Viagem pra Dentro

Carta para Gabriel no seu aniversário de três anos

Viagem pra Dentro | 01/03/18 | Atualizado em 17/03/18 | 6 comentários

Gab, agora que tás completando três anos vou te contar um segredo. Nasci 25 carnavais antes de tu, mas às vezes me sinto meio criança também. Olho pra esse mundo louco e sinto como se tivesse acabado de chegar por aqui. É que as pessoas às vezes são ruins umas com as outras, amar pode ser um pouco complicado e muita coisa não é justa como teus pais te ensinam que deve ser. Mas sei que já prestasse atenção num punhado de coisas boas nessa vida e te prometo: a aventura vale a pena.

Acho que já sabes disso, né? Desde tua chegada já percebesse que a natureza é uma coisa mágica (e lembrasse todo mundo em volta de olhar pra ela com mais carinho). As folhas balançando na calçada de casa, o mar dando caldo na gente, a poça d’água que respinga quando tu pulas em cima. Espero que nunca te esqueças disso. Porque o mundo é bom também. Feito o cafuné da tua mãe, sabe?

Tem muita besteira por aí que não merece nossa atenção, mas uma coisa ou outra é importante. Como saber que uma boa amizade vale até mais que brigadeiro e que um abraço apertado conserta muita coisa. E que a gente é menor que um grãozinho de areia no meio dum universo imenso, mas tem poder de super-homem pra transformar algumas coisas que tão erradas por aí. Ainda mais se formos juntos, tipo a liga da justiça.

Sim, Gab, temos cada um nossos superpoderes especiais. Um dia podes até pensar que não és capaz de fazer algumas coisas. Outras pessoas talvez te digam isso também. Mas nesse caso não vale a pena dar ouvidos nem aos outros nem a si mesmo. Só escuta mesmo teu coração, que ele é até mais sabido que a tia da escola.

Quer dizer, escuta também o que vem do coração das outras pessoas. É que ouvir os outros, com aquela mesma atenção que dás ao desenho da porquinha, entra na lista das coisas importantes. Mesmo assim, quase toda a gente tem mania de falar só. Parece coisa de doido, né? Mas quando a gente cresce acho que ficamos todos meio doidos mesmo.

E agora que tamos falando dos outros, não esquece disso também, Gab: todo mundo merece respeito. Muita gente vai te dizer uma frase bem repetida por aí: “trate os outros como gostaria de ser tratado”. Mas vou ser do contra e te ensinar que isso não é verdade. Porque nem sempre o outro sente as coisas igual à gente, sabe? Pode ser que ele tenha um machucado que não dá pra ver, que não fica ali no joelho embaixo dum band-aid. Então é preciso olhar com carinho, que nem tu olhas hoje pra o cachorrinho da praça. Tem uma palavra bem bonita que talvez ainda não tenhas aprendido: empatia. Depois a gente olha juntos no dicionário.

Ah, tem mais uma coisa que eu não podia deixar de fora. Nós meninas (sim, tia Lulu é grande, mas é uma menina) parecemos diferentes, mas somos gente igualzinho a vocês, meninos. Muitas dessas diferenças são invenções das pessoas grandes. Na verdade verdadeira não tem essa de “coisa de menino” e “coisa de menina”. Vocês podem todos brincar juntos, ser amigos e se ajudar, usar a roupa que querem e gostar do que quiserem. Alguém pode até querer te convencer de que um monte de coisas bonitas e naturais, como chorar e ser carinhoso, são “coisas de menina”, mas tenho certeza que teus pais não te deixam acreditar nessa mentira.

É, Gab. Esse mundo é cheio de mistérios mais loucos que o arco-íris que pinta o céu quando o sol se mistura com a chuva. De vez em quando, até mamãe e papai vão fazer coisas que tu não entendes. Às vezes vais precisar ir em frente sem ter tanta certeza do caminho (ou nenhuma certeza que seja, nem das mais pequenininhas). Vais encontrar umas portas fechadas que não têm chave. Mas sempre vai ter gente ao teu redor que te ama e que vai segurar tua mão como a gente faz agora pra atravessar a rua.

E não, não adianta insistir. Não vou te contar como fiz pra prever o futuro. Mas também sei que vais encontrar muitas janelas pra abrir (não deixa de espiar quanta coisa te espera lá fora) e muros pra pular (te dou um calço), ou até pra derrubar (sem ficar de castigo, prometo).

Sem falar nas músicas pra ensolarar dias nublados por dentro, cócegas pra espantar aperreios, carnavais pra lembrar que viver é uma festa e histórias pra não esquecer de sonhar.

Eita, quase me esquecia de desejar feliz aniversário. Tou longe, mas pensando em tu. Agora, quando tu puderes ler isso aqui e até todo o sempre. Te amo, pequeno. ♥

Tia Lulu

Contrate seu seguro viagem com desconto
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

6 Comentários

  1. JULIA KACOWCZ

    Que coisa mais linda! Guardando tudinho pra ele ver quando puder!!!

  2. Lia

    Por favor, que Gab possa ler logo essa carta! Hahaha ♥️

  3. Leonardo Santos

    Confesso que me emocionei, mesmo conhecendo esta tia incrível !
    Desejo que ele cresça logo e tenha semelhante emoção.
    Beijos.
    PS: Este blog tem muitas coisas especiais, e esta liberdade em “abrir janelas” é uma das que mais me fascinam.

Deixe o seu comentário