Viagem pra Dentro

10 dicas pra viajar apesar da ansiedade ou do medo [com vídeo]

Viagem pra Dentro | 11/05/17 | Atualizado em 22/05/17 | 30 comentários

“Menina, como tu é corajosa, viajando sozinha por aí”. Eu ouvi isso algumas vezes nos últimos tempos, mas apesar de ter feito cinco “intercâmbios” e de tar viajando agora sem data de volta, já senti MUITO medo de ficar longe de casa. Vou confessar: ainda sinto um pouco às vezes. Minha cura pra isso? Ir mesmo assim.

Costumo dizer que pra mim viajar foi um tratamento de choque que eu procurei pra enfrentar meus medos – e felizmente tem funcionado. \o/ Tanto que escolhi o nome Janelas Abertas pra esse bloguíneo justamente pra falar sobre como a gente se transforma quando se abre pra o mundo. Sair da zona de conforto é um negócio que ainda me provoca ansiedade, mas que tou sempre procurando justamente pra me ajudar a lidar com essa danada. Eu podia fazer isso de outras formas, mas viajar é muito mais divertido, né?

Se você sentir que a ansiedade atrapalha sua estabilidade física ou emocional, procure ajuda! Mas qualquer que seja seu motivo pra insegurança, seja ansiedade em geral ou algum medo específico, tipo andar de avião, se perder, ficar doente ou se sentir muito só, pode acreditar: vale a pena ir em frente. E se as outras pessoas acharem que é frescura, já sabe, né? Liga o foda-se. :)

Nesse vídeo aí embaixo – o primeiro “oficial” do blog, yay! – eu conto um pouco da minha história de viajante ansiosa, desde quando era adolescente e a ideia de fazer intercâmbio me parecia a coisa mais assustadora do mundo até ficar viciadinha em me jogar por aí. Tá meio tosco (foi minha primeira vez, vou melhorar :B), mas a moral da história é simples: se eu consigo, você também consegue.

Caso você tenha algum medo relacionado a viagens ou conheça alguém que tem, dá uma olhada no vídeo ou mostra pra o amiguinho. E aproveita pra conferir aí embaixo 10 dicas pra se jogar no mundo mesmo com a ansiedade ou a insegurança querendo te segurar.

1. Não seja cruel consigo mesmo

Acho que o primeiro passo é não se sentir mal por ter medo ou ansiedade, qualquer que seja a forma. Permita-se sentir o que você tá sentindo. Como falei nesse outro post, às vezes as sensações que as coisas provocam na gente não são fáceis de controlar, mas se você prestar atenção nelas e aceitá-las é possível escolher o que fazer daí em diante. É difícil, mas é mais produtivo do que gastar toda sua energia fingindo que nada tá acontecendo, xingando a si mesmo ou querendo ser outra pessoa.

Entenda também que você não precisa saber tudo. Se é sua primeira viagem só, pra o exterior, no esquema “mochileiro” ou de intercâmbio, é normal que você não saiba como funcionam algumas coisas. Não se cobre tanto. Talvez você tenha medo de cometer alguma gafe ou de se perder num lugar desconhecido, por exemplo, mas isso faz parte. Outros viajantes, pessoas que tão passando na rua, os amigos no Whatsapp e o Google tão aí pra ajudar quando necessário. ;) E se você se sentir meio besta porque não sabe fazer algo, repita o bom e velho “não sou daqui e não vim pra ficar” e ignore o que os outros vão pensar.

2. Planeje-se

Quem é muito ansioso costuma ficar angustiado por não conseguir controlar as situações. Infelizmente essa é uma realidade da vida: a única coisa que conseguimos controlar são nossas ações, e olhe lá. Mas se você se sente inseguro, pode ser mais fácil (especialmente numa primeira viagem) ter algumas coisas planejadas. Pra começar, faça uma lista do que vai levar na mala e do que precisa fazer antes de partir, e não deixe nada pra véspera ou o dia da viagem.

Pesquise sobre os lugares aonde vai, pense no que poderia dar errado e procure saber o que fazer nesses casos. Vale anotar frases importantes no idioma do lugar pra pedir ajuda se necessário, por exemplo. Você pode também fazer um roteiro dos primeiros dias de viagem, olhando os caminhos direitinho no mapa, e pesquisar como o transporte público funciona na cidade. E pode até dar uma olhada no Google Maps pra ver a cara da hospedagem onde vai ficar: um breve reconhecimento de território antecipado ajuda a encontrar o lugar e a se sentir menos deslocado quando chegar.

