México

Quanto custa viajar para o México: gastos detalhados

México | 07/05/18 | Atualizado em 03/11/18 | 20 comentários

A comida, o povo, as ruínas, as praias, a história, as lutas, as paisagens, as festas… Não faltam motivos pra você viajar para o México, mas se estiver querendo mais um, eu tenho um argumento convincente: é barato. Claro que também pode ser uma viagem cara, dependendo das suas escolhas, mas no geral o país é bem amigável pra o bolso do viajante econômico, especialmente se você focar a viagem em destinos além do Caribe. Passei 30 dias por lá em março de 2018, entre a Cidade do México, Oaxaca, San Cristóbal de las Casas e Morelia, e amei meu roteiro. Não fui em muitos lugares “paradisíacos”, mas pude conhecer um bocado da cultura local e me diverti demais. :) E, claro, anotei tudinho que gastei pra compartilhar com vocês.

Quanto custa viajar para o México

Hospedagem

Na Cidade do México, os preços de hospedagem são um pouco mais altos do que em cidades menores. Em destinos de praia badalados, também. Ainda assim, achei bem razoável pra uma capital. É possível hoje encontrar um quarto duplo em hotel razoável por cerca de R$ 220 e uma cama em quarto compartilhado em hostel por uns R$ 45. Também achei quartos privativos em AirBnb começando em R$ 50 por noite pra uma pessoa. Paguei R$ 200 por 7 noites em quarto compartilhado num hostel e R$ 250 por 6 noites em quarto privativo num AirBnb.

Já em Oaxaca e San Cristóbal os precinhos são só amor. Paguei R$ 35 por noite em quartos privativos com banheiro compartilhado em albergues simples, mas limpos e muito bem localizados (Andaina e 13 Cielos, respectivamente). Em ambas cidades também dá pra encontrar quartos duplos em hotéis por cerca de R$ 130 e camas em quartos compartilhados por R$ 20.

Clique aqui e confira os preços de hotéis ou albergues para as datas da sua viagem

albergue em oaxaca

Alimentação

Comer no México é relativamente barato, e sendo superfã da gastronomia de lá, me dei ao luxo de alargar meu orçamento nesse ponto e comer fora quase sempre pra provar o máximo de comidinhas possível. No geral, espere gastar de R$ 5 numa comidinha de rua a R$ 60 com almoço e bebida num restaurante bem legal. E leve em consideração que boa parte dos hotéis de lá não oferece café da manhã.

Na Cidade do México, gastei R$ 15 almoçando duas tostadas e um suco no Mercado de Coyoacán; R$ 18 jantando uma quesadilla, uma gordita, um churro e um refrigerante em barracas de rua; R$ 43 no almoço no Café Tacuba, um dos mais tradicionais da cidade; R$ 17 almoçando enchilada e cerveja num restaurante pequenino e simpático no centro histórico; R$ 35 com bebida num brunch maravilhoso em Condesa; R$ 7 em três empanadas numa padaria; R$ 8 em dois tacos de rua.

Em Oaxaca, os preços são um pouco mais baixos: gastei R$ 35 com almoço e cerveja no restaurante La Catedral, um dos mais interessantes da cidade; R$ 1,40 num croissant e um pão doce; R$ 20 num jantar com cerveja num restaurante na praça principal; R$ 12 em três mini tacos num restaurante famoso pelo mole (molho típico de lá); R$ 8 comprando bananas, biscoito, atum e água num mercadinho; R$ 8 num frappuccino num café simpático; R$ 7 num sanduíche comprado na estação de ônibus.

Em San Cristóbal, gastei R$ 24 num jantar em bufê livre super gostoso na rua principal da cidade; R$ 22 no almoço e R$ 31 no jantar e cerveja no La Lupe, um dos melhores restaurantes da viagem; R$ 18 no almoço e suco no Tierradentro, café/restaurante agradável gestionado por zapatistas; R$ 5,80 numa fatia de pizza com chá gelado na rua principal; R$ 5 num crepe de rua; R$ 18 comprando atum, cream cheese, pão e bananas no mercado; R$ 5 num chocolate quente.

Leia também:
O que você precisa saber antes de ir para a Cidade do México
Quanto custa viajar para a Chapada Diamantina
Quanto custa viajar para Fernando de Noronha

 

tostada no mercado de coyoacán na cidade do méxico

Passeios e atrações

Pelo que me falaram, os passeios na região de Cancún tendem a ser bem caros; coisa de 100 dólares por um dia visitando ilhas, praias ou ruínas. Esse foi um dos motivos pra eu ter cortado essa parte do país do meu roteiro (também tava em outra vibe, então preferi deixar pra viajar só por Yucatán no futuro). Em termos financeiros, foi uma ótima decisão: nas cidades que visitei, as atrações e até passeios com agências são em conta.

Na cidade do México, os museus e atrações com ingresso mais caro foram a Casa Museu de Frida Kahlo, por cerca de R$ 35, e o Ballet Folclórico do México, cujos ingressos mais baratos custavam o equivalente a R$ 50. A maioria das entradas pra pontos turísticos me custou cerca de R$ 12 pelo câmbio atual. Agências de turismo oferecem passeios pelos arredores, como até as ruínas de Teotihuacán, mas é bem fácil chegar lá por conta própria. Somando ônibus de ida e volta e a entrada no complexo, gastei R$ 30.

Em Oaxaca, a cidade em si pode ser visitada quase toda de graça – só paguei uns R$ 15 por um free walking tour. Nos arredores, tem vários passeios oferecidos por agências. Fiz um de um dia inteiro que é bem clássico, passando pelo Árbol del Tule, ruínas de Mitla, uma mezcalería, uma oficina de tecelagem e a lindíssima Hierve el Água. O passeio custou R$ 44 da agência mais R$ 22 dos ingressos pra Mitla e Hierve el Água. Outras atrações por lá podem ser visitadas mais facilmente por conta própria, como as ruínas de Monte Albán: não cheguei a ir, mas me disseram que o ônibus comum sai por uns R$ 15.

Em San Cristóbal de las Casas também tem muitas agências oferecendo passeios, mas alguns são pra destinos a umas 4h de distância ou mais, como Palenque e Cachoeiras de Chiflón, e não animei. Fiz um tour de um dia pelo Cañón del Sumidero, um cânion bonitão (R$ 63), visitei o Museo de las Culturas (R$ 12) e fui por conta própria pra San Juan Chamula, pagando R$ 6,50 pelas vans de ida e volta e R$ 4,50 pra entrar na igreja onde acontecem interessantes rituais maias.

Além disso, tive outros gastos que coloco na categoria “diversão”, como três sessões de cinema em que vi documentários sobre questões locais por R$ 5 em San Cris e R$ 9 na CDMX.

 

Transporte interno

O transporte foi um dos itens que me surpreenderam mais pela barateza na Cidade do México: uma passagem de metrô custa hoje o equivalente a R$ 0,90. O Uber funciona muito bem lá e uma corrida do aeroporto ao centro sai por uns R$ 20. Usei transporte público na maior parte do tempo por lá, mas quando peguei Uber as corridas me custaram entre R$ 8 e R$ 15.

Em cidades menores, como Oaxaca, Morelia e San Cris, é só se hospedar perto do Centro pra não ter que se preocupar com transporte, com exceção da chegada e saída na cidade. Nesse caso, como não tem Uber por lá, eu paguei em torno de R$ 10 por corrida de táxi desde/para as estações de ônibus e R$ 35 pelo transfer pra o aeroporto de Tuxtla Gutiérrez, o mais próximo de San Cris.

Transporte entre cidades

O México é um país grande e o percurso entre muitas cidades interessantes é longo, mas eles têm linhas de ônibus muito boas com preços razoáveis. No sol do país, a principal empresa de ônibus é a ADO, que tem várias classes com diferentes níveis de conforto e faixas de preço.

