Bósnia

Tour por Sarajevo para entender a Guerra da Bósnia

Bósnia | 29/12/17 | Atualizado em 09/01/18 | 2 comentários

Quando se fala em Sarajevo, acredito que a maioria das pessoas ainda pensa imediatamente em guerra. Felizmente, a cidade vai muito além disso e hoje é super segura, mas não dá pra negar a importância de entender seu turbulento passado recente. Várias empresas oferecem passeios guiados com foco na Guerra da Bósnia, mas um dos mais bem recomendados é o Complete Sarajevo War Tour da Toorico Tours, empresa criada por um bósnio chamado Ervin.

Com saída às 9h, esse tour por Sarajevo dura cinco horas e percorre, de carro, vários pontos de difícil acesso pra o turista comum. Além disso, o guia viveu a guerra quando criança e estudou muito sobre o assunto, oferecendo muitas explicações sobre o cerco a Sarajevo e a situação da política por lá hoje em dia.

Tour por Sarajevo

Nos encontrarmos na pracinha mais famosa da cidade, conhecida em inglês como Pigeon Square (sim, tem MUITOS pombos lá). Entramos no carro e começamos nosso passeio dando um pulo no Yellow Bastion. Eu tinha ido nesse mirante por conta própria no dia anterior, mas achei ótimo voltar, porque a vista de lá é uma lindeza. :)

yellow bastion em sarajevo

yellow bastion sarajevo

Dá pra ver um cemitério otomano do século 15, outro cemitério pra soldados muçulmanos que morreram na guerra, a chaminé da cervejaria que fornecia água à cidade durante o cerco a Sarajevo, o Holiday Inn (onde os jornalistas ficavam hospedados pra cobrir o conflito), entre outros pontos importantes da cidade. Ótimo pra quem acabou de chegar e quer se situar.

De lá, passamos pela Eternal Flame, monumento em homenagem aos mortos durante a Segunda Guerra Mundial; por um memorial às crianças mortas durante o cerco, que mostra uma mãe protegendo o filho; pelo Parlamento, pelo Museu Nacional e pela rua conhecida como Sniper Alley. Como explicou Ervin, os sérvios (soldados da República Servska, que sitiaram Sarajevo e outras cidades) controlavam quase todas as montanhas dos arredores, e a amplitude dessa rua facilitava os ataques.

Túnel de Sarajevo

Nossa parada seguinte foi num dos pontos turísticos mais visitados da cidade, o Túnel de Sarajevo (Tunnel of Hope). No local, foi escavada em 1993 uma passagem subterrânea de 800 metros por baixo da pista do aeroporto, ligando a cidade sitiada à área sob controle dos bósnios.

Na entrada do lugar, transformado hoje em museu, encontramos uma das “rosas de Sarajevo”: em várias partes da cidade, crateras de explosões foram pintadas de vermelho pra simbolizar o derramamento de sangue.

tunnel museum sarajevo

Encontramos também vários ônibus de excursão com um monte de turistas chegando de uma vez, mas graças à prática de Ervin conseguimos driblar a pequena multidão e circular pelo espaço quase sozinhos.

Dentro do túnel você pode ver os trilhos de trens usados pra empurrar os carrinhos que transportavam munição, comida e pessoas feridas. Cerca de 3 mil pessoas, quase todos militares, passavam por ali diariamente. Foi preservado só um pedacinho do túnel, por onde você passa em um minuto – suficiente pra ter uma ideia de como devia ser desesperador ter que recorrer àquele espaço apertado.

O museu também reúne reproduções dos carrinhos usados nos trilhos, um mapa que mostra como Sarajevo estava dividida na época da guerra (esse aí embaixo) e uma salinha que reproduz uma casa típica durante o período.

mapa de sarajevo sitiada

Depois de fazer uma pausa num posto de gasolina pra usarmos o banheiro, trocarmos dinheiro e tomarmos café ou refrigerante (incluído no valor do passeio), seguimos caminho.

Minas terrestres

Quando falei que fui à Bósnia, alguns amigos me perguntaram se não era perigoso andar por lá por causa das minas terrestres. Se você se mantiver pelas ruas das grandes cidades não tem problema, mas infelizmente ainda existem muitas minas em mais de 2% do território do país. Por isso, é recomendado não andar por caminhos que não são pavimentados e ficar atento às placas que alertam pra existência delas.

De acordo com Ervin, eram usados três tipos de minas: na primeira, ao pisar você provavelmente perderia a perna e poderia chegar a morrer de hemorragia; a segunda explode se a pessoa tiver mais de 50kg; e a terceira é conectada a um fio, que ao ser ativado faz com que estilhaços de projéteis voem por toda parte. :( No nosso caminho, passamos por alguns cartazes que alertavam sobre as minas, como esse aí embaixo.

minas terrestres em sarajevo

Construções abandonadas

Adora coisas abandonadas no meio do mato? Então você vai curtir as próximas paradas do passeio: rampas de ski das Olimpíadas de Inverno, os restos de um hotel feito pra receber autoridades durante o evento e uma antiga pista de bobsleigh.

As rampas de ski foram construídas pra os Jogos Olímpicos de Inverno de 1984, no Mount Igman. O evento foi muito importante pra o país: até então, nenhum país comunista tinha sido sede pra os aclamados Winter Games.

pista de ski em sarajevo

pódio olimpíadas de inverno

burek

Fizemos lá nossa pausa pra o almoço, também incluído no valor do passeio: um burek, comida típica dos balcãs (amo <3). O meu foi de carne, mas Ervin nos perguntou que sabor queríamos no começo do passeio pra encomendar, e tem também opções com queijo e espinafre. Ah, detalhe: almoçamos sentados no pódio olímpico!

De lá, nos encaminhamos ao que sobrou do Hotel Igman, que já foi mega luxuoso. O hotel foi construído em 1983 e depois foi incendiado pelos sérvios durante a guerra, pra evitar que o exército bósnio o utilizasse como base.

Hoje, o espaço é explorado por curiosos e usado pra partidas de paintball – tinha até um grupo começando a jogar quando chegamos. Achei incrível caminhar por dentro do prédio e tentar imaginar tudo que já se passou por ali.

hotel abandonado em sarajevo

hotel abandonado em sarajevo

Fomos ainda pra outra montanha, o Mount Trebevic, onde fica uma das partes mais fotogênicas do tour: a antiga pista de bobsleigh, construída também pra os Jogos de Inverno. Segundo Ervin, a pista continuou sendo usada até a guerra, mas foi controlada pelo exército sérvio e, ao ir embora, eles incendiaram o local. Reconstruir tudo seria muito caro, então deixaram do jeito que estava.

Hoje, o local está todo colorido por grafite e jovens vão andar de skate e mountain bike. Tem uns vídeos no YouTube mostrando a galera pedalando por lá hoje em dia, além de gravações de 1984, dos Jogos de Inverno. Vale a pena assistir antes de ir. :)

bobsleigh em sarajevo

pista de bobgsleigh em sarajevo

pista de bobsleigh em sarajevo

Cemitério judeu

A última parada do passeio foi num antigo cemitério judeu. De acordo com Ervin, a população judaica se estabeleceu oficialmente no país em 1565, vindo da Espanha. É que lá eram obrigados a se converter ao catolicismo, enquanto no império otomano havia relativa liberdade religiosa (e profissionais como médicos e comerciantes eram muito bem-vindos).

Antes da Segunda Guerra, 20% da população de Sarajevo era judaica, mas grande parte foi dizimada durante o Holocausto ou emigrou. Hoje restam pouquíssimos judeus na cidade (cerca de 700, segundo o guia). Mas o cemitério também é simbólico em relação à Guerra da Bósnia, porque era um dos principais pontos de apoio dos snipers sérvios. Caminhando pelas lápides derrubadas, dá pra ver várias marcas de tiros.

cemitério judeu em sarajevo

Mais informações

Quando pesquisei sobre o tour de Ervin, vi todo mundo descrever o guia como uma enciclopédia ambulante, e é bem por aí mesmo. Além de todas as informações que ele fornece espontaneamente sobre a cidade e a guerra, Ervin também responde a quase todas as perguntas que você tiver sobre a Bósnia.

O carro em que fizemos o tour era confortável, o motorista dirigia bem e era simpático e o guia sempre nos oferecia água, perguntava se a temperatura do carro estava boa e checava se queríamos tirar mais fotos antes de ir embora de cada lugar. Ele tem um senso de humor cínico e fala bem rápido, o que no começo pode causar um pouco de impacto, mas logo fiquei à vontade.

Ah, e depois do passeio ele ainda envia por e-mail um monte de recursos (links, PDFs e vídeos) sobre os Balcãs e a guerra. Resumindo: achei esse tour por Sarajevo bem interessante pra quem não tá com o orçamento mega apertado e quer ir além do centrinho dessa incrível cidade. ;)

toorico tour em sarajevo

O passeio custa 60 marcos bósnios (cerca de 30 euros) por pessoa, incluindo transporte, guia, bebidas, um burek pra o almoço e wi-fi. O mínimo de participantes é dois e o máximo sete e é preciso reservar com antecedência pelo site do Toorico Tours. A entrada pra o Túnel de Sarajevo não está incluída no tour e custa 10 marcos (5 euros), com opção de meia entrada pra estudantes. De acordo com Ervin, 10% do valor do tour é doado a instituições de caridade da Bósnia.

O Janelas Abertas fez o passeio a convite da Toorico Tours, mas todas as opiniões expressas aqui são pessoais e não sofreram interferência. Todas as parcerias, apoios e patrocínios recebidos pelo blog sempre são sinalizadas, em nome da transparência.

Contrate seu seguro viagem com desconto
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

2 Comentários

  1. Lumiko Hama

    Adorei as dicas. Com certeza farei este tour com o guia recomendado por você. Estarei indo daqui duas semanas
    Obrigada

    • Oi, Lumiko! Que legal que você gostou :) Espero que a viagem seja ótima! Manda um abraço pra o Ervin :)

Deixe o seu comentário