Isso tudo pode lhe ajudar a não se sentir tão fora de controle, mas evite querer saber e preparar TUDO, porque a) é impossível prever o futuro; b) é estressante querer controlar cada detalhe; c) é importante saber lidar com imprevistos; e d) se deixar levar pelo fluxo de vez em quando pode trazer ótimas surpresas.

3. Tenha em mente seus porquês

Quando você tá fazendo algo desafiador, tipo abrir sua própria empresa, começar um projeto pessoal ou embarcar pra uma grande viagem, é importante ter muito claras as razões pelas quais você tá fazendo aquilo, tipo suas motivações mais profundas. Isso ajuda nos momentos em que você queira desistir ou pense “por que danado eu inventei de me meter nessa situação?”.

Lembre-se que você queria viajar há muito tempo, ou que desejava se sentir mais independente, ou que precisava de fluência no idioma o que quer que faça sentido pra você. Se for preciso, vale até anotar isso num papel ou no celular e consultar nas horas de perrengue. Vale pensar, também, em como você se sentiria frustrado ou arrependido se não tivesse tentado, né?

4. Lembre-se que você pode ir pra casa

Se você passar algumas semanas fora e perceber que esse estilo de viagem não é pra você ou que não é o momento certo da sua vida pra tar fazendo isso, você pode sempre voltar pra casa. Tente não desistir com os primeiros obstáculos; o início pode ser difícil mesmo, até você se acostumar. Mas se tiver certeza de que não tá valendo a pena, não tem problema, afinal a vida é sua e você decide o que faz com ela. Isso não significa que você fracassou: orgulhe-se por ter tentado.

5. Tenha com quem conversar

Não acho legal viajar e ficar o tempo inteeeeiro em contato com as pessoas “de casa” através das redes sociais, já que o objetivo de sair de casa é se expor a coisas diferentes, né? Mas às vezes é bom conversar com algum amigo ou parente que entenda seu nervosismo. Nos momentos mais críticos, você pode desabafar, mesmo que a distância, e se sentir mais tranquilo. :)

6. Leve recursos que o acalmam

Quando você tá em casa, o que faz pra se sentir melhor quando tá ansioso, triste ou angustiado? Talvez tenha alguma série ou filme que você costuma assistir, uma playlist que lhe acalme, exercícios de yoga que lhe ajudem a relaxar ou um diário onde costuma escrever. Seja o que for, leve consigo: as músicas no celular, os episódios da série baixados no computador, o tapetinho de yoga, um caderninho pra desabafar ou recordar os bons momentos… É bem provável que você nem precise usá-los, mas ajuda saber que estão à mão.

7. Viaje devagar

Viajar pode ser estressante: chegar num destino e ter que entender como as coisas funcionam, se deslocar sem conhecer a cidade, se adaptar a uma nova cultura, correr contra o tempo pra conseguir visitar todos os lugares da sua lista… Cansa só de pensar, né? Viajar devagar é uma boa dica pra aliviar esse estresse e a ansiedade que pode ser provocada pela falta de rotina.

Afinal, não é porque você tá se expondo a situações novas que TUDO precisa ser novo o tempo todo. Você pode, sim, comer mais de uma vez no mesmo restaurante, se já sabe que lá tem um prato que você gosta e que o atendente entende seu inglês. Também pode tirar uma tarde pra ficar descansando à beira-mar, em vez de ir desbravar uma nova atração turística. Ou então passar mais tempo na mesma cidade ao invés de tar pegando um avião pra o próximo destino a cada dois dias.

Distribuindo seus desafios em doses homeopáticas e criando pequenas rotinas, tipo tomar café no bar da esquina ou ler o jornal toda manhã, você se sente mais no controle. De quebra, pode conhecer um pouco melhor o lugar onde tá e se sentir como um “local”. :)

8. Lembre-se que se der errado o mundo não vai acabar

A ansiedade é um monstrinho irracional que faz nosso corpo tentar se proteger de ameaças que muitas vezes não existem de verdade. Mil pensamentos loucos podem passar pela sua cabeça, cheios de cenários negativos. A má notícia é que talvez alguns desses cenários se tornem de fato realidade. Pode ser que você perca o voo, se perca enquanto procura o hotel ou esqueça alguma coisa que pretendia levar, por exemplo.

