Aprendizado e trabalho

Como é fazer o TOEFL em casa: minha experiência com o TOEFL Home Edition

Aprendizado e trabalho | 14/01/22 | Atualizado em 27/03/22 | Deixe um comentário

Fazer o TOEFL em casa é uma experiência no mínimo curiosa. Essa possibilidade, chamada de TOEFL iBT Home Edition, se tornou disponível durante a pandemia, mas vai permanecer como uma opção pra quem deseja fazer essa renomada prova de proficiência.

Se você chegou aqui neste post, imagino que já saiba, mas pra contextualizar, o TOEFL é um exame de proficiência em inglês reconhecido internacionalmente, desenvolvido por uma empresa chamada ETS. Seu objetivo é avaliar suas habilidades de Reading, Listening, Speaking e Writing tendo como foco um contexto universitário.

A prova é pré-requisito pra estudar em universidades e outras instituições em mais de 160 países, como Austrália, Canadá, Nova Zelândia, Estados Unidos, Reino Unido e vários outros na Europa e Ásia. Se você pretende fazer algum curso numa universidade no exterior com aulas em inglês, é provável que precise fazer o TOEFL ou outra prova de proficiência.

Eu já tinha feito o TOEFL iBT na versão tradicional, num centro de testes na minha cidade (Recife), há quase 10 anos, e no final de 2021 precisei fazê-lo de novo. Isso porque a maioria das instituições só aceita resultados de testes feitos nos últimos dois anos, pra se assegurar de que você ainda tem o nível de inglês comprovado no exame. Eu até podia ter feito a prova presencialmente de novo, porque os centros de testes estavam funcionando, mas escolhi o Home Edition dessa vez.

Pessoalmente, gostei muito da opção de fazer o TOEFL em casa, mas ela também tem suas desvantagens. Neste artigo, vou explicar como funciona a prova na versão Home Edition e como se preparar, além de compartilhar minha experiência do dia do exame.

Como funciona o TOEFL Home Edition

De acordo com o ETS, o TOEFL Home Edition é igualzinho à prova aplicada nos centros de testes: o conteúdo e o formato são os mesmos. A duração da prova é igual, assim como o valor de inscrição, que atualmente é 215 dólares.

A única diferença é que você faz a prova em casa, no seu próprio computador, sendo monitorado por um “proctor” (como se fosse um fiscal ou inspetor) por meio de um sistema específico pra isso, chamado de ProctorU.

Esse tal de ProctorU é um sistema criado pra se assegurar de que os resultados da prova sejam autênticos, afinal, ao fazer o teste online muita gente poderia querer burlar o sistema, contando com ajuda de terceiros ou fazendo uma “colinha”.

Pra evitar isso, o teste tem um sistema de inteligência artificial e o tal do proctor, uma pessoa real que tem acesso a tudo no seu computador e à sua câmera e fica lhe monitorando.

O que é necessário para fazer o TOEFL em casa

Pra fazer o TOEFL em casa, você deve se certificar de que seus equipamentos e o ambiente onde você vai fazer a prova atendem aos pré-requisitos da ETS. Antes de fazer a inscrição, é importante checar esses requisitos na página oficial do TOEFL Home Edition, mas vou resumir aqui as principais exigências:

Pré-requisitos para os equipamentos

Você deve fazer a prova num computador, seja ele desktop ou laptop. Não é permitido usar um tablete ou smartphone.

Você deve usar só um monitor ou tela. Eu, por exemplo, tenho no meu home office um monitor conectado ao laptop, mas tirei ele do quarto pra fazer a prova só com o laptop.

O sistema operacional do seu computador deve ser licenciado; se for pirateado ou uma versão de testes eles não permitem. Atualmente (janeiro de 2022), os sistemas operacionais permitidos são Windows 10 ou 8 pra PC e MAC OS X 10.5 ou superior pra MAC (eles recomendam o 10.13 High Sierra). Além disso, você deve ter o navegador Chrome ou então o Firefox.

Outro ponto importante é que não é permitido usar fone de ouvido na prova. Você precisa ter, seja no laptop ou desktop, uma boa saída de som e um microfone que funcione bem. Como o som do meu laptop é baixo, eu conectei uma caixinha de som bluetooth pra não ter dificuldade de escutar as instruções da prova, especialmente na parte de Listening.

Por fim, você precisa de uma câmera, que pode ser aquela embutida no seu notebook ou uma webcam externa. Seja como for, você precisa ser capaz de mover ou a câmera ou o laptop inteiro pra mostrar ao proctor o ambiente onde você está, incluindo sua mesa, no início da prova (vou falar mais sobre isso mais à frente).

