França

Giverny: como vistar os jardins de Monet pertinho de Paris

França | 24/04/14 | Atualizado em 15/05/18 | 4 comentários

Você tem um pintor favorito? Já imaginou entrar num dos quadros dele? Pois foi assim que me senti quando visitei os jardins de Monet em Giverny, em 2012. É que eu não entendo patavinas de artes plásticas, mas o impressionismo sempre mexeu comigo <3

~DSC06874

~DSC06897

Tanto que o Musée D’Orsay, dominado por essa corrente artística, é de longe meu preferido na capital francesa. E no rol dos impressionistas, não tem mais arrebatador que o querido Claude, né? (sou best).

Daí que na minha primeira visita a Paris fui não só no D’Orsay, mas também em outros museus onde ele se destaca: o Marmottan Monet, que fica meio afastado e só recomendo pra quem for realmente fã do pintor, e o Musée de l’Orangerie,que apesar de ficar entre o Louvre e a Place de la Concorde e abrigar painéis enormes e lindíssimos das ninfeias, é ignorado por muita gente.

Leia mais: 
Onde se hospedar em Paris: um guia bairro a bairro
Todos os posts sobre a França

~DSC06901

Esse blablablá todo é pra dizer que fico fascinada pelas cores, luzes, sensibilidade e delicadeza do impressionismo e pelo quanto esse estilo nos recorda a fugacidade de todas as coisas, que mudam a cada minuto.

E também pra falar que quando fui a Paris pela primeira vez, no inverno, fiquei frustradíssima por não poder conhecer a casa e os jardins do mestre Monet, em Giverny, a uns 80 quilômetros da capital. É que a Fondation Claude Monet só funciona entre 1 de abril e 1 de novembro, porque no resto do tempo as florzinhas devem tar mortinhas :(

Vai pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório pra entrar lá!
Clique aqui e saiba como contratar o seu com desconto.

~DSC06932

Mas como esse é um blog chegado a finais felizes, já dei o spoiler lá em cima: a frustração logo se resolveu na minha segunda visita, em que o clima era favorável, e hoje posso vir aqui contar como faz pra ir até lá e por que vale a pena \o/

A Fondation Claude Monet funciona na casa onde o pintor-jardineiro viveu por mais de 40 anos, até sua morte em 1926. E além de morada, o lugar era uma grande fonte de inspiração. Afinal, não se contentando em viajar pra lá e pra cá e retratar as paisagens mais lindas do jeito mais lindo, o cara ainda conseguiu criar esses jardins que são obras-primas por si sós.

~DSC07001

O jardim das flores (Clos Normand) já é uma graça, mas o momento de tirar o fôlego mesmo é o Jardim das Águas, com vegetação oriental, salgueiros, as famosíssimas ninféias e a icônica ponte japonesa <3 Também não deixe de espiar a casa em si, coberta de flores e super charmosa com seus cômodos monocromáticos (cozinha azul, sala de jantar amarela – amei!) e a coleção de gravuras japonesas de Monet.

~DSC07006

Informações práticas:

Eu fui de trem e não tem muito mistério: basta pegar o metrô até a estação Saint Lazare (que foi pintada por Monet) e comprar uma passagem até Vernon. Você pode comprar a passagem antecipada online, mas não tem desconto nem lugar marcado. A estação fica na linha Paris-Rouen. Soa familiar? Deve ser por causa da Catedral de Rouen, também pintada por Monet em vários momentos do dia ^^

~DSC07016

O trem mais rápido chega em Vernon em 45 minutos. (Obs: quando for viajar de trem na França, não se esqueça de validar – “composter” – sua passagem enfiando-a numas maquininhas amarelas antes de subir no vagão).

Chegando lá, basta seguir as placas pra pegar um ônibus que sai de junto da estação 15 minutos depois da chegada de cada trem. São mais 10-15 minutos de viagem até chegar em Giverny, a uns 5 minutos de caminhada da Fondation. Quando fui, no começo de junho, não tinha muita gente; no auge do verão, no entanto, as filas podem ficar grandes, então se preferir compre o ingresso online aqui.

~DSC07038

A visita dura umas duas ou três horas, dependendo de quanto tempo você passar contemplando os detalhes <3 Neste link, dá pra ver os horários dos trens e se programar. Recomendo sair cedo e levar um sanduíche pra comer na volta, na hora do almoço. Assim, você pode curtir o lugar com menos movimento e aproveitar o resto do dia em Paris. Na época, eu paguei 26 euros (ida e volta) pelo trem + 8 euros (ida e volta) do ônibus + 5 euros do ingresso de estudante (a inteira custa 9,50 euros). E olha, palavra de escoteira: vale muito a pena! As fotos não fazem jus à lindeza, sério :~)

~DSC07054

~DSC07056

Contrate seu seguro viagem com desconto na Mondial Assistance
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

4 Comentários

  1. Fátima Toutonje Mitozo

    Obrigada Luisa por suas dicas e informações, elas me ajudarão muito, irei em abril para Paris e quando estive lá em 2013 não pude visitar os jardins de Monet, agora lendo seu blog vi que não é tão difícil, pode ter certeza que irei e vou seguir todas as suas dicas. muito obrigada mais uma vez. Um grande abraço.

    • Luísa Ferreira

      Oi, Fátima! Vá mesmo, é bem tranquilo :) Obrigada pelo comentário! Um abraço e boa viagem :D

  2. Michely

    Ótimas dicas!Vou a Paris na próxima semana e desejo ir a Giverny

Deixe o seu comentário