Pode ser, também, que aquele temido ataque de pânico apareça durante suas férias. Mas se acontecer, aconteceu. Vai passar, assim como passou de outras vezes. E a boa notícia é que você vai sobreviver. Basta respirar fundo, pensar nas possíveis soluções e, caso não consiga resolver só, pedir ajuda a alguém. Você vai perceber que no fim das contas consegue lidar com o que dá errado.

9. Não se compare com outros viajantes

As viagens dos outros parecem maravilhosas no Instagram, né? Dificilmente você vai ver seu colega de trabalho falando nas redes sociais sobre como sentiu medo no avião, como caiu num golpe e perdeu tempo ou dinheiro, como se frustrou quando percebeu que não tinha condicionamento físico pra encarar aquela trilha incrível, como teve dificuldade nos primeiros dias de aula na universidade estrangeira. É muito mais fácil você encontrar um feed cheio de fotos lindas, aventuras incríveis e sorrisos, como se as viagens de todo mundo fossem perfeitas e só a sua tivesse problemas, ou só você tivesse dificuldade pra lidar com o desconhecido. Não caia nessa de acreditar no Instagram!

Da mesma forma, não se compare com outros jeitos de viajar, achando que quem corre o mundo sem planejamento, pega carona, fica em hospedagens alternativas, faz esportes radicais, procura destinos não convencionais etc. é melhor do que você. Se os destinos mais “clichê” têm mais a ver com você, vá pra eles. Se ficar de bobeira na praia é mais seu estilo do que encarar oito horas num barco ou cinco horas de trilha pra chegar numa piscina natural, aproveite sua vibe. Se você prefere viajar com pacote pra não ter preocupações, procure uma agência. Faça o que for mais confortável pra você, não o que parece descolado pra os outros.

10. Saiba que vai ficando mais fácil

Vários estudos indicam que é melhor lidar com a ansiedade se expondo a ela do que evitando-a. Isso se justificaria num nível fisiológico, já que seu sistema nervoso vai se acostumando com as situações, e também psicológico, porque confrontar seus medos traz uma sensação de empoderamento. Além disso, você vai percebendo que os problemas que antecipava não são o fim do mundo e, por isso mesmo, os próximos medos talvez não sejam também tão ruins. Assim, pouco a pouco a tendência é ir relaxando.

Sem falar que com a prática você vai ficando realmente melhor em lidar com as experiências novas, porque já sabe como certas situações funcionam. Cada experiência acaba sendo mais fácil do que a anterior, e essas vivências também têm tudo pra influenciar positivamente seu dia a dia em casa. :)

E você, tem medo de viajar só, morar fora, andar de avião ou qualquer outra coisa relacionada a viagens? Conta aí nos comentários!

Contrate seu seguro viagem com desconto na Mondial Assistance
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

30 Comentários

  1. Olá, estou indo terminar meu processo de cidadania em Luxemburgo, e pretendo ficar um tempo na Europa. Achei seu blog legal, tenho os mesmos medos que você citou como dica. Porém meus medos terão que terminar dia 19. Espero um dia estar compartilhando conhecimentos e dicas para outras pessoas.

    Abraço.

    • Oi, Paulo! Quando dá medo o negócio é ir com medo mesmo, né? :) Tenho certeza que você vai voltar dessa viagem com uma sensação muito gratificante. Boa sorte com o processo de cidadania! Espero que você esteja, sim, compartilhando seus aprendizados pra muita gente em breve. Um abraço e obrigada por comentar!

  2. Rafael Castillo

    Olá, muito bom ler suas dicas e ver que mesmo com um medinho a gente segue em frente. Achei o blog justamente pq estou prestes a viajar e já viu… Né!?Apesar de ter morado fora e ter viajado parece que o monstro fica ali esperando a menor oportunidade.
    Abraço.