Quando você se inscrever pra fazer o TOEFL Home Edition você vai receber algumas instruções pra preparar seus equipamentos antes da prova. É necessário baixar e instalar o ETS Secure Test Browser no computador que você vai usar, e também executar o ProctorU Equipment Check. Esse procedimento serve pra conferir se seu sistema operacional, navegador, microfone, câmera, saída de áudio e internet estão dentro dos pré-requisitos.

Pré-requisitos para o ambiente

Outra questão que você deve levar em consideração antes de decidir fazer o TOEFL em casa é o ambiente que você tem disponível pra realização da prova. A ideia é que seja um espaço reservado e silencioso.

Não é permitido fazer o teste em lugares públicos, como cafeteria, restaurante, café ou coworking. Você deve estar só numa sala, com todas as portas fechadas, e ninguém pode entrar no ambiente durante o teste. Se você mora com outras pessoas, é importante se certificar de que todo mundo esteja ciente disso.

Também existem algumas exigências mais específicas sobre o ambiente. Seu computador e teclado devem estar sobre uma mesa ou escrivaninha e você deve sentar numa cadeira padrão; não é permitido sentar ou deitar numa cama ou sofá, por exemplo.

Sua mesa e cadeira devem ser posicionados de forma que a porta do quarto fique visível na câmera, de modo que o proctor possa se certificar de que ela está fechada.

Além disso, a mesa e a área ao redor dela não devem conter nada além dos itens que você vai usar pra fazer o teste. Não é permitido deixar sobre a mesa anotações, materiais de estudo e celular, por exemplo, mas a decoração e móveis não precisam ser removidos do ambiente.

Por fim, eles afirmam que não é permitido comer ou beber nada durante o teste. No entanto, como eu sinto muita sede, deixei um copo d’água em outra parte do quarto e, na hora do check-in, perguntei ao proctor se podia deixá-lo na mesa e beber água, e ele disse que sim.

Pré-requisitos de vestimenta

Seu rosto todo e suas orelhas devem ficar visíveis durante o teste, ou seja, não devem ser cobertos pelo cabelo ou chapéus, por exemplo. Vestimentas religiosas que cubram a cabeça são permitidas se suas orelhas permanecerem visíveis. Não é permitido usar máscaras, smartwatches, joias e acessórios de cabelo.

A ETS determina, também, que você deve se vestir “apropriadamente” pra o TOEFL Home Edition. Eles não especificam o que isso significa, mas entendo que não seja permitido fazer a prova sem camisa, de biquíni ou coisas do tipo. Lembre-se que você vai ser monitorado pelo proctor durante a prova, e tem um momento em que eles tiram uma foto sua, que vai aparecer no seu resultado e ser enviada às instituições que você selecionar.

Regras para fazer anotações

Outro ponto muito importante ao qual você deve se atentar com antecedência se for fazer o TOEFL em casa é a regra pra fazer anotações. Por razões de segurança, eles não permitem que você use papel e caneta durante a prova.

Existem, então, duas opções: usar um quadro branco pequeno (o tamanho não é especificado, mas a ideia é que seja “portátil” e caiba em cima da sua mesa) ou então fazer um quadro branco improvisado, colocando um papel ofício dentro de uma pasta transparente.

Em ambos os casos, as anotações devem ser feitas com marcador apagável, como os de quadro branco, e no fim da prova você tem que apagar tudo e mostrar ao proctor que o quadro ou papel está em branco.

Como se inscrever no TOEFL Home Edition

A inscrição no TOEFL Home Edition é igual à do TOEFL padrão. É só entrar no site oficial, criar uma conta no site da ETS, escolher qual modalidade de teste você quer fazer (TOEFL iBT, TOEFL iBT Home Edition ou TOEFL iBT Paper Edition) e selecionar um local, data e horário.

Depois você preenche o resto das informações pedidas no site, como as instituições que vão receber o resultado do seu teste, e faz o pagamento da taxa de inscrição.

Uma das vantagens de fazer o TOEFL em casa é a disponibilidade de datas. Nos centros de teste, muitas vezes é preciso agendar a prova com bastante antecedência pra garantir vaga no prazo que você precisa. Sem falar que muita gente mora em lugares onde não tem centros de testes, e antes precisava se deslocar pra outras cidades.

Com a Home Edition, dá pra marcar a prova com uma antecedência muito menor, em praticamente qualquer parte do mundo. Eu fiz minha inscrição uns 10 dias antes da data da prova, porque preferi fazer alguns simulados antes de marcar, tendo assim uma noção melhor do tempo de preparação que ia precisar. Mas se ligue: ao marcar o teste com 7 dias ou menos de antecedência você tem que pagar uma taxa extra de 40 USD.