Paguei R$ 85 pra viagem de 7 horas da Cidade do México pra Oaxaca (mas tinha passagens por R$ 60 saindo de manhã cedinho) e R$ 150 pelo percurso de 10h de Oaxaca pra San Cristóbal (podia ter pago uns R$ 100 se reservasse com antecedência, mas decidi a data da ida de última hora e só tinha ônibus da ADO GL, que é como a classe executiva).

Ao norte da Cidade do México as passagens tendem a ser mais salgadas, pelo que me disseram outros viajantes e pela minha experiência. Por exemplo, paguei R$ 200 pela ida e volta pra Morelia, uma cidade a 4 horas ao norte da capital, onde fui visitar um amigo. Achei comparativamente caro, mas o ônibus da empresa ETN foi o melhor da minha vida. Super amplo, com apenas 3 assentos por fileira (1 de um lado e 2 do outro), um giga espaço entre assentos, TV individual com vários filmes (infelizmente tudo era dublado em espanhol), água e lanche.

Além disso, o país tem várias companhias aéreas de baixo custo, como Interjet, Volaris e Viva Aerobus, além da principal empresa do país, a AeroMéxico. Paguei R$ 300 com dois meses de antecedência pra voar com eles de Tuxtla Gutiérrez (perto de San Cristóbal) até a Cidade do México. De ônibus levaria umas 17 horas e boa parte do caminho é pura curva, então resolvi evitar. Encontrei passagens de avião por uns R$ 80 a menos pelas cias low cost, mas os horários eram muito ruins pra mim.

ônibus da cidade do méxico para morelia

Seguro viagem

Não recomendo viajar ao exterior sem seguro viagem (ainda mais no México, onde é comum ter probleminhas gastrointestinais). Precisei do seguro por lá e o pessoal da AssistCard, que contratei pela Seguros Promo, me atendeu rapidinho e mandou uma médica ótima na minha hospedagem em poucas horas. Paguei R$ 150 por um mês de seguro e super compensou. Pra saber como contratar o seu com desconto, clique aqui.

Quanto gastei no México

Anoto todos os meus gastos no app MoneyWise, filtrados por categorias. Pra dar uma ideia melhor de quanto custa viajar para o México, olha aqui a divisão do que gastei em 30 dias por lá:

Gastos com alimentação: R$ 600
Gastos com hospedagem: R$ 880
Gastos com transporte interno: R$ 280
Gastos com transporte entre cidades: R$ 735
Gastos com passeios e atrações: R$ 400
Gastos com crédito de celular: R$ 100
Gastos com bebidas alcoólicas: R$ 100
Gastos com seguro viagem: R$ 150

Total para 30 dias de viagem com todos os gastos: R$ 3.245
Total por dia sem contar com hospedagem, seguro e transporte entre cidades: R$ 49

Não considerei as passagens aéreas porque elas variam muito de acordo com sua cidade de saída, época do ano, entre outros fatores, e porque comprei as minhas junto com os outros trechos dessa viagem (segui do México pra algumas cidades dos Estados Unidos). No entanto, vejo muitas promoções pra lá.

Como eu poderia ter economizado? Comendo menos na rua (imagino que seriam uns R$ 200 a menos), comprando as passagens de ônibus e avião mais baratas pra ir de uma cidade a outra (R$ 150 a menos), não pegando nenhum Uber na CDMX (uns R$ 100 a menos) e não tomando cervejas, pulque e mezcal (R$ 100). Ou seja: em modo ultra econômico, dava pra fazer essa viagem de um mês por uns R$ 2.700. Também poderia ter passado menos tempo em cada cidade: fiquei mais do que o “necessário” porque queria curtir com calma, vivendo um pouco do dia a dia local, e porque precisava trabalhar, mas se você passar metade desse tempo dá pra fazer muita coisa e muitos dos gastos vão ser reduzidos.

Com mais luxos, como quartos privativos com banheiro em hotéis mais arrumadinhos, mais corridas de Uber ou táxi, todas as refeições na rua, compras e mais passeios com agências, ou se tivesse visitado destinos mais populares entre turistas gringos, como a Riviera Maia, esse valor logicamente subiria.

Contrate seu seguro viagem com desconto
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

20 Comentários

  1. Horacio

    Ótima matéria, tudo detalhado…..
    Se me permite, faço uma ressalva, esqueceu de colocar o valor da extorsão….
    Os agentes públicos do México são expert, vim de lá há 45 dias com a minha família e fui vítima dessa situação.
    Escrevi no portal do Governo mexicano relatando os fatos e até a presente data não recebi nenhum tipo de retorno.
    México nunca mais.

    • Oi, Horacio! Que pena saber disso! Como foi isso? Onde foi que lhe extorquiram? Felizmente não tive nenhum problema do tipo. :/

  2. Layla

    Obg pelas dicas!
    Tenho apenas uma dúvida. Quanto a imigração, eles são tranquilos ou pedem para mostrar tudo sobre a viagem?
    Pergunto porque vou com cerca de 3000 para 28 dias e receberei mais dinheiro durante a viagem…Acha que terei problemas com esta quantia?

    • Oi, Layla! Depende muito do agente que você encontrar. O meu só pediu pra ver minha passagem de saída do país e é bem possível que não te perguntem nada. Mas se você tem como comprovar essa quantia, acredito que não terá problema – isso foi o que eu gastei em um mês. E se tiver cartão de crédito, mais tranquilo ainda. :)

  3. Nossa, achei essa viagem bem em conta. Eu também prefiro ficar mais dias em cada cidade para curtir melhor, não ficar trocando de hotel com uma frequência tão grande. Adorei as dicas!

    • Pois é! Os deslocamentos tendem a ser bem cansativos, né? Foi bem em conta mesmo, recomendo! :) Um abraço

  4. Wallace Baisso Faria

    Boa Noite Tudo Bem
    Estou para viajar para o méxico ,mais estou tendo problemas ao comprar passagem ou hostel ou hotel, melhor to com algumas duvidas,se teria ou não como comprar.
    Poderia me ajudar…..Se quiser ajudar me chama no WHATSAPP 035984110026

  5. itallo carvalho

    boa noite Wallace. Vc pretende ir quando? Eu estou indo em dezembro. Dia 18 ao dia 26. consegui comprar passagem, saindo de Recife, com hostel por 3.482,01

  6. Rita Freitas

    Adorei a matéria. Fui em Outubro de 2016. Fiquei só na CDMX, e amei… Só esqueceu de falar sobre a PROPINA, que é a gorjeta. Tem que dar propina pra tudo. Nos restaurantes, nos supermercados para as pessoas que põe as compras na sacola, para os frentistas, para todo mundo que te ajudar haha. Mas é de boa, 10 ou 15% , nem pesa tanto no bolso. Eu nem contava, dava logo 20 pesos. Um dia dei um monte de moeda para a senhorinha que embalou minhas compras, e ela ficou com uma cara super de feliz/espantada kkkk, é que eu esquecia que as moedas não eram centavos, e sim pesos mesmo. Pessoal deve ter adorado minha generosidade

    • Oi, Rita! Boa dica! :) Mencionei as gorjetas nesse outro post: https://janelasabertas.com/2018/05/03/viagem-para-a-cidade-do-mexico/ Mas sinceramente, meus amigos mexicanos não davam pra tooodo mundo, não :P Só me recomendaram dar em restaurantes e pra o pessoal que limpa o banheiro… E como eu costumo levar minha própria sacola pra o supermercado, geralmente era eu mesma que embalava. Espero que ninguém tenha ficado chateado comigo por não ter dado alguma gorjeta :P E fiquei rindo aqui sobre o episódio das moedas, devem ter achado que você era rica hahah :) Um abraço e obrigada pelo comentário!

  7. Rosana Menezes

    Olá Luísa, adorei seu roteiro! Uma dúvida que tenho é quanto aos ingressos para os museus, por exemplo o da Frida, Antropologia e etc. Você comprou os ingressos com antecedência aqui no Brasil, ou comprou no dia lá mesmo no local?

    Outra coisa, para comprar passagem de ônibus (irei para Queretro a partir da cidade do México) é preciso ir até a rodoviária para comprar ou dá para comprar por algum site?

    • Oi, Rosana! Comprei o de Frida online no dia anterior, porque costuma haver filas grandes lá, mas nos demais que visitei era bem tranquilo comprar no local :) E sobre o ônibus, comprei alguns na rodoviária e outros no site das companhias que usei. Pesquisei quais empresas faziam os trechos que eu queria usando o site Rome2Rio e aí fui no site das empresas. Mas eles também têm desses sites que reúnem várias empresas, como ClickBus. Um abraço! :)

  8. Marcia Brandão

    Adorei as dicas. Estou viajando agora no início de novembro para o México, vou até a Guatemala, depois retorno para o México (CDMX-Oaxaca-San Cristóbal- Antígua, Flores/Tikal- Bataclar- Riviera Maya-Mérida-CDMX) . Ficarei 35 dias, no total. Estava preocupada com as despesas com hospedagem e passeios. Estou tentando reservar um hostel em Oaxaca, mas por conta do feriado dos mortos estou tendo dificuldade (não consegui nesse que voce indicou, snif snif). Tem algum outro pra indicar? Abs

    • Oi, Márcia! Que ótimo seu roteiro <3 O Dia dos Mortos em Oaxaca é incrível! Imagino que esteja bem cheio mesmo. Não conheci outros hostels pessoalmente, mas sugiro olhar no Booking e procurar algum lugar localizado no Centro Histórico. Uma amiga indicou esse aqui: https://booki.ng/2CXNdtT :) Um abraço e boa sorte!

  9. Cristiane

    Adorei sua dicas e roteiro, gostaria de ficar entre 7 a 10 dias entre cidades do México, mais alguma cidade histórica e um ou dois dias na praia, poderia me dar alguma dica.
    A irei sozinha alguma empresa aérea saindo de SP vc indica.
    Obrigado 😘

    • Oi, Cristiane! A partir da Cidade do México, sugiro que você vá passar uma noite em Puebla, que é uma graça e fica bem pertinho. Sobre praias, eu não conheci nenhuma, mas Playa del Carmen parece incrível e a Riviera Nayarit também (sendo que essa última é menos explorada pelos turistas brasileiros). Sobre empresas aéreas, eu escolho sempre a que tem preços melhores, a não ser que tenha más avaliações ;) Sugiro usar um buscador como o Google Flights pra comparar preços: https://janelasabertas.com/2015/06/15/como-usar-google-flights-passagens-aereas-baratas/

      Boa viagem!

  10. ivanildo josé da silva

    Luísa, li e gostei da postagem sobre o México. Bem explicado e com detalhes. Não faltou falar de Morelia. Mandei email pra ti a pouco. Já paguei 10 dias de hotel na CDM, mas estou achando que é muito para ficar apenas lá. acho que vou pagar outras hospedagens nas cidades que vc falou e talvez ir em puebla. Sabes alguma coisa sobre alugar carro?
    Paz e bem
    Ivanildo

    • Oi, Ivanildo! Se você quer viajar mais devagar, tem bastante coisa pra fazer na CDMX, mas outra boa opção seria passar 7 noites lá e 2 em Puebla, por exemplo :) Não sei se esse 10 dias que você menciona são inteiros, mas caso incluam chegada e saída do país, vale lembrar que não costumam ser dias muito “produtivos”. Sobre aluguel de carro, não sei te dizer porque não aluguei, e não recomendo muito se sua intenção for circular pela cidade. É bem engarrafado por lá, e o metrô funciona bem (apesar de ser meio sujinho e cheio na hora do rush) e é muito barato, e Uber também sai bem em conta por lá. Um abraço e boa viagem! :)

  11. Andrielli

    amei a materia

Deixe o seu comentário