    • Oi, Rafael! Pois é, parece que sair da zona de conforto nunca vai deixar de ser um desafio, né? Também tou prestes a ir pra outra viagem longa e a ansiedade já tá mostrando suas garras novamente. :P Mas acho que é bem isso: aceitar que o medo tá lá, mas não tá no controle! Um abraço e boa viagem :)

  3. Viviane

    Olá Luísa! Parabéns pelo blog, tem tanta coisa legal que nem sei onde olhar. Sou uma pessoa muito ansiosa e insegura, pra ter uma ideia tive uma mini crise na piscina aprendendo a nadar. Veja a que ponto chego..rsrsrs…

    Daqui a 6 semanas vou para um intercâmbio no Canadá. São apenas 4 semanas, mas eu tô entrando em pânico porque tá perto, porque nunca fui pro exterior, aliás, nunca viajei sozinha. Já pensei mais de uma vez: “onde eu tava com a cabeça quando fechei isso?” Esse seu post foi um bálsamo, vou imprimir e deixar na carteira. Obrigada pela generosidade de compartilhar tanta coisa com a gente!

    • Oi, Viviane! Esse teu comentário foi daqueles que dão um calorzinho no coração. Obrigada por vir dividir o que tás sentindo. Sei exatamente como você se sente, e te garanto que vale a pena ir em frente mesmo assim! Nem que seja pra você ver que não curte viajar sozinha, se for o caso. Mas se tiver o coração aberto pras novas experiências e compaixão consigo mesma, suspeito que você vai adorar a experiência. Boa viagem! Ah, e se lembrar, vem aqui me contar depois como foi :) Um abraço

  4. maria ap.. oliveira

    estou indo pra lisboa que devo faser por nao fica oncioza

  5. Claudia Tavares

    O blog foi escrito pra pessoas com os mesmos desafios independente da idade. Obrigada! Compartilho com as ansiedades descritas. Querer controlar tudo é uma perda de tempo e uma m….mesmo. Também viajarei daqui a uma semana. Espero realmente ir, pois já cancelei uma viagem no dia. Fui depois mas é chato né! Temos sempre as mesmas perguntas, se me causa ansiedade por que faço? E ainda bem que fazemos. Sair da zona de conforto nos faz aprender e evoluir a cada dia. Vamo que vamo né Luísa!!!! Obrigada!!!! E excelentes viagens a todos nós.

    • Oi, Claudia! Pois é, às vezes pode ser difícil durante o processo e não raro nos questionamos sobre o porquê de termos nos colocado naquela situação, né? Mas depois sempre vale a pena! Espero que sua viagem seja cheia de aprendizado e que você volte pra casa já pensando na próxima :) Um abraço e obrigada pelo comentário!

  6. Maurilia

    So de lee ja fiquei un pouco maís calma! Tengo síndrome do pánico e sofro muito con as viajem ! So me sinto bem viajando quando estou dirigindo . Daqui a dois día saio da Espanha envou a brest na frança . E so de imaginar en estar en dois voos. Ja estou passando mal. Doi o peito , sudorese, un verdadero pánico. Sempre enfrentó, nao deixo de ir ,maís todas as vezes a mesma luta . Uma viajem nem que seja de 30 minutos ja me da mal . Maís e como li acima, nao tengo que me sentir culpada pelo que sinto . E se nao estiver bom EU volto . E ya está

    • Oi, Maurilia! Imagino a agonia :( Você já procurou um médico pra ver se não seria recomendável tomar um pedacinho de um calmante (fármaco mesmo ou algo natural) pra ajudar nesses momentos de voos? Tou mandando daqui as melhores vibrações pra sua viagem ser o mais tranquila possível! :) Um grande abraço <3

  7. Kakal

    Nossa muito bom isso viu, eu tava aqui procurando sobre isso pq tenho q viajar pra minas ver meu pai, mas definitivamente não consigo ir sozinha, e isso é horrível pq parece que eu estou louca sei lá, e bom saber que eu não passo por isso sozinha rsrs mas eu sei q não conseguirei ir.

    • Oi, Claudia! Com certeza não tás louca, mas seria bom procurar terapia pra trabalhar essa questão :) Outra coisa que ajuda normalmente é ir fazendo coisas sozinha na sua própria cidade, caso você não tenha o costume, tipo ir jantar sozinha, ir pra o cinema… Somos capazes de muito mais do que imaginamos! Boa sorte :)

  8. Natália

    Adorei as dicas, me senti muito contemplada. Pedi demissão e estou planejando um mochilao pros próximos 2 meses, mas não consigo correr atrás das coisas por medo de ficar só e ter problemas com a solidão. Ajudou mto :)

    • Que massa, Natália! Fico muito feliz por ter ajudado de alguma forma :D Espero que teu caminho seja massa e transformador! Um abraço

  9. Alexsandra

    Oi Luiza, adorei suas dicas, eu realmente tenho muita vontade de viajar e ter novas experiencias, com pessoas, lugares, mas sou muito ansiosa, ja decide que este ano passarei uma temporada na europa, preciso me sentir livre, mas o medo esta me travando. Nunca fui a um restaurante a noite sozinha, fico pensando que ficarei trancada todos os dias em casa. Gostaria que me falasse como faz pra lidar com esse tipo de situaçao em bares, restaurantes.
    adorei todas as dicas e pretendo usar cada uma kk

    • Oi, Alexsandra! Que bom que você gostou do post! :) Eu recomendaria a você começar a fazer passeios sozinha na sua cidade antes da viagem, justamente pra ir se acostumando. Restaurante, cinema, um bar mais tranquilo… Hoje em dia acho muito fácil não me sentir só num bar ou restaurante porque tem smartphones, né? Ficar olhando o Instagram, lendo uma reportagem ou conversando no Whatsapp faz o tempo voar :) Mas boa parte do segredo é simplesmente “ligar o foda-se” pra o que as pessoas vão pensar. Hoje não é mais tão incomum mulheres viajarem e saírem sozinhas, muito menos gente julga, e quem estiver julgando é porque tem a mente limitada e então problema dele/dela ;) Também levo sempre um livro na bolsa pra me fazer companhia… Dei mais dicas aqui, ó, vê se te ajudam: https://janelasabertas.com/2018/07/02/o-que-fazer-viajando-sozinho/

      Um abraço e muito boa sorte! Vai com medo mesmo, vai ser incrível :)

  10. Anderson

    Achei muito legal seu post.
    Sou muito ansioso e tenho sintomas de síndrome do pânico. Tenho tantos sonhos de conhecer lugares mas só de pensar em ir e ficar longe de casa já travo e tenho todas as crises de ansiedade já não sei o q fazer mais , estou vendo minha vida passar tenho medo de em uma viagem enlouquecer ou perder o controle ou começar a chorar e ficar desesperado pra voltar. O q indica pra mim ter uma vida normal ? Abraços

    • Oi, Anderson! Você faz terapia? A melhor coisa é o acompanhamento por um profissional e, em alguns casos, medicação específica pode ajudar a lidar com as crises. Não sou psicóloga nem psiquiatra, mas pela minha experiência pessoal, as dicas que menciono no post e no vídeo podem ajudar muito. No mais, acho que é importante não ser muito duro consigo mesmo e ir superando os obstáculos pouco a pouco. Ah, e vale lembrar que se você começar a chorar e quiser voltar, tudo bem! A viagem é sua e você lida com ela da melhor forma que puder; tente não se preocupar com a opinião dos outros e se orgulhar por ao menos tentar. :) Um abraço e boa sorte!

  11. Maria

    Nossa, você não sabe o quanto esse texto me tranquilizou! Eu estou indo viajar para o exterior pela primeira vez e vou passar uma semana fora. Eu algumas vezes já tive crises de pânico e de ansiedade, mesmo quando estou na minha cidade. Faço terapia há muitos anos, mas vez ou outra elas voltam. Eu estou com muito medo e angustiada só de pensar na ideia de viajar, tanto de avião quanto de ficar um tempo fora. Ler suas palavras me deixaram mais confortável. Vou seguir todas as suas dicas. Obrigada por compartilhar esse ombro-amigo-virtual ♥️

    • Oi, Maria! Fico muito feliz por ler esse comentário. Imagino como você se sente porque já estive numa situação parecida e poder ajudar de alguma forma é muito gratificante. :) Mas o medo costuma ser bem maior do que a realidade. Aposto que você vai se sair muito melhor do que imagina :) Boa sorte e boa viagem! <3

  12. Juliana Costa

    Que bálsamo ler suas palavras! Estou de viagem marcada pra Itália na proxima quarta feira e minha ansiedade está a mil. Sei que vai valer a pena mas o medo da ansiedade me atrapalha. Obrigada por compartilhar suas experiências aqui de forma tão clara e gentil. Já coloquei o blog entre os favoritos para ler sempre durante o período que estou viajando.
    Bjos e gratidão

