Viagem pra Dentro

10 Conselhos de viagem que servem pra vida

Viajar não é lá muito diferente de viver, né? Os perrengues, emoções, aprendizados, encontros e desencontros… É, de certa forma, como uma versão intensiva do que a gente vive no dia a dia. Conversando com uma amiga, percebi que os conselhos que sempre escuto em relação à vida – aquela coisa meio “use filtro solar” – também servem pra viagens, e vice-versa. Quer ver?

1. Não carregue na bagagem coisas desnecessárias.

Cada um de nós constrói nossos percursos, com experiências maravilhosas, algumas mais ou menos e outras péssimas. Mas pra seguir a vida mais leve, a gente precisa deixar algumas coisas pra trás, né? Traumas, noias, ideias preconcebidas sobre os outros, sobre nós mesmos… Tudo isso pesa e às vezes dá trabalho demais pra carregar. Com o tempo e certo esforço, a gente vai percebendo que dá pra desapegar do passado. Do mesmo jeito que dá pra desapegar daquela bagagem – agora no sentido literal – que tanto atrapalha durante a viagem. Você precisa mesmo de oito pares de sapatos? E esses souvenirs todos valem o peso extra que você vai ter que carregar nos próximos destinos? Ficar mais leve não é fácil, mas definitivamente torna tudo mais fácil.

2. Mantenha os olhos e ouvidos sempre atentos.

Quando a gente viaja, se ficarmos concentrados em nós mesmos ou no nosso grupinho, não largarmos o smartphone e o tablet e não olharmos ao redor, vai ser difícil absorver de verdade o lugar onde estamos. Observar os hábitos das pessoas, escutar suas formas de interagir, ouvir as músicas, ver os detalhe nas ruas, nas casas… Tudo isso faz parte de mergulhar num lugar novo. E é especialmente importante se você estiver tentando aprender ou praticar o idioma local :) No dia a dia não é muito diferente: a gente só cresce como pessoa e como profissional se ficar ligado no que acontece à nossa volta, né? Nas reações das pessoas com quem convivemos, nas histórias de gente que não conhecemos, na nossa cidade, nas tendências da nossa área de trabalho. Seja uma esponja! :P

3. Evite a todo custo o umbiguismo.

Neste post, falei do livro Outrofobia, que ressalta a importância da empatia. Se colocar no lugar do outro, superar preconceitos e não achar que nosso modo de ver o mundo é o mais certo de todos é difícil, mas é superimportante. Isso em todos os momentos da vida, mas ainda mais quando estamos inseridos numa cultura diferente. Nada a ver chegar na casa dos outros e continuar achando que tudo gira em torno do nosso umbigo, né? Às vezes, julgar comportamentos que nos parecem estranhos é automático, mas tentar evitar isso é um exercício que só nos faz crescer.

4. Aproveite as oportunidades inesperadas.

Acho que a maioria das pessoas vive a vida com uma rotina mais ou menos estabelecida, saindo pra os mesmos lugares, com as mesmas pessoas e fazendo as mesmas atividades. Mas e se alguém chega no fim de semana e te convida pra conhecer um canto da sua cidade aonde você nunca foi? E se te chamam pra dar uma palestra num evento e falar pra um grande público pela primeira vez? E se no caminho pra o trabalho você vê um folheto pra uma aula de yoga ou de circo, um clube do livro ou uma peça de teatro experimental? E se, enquanto viaja, você conhece um pessoal no albergue que vai pra uma festa diferente, fazer um bate-volta na cidade vizinha ou fazer um tour noturno pelo cemitério? E se você tá no caminho pra um dos pontos do seu roteiro e encontra um restaurante incrível? Aproveita! Se planejar é ótimo, mas nunca se sabe o que o inesperado vai nos trazer.

5. Agradeça pelos bons momentos.

Meus amigos às vezes tiram onda quando eu paro, no meio de uma festa ou na mesa de bar, e solto algo do tipo “ai, tou tão feliz!”. :P Mas mesmo que você não queira dizer em voz alta, acho importante reconhecer pra si mesmo quando a felicidade chega e te pega de jeito. Reuniões de família, uma noite de risadas com os amigos mais antigos, uma manhã preguiçosa com a pessoa que ama, uma tarde sozinho lendo um bom livro em um lugar confortável. Tomar um banho frio depois de uma trilha na praia, encontrar alguém gentil que ajuda a resolver um problema na estrada, conseguir a melhor cama no albergue, fazer amizade com uma criança numa cidade no meio do nada, descobrir uma paisagem de tirar o fôlego, comer um prato local maravilhoso… Aposto que não faltam pequenos e grandes momentos de felicidade no seu dia a dia ou nas suas viagens. Por isso, não se esqueça de parar, apreciar o momento e agradecer a Deus, ao universo ou ao que você preferir.

