Escócia

Edimburgo sinistra: histórias reais de terror são atrações na capital escocesa

Escócia | 15/01/18 | Atualizado em 04/04/18 | Deixe um comentário

À primeira vista, Edimburgo é uma cidade bem fofa, com charmosas ruas cheias de prédios antigos. A fofura é real, mas um olhar mais apurado ou alguns minutos de conversa com um guia turístico fazem surgir um lado mais sombrio. Becos, vielas, praças e até caminhos subterrâneos estão repletos de histórias reais e lendas urbanas dignas de filme de terror.

Muito do que se conta sobre o passado medieval da capital escocesa deve ter acontecido em várias outras cidades igualmente antigas, mas lá o pessoal soube explorar o potencial turístico da “Edimburgo assombrada”. E confesso: esse aspecto macabro foi uma das minhas partes preferidas do período que passei por lá. :)

Histórias de enforcamento

Hoje uma região charmosa e cheia de lojas, restaurantes e pubs, a região conhecida como Grassmarket abrigou causos sinistros na Idade Média: a praça era usada pra execuções públicas no tempo em que um dos principais entretenimentos da população era reunir a família e ir ver criminosos sendo enforcados. E a gente ainda reclama da má qualidade da programação televisiva, né? :P

grassmarket square

Ali perto, o cemitério de Greyfriars Kirkyard é outro ponto turístico popular. Cerca de 200 mil pessoas já foram enterradas ali desde o século 16 – “um em cima do outro, feito uma lasanha”, segundo me contou a guia do ótimo Free Walking Tour que fiz por lá, também repleto de histórias macabras. E muitos espíritos “famosos” teriam sido vistos perambulando pelo local desde então…

(Curiosidade não muito relacionada: J. K. Rowling, autora da série Harry Potter, frequentava o cemitério e se inspirou nos nomes de várias pessoas enterradas ali pra batizar seus personagens)

cemitério em edimburgo

Muitos dos tradicionais pubs da cidade também têm histórias macabras por trás. Um exemplo é o Deacon Brodie’s Tavern, batizado assim em “homenagem” a um cara chamado William Brodie. Durante o dia, ele era um cidadão respeitável que trabalhava instalando fechaduras. À noite, dizem, era viciado em jogatina. E, pra sustentar o vício, invadia as casas dos clientes ricos pra roubá-los. Pego em flagrante, ele acabou sendo enforcado, e sua história teria servido de inspiração pra criação dos personagens Dr. Jekyll e Mr. Hyde (O Médico e o Monstro).

Outra história famosa é a que deu nome ao Maggie Dickson’s pub. Maggie foi uma das condenadas à forca no Grassmarket, supostamente por ter escondido uma gravidez indesejada que acabou na morte do bebê. No entanto, enquanto transportavam seu caixão, o pessoal escutou uns barulhos e descobriuque – txarans – ela ainda estava viva. A mulher viveu por mais 40 anos, ficando conhecida como Half-Hangit Maggie.

Leia também:
Onde se hospedar em Edimburgo: hostel confortável e estiloso
Roteiro pelo Reino Unido: 20 dias da Escócia à Inglaterra
O que fazer em Edimburgo: roteiro completo

Baldes de fezes e Peste Negra

Sem falar nas histórias relacionadas a doenças e más condições de higiene, que não são assim tão assombrosas, mas também causam impacto. Afinal, estamos falando da Idade Média, né? E quando saneamento básico não existia nem em sonhos, todo mundo juntava os excrementos em baldes, que eram esvaziados pela janela quando chegavam ao limite.

Visualize a cena: você está caminhando por uma cidade cheia de prédios espremidos uns aos outros, porque não sobrava muito espaço e ninguém queria morar fora dos portões que a protegiam. De repente, não mais que de repente, ouve um grito: “gardy loo!”.

