Estados Unidos

One World Observatory: como é a visita ao prédio mais alto de Nova York

Estados Unidos | 30/07/18 | Atualizado em 01/08/18 | Deixe um comentário

Já vi muitas vistas bonitas mundo afora, desde vários tipos de mirantes e torres de observação. Mas nenhum desses lugares oferecia uma experiência tão moderna e bem pensada quanto o One World Observatory, em Nova York. O observatório fica nos 100º, 101º e 102º andares do One World Trade Center, edifício que certamente não vai passar despercebido por você no skyline da cidade.

Ele é, afinal, não apenas o prédio mais alto de Nova York como de todo o hemisfério ocidental. E, lá do alto, nos permite admirar Manhattan e arredores de um ângulo diferente do que estamos acostumados. Como se não bastasse, o espaço tem detalhes bem interessantes e arrasa no uso da tecnologia.

entrada do vista do one world observatory

Como é a visita ao One World Observatory

O prédio é modernoso desde a entrada. Depois de passar pela segurança você já chega no Global Welcome Center, uma telona em que os visitantes são saudados em vários idiomas. Achei massa que eles vão informando também qual é o lugar de origem de quem chega, com base nos dados informados na hora de comprar o ingresso.

Ao continuar andando, você vai passar por um vídeo curto que conta a história do prédio, prestando uma homenagem a quem participou do processo, e por um corredor com pedras expostas, representando as fundações do edifício.

E aí chega minha segunda parte preferida (depois da vista, claro): o elevador. Sim, porque esse foi provavelmente o elevador mais legal em que já andei na vida.

Enquanto você sobe em um dos cinco SkyPods, como eles são chamados, as paredes cobertas por telas vão exibindo um vídeo que mostra a evolução de Nova York desde quando era um ambiente rural até chegar à floresta de arranha-céus que é hoje. O “passeio” até o 102º andar dura só 47 segundos, mas é tão legal que eu desceria e subiria umas cinco vezes seguidas.

Pensa que já chegou na parte da vista? Nada disso. Ao sair do elevador, os visitantes fazem fila num corredor que também é coberto por telas. Nelas, vemos um vídeo que mostra um pouco do ritmo frenético de Nova York, com imagens vibrantes que se misturam e mudam rapidamente, e um final “surpresa” (não vou dar spoiler!).

A essa altura eu já tava impressionada com o One World Observatory, mas é claro que ao chegar no deck de observação 360 graus não deixei de me encantar com as vistas da Baía de Nova York e de vários ícones da cidade.

observatório do one world trade center

Procurando hospedagem em Nova York? Veja as melhores opções de albergues e hotéis e reserve sem custo!

Achei massa porque ele fica na pontinha sul de Manhattan, então a vista é bem diferente daquela que você vê desde o Empire State Building e o Top of The Rock, dois pontos de observação mais antigos que ficam pertinho um do outro no centro da ilha. O espaço é todo coberto por vidro, então deve ser uma boa nos dias de clima ruim (peguei um clima tava ótimo, desculpa aí :P).

vista do one world observatory

vista do topo do one world

one world observatory

vista do one world observatory

Ah, e além das vistas tem outras atrações legais lá em cima. O Sky Portal, por exemplo: um vidro circular no chão, onde são transmitidas imagens em alta definição dos carros passando na rua lááá embaixo.

Outra parte legal é o City Pulse, apresentação recorrente em que um guia conta curiosidades sobre diferentes temas ligados a Nova York, tipo finanças, história e cultura.

Foi nessa apresentação que eu aprendi, por exemplo, que o Brooklyn tem a mesma população que toda a cidade de Chicago e que o Queens é o lugar mais etnicamente diverso do mundo. E até essa parte tem um toque de tecnologia, já que o guia fica no meio de umas telas interativas que vão mudando de acordo com os movimentos do cara. Vale a pena sentar e parar pra assistir. :)

sky portal no one world observatory

sky portal no one world observatory

Tá com tempo e gostaria de saber mais sobre o que tá vendo lá de cima? Então considere alugar o iPad One World Explorer, que me pareceu bem legal. Ele identifica pra onde você tá olhando e mostra na tela a mesma imagem que se vê através do vidro, indicando o nome dos lugares mais importantes entre mais de 40 locais.

ipad interativo

Se você clicar em cada nome, um vídeo dá “zoom” naquele lugar e explica um pouco sobre a história dele em vários idiomas, incluindo português. O aluguel do iPad custa atualmente 15 USD e pode ser feito na hora de comprar o ingresso ou lá em cima mesmo.

Ah, e dá pra curtir a vista enquanto você come ou bebe alguma coisa também. O One World Observatory conta com uma lanchonete, um bar e um restaurante (pra esse último, é preciso fazer reservas antecipadas). Só é possível acessar os restaurantes com ingressos pra o observatório.

vista do one world observatory

Pessoalmente, não dispensaria uma visita ao Top of the Rock porque curto muito a vista icônica de lá, bem em frente ao Empire State. Mas se você puder incluir mais de um observatório no seu roteiro por Nova York, acho o One World uma opção bem mais interessante do que o próprio Empire State – tanto pela vista diferente quanto pela experiência tecnológica. :)

Não vá para os Estados Unidos sem seguro viagem: um pequeno imprevisto pode custar milhares de dólares. Saiba como contratar um seguro confiável com desconto.

Informações práticas sobre o One World Observatory

Quanto custa?

A fila da bilheteria costuma ser grande e as entradas podem se esgotar, por isso o recomendável é comprar ingressos online. Atualmente o valor normal, com hora marcada e fila comum, é 34 USD, mas também tem opções de entrada VIP (56 USD) e sem hora marcada + VIP (67 USD). Não vi muita necessidade de comprar esses ingressos especiais. Pra informações atualizadas sobre preços de ingressos, acesse o site do One World Observatory.

Qual o horário?

O horário de funcionamento costuma ser das 9h às 21h, mas existem exceções, então o ideal é confirmar as informações atualizadas no site oficial. Deve ser legal ir por volta da hora do pôr do sol e ver a vista tanto diurna quanto noturna, mas como eu detesto ficar preocupada com horário quando tou viajando, prefiro marcar pra um dos primeiros horários do dia e depois seguir meu roteiro sem pressa.

Procedimentos de segurança

É bom lembrar que se trata de Nova York, e não por acaso os procedimentos de segurança nesses prédios costumam ser bem rígidos. Por isso, lembre-se de não levar malas, mochilas ou bolsas grandes, nem objetos cortantes (parece óbvio, mas eu ando com um pequeno canivete suíço na bolsa e tenho que me lembrar de tirar nesses casos :P).

A lista de itens proibidos também inclui cigarros, tripés, comidas e bebidas, como você pode ver aqui, mas levei um lanche e uma garrafa d’água na bolsa (como sempre) e não tive nenhum problema.

Como chegar?

Endereço: One World Trade Center, 285 Fulton Street
Esquina das ruas West e Versey, no sul de Manhattan (entrada pela West Street)
Metrôs: Chamber St. (linhas 1, 2, 3, A ou C) ou Cortland St (linhas N e R)
Veja mais informações sobre a localização do One World Observatory no site oficial

Como encaixar no roteiro?

Sugiro reservar umas duas horas pra esse passeio, contando com a fila da segurança, pra poder curtir com calma. Mas é claro que dá pra passar muito mais tempo, especialmente se você alugar o iPad e quiser saber mais sobre tudo que tá vendo (ou se for bem phyno e for no bar tomar uns drinques).

Antes ou depois de lá, sugiro que você vá no Memorial do 11 de Setembro (achei super bem feito e chorei umas quantas vezes), dê uma volta pelo Financial District (onde tem Wall Street, a estátua do Charging Bull etc.) e pegue a balsa pra Estátua da Liberdade. Fiz basicamente esse rolê, terminando na estátua no pôr do sol. Olha o roteiro no mapa:

Fiz o passeio pelo One World Observatory em junho de 2018 a convite da empresa. As opiniões presentes nesse texto são pessoais e não sofreram interferência. O Janelas Abertas preza pela transparência e sempre sinaliza todos os eventuais patrocínios e parcerias. Para saber mais sobre as políticas de monetização do blog, clique aqui.

 

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário