Espanha

Mestrado em Valladolid, na Espanha: mando notícias do lado de lá

Espanha | 20/09/12 | Atualizado em 03/01/18 | 6 comentários

Esse é meu último post escrito em terras brasileiras por um tempo. Em algumas horas pego o avião com destino a Valladolid, na Espanha, onde vou fazer um mestrado em comunicação. Pra chegar lá, aquela velha conexão em Lisboa até Madri e depois um ônibus pra cidade que vai me acolher.

Confesso que minhas expectativas em relação a Valla (já tou íntima, observem) não são das mais altas. Espero que isso seja uma coisa boa, assim como foi em relação a Lyon (ninguém tinha me dito com suficiente ênfase o quanto aquela cidade é massa!), onde me surpreendi. Mas enquanto não chego lá e conto pra vocês minhas impressões sobre o lugar, deixa eu falar um pouco do que sei sobre a cidade por enquanto, com base em relatos alheios e, é claro, na Wikipedia :D

Valladolid é capital da comunidade autônoma de Castilla y León (Castela e Leão, em bom português) e é a 13ª cidade da Espanha em número de habitantes (313 mil). A cidade começou a crescer na Idade Média, sendo até capital do império espanhol, entre 1601 e 1606. De ônibus, são três horas até Madri.

Conhecida como uma das cidades mais conservadoras do país, Valla tem a fama de ser o lugar onde se fala o melhor castellano e possui uma população bem idosa, mas também muuuitos estudantes. O clima não é dos mais agradáveis, como indica o popular ditado “nueve meses de invierno y tres de infierno”. Mas quem já morou lá diz morrer de saudades, então acho que dá pra superar ;)

A Universidad de Valladolid, onde vou estudar, foi fundada no século 13, sendo uma das mais antigas do mundo. Ela também tem campi em outras três províncias de Castilla y León: Palencia, Soria e Segóvia. 

Também achei legal saber que a Plaza Mayor de Valladolid é a primeira da Espanha nesse formato e serviu de modelo pra muitas outras (quem já foi ao país sabe que quase toda cidade tem a sua), como as de Madri e Salamanca.

Além disso, procurei saber sobre duas coisas que considero importantíssimas em qualquer cidade: parques e rios. O parque mais antigo e emblemático, segundo o tio Google, é o Campo Grande, que fica no Centro e parece bem fotogênico. Já o rio que corta Valla é o Pisuerga (nome feinho), um afluente do Rio Douro.

Pra finalizar o post de despedida, não podia deixar de comentar como partir e voltar sempre são uma delícia e uma dor simultâneas. Já falei aqui sobre o que me faz querer mudar de localização geográfica de tempos em tempos, mas vamos combinar que nem sempre é fácil deixar coisas e principalmente pessoas. Só que até pra a solidão existe saída, como ensinou Carlos Pena Filho: entrar no acaso e amar o transitório

Vamos nessa que amanhã tudo é possível. E tá bom de blá blá blá. Mando notícias do lado de lá!

Posts Relacionados

6 Comentários

  1. Arrase. Quero mil diquinhas porque, se Deus quiser, minhas férias do ano que vem serão aí. Beijo!

  2. Oba, oba! Tire férias antes do dia 31 de julho, por favor :D Beijo, gata!

  3. Amei o texto, como sempre, filha. E gostei muito da 'dica' de Carlos Pena Filho! Já estou com muuuitas saudades….beijos com amor

  4. Bruna

    Olá!
    Pretendo ficar 6 meses em Valladoid.
    Você tem dicas de moradia e locais que você ficou, bem como seus custos?
    Obrigada!

    *Parabéns pelo blog!

Deixe o seu comentário