Se você soubesse o que isso significa, certamente sairia correndo. É que o alerta era uma tradução tosca da frase “gardez l’eau”, que as pessoas pensavam ser o francês pra “cuidado com a água”. A água, no caso, era a mistura de fezes e urina atirada na rua. Ah, e se você não entendesse o grito? O resultado não seria nada agradável, é claro.

Ainda no tópico higiene, vale mencionar uma lenda urbana que criou uma das atrações turísticas mais populares da cidade. Dizem que durante a epidemia de Peste Negra na cidade, em 1645, doentes foram “quarentenados” em muitos dos becos (“closes”) de Edimburgo, e muitos morreram ali mesmo.

beco em edimburgo

Um dos mais famosos foi o Mary King’s Close, e hoje ele pode ser visitado em um tour guiado de uma hora. Não fiz esse passeio porque quando cheguei só tinha horário livre pra noite e ia chocar com outro compromisso assombroso que eu havia marcado: o passeio guiado Evening of Ghosts and Ghouls da Mercat Tours.

Vai pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório pra entrar lá! 
Clique aqui e saiba como contratar o seu com desconto.

Tour por túneis subterrâneos

O passeio começa na Mercat Cross, na Royal Mile, principal rua de Edimburgo. A partir dali, passamos cerca de uma hora caminhando pelas ruas e becos, enquanto um guia vestindo uma capa preta contava histórias como as que mencionei acima, além de explicar em detalhes as torturas aplicadas nos criminosos.

Existem vários outros tours com foco na Edimburgo sinistra, mas enquanto alguns usam monstrinhos e efeitos artificiais pra dar sustos numa vibe que me parece mais pega-turista, o da Mercat é um dos que se baseiam no storytelling mesmo. Meu guia foi Edgar, um português com inglês excelente e bom conhecimento das histórias, equilibrando descrições detalhadas com alguns momentos ligeiramente tensos (e vários engraçados).

edimburgo sinistra

passeio com a mercat tours

Não vou contar todas as histórias que ouvi no passeio pra não acabar com a graça, mas o highlight desse tour que eu fiz (a própria Mercat oferece alguns outros com a temática assombrosa, como você pode ver aqui) foi o momento em que descemos aos South Bridge Vaults.

Esse conjunto de porões localizados no subsolo abaixo dos arcos da South Bridge são um sistema de túneis e salas subterrâneos construídos nos anos 1780. Durante décadas, eles foram habitados por traficantes, prostitutas e pessoas pobres, mas o mais curioso é que também eram usados pra armazenamento de materiais ilícitos.

Incluindo, dizem, cadáveres roubados e revendidos pra professores de medicina usarem em aulas de anatomia. Esses lugares só foram descobertos por volta de 1980, e supostamente ainda existem umas almas vivendo ali… Sou cética com essas coisas, mas se você acredita, essa parte do passeio pode provocar uns calafrios. ;)

mercat tour

vault em edimburgo

O tour dura cerca de duas horas e termina numa sala subterrânea com mesas e cadeiras, onde o guia conta as últimas histórias à luz de velas enquanto cada participante toma uma dose de whisky ou um copo de cerveja ou refrigerante. Uma experiência divertida e diferente, que ajuda a entender melhor a sombria história da cidade.

Esse passeio é liberado pra crianças a partir de 5 anos, mas os pais têm que julgar se elas vão ficar bem; eu acho que se a criança não fala inglês, pode ser mais tedioso que qualquer coisa. Atualmente ele custa 16 libras, incluindo a bebida no final. Pra ver os horários de saída atualizados, acesse o site da Mercat Tours, que também oferece passeios em espanhol, francês e italiano.

passeio da mercat tours

O Janelas Abertas visitou Edimburgo com o apoio do Visit Britain, que facilitou o acesso a atrações turísticas na cidade. Todas as opiniões manifestadas aqui são pessoais e não sofreram interferência alguma da Mercat Tours ou do Visit Britain. O Janelas Abertas preza pela transparência e sempre sinaliza eventuais parcerias e patrocínios.

Contrate seu seguro viagem com desconto
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário