Destinos

O Natal pelo mundo segundo meus amigos

Destinos | 22/12/14 | Atualizado em 12/12/18 | 3 comentários

Quer testar o “espírito solidário e fraternal” do Natal? Pergunte-me como! Pra escrever esse post sobre o Natal pelo mundo, pentelhei vários amigos mundo afora pedindo que eles dedicassem alguns minutos de suas corridas rotinas pra me contar como são as tradições natalinas nos lugares onde vivem.

Sim, eu podia encontrar isso já pela internet. Mas muito do que eu achava por aí era um exagero das partes mais pitorescas de cada festa, e depois de ler em vários sites sobre uma suposta tradição natalina russa da qual pouquíssimos russos tinham ouvido falar, resolvi ir atrás das informações com fontes de confiança. Afinal, uma das coisas mais legais de ter amigos de vários países é conhecer um pouquinho de culturas distintas.

Como resultado, quase 20 fofuxos me presentearam com relatos das celebrações de fim de ano nas suas realidades. Como vocês vão ver a seguir, tem muita coisa parecida em vários países, mas tem um bocado de tradição diferente também, o que é sempre massa. Só vale lembrar que os costumes podem variar de uma região pra outra e até entre famílias. Vamos nessa dar uma pequena volta ao mundo?

Leia também:
O Ano Novo pelo mundo segundo meus amigos

Como é o Natal pelo mundo

França

Por Alexandra Ferreira, de Bordeaux, e Anne Sophie Maurice, de Bois-le-Roi/Paris

A partir de meados de novembro, quase todas as lojas e casas francesas ficam decoradas pra o Natal, e  músicas natalinas tocam nas rádios e nas ruas <3 Também é fácil encontrar pequenas e grandes bandas tocando essas músicas por toda parte, às vezes até embaixo de chuva e neve.

Os mercados de Natal, também tradicionais no mundo germânico, são um capítulo à parte! Eles são lindos, gratuitos e existem em quase toda cidade. Neles, você pode comprar produtos feito à mão, comidas de todo o país, pratos especiais de Natal e vinho quente. Em cidades maiores, tem também patinação no gelo e outras atrações invernosas.

No dia 24 em si, o foco da festa é a comilança :D Fica-se de três a seis horas à mesa, comendo foie gras, trufas, salada de salmão, coquille Saint Jacques, lagosta, ostras, entre outros pratos (muitos deles do mar), e tomando champanhe e vinho. Na Provença, a tradição é fazer 13 (!!) sobremesas: pâte d’amende con noix dates pruneaux, calissons d’axe, pompe a huile, bûche de Nöel etc. Uma perdição, né?

Colmar_Xmas_Market

Mercado de Natal em Colmar, na França
Foto: Office de Tourisme de Colmar

Portugal

Por Maria João Morais, de Bragança

Em Portugal, o prato típico da “noite de Consoada” (véspera de Natal) é o bacalhau cozido, geralmente acompanhado de batata, couve e ovo cozido. Os doces são fundamentais: sonhos, rabanadas, filhoses, quase todos fritos e muito tradicionais.

No dia de Natal, além do peru ou cordeiro assado é habitual fazer a chamada “Roupa Velha”: aproveitar o bacalhau que sobrou da noite anterior e fazer uma mistura com o resto da batata, ovo etc e tal. De resto, as tradições são as habituais: os presentinhos na árvore abrem-se depois da meia-noite e depois muita gente vai à Missa do Galo.

Na região de Trás-os-Montes, há também uma tradição secular na época do Natal que é a chamada Festa dos Rapazes ou dos Caretos, em que homens usam uma máscara feita de couro, latão ou madeira.

Chile

Por Maria Paz Gonzalez, de Santiago

O Natal no Chile não é muito diferente do Brasil. Também é verão por lá e a influência norte-americana também é forte, então os pais e tios sofrem com o calor nas roupas de Papai Noel e as árvores são decoradas com flocos de neve ainda que façam 33ºC. Tradicionalmente, ainda que cada vez menos, as famílias vão à Missa do Galo por volta das 18h.

Depois, vão pra casa comer peru com salada, acompanhado de um drinque chamado “Cola de Mono”, que é uma mistura de aguardente, leite, café, açúcar e especiarias como canela. O Papai Noel é chamado também de “Viejito Pascuero”, e no dia 25 as crianças vão pra rua brincar com os presentes que receberam dele na noite anterior, enchendo os parques e praças :) Ah, por lá também é comum fazer “amigo secreto”.

Holanda e Bélgica

Por Lynn van Leerzem, de Midelburgo/Haia (Holanda) e Sarah Vleugels, de Bree/Antuérpia (Bélgica)

Na Holanda, tem outra festa em dezembro ainda mais popular do que o Natal – ainda que bastante controversa. Trata-se do Sinterklaas (São Nicolau, que teria dado origem ao Papai Noel), um santo que viaja da Espanha pra os Países Baixos todos os anos com um grande navio cheio de presentes.

Ele passa pelos telhados em um cavalo branco e seus ajudantes entram nas casas pela chaminé, enchendo os sapatos das crianças com brinquedos e doces. A festa é celebrada na noite de 5 de dezembro, o dia festivo mais importante pra muitas crianças holandesas.