6. Ande sempre em boa companhia.

Uma companhia ruim pode estragar sua viagem. É importante ser flexível e saber lidar com gente diferente, mas viajar é um presente que a gente se dá e gosto de tentar fazer dessa experiência sempre a melhor possível. É sempre maravilhoso se jogar no mundo com quem a gente ama, mas se não der, defendo a máxima do “antes só do que mal acompanhad@”. Não pense que você precisa estar com gente desagradável só por receio de viajar só. Você é uma ótima companhia pra si mesm@! ;) E isso vale pra vida, hein? Acho uma perda de tempo conviver com pessoas que trazem coisas ruins e tenho a sorte de poder contar sempre com gente que me ensina, me faz rir e me dá carinho. Muito melhor, né?

7. Seja mais solidário.

Quando a gente viaja, especialmente num esquema low cost, tende a ficar muito consciente da importância da solidariedade entre viajantes e locais. Alguém te hospeda de graça via CouchSurfing, você dá um bilhete de metrô pra uma pessoa que perdeu toda a grana, um desconhecido te vê na rua olhando um mapa e se oferece pra ajudar… Não faltam situações assim na vida na estrada, né? E se você quiser prestar uma ajuda mais consistente, por que não fazer trabalho voluntário no exterior? Só não se esqueça de analisar se você vai poder realmente ajudar, se o projeto do qual vai participar é sério e se ele combina com suas características e habilidades. O mesmo vale pra o dia a dia, em que pode ser difícil encontrar tempo pra ajudar tanto quanto gostaríamos. Mas dá pra começar pelas pequenas coisas: aquele cuidado com quem você convive, as pequenas gentilezas nos lugares por onde passa, algum tempinho dedicado a uma causa em que acredita.

8. Transforme seus sonhos em planos.

Quer mudar de carreira? Comprar um apartamento? Ir morar em uma cidade com melhor qualidade de vida? Abrir o próprio negócio? Aprender a tocar um instrumento musical? Fazer um tour pela América Latina? Estudar inglês na Irlanda? Trabalhar num albergue na Itália? Enfim: quais são seus sonhos? O que você tá fazendo pra tentar realizá-los? Sejam eles pra sua rotina ou pras suas viagens, transforme-os em planos. Estabeleça metas, divida-as em micro-metas com datas pra serem concluídas, corra atrás do que precisa pra chegar lá. Não deixe pra depois. Tire os planos do papel e transforme-os em realidade. Esse post aqui pode ajudar :)

9. Espalhe pedaços do seu coração.

Durante a vida, você provavelmente conheceu bastante gente no colégio, na faculdade, no trabalho, nas festas, no prédio, na rua, no condomínio na praia… E quando viaja, provavelmente vai fazer amigos aqui e ali. Não vai dar pra manter todo mundo no seu dia a dia – seja a galera da vida “normal” ou da vida “na estrada” -, mas as trocas que fizer com cada uma dessas pessoas vão ser um presente pra si mesmo e, quem sabe, um presente que você deixa também. Sou muito feliz por ter pedaços do meu coração pelo Recife e pelo mundo e, apesar das despedidas e da distância serem um saco às vezes, super recomendo essa prática de espalhar afeto por aí. Vale a pena, viu?

10. Escolha uma boa trilha sonora.

Não subestime o poder de uma boa trilha sonora. Eu tenho preguiça de montar playlists, mas quando o faço sempre fico feliz comigo mesma \o/ Afinal, as músicas que ouvimos em certa época das nossas vidas são super marcantes, né? A banda que amávamos na adolescência, aquela que nos faz pensar n@ namorad@, a que sempre tocava num bar que frequentávamos na época da faculdade. Vale a pena dedicar umas horinhas pra separar as melhores músicas pra sua próxima viagem, sabendo que elas não só vão dar o tom pra muitos momentos felizes como ouvi-las no futuro vai ser como fazer uma viagem no tempo pra as sensações de estar no destino. <3

~

Alguns desses conselhos eu já sigo, outros ainda tou caminhando pra conseguir alcançar. ;) No ano que vem, vou tentar colocar tudo isso em prática, nas viagens e na vida. E você? Me conta aí nos comentários!

Já curtiu a página do Janelas Abertas no Facebook? Clique aqui pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens. 

Vai viajar pra o exterior? Não deixe de fazer um seguro viagem! Contrate o seguro que eu sempre uso :) Neste post você encontra um código pra ganhar 15% de desconto. Você economiza e ainda ajuda o blog a se manter vivo.

600x80

Quer receber conteúdo exclusivo e gratuito sobre viagens?

Inscreva-se na lista de e-mails do Janelas Abertas e receba um e-book de 60 páginas com dicas para viajar só + check-lists para sua viagem + dicas inéditas a cada 15 dias.

Posts Relacionados

1 Comentário

  1. Que legal o post Luisa.
    Nunca fiz uma viagem longa para o exterior, mas sempre sigo as recomendações de sites e blogs para me preparar para quando for fazer a minha.

    Adorei

Deixe o seu comentário