Por fim, uma dica simples, mas bem importante: se possível, marque o teste pra um horário em que você costuma estar descansado e com bastante energia e concentração. Não é só porque você pode fazer a prova em casa que vai ser tranquilo fazê-la à noite depois de um expediente inteiro de trabalho, por exemplo.

Dicas para se preparar para o TOEFL Home Edition

Quando fiz o exame pela primeira vez, em 2013, publiquei aqui no blog um post sobre como se preparar para o TOEFL. Dessa vez, meu processo de preparação foi bem parecido com o que fiz antes, mas teve algumas diferenças por conta da situação mais específica de fazer o TOEFL em casa.

Cada pessoa vai precisar de um processo de preparação diferente, de acordo com seu nível de inglês e sua familiaridade com contextos acadêmicos no exterior. Tem quem sinta a necessidade de fazer um curso específico, ou aulas particulares voltadas pra o TOEFL. Na minha opinião, o ideal é começar fazendo logo um simulado da prova.

No site da ETS, é possível fazer um teste completo de graça. Apesar de só receber a pontuação das provas de Reading e Listening (já que essas são as únicas com questões “fechadas”, de marcar X), dá pra ter uma boa noção de quais são seus pontos fortes e fracos.

Você também pode comprar vários materiais de preparação no site da ETS, incluindo e-books e livros físicos e mais simulados de provas. Eu escolhi comprar o Official TOEFL iBT® Tests, Volume 1, Fourth Edition, um programinha que inclui 5 simulados completos e custou 25 USD. Existem também outras opções focadas em diferentes seções da prova, incluindo correção das “questões abertas”.

preparação para fazer o toefl em casa

Depois de fazer uns dois simulados, eu constatei que minha maior dificuldade era no Speaking, assim como tinha sentido na primeira vez em que fiz a prova, em 2013. Resolvi, então, focar minha preparação nessa parte, fazendo a parte de Speaking dos cinco simulados, e gravando e escutando minhas respostas pra ver no que podia melhorar.

Mas mesmo achando as outras seções do teste bem tranquilas, como eu ia fazer o TOEFL em casa pela primeira vez achei importante fazer o simulado completo umas duas ou três vezes reproduzindo as circunstâncias do dia do teste.

Comprei um quadro branco pequeno (escolhi um bem simples com dimensões aproximadas de 30×40 cm e custou uns R$ 35) e separei uma caneta apagável e um lenço de papel pra apagar. Além disso, “preparei” meu quarto como faria no dia da prova: fechei a janela e a porta e experimentei ficar com o ar condicionado ou o ventilador ligados, pra ver como me sentia melhor.

E aí tentei fazer o teste inteiro no tempo certo, só levantando da cadeira na hora do intervalo (10 minutos, depois da prova de Listening). Esses simulados foram fundamentais pra eu ficar bem mais tranquila no dia do teste, e me fizeram perceber algumas coisinhas pra ajustar, tipo trocar de marcador porque estava usando um muito claro.

Minha experiência ao fazer o TOEFL em casa

Eu marquei meu TOEFL Home Edition pra 11h da manhã, porque assim teria bastante tempo pra acordar, tomar café, me arrumar, organizar minha mesa, separar os materiais que usaria pra o teste e testar os equipamentos.

Eu já tinha feito o “Equipment check” assim que me inscrevi, mas fiz de novo na véspera e no dia da prova pra garantir que a internet estava com uma velocidade boa. Se não estivesse, meu plano B era fazer a prova na casa da minha vizinha – se possível, é bom ter um plano B também, já que o Wi-Fi às vezes nos deixa na mão, né? No site da ETS eles ressaltam que todos problemas técnicos devem ser resolvidos antes do horário agendado para seu teste.

Antes de começar a prova, também é recomendável desconectar todos os aplicativos e outros dispositivos que usem a internet na sua casa. Se você mora com outras pessoas e elas precisarem usar a rede ao mesmo tempo, veja se podem ao menos evitar chamadas de vídeo, streaming e outras atividades que consomem muitos dados.

Em cima da mesa, eu deixei apenas meu notebook, mouse, teclado, caixinha de som, passaporte, o quadro branco, marcador apagável, lenço de papel pra apagar e um espelho de mão, que serve pra mostrar a tela do computador pra o proctor durante o check-in. Se você não tiver espelho de mão, você pode usar seu celular, mas eu preferi deixar o meu fora do quarto pra não correr o risco de pegar nele sem querer durante a prova e ser desclassificada, hehe.

minha mesa quando fiz o toefl home edition

Quando deu o horário do meu teste, eu cliquei no link “iniciar seu teste” no e-mail que recebi com a confirmação de agendamento. Eles dão 12 minutos após o horário programado pra você começar o check-in; se você se atrasar, o teste é cancelado sem reembolso.

