França

Como visitar o Museu do Louvre, em Paris: ingressos e principais obras

Por Daniele Carvalho

Planejando visitar o Museu do Louvre, em Paris? Esse é o museu mais importante da França e um dos mais visitados do mundo. E justamente por ter um grande número de visitas todos os dias e filas enormes para visitá-lo, existem algumas dicas e segredos que facilitam a vida dos que não gostam de perder tempo. Aqui você vai encontrar dicas de como comprar o ingresso para uma entrada sem filas, como visitar o museu sem perrengues e as obras mais “importantes” para conhecer.

História do Museu do Louvre

Antes de visitar o Museu do Louvre, é importante entender um pouco sobre a sua história e como o palácio se tornou tão grande e tão importante para a França. Resumidamente, o palácio do Louvre foi construído no século XII sob o reinado de Felipe II, e era uma grande fortaleza. Depois que houve a expansão urbana de Paris, ele perdeu essa função e se transformou na residência de várias famílias da realeza francesa.

Quando o rei Luís XIV se mudou para o Palácio de Versalhes, o edifício ficou com a função de exibir as obras de arte da Coroa, e foi aí que começou o processo dele se transformar em museu.

A princípio, só existiam peças da monarquia francesa no local, mas a coleção foi aumentando por conta de doações privadas e também por espoliações de Napoleão pela Europa. Lá também existem obras que foram obtidas de forma legal, como as obras arqueológicas egípcias e etruscas, por exemplo.

Leia também:
Onde se hospedar em Paris: dicas bairro a bairro
Roteiro para 24 horas em Paris: principais atrações
Todos os textos sobre a França

Como comprar o ingresso e evitar filas

É possível comprar o ingresso para o museu do Louvre na própria bilheteria de lá, mas geralmente as filas são enormes e demoradas. Uma boa opção para você não ter que enfrentar essas filas é comprar através do próprio site do museu. Vai custar alguns euros mais caro, porém você não vai se preocupar com se ainda terá ingresso e com as grandes filas ao chegar no local.

como visitar o museu do louvre

Foto: eurotrip.com.br

O ingresso individual pelo site custa em torno de 17 euros, mas saiba que a entrada é grátis para menores de 18 anos e para todos nos primeiros domingos de cada mês. Os horários de abertura do museu também variam: nas segundas, quintas, sábados e domingos, ele funciona das 9h da manhã até às 18h da noite. Nas quartas e sextas, é aberto das 9:00 às 21:45 horas. Nas terças o museu é fechado. Confirme as informações no site oficial antes de visitar o Museu do Louvre, porque podem acontecer alterações a qualquer momento.

Na hora de escolher seu horário, recomendo que compre depois das 16h, porque é quando o museu começa a ficar mais vazio. Se você for visitar num dia em que ele fecha às 18h, compre para umas 15h. Em geral, quanto mais perto do museu fechar, mais vazio ele estará. Quando fui, era uma quinta-feira, então entrei no museu às 15h e deu para visitar muita coisa tranquilamente.

Ah, apesar de a entrada no primeiro domingo de cada mês ser de graça, eu não recomendaria ir nesse dia porque o museu fica simplesmente lotado. Aproveite para conhecer outros lugares de Paris aqui.

O que visitar no museu do Louvre: principais obras

Ainda que você ficasse o dia inteiro conhecendo o museu, não seria o suficiente para conhecer a fundo todas as mais de 35 mil obras expostas lá dentro. Só a seção de pintura, por exemplo, tem mais de 12 mil itens. Por isso, antes de visitar o Museu do Louvre vale a pena ter uma noção do que você faz mais questão de conhecer.

Para facilitar, vou listar aqui quais são as obras consideradas mais importantes, mais visitadas pelos turistas e que acho mais interessantes. 

Mona Lisa: essa obra de Leonardo da Vinci é o quadro mais visitado do museu e fica na sala 6 do primeiro piso da ala Denon. A pintura é tão procurada que no museu existem várias placas apontando onde ela está.

como visitar o museu do louvre

Foto: Unsplash (Creative Commons)

A Liberdade Guiando o Povo: essa pintura de Eugène Delacroix retrata uma mulher em cima de vários corpos com a bandeira da França em uma mão e um mosquete em outra. Essa obra inspirou a criação da estátua da Liberdade, em Nova York, e também a efígie da República Federativa do Brasil na nota de 100 reais. Ela fica na sala 77 da ala Denon.

O casamento em Caná: também conhecida como As Bodas de Caná, essa é a maior pintura de todo o museu (tem 6,77m por 9,94m) e fica na sala 711 também da ala Denon. A pintura ilustra a festa de casamento em que Jesus transformou a água em vinho.

Vitória de Samotrácia: essa é uma escultura grega que representa Nice, a deusa da força e da vitória. Acredita-se que ela foi feita aproximadamente nos anos 200 a.C. para comemorar alguma vitória em Rhodes. A obra é considerada um grande tesouro do Louvre e, talvez por isso, fica em um lugar de destaque no museu: a escadaria Darú.

Psiquê revivida pelo beijo do Cupido: escultura do italiano Antonio Canova, essa obra mostra os amantes Cupido e Psiquê no momento em que ele a beija e a traz de volta à vida. Essa é considerada uma obra-prima do movimento artístico Romantismo e fica na sala 04 da ala Denon.

estátua do museu do louvre

Foto: eurotrip.com.br

Vênus de Milo: essa é uma estátua da Grécia Antiga que foi atribuída a Alexandre de Antioquia e é hoje uma das mais conhecidas estátuas antigas do mundo. A escultura fica na sala 16, no térreo da ala Sully.

O apartamento de Napoleão III: essa também é uma área bastante visitada pelos turistas e mostra os cômodos originais do sobrinho de Napoleão Bonaparte, que foi imperador da França. Os cômodos chamam a atenção pelo luxo e riqueza de cada pedacinho do lugar. O apartamento fica na sala 87, no primeiro piso da ala Richelieu.

E aí, tudo pronto para visitar o Museu do Louvre? Confira mais informações sobre ele e dicas de Paris no blog Eurotrip.

Texto escrito por Daniele Carvalho para publicação no Janelas Abertas. Publicitária e apaixonada por viagens, Dani adora dar dicas e opiniões sobre a Europa no seu blog Eurotrip.

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário