também fica ali na região portuária e é um ótimo lugar pra comer frutos do mar, salmão defumado, sopa de salmão ou as tais carnes exóticas finlandesas. Ou, caso queira economizar ou não tenha fome, só pra olhar mesmo, já que alguns dos itens à venda são curiosos, tipo carne de urso enlatada ou chips de carne de rena.

old market hall

mercado gastronômico em helsinque

chips de carne de rena defumada

Estátua dos Três Ferreiros

Outra estátua famosa em Helsinque é a dos Três Ferreiros (Kolme Seppä), que representa três trabalhadores (também nus, vejam só) martelando uma bigorna. A obra simboliza o trabalho humano e a colaboração entre os cidadãos pra o crescimento do país.

Ela fica bem na frente da célebre loja de departamento Stockmann, na intersecção entre duas das mais importantes ruas do centro: Aleksanterinkatu e Mannerheimintie. Se você quiser fazer compras em lojas de rede, tipo H&M, essa região é uma das mais indicadas.

estátua em helsinque

stockmann

Estação Central

Outra coisa legal pra fazer na região central de Helsinque é dar um rolê nos arredores da Estação Central de trens (Helsingin Päärautatieasema). Não acho o prédio em si muito incrível, mas por ali você encontra edifícios comerciais com corredores subterrâneos que valem a visita, especialmente em dias frios.

estação de trens

Capela do Silêncio

E também dá pra ir andando pra um dos meus lugares preferidos em Helsinque, a Capela do Silêncio (Kampin Kappeli ou Kamppi Chapel). Ela foi construída em 2012 com um formato bem peculiar, que lembra um navio – tipo a Arca de Noé.

Ela fica numa das regiões mais movimentadas da cidade, bem no centro comercial. Com um interior bem minimalista, a ideia do espaço é oferecer um momento de silêncio em meio ao “caos”. Gostei muito da proposta de lugarzinho de quietude e reflexão sem muita cara de igreja; queria uma dessas em toda cidade grande.

A capela é administrada conjuntamente pela congregação luterana e o Departamento de Serviços Sociais e Saúde do município. Um folheto distribuído na entrada informa que os funcionários estão disponíveis caso você queira conversar ou precise de ajuda. Massa, né?

capela do silêncio

Igreja de Pedra

Outra igreja diferentona que merece entrar na sua lista de o que fazer em Helsinque é a Igreja de Pedra (Temppeliaukio Kirkko). Esse templo luterano foi escavado numa rocha grandona de granito.

Como você pode imaginar, a igreja chama atenção por essa arquitetura inusitada. Por fora já é curioso, mas por dentro achei ainda mais legal, com paredes de pedra e vãos nas laterais do teto por onde passa a luz. Quando visitei, cobrava-se 3 euros pra entrar, mas se quiser dar só uma espiada dá até pra ver sem pagar.

igreja de pedra

Café Regatta

Não muito longe da Igreja de Pedra fica o Café Regatta, que também tá no topo da minha lista de lugares preferidos em Helsinque. A cidade tem outros cafés fofos, mas esse é um dos mais conhecidos e instagramados – e, por razões afetivas, o meu queridinho (fiquei hospedada perto dele e fui várias vezes).

O Regatta funciona num mini chalé vermelhinho à beira-mar, com uma decoração vintage bem fofa e mesas ao ar livre. Eles têm uma fogueira do lado de fora pra grelhar salsichas compradas lá (adorei, mas prepare-se pra ficar com cheiro de fumaça).

Se preferir, peça um café e um cinnamon bun delicinha, ou um pãozinho com salmão defumado. No verão, dá até pra alugar caiaques, canoas e SUP pra andar nas águas calmas ao redor do café. Os fins de tarde lá são muito delícia!

café regatta em helsinque

café regatta em helsinque

café regatta

Monumento Sibelius

A poucos minutos do Regatta fica o monumento Sibelius, outra escultura famosa de Helsinque. Ele foi criado no Parque Sibelius (Sibeliuspuisto em finlandês) em homenagem ao compositor Jean Sibelius.