    • Oi, Juliana! Fico MUITO feliz por saber que o blog te ajudou de alguma forma! A Itália é um país incrível e tenho certeza que sua viagem será também. Seja gentil consigo mesma e vá em frente, que vai dar tudo certo! :) Um abraço e boa viagem

  13. Filipe

    Belo postagem, Luísa! Obrigado! Já viajei e morei fora do país sozinho e já rodei muito o Brasil de todo jeito: carro, moto, avião… E agora estou prestes a me mudar de cidade por conta de trabalho e posso dizer uma coisa: por mais experiência que tenhamos, a ansiedade sempre estará lá, pois cada situação é diferente da outra, cada cidade é única e cada tempo de nossas vidas é singular. Então, a única coisa que se pode fazer é fazer mesmo assim! Com medo e ansiedade mesmo. Claro que sentir todas as sensações horríveis no corpo não é legal, mas tudo isso são coisas da mente, que mentem pra gente! Como vc disse, se der vontade de chorar, chore. Se der vontade de desistir e voltar, volte. Na minha experiência de viagem para fora do país, pensei que fosse morrer, pois nunca havia sequer entrado em um aeroporto, tampouco num avião! E hoje digo que foi a melhor e mais rica experiência que tive em minha vida! Desejo a todos coragem e força para continuarmos em busca de nossos sonhos. E que venham muitas e muitas viagens!

    • Oi, Filipe! Que massa teu comentário. É bem isso que você disse mesmo! Cada situação é diferente, cada momento da vida também. É claro que muita coisa fica mais fácil com o tempo e que a gente vai se ensinando aos poucos a não dar tanta bola pra essa mente traiçoeira, mas também é normal demais sentir medo, mesmo que não seja a primeira vez, né? Também te desejo muita coragem pra ir atrás de todos os seus sonhos, e muita sorte nessa nova fase :) Um abraço e boas viagens! \o/

  14. Thiele Aparecida

    Olá, vou passar por volta de um ano no México com o marido e minha filha de 1 ano e 5 meses . Ele já morou lá , mais eu nunca sai do país . Tenho muito medo de acontecer algo com a minha filha e eu não saber o fazer , ou o medo e a ansiedade não me deixar viver . Além do mais sou muito apegada a minha família e tenho muito medo de não conseguir viver os dias felizes.

    • Oi, Thiele! Além do seu marido, acredito que você vai encontrar pessoas com quem contar por lá, caso aconteça alguma coisa (o que provavelmente não será o caso). E também aposto que você vai se surpreender com sua capacidade de resolver problemas por lá. :) O mais importante, penso, é você tentar ir com uma postura otimista e disposta a ver possíveis perrengues iniciais, que são super normais, como experiências de aprendizado. Tente ver beleza nas pequenas coisas, respirar fundo quando a ansiedade bater e ficar orgulhosa por suas pequenas e grandes conquistas! O México é um país muito interessante e as pessoas por lá costumam ser abertas e ter um jeito parecido com o nosso. Estou te mandando vibrações positivas pra você ter uma excelente experiência por lá. :) Um abraço!

  15. FELIPE MEDEIROS

    Boa tarde! Como todo mundo aqui neste site, acho que, sentimos a curiosidade de pesquisar sobre o assunto e acabei encontrando este blog! Eu preciso ficar viajando uns 300 km e passar alguns dias e voltar a trabalho e para uma cidade que já morei durante um ano. Eu estive lá alguns meses atrás e não consegui ficar por um período de 1 mês. Acabei desistindo de uma proposta de trabalho na ultima hora. Não aguentei, tentei de todas as formas. Agora tenho que ficar voltando para dar treinamentos as empresas e a ansiedade já toma de conta. Eu fiquei com medo da ultima vez, mas não cheguei e ter panico, mas agora, estou com medo de ir e não conseguir. Mas, assim como outros medos, acho que o jeito enfrentar mesmo. Que Deus nos ajude e que o espirito santo nos conduza.

    • Oi, Felipe! Sim, infelizmente o jeito é enfrentar. Mas você tá fazendo tratamento psicológico? É importante também, pra ir desconstruindo essas travas! Te desejo muita força e sorte pra lidar com esses desafios. Um abraço! :)

Deixe o seu comentário