Viagem pra Dentro

Despaisamento: sobre sair da zona de conforto

Viagem pra Dentro | 04/08/12 | Atualizado em 01/02/18 | 5 comentários

Quem me aguentou durante a criação desse blog sabe que a minha ideia inicial era chamá-lo Dépaysement. Desisti porque, convenhamos, usar o nome em francês não seria prático e o aportuguesamento “despaisamento” não soa bem. Escolhi Janelas Abertas porque não queria um nome diretamente relacionado a viagens e acho que a ideia de abrir as janelas pra deixar o mundo entrar tem muito a ver com o conceito que me inspirou a começar tudo isso.

Ainda assim, não podia deixar de falar dessa expressão curiosa, sem tradução direta pra nossa língua, mas cheia de significado. “Dépaysement” faz referência ao que sentimos quando estamos fora do nosso país; mais amplamente, à sensação trazida por uma mudança de ambiente e hábitos. Muitas vezes, a expressão aparece ligada ao exílio involuntário e à saudade em relação à terra deixada; a sentir-se desorientado, como um peixe fora d’água.

Mas eu prefiro uma interpretação positiva: amo a ideia de despaisamento como a mudança de perspectivas decorrente da alteração de cenário. Em outras palavras, todas as possibilidades que se abrem quando usamos em nosso favor (em favor da abertura da nossa mente) a condição de não pertencermos ao lugar onde estamos. Essa é, afinal, a explicação do que me move (e muitas outras pessoas, imagino) a deixar o conhecido sempre que possível: enxergar o mundo (e a mim mesma) de outra forma, a partir de uma mudança de contexto.

despaisamento

Não vou dizer que é assim tão simples “abrir a cabeça”. Que basta atravessar um oceano ou alguns quilômetros de estrada pra perder preconceitos (esse é, na verdade, um exercício constante – e muito gratificante – ao qual nem todo mundo está disposto), ou que ser um estrangeiro é sempre fácil e lindo (de fato, às vezes é bem complicado ser um peixinho de outro aquário).

Tampouco quero implicar que é preciso ir muito longe pra enxergar as coisas de outra forma; afinal, tem muita gente com histórias diferentes das nossas bem pertinho de nós. Algumas em partes da cidade que não frequentamos e outras pelas quais passamos todos os dias, mas em geral não enxergamos. Olhar pro lado de outra forma também é uma maneira de viajar, né?

Ainda assim, é fato que o exercício de sair da zona de conforto pode trazer ótimos resultados pra nós mesmos (e, com sorte, pra outras pessoas também), se quisermos. Uma das minhas motivações iniciais pra viajar foi perder o medo das coisas que fogem ao meu controle. Minhas queridas viagens, que são como presentes que dou pra mim mesma, têm contribuído imensamente pra isso. Não vejo sentido em ficar parada, enquanto existe tanta coisa pra se descobrir por aí. E você?

Contrate seu seguro viagem com desconto
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

5 Comentários

  1. […] repensar muita coisa. Falei também que não é preciso ir muito longe pra abrir a cabeça, mas que sair da zona de conforto é massa. O fato é que eu aprendi algumas coisas morando fora; coisas que podia ter aprendido aqui […]

    • Luísa Ferreira

      Achei agora esse comentário sem resposta, Thyeme! Sorry :( E muito obrigada! <3 O teu tb é massa! ^^

  2. Patricia Gomes

    Luísa, descobri seu blog hoje por acaso e adorei. Fala muito do que tenho sentido ultimamente… Um desejo de viajante… uma viagem para fora e para dentro ao mesmo tempo… e tantas coisas que nos prendem…

    • Oi, Patricia! Que bom que você gostou do blog, obrigada pelo comentário :D Tem muita gente por aí se sentindo assim, né? Espero que consigamos todos nos libertar do que nos prende, por dentro e por fora :) Um abraço e volta sempre!

Deixe o seu comentário