Suíça

O que fazer em Genebra

“Genebra não é lá essas coisas todas”. É o que todo mundo me dizia, e um só dia na cidade (uma tarde e noite + a manhã do dia seguinte) não são suficientes pra sair repetindo o mesmo por aí, mas acho que entendi o que querem dizer. Na verdade, foi por isso mesmo que resolvi dedicar mais tempo a outros lugares: porque esperava uma cidade organizada, bonita, mas que provavelmente não balançaria meu coração.

Pra mim, o maior interesse de Genebra é o fato de ser um dos mais importantes centros mundiais de diplomacia (com sedes de organizações como o Comitê Internacional da Cruz Vermelha), mas infelizmente as visitas guiadas pela ONU e pela CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear) tavam interrompidas porque era quase Natal… quen quen quen.

Vai pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório pra entrar lá!
Clique aqui e saiba como contratar o seu com desconto.

Procurando hospedagem em Genebra? Clique aqui e encontre hotéis com os melhores preços

Ainda assim eu tava curiosa. E Genebra entrou no nosso roteiro sem hesitações por um motivo nobre: minha mãe morou lá por 6 meses quando tinha mais ou menos minha idade e nunca mais tinha voltado. Adorei acompanhá-la nesse retorno e ouvir sobre como era ser jovem há umas três décadas ^^ (Foi mal por revelar a idade, mãe! hehe)

fim de tarde :)

fim de tarde no Lac Léman :)

Confesso que lá senti uma vibe um pouco “se você não é rico não pertence aqui” (afinal, ela foi considerada a quinta cidade com mais alto custo de vida no mundo pela consultoria Mercer), mas vai ver foi a impressão do primeiro impacto com a Suíça e com crepes de queijo (quase sem queijo) no meio da rua por 8 francos. De todo jeito, curti bastante a cidade no nosso passeio pela maioria dos pontos turistões e imagino que deve ter bem mais coisa interessante.

marcas humildes

propagandas de marcas e empresas bem humildes

Um ponto massa é que lá (e em Lausanne, e acho que em outras cidades também) todo hotel/hostel dá aos hóspedes um cartão de transporte gratuito (Geneva Transport Card), que pode ser usado durante o período da hospedagem em todos os transportes públicos: tramway, ônibus, mouettes (barquinhos), etc. Só que na maior parte do tempo não precisamos usar o nosso, porque os pés eram suficientes. Do jeito que eu gosto!

Roteiro

Depois do check-in no hostel, fomos primeiro dar uma espiada no lago, e no Jet d’Eau, é claro. Essa fonte é uma das marcas registradas da cidade e chega a 140 metros de altura, no meio do lindo  Lac Léman (conhecido também como Lago Genebra).

Jet d'Eau

Jet d’Eau

De lá, demos uma volta pelos arredores na margem norte do lago (mais pra perto do hostel), passando por lugarzinhos simpáticos como a praça onde comemos os tais crepes superfaturados (infelizmente não lembro o nome, mas era perto da estação de trem Cornavin) e o bonito Monument Brunswick, perto das margens do lado. Em seguida, cruzamos a Pont des Berges até a Île Rousseau, uma simpática ilhota dedicada ao filósofo e escritor. Daí foi só cruzar pra outra margem e andar um tiquinho de nada pra chegar no relógio florido, que fica no Jardin Anglais e, assim como o de Viña del Mar faz lembrar do de Garanhuns, haha.

Monument Brunswick

Monument Brunswick

beiradinha da Île Rousseau

beiradinha da Île Rousseau

De lá seguimos pra Vielle Ville (Cidade Velha), onde nos perdemos propositalmente pelas ruas charmosas e meio ladeirosas (acho que essa foi minha parte preferida da cidade, com o relevo mais interessante) até chegar à Place du Bourg-de-Four, uma gracinha com uns cinco cafés e restaurantezinhos e mesinhas do lado de fora  – mesmo no inverno!. Tava a coisa mais linda com a decoração de Natal <3 É claro que não resistimos e paramos pra um café. E é claro que foi caro, mas vale a pena!