Sim, é só uma escultura, mas é bem interessante, especialmente pra quem tem especial apreço por música. É que ela é composta por vários canos ocos de metal formando meio que umas ondas e lembra um órgão. Dá pra interagir com a obra, fazendo sons.

sibelius monument

Fredrinkatu e arredores

A Fredrinkatu não é um “ponto turístico”, mas achei uma das ruas mais bonitas de Helsinque. E o Design District da cidade fica nessa região, concentrando várias lojas de designers locais em alguns poucos quarteirões. Também é nessas proximidades que você encontra a tradicional cafeteria Ekberg, criada em 1852.

café ekberg

Mercado de Hakaniemi

Ali pertinho você também encontra outro mercado coberto ótimo pra fazer um lanche ou comprar uma lembrancinha. O Mercado de Hakaniemi foi inaugurado em 1914 e é menos badalado que o Antigo Mercado que fica perto do porto. Atualmente ele tá fechado pra renovação e os vendedores tão num mercado temporário ao lado, pelo que li – confira antes de ir.

mercado gastronômico em helsinque

Museus

Existem dezenas de museus em Helsinque, mas confesso que não visitei nenhum. Entre a programação intensa do “intercâmbio” e as caminhadas sem rumo pela cidade, não sobrou tempo.

Mas entre os destaques, vale ressaltar o Ateneum, que é a Galeria Nacional Finlandesa e abriga uma das maiores coleções de arte clássica da Finlândia; o Kiasma, de arte contemporânea; e o Museu Nacional (National Museum of Finland, ou Kansallismuseo), que aborda a história do país.

Teatro Nacional e Biblioteca Nacional

Outros prédios importantes na região central de Helsinque são o Teatro Nacional (Finnish National Theatre, ou Suomen Kansallisteatteri) e a Biblioteca Nacional (National Library of Finland, ou Kansalliskirjasto). A biblioteca é muito linda por dentro, mas só pode ser visitada de segunda a sexta-feira.

Mini cruzeiros pelo arquipélago

Um passeio que eu nem sabia que existia e acabei adorando foi o mini cruzeiro pela baía de Helsinque. Fui lá a convite da anfitriã finlandesa e adorei, mas o programa só tá disponível entre maio e setembro (cheque as datas antes).

Tem opções diurnas mais em conta, mas o que fizemos foi o Dinner Cruise das 19h às 21h30, com a Iha Lines, que inclui jantar. Tomamos sopa com cogumelos de entrada, pedi rena como prato principal (também tinha opção vegetariana ou peixe) e a sobremesa foi um queijo frito e coberto com geleia, típico da Lapônia.

Adorei as comidas e gostei mais ainda de curtir a vista pela janela enquanto jantava, no interior quentinho e confortável do barco. Também dava pra subir pra área aberta pra ter uma vista ainda melhor; foi o que fiz no final do passeio, quando o sol estava se pondo. Adorei passar perto das ilhas e ver as casinhas, e também admirar o skyline de Helsinque se iluminando no escurecer.

barco do cruzeiro noturno em helsinque

vista do cruzeiro noturno em helsinque

vista do cruzeiro noturno em helsinque

jantar do cruzeiro noturno em helsinque

barco do cruzeiro noturno em helsinque

Ilha Suomenlinna

A baía de Helsinque é cheia de ilhotas e elas merecem MUITO entrar na sua lista de o que fazer em Helsinque caso você esteja por lá em dias de clima bom. Acredito que a mais popular entre visitantes é a ilha de Suomenlinna, que abriga a fortaleza de mesmo nome.

A Fortaleza de Suomenlinna foi construída no século XVIII, quando a Finlândia estava sob dominação sueca, pra protege-la de invasões russas. Além do próprio forte, você encontra lá alguns museus, cafés e restaurantes. Mas só caminhar pelo lugar já é uma delícia, vai por mim.

Pra chegar lá, é só pegar uma balsa na Praça do Mercado. Tem um tipo de balsa que aceita o cartão de transporte público e o percurso dura uns 15 minutos. Mesmo no verão, vale a pena levar um casaquinho, porque costuma ventar bastante por lá. Dica: leve comidinhas e uma canga e faça um piquenique.

suomenlinna

suomenlinna em helsinque

suomenlinna

Ilha Vallisaari

Outra ilha legal em Helsinque é Vallisaari, que só foi aberta ao público em 2016. Ela fica pertinho de Suomenlinna e dá pra visitar as duas com um bilhete tipo “hop on, hop off” de Island Hopping da empresa JT-Line.

Esse bilhete é mais caro que aquele que leva só pra Suomenlinna (atualmente são 10 euros). Mas achei que vale a pena, porque dá pra ir de uma pra outra no seu próprio ritmo. Sugiro passar um dia inteiro visitando as duas ilhas e, se sobrar tempo, dar um pulinho também na ilha Lonna (assunto do próximo tópico

Vallisaari tem menos atrativos que Suomenlinna, mas é bem bonita e mais “selvagem”.

o que fazerem helsinque

Ilha Lonna

A ilha Lonna, que também tá incluída nesse bilhete de Island Hopping, é bem pequenina, e costuma ser procurada pra almoçar ou jantar. Tem um restaurante ótimo lá, e o cenário é bem gostoso. Foi onde comemos no nosso almoço de despedida do programa do Ministério. :)

ilha lonna em helsinque

Ilha Seurasaari

Essa outra ilha não fica junto das anteriores, e a melhor forma de chegar lá é de ônibus. A linha 24 tem uma parada bem em frente ao acesso à ilha, que é conectada por uma ponte charmosinha (recomendo confirmar o percurso do ônibus antes de ir).

A grande atração de Seurasaari é um museu a céu aberto, formado por várias casas trazidas de diferentes regiões da Finlândia e representando diferentes épocas. É preciso pagar ingresso pra entrar nelas, o que eu não fiz. Só andar pela ilha, sentar pra um piquenique e observar os patos, cisnes e esquilos já é um passeio bem legal, e também tem restaurante e café por lá.

ponte que leva à ilha

helsinque

ilha no arquipélago de helsinque

Museu do Arquipélago de Pentala

Ainda não cansou de ilhas, florestas e lagos? Então vá até Espoo, a segunda maior cidade da Finlândia, que fica juntinho de Helsinque. Lá, você encontra uma ilhota chamada Pentala, onde recentemente foi inaugurado o Pentala Archipelago Museum, um museu ao ar livre que retrata a vida dos tradicionais pescadores locais.

Fizemos uma visita guiada pra conhecer o interior de algumas das casinhas que foram preservadas como eram nos anos 1980. Depois, demos uma volta pela ilha, que tem um lago bem bonito no meio (que doido um lago dentro duma ilha, né?), além de ovelhas, patos e outros animais simpáticos. Ah, e tem também um restaurante à beira-mar.

Acho um passeio gostoso caso você esteja por lá no verão (no resto do ano o museu não funciona), tenha bastante tempo e queira conhecer um pouco mais do estilo de vida finlandês. Fui até lá num barco privativo com o pessoal do Ministério, mas vi no site que tem como chegar de barcos regulares na temporada em que o museu tá aberto.

arquipélago de pentala

guia no arquipélago de pentala

arquipélago de pentala

arquipélago de pentala

Bate-volta pra Tallinn

Que tal incluir na sua lista de o que fazer em Helsinque um bate-volta pra outro país? Tallinn, capital da Estônia, fica a apenas 2 horas de ferry (escolha a opção expressa, porque tem alguns mais lentos).

A cidade é charmosíssima e mais barata que Helsinque, então recomendo passar uma ou duas noites por lá (ou mais, caso queira conhecer outras partes da Estônia, que tem uns lugares bem lindos). Pra quem não tem muito tempo, dá pra conhecer o Centro Histórico de Tallinn em um dia tranquilamente.

centro histórico de tallinn

E você, tem outras dicas de o que fazer em Helsinque? Conta aí nos comentários!

Contrate seu seguro viagem com desconto na Mondial Assistance
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

 

Posts Relacionados

2 Comentários

  1. Eu estou indo pra Helsinque no mês que vem e já anotei todas as suas dicas. ♡

    • Ah, que massa!! Aproveita por mim :D Espero que você pegue bom clima ;) Um abraço!

Deixe o seu comentário