Na Bélgica (ao menos na parte flamenca), também se celebra esse dia com muita festa e as crianças ficam esperando a chegada do Sinterklaas ansiosamente por semanas. Várias músicas são cantadas toda noite, as crianças se fantasiam como os ajudantes, escrevem poemas umas pras outras etc. No dia 5, elas colocam um sapato pela casa pra receber os presentes.

Mas e a parte da controvérsia? É que os ajudantes de Sinterklaas, chamados de Zwarte Pieten, são pintados de preto e usam roupas que lembram os escravos da época colonial. Muita gente, segundo Lynn, nunca percebeu isso como uma prática racista (dizendo, inclusive, que os personagens são pretos porque descem pela chaminé).

No entanto, nos últimos anos o debate em torno desse tópico tem crescido e hoje recebe mais atenção do que a celebração em si. Têm aparecido até uns Piets brancos com algumas manchas pretas que seriam causadas pela chaminé e tal. Mas o Natal em si também é importante por lá, então se você for pra casa de um holandês ou belga no dia 24 pode esperar uma grande ceia!

Sinterklaas_zwarte_piet

Sinterklaas e Zwarte Piet
Foto: Michell Zappa, Wikimedia Commons,CC-BY-SA 2.0

Martinica

Por Christopher Audel, de Diamant

Na Martinica, departamento ultramarino francês na América Central, a chegada do Natal começa a ser sentida em meados de novembro. Nessa época, já se organizam os chamados “chanté Nwel”, concertos em praças públicas com grupos cantando canções de Natal. Cada martiniquense tem seu próprio libreto com todas as letras das músicas, então toooodo mundo canta junto :)

Isso acontece em todos os finais de semana até 24 de dezembro, em todas as cidades da ilha. Na noite do dia 24, os mais religiosos vão à missa das 20h e depois celebram comendo muito “boudin rouge” (uma linguiça como a morcilha espanhola), “patés salés” (tipo umas empadas recheadas de carne de porco), “jambon Nwel” (um presunto parecido com tender, assado no forno com mel), ragú de carne de porco, inhame e “pois d’angole” (um tipo de feijão que só se come nessa época). Pra beber, não podem faltar punch coco (um tipo de álcool de coco) e schrub (álcool de laranja).

Espanha

Por Unai Ortega, de Bilbao

O Natal é muito importante na Espanha. Desde o começo de dezembro, as ruas e lojas ficam enfeitadas com árvores de Natal e bonecos de neve. No dia 24, se faz o jantar, numa noite mais tranquila e familiar. Geralmente se come entradas como queijo, presunto, aspargos e depois marisco, camarões e uma sopa de peixe, também carne ou peixe e por fim a sobremesa, que sempre inclui turrones (tipo um nougat) e outros doces. No dia 25 pela manhã, as crianças vão abrir os presentes que Papai Noel trouxe.

Mas tem um detalhe: na Espanha toda se celebra o Papai Noel, enquanto no País Basco o personagem mais célebre é o Olentzero, um homem do campo que vive na montanha, em uma casa típica basca, e é minerador. Ele desce à cidade nessa época com seu burro, levando uma sacola cheia de brinquedos pras crianças – mas aqueles que não se comportaram durante o ano ganham carvão em vez de presentes ;)

Além do Natal, é muito importante na Espanha o Dia de Reis, que se celebra em janeiro. Leia mais sobre isso no post sobre tradições de Ano Novo.

Leia também:
Curiosidades sobre a Espanha: parte 1
Curiosidades sobre a Espanha: parte 2
Curiosidades sobre a Espanha: parte 3

Olentzero_ordizia_0002

Boneco do Olentzero
Foto: Wikimedia Commons

Argentina

Por Diego Marccovechio, de Mar del Plata, e Gastón Prats, de Coghlan/Buenos Aires 

Na Argentina, muita da tradição é herdada da Itália, já que vários imigrantes desse país foram pra lá durantes as Guerras Mundiais. Normalmente, os argentinos passam o Natal com a família completa. As festas são grandes e muito “italianas”: todo mundo grita e se come muito, muito mesmo, sobrando comida pra mais três dias.

Normalmente se come “ensalada rusa” (batatas, cenoura, ervilhas, tudo com maionese) e um prato típico italiano chamado Vitel Toné (uma carne com molho feito à base de atum, alcaparras e às vezes anchovas). Depois, é hora das tortas, guloseimas, pão doce etc. À meia-noite, começam a abrir os presentes. Todos brindam juntos e se beijam agradecendo uns aos outros (os homens também, já que isso é de boas por lá).

Polônia

Por Marta Balcerzyk, de Poznań

A temporada natalina na Polônia também começa mais cedo, assim como na Holanda: no dia 6 de dezembro, eles celebram São Nicolau, que chamam de “mikolajki”. A superstição diz que você deve deixar um par de sapatos limpos junto da porta pra ganhar um presente :)

Na véspera de Natal, tem uma tradição bonita: as famílias esperam até que o parente mais jovem veja a primeira estrela no céu pra poder começar a ceia. Também rola da família cantar músicas natalinas ou de a pessoa mais velha da família ler partes da bíblia. Depois, todos compartilham um wafer natalino (super fino e branco) e desejam coisas boas um pro outro, como um símbolo de unidade e amor.

Por lá, tem também umas superstições pra noite do dia 24: acredita-se que o que você fizer nesse dia, vai fazer o ano todo (por isso, recomenda-se não trabalhar demais nem discutir com as pessoas) e também aconselha-se deixar um prato a mais na mesa, pra um estranho que pode chegar na sua casa – nunca dizer não se alguém aparecer inesperadamente naquele dia. Ah, também tem a história de que você não deve deixar roupas penduradas no varal nessa data, ou então alguém da família vai se enforcar :O

Além disso, deve-se comer 12 pratos (o número de apóstolos de Jesus), que normalmente são carpa frita, repolho com cogumelos, bolinhos de massa (“dumplings”) com repolho, cogumelos ou batata e queijo, compotas de frutas secas, vários pratos feitos com arenque, sopa de cogumelos e sobremesas como “makowiec” (um bolo de sementes de papoula) e kutia (um tipo de pudim).

Depois, a pessoa mais nova da família deve começar a pegar os presentes de baixo da árvore e algumas pessoas vão pra missa da meia-noite (pasterka).

natal pelo mundo - wafers na polônia

Wafer de Natal da Polônia
Diego Delso, Wikimedia Commons, License CC-BY-SA 3.0

Romênia

Por Claudia Solomon, de Bacǎu (Romênia)/Turim (Itália)

Na Romênia, as festas também começam na noite do dia 5 pra o dia 6 de dezembro, quando se celebra o Santo Nicolae. O velhinho é um personagem importante para as crianças, trazendo os primeiros presentes, doces ou frutas. Ele também deixa os mimos nos sapatos, então todo mundo (os adultos também) limpa bem os sapatos à noite, pra não correr riscos ;)

No dia 24, é comum as crianças baterem à porta dos vizinhos cantando músicas de Natal, que são chamadas de Colinde e costumam ser acompanhadas de um sino, e quem abrir oferece às crianças dinheiro ou doces (um pouco como o “trick or treat” americano). Na hora da ceia, estão sempre presentes muitos pratos com carne e doces como o Cozonaci, feito com farinha de trigo, cacau e nozes.

Itália

Por Claudia Solomon, de Bacǎu (Romênia)/Turim (Itália)

Na Itália, o começo das celebrações é em 8 de dezembro, dia da Imaculada Conceição. Nesse dia, normalmente as famílias começam a decorar a casa, janelas e varandas pra o Natal. Também é costume construir presépios, mas não se coloca neles o menino Jesus até a noite do dia 24.

A noite da véspera do Natal, chamada Vigilia di Natale, é passada em família e os pratos da ceia (Cenone di Natale) variam de acordo com a região. No norte da Itália, não pode faltar carne de “cappone” (um tipo de frango), ravioli e agnolotti.

No sul, se come mais peixes e frutos do mar. Entre os doces típicos estão o Pandoro (um doce suave que surgiu sem recheio, só coberto com um pouco de açúcar de confeiteiro, mas hoje também é feito com recheio de creme, chocolate etc) e o Panettone, que chegou a muitos outros países. No dia 25, a festa continua com outros pratos tradicionais italianos, enquanto no 26, dia de Santo Stefano, se come as sobras dos dias anteriores.

Pandoro_cut_01

Pandoro, sobremesa natalina italiana
Foto: Armin Kübelbeck, Wikimedia Commons, CC-BY-SA 3.0

Canadá

Por Melissa Cara Marie, de Toronto

No Canadá, o Natal é bem parecido com o dos Estados Unidos, com muitas das tradições que importamos no Brasil. Muitas famílias não comem carne durante o dia todo na véspera do Natal, e na ceia se come muito peixe e mexilhões. Também se faz por lá um tipo de “amigo secreto”, chamado Kris Kringle, e no dia 25 as pessoas acordam cedo pra abrir as meias cheias de presentes que ficam na frente da chaminé e os pacotes que ficam embaixo da árvore :)

E você, conhece outras tradições de Natal pelo mundo ou nos países acima? Conta nos comentários!

Posts Relacionados

3 Comentários

  1. Carina Teixeira

    Adorei este post. Excelente ideia juntar testemunhos de tradições de Natal pelo mundo :D Muito bom!

  2. Suzanna Borges

    Como é grande a influencia Norte americana.Nos anos 60,quando morava em Madrid,o Natal era exclusivamente a celebração do niño Jesus en nas casas se armavam “creche”,e quasi ninguem faltava a Missa De Galo.Os meninos escreviam para um dos reis magos:Gaspar,Melchior ou Baltazar que traziam os brinquedos no dia 6 de janeiro!!!

    • Luísa Ferreira

      Oi, Tia Suzanna! É muito grande a influência sim :/ Mas no dia 29 entrou um post falando sobre o Ano Novo e a tradição dos Reis Magos tá incluída :) Beijão! <3

Deixe o seu comentário