Place du Bourg-de-Four

Place du Bourg-de-Four

Voltando pra “casa”, passamos pela Catedral de Saint-Pierre. É possível subir na torre pra ver uma vista massa da cidade, mas como já era noite nem rolou pra mim. Fuen. (Por isso fiquei obcecada com a torre da catedral de Lausanne, mas isso você confere nos próximos capítulos).

ruazinhas fofas :)

ruazinhas fofas :)

No dia seguinte, pegamos nosso carro alugado na Europcar e, depois de ir na rua onde mainha morou (e onde eu comprei um chausson aux pommes delícia ^^), fomos dar um pulo na Place des Nations. Infelizmente teve que ser só um pulo mesmo, porque como eu já disse (ou melhor, lamentei), a ONU, grande atração do local, tava fechada pra visitação no fim do ano. Ou seja, terei que voltar a Genebra! Pra quem se interessar, as informações práticas sobre a visita tão aqui.

Place de las Nations e a discreta Broken Chair

Place des Nations: a discreta (not) Broken Chair e a ONU no fundo

Ainda assim, ver a entrada do prédio das Nações Unidas e a enorme e célebre escultura Broken Chair valeu.  A Broken Chair fica no meio da praça, na frente da ONU, e é um símbolo (bem bonito, né? mesmo “mutilada”, ela fica em pé bem imponente) da campanha contra minas terrestres. Tinha um protesto na frente pela remoção das forças armadas do Camp Liberty (atual Camp Hurriya), no Iraque. Acredito que isso é de praxe por lá, né.

Outra visita que eu gostaria muito de ter feito, como mencionei antes, era a da CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear), com o  Globe for Science and Innovation (um globão de 27m de altura e 40m de diâmetro) a exposição Universe of Particles. Adriana Miller, do Dri Everywhere, foi e gostou (leia aqui o relato de uma visita a Genebra e Lausanne no verão ;). Pra chegar lá, pegue a linha 14 e desça na parada (adivinha?) “CERN”.

de Genebra, seguimos estrada pra conhecer um pouco mais da Suíça...

de Genebra, pegamos a estrada pra conhecer um pouco mais da Suíça…

Leia mais:

Genebra – Hostel

Suíça e sul da França – Roteiro

Contrate seu seguro viagem com desconto na Mondial Assistance
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

18 Comentários

  1. Estamos indo pra Genebra em breve. Suas dicas – de lá e de outras cidades da Suíça – tem sido bastante úteis. Obrigado! =)

  2. Olá. Estou planejando uma viagem a Suiça e seu blog ajudou bastante. Quando voltar postarei no meu blog minhas experiências também.

    • Que ótimo, Thais! Fico feliz :) Se lembrar, passa aqui pra mostrar o post. Boa viagem!

  3. Paulo Silva

    Ola. Obrigado pelas dicas, fazemos anos de casados e nos últimos dias de Janeiro vamos a Genebra, parece me que vamos gostar.

    • Que ótimo, Paulo! Aproveitem muito Genebra e parabéns pelo aniversário de casamento :) Um abraço.

  4. Thais Vicentini

    Adorei as dicas!!! Ficarei apenas um dia em Genebra e vou aproveitar tudooooooo de seu blog. Tks

    • Luísa Ferreira

      Que bom, Thais! :D Aproveita a viagem! Um abraço

  5. Osvaldo Furtado

    Estive em Geneve no final da decada de 80 e pretendo ir novamente no proximo ano será que vou ver grandes diferenças? KKK claro que não. Acho essa cidade muito bonita assim como zurich Algonão esta correto pois nunca deixei nenhum comentario aqui

  6. Silvia

    Luisa, to lendo suas dicas e queria uma informação, vc acha que 2 dias em Geneve da para aproveitar alguma coisa?? Em meados de dezembro??

  7. Rose Novaes

    ola Luisa, adorei suas dicas! tbm queria uma informacao, vc sabe o nome do alpe mais proximo de genebra??

    • Oi, Rose! Não sei te dizer o que está mais próximo, mas de Genebra dá pra fazer um passeio de um dia pra Chamonix e Mont Blanc, por exemplo, que ficam bem pertinho. Um abraço!

    • Oi, Marlise! Pelo contrário, obrigada pela menção ;) Muito legal teu post, supercompleto! Um abraço

Deixe o seu comentário