O processo de check-in durou uns 20 minutos. Eu tive que mostrar meu passaporte pra o proctor (inspetor) pela câmera e autorizar o acesso remoto ao meu computador. Depois disso, o proctor vai passando instruções pelo chat que aparece na tela, e aí é só fazer o que ele pede.

Você vai ter que usar a câmera do seu celular ou um espelho de mão pra mostrar a tela do computador e também mover a câmera do computador pra mostrar todo o ambiente onde você está, incluindo a superfície da mesa, a parte de baixo da mesa e outros cantinhos que o inspetor pedir pra ver. Como mencionei antes, nesse momento eu perguntei se era OK deixar um copo d’água na mesa e o proctor autorizou.

Depois disso, o proctor pediu pra usar meu mouse como se fosse eu. Ele ficou mexendo em algumas configurações no meu computador, pra desativar notificações de aplicativos e ter certeza de que ninguém mais estava tendo acesso remoto a ele. Antes da prova, é recomendável desativar softwares de compartilhamento de tela ou acesso remoto como Zoom e Skype.

Depois de conferir que está tudo OK, o proctor vai abrir o navegador usado pra o teste e inserir uma senha da ETS pra dar início ao teste. E aí é só fazer a prova, assim como você já fez (eu espero! :P) nos simulados. É importante lembrar que você não pode se levantar da cadeira, nem se comunicar com ninguém além do proctor.

Em algumas questões do teste podem haver referências ao uso de fones de ouvido, mas basta ignorar isso. Eles também dizem pra evitar “movimentos suspeitos”, sem especificar o que isso significa, mas imagino que dê bronca se parecer que você tá lendo algo fora do teste ou falando com alguém, por exemplo. Por isso, é importante ficar sempre visível na câmera.

Depois do Reading e do Listening, o teste dá um intervalo de 10 minutos. Nesse momento você pode sair do quarto, mas continua sendo proibido o uso de celular, anotações e livros. Claro que eles não têm como saber se você consultar algo fora do quarto, mas se ligue pra não levar nada pra dentro :P

Na hora do intervalo eu aproveitei pra ir no banheiro e comer uns biscoitos, já que estava na hora do almoço. Uma dica é deixar um relógio fora do quarto e conferir a hora em que você saiu, pra ter certeza de que você não vai voltar após os 10 minutos; se você atrasar, a prova é cancelada. Quando voltei pra o quarto o proctor me pediu pra mostrar o ambiente pela câmera de novo. Ah, e durante a prova o inspetor que estava comigo inicialmente saiu e entrou outro; isso é normal, não precisa se preocupar.

Se você tiver algum problema técnico e precisar falar com o inspetor durante o teste, pode falar em voz alta pra chamar a atenção dele/dela ou usar o chat. Eu ouvi relatos de pessoas que perderam a conexão de internet e se sentiram prejudicadas porque o tempo de prova não para de contar. Felizmente, eu não tive nenhuma bronca desse tipo.

O que achei de fazer o TOEFL Home Edition: prós e contras

Pra mim, a experiência de fazer o TOEFL em casa foi meio esquisita porque fiquei um pouco tensa com medo de esquecer que estava sendo observada e fazer algo “proibido” sem querer. Acho meio bizarro pensar que tem alguém me observando e com acesso liberado a absolutamente tudo no meu computador, hehe.

Também tive receio de que houvesse algum problema na minha internet, que o computador travasse ou algo do tipo. E passei metade da prova com calor porque posicionei mal meu ventilador e não quis perder tempo perguntando ao proctor se podia me levantar pra ajustá-lo, mas foi besteira minha. :P

Apesar disso, achei bom fazer o TOEFL Home Edition por ter mais opções de datas e horários e não precisar me preocupar com deslocamento e trânsito. Também gostei de estar num ambiente familiar e confortável, sem interferências externas como barulhos de outras pessoas fazendo a prova em computadores ao lado do meu. Sem falar que, considerando que estamos em pandemia, num centro de testes eu teria que usar máscara durante a prova, o que seria um pouco desconfortável.

No fim das contas, curti a experiência de fazer o TOEFL em casa, mas acho importante prestar muita atenção às exigências e fazer um simulado com as condições certinhas do ambiente, se possível antes mesmo de se inscrever. Ah, e fiquei bem feliz com meu resultado: tirei 117 pontos de um máximo de 120. :)

Ainda tem alguma dúvida sobre como é fazer o TOEFL iBT Home Edition? Manda aí nos comentários!

 

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário