Destinos

O charme de Colmar, na Alsácia

Destinos | 27/11/14 | Atualizado em 22/05/17 | 7 comentários

Pouquíssima pesquisa prévia, um trem, um celular com GPS, uma caminhada, casas lindonas cobertas de plantas, três cervejas da Alsácia, casas enxaimel, um passeio de barco pelo canal, uma tarte flambée gratinada, outra caminhada, outro trem. Esse é basicamente o resumo do meu bate-volta pra Colmar, cidadezinha fofíssima a 80 km de Strasbourg, na Alsácia – uma das partes mais charmosas da França.

Ahh, Alsácia <3 Essa região foi objeto de disputas entre França e Alemanha algumas tantas vezes, o que resultou numa mistura de culturas muito fofa. As casinhas enxaimel – aquelas com hastes de madeira nas paredes, típicas de várias regiões colonizadas pelos alemães – são o exemplo mais óbvio, mas outras semelhanças tão na gastronomia. Algumas das delícias encontradas facilmente dos dois lados da fronteira são os pretzels (bretzels, em alemão) e a tarte flambée (ou Flammeküche), que vai fazer uma participação especial mais à frente.

Vai pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório pra entrar lá!
Clique aqui e saiba como contratar o seu com desconto.

Tá massa, mas e Colmar? Ela é a terceira maior cidade da região, depois de Strasbourg e Mulhouse, mas o centrinho turístico é bem pequeno e dá pra conhecer de boa em algumas horas. Se você estiver hospedado em Strasbourg, basta pegar um trem e em uma horinha você tá lá. Dá pra comprar os bilhetes pela internet, no site da SNCF, mas nem precisa: peguei o folheto com os horários no centro de informações turísticas que fica perto da Catedral e comprei a passagem na hora mesmo, na estação. A frequência de trens é grande e o preço não é alto: paguei 12,30 euros pra viajar no trem regional (TER Alsace).

10443268_10203063782701702_2787828648885494484_o

10499490_10203063783901732_2684306496046746959_o

1492416_10203063784421745_3570579346564263097_o

Depois de desembarcar na linda estação de trem, bastam uns 15 minutos de caminhada até chegar à Petite Venise (pequena Veneza), a parte mais famosa e encantadora da cidade. Os canais, as casinhas e as flores deixam tudo com cara de cartão postal. Sim, parece até um pouco fake. Sim, é muito obviamente romântico e turístico. Mas ó, coisa mais linda, viu? ^^

Cheguei depois do almoço e minha primeira ação, muito bem pensada, foi me sentar num winstub (bar/restaurante) à beira do canal e pedir uma cerveja local. E mais uma. E outra. hehe. Satisfeita, parti pra o passeio de barquinho pelo canal, que é bem no estilo das gôndolas ou do punting de Cambridge. O bilhete custa 6 euros e é vendido no próprio restaurante, Krutenau, na Rue de la Poissonnerie.

10397044_10203063784621750_3601130884543759823_o

10712534_10203063787621825_4382434526002279411_o

10469284_10203063788501847_5039490049428098728_o

Lá, eles anotam o número de pessoas que vão com você e lhe dão um papelzinho com a hora em que você deve embarcar. O passeio dura uma meia hora e é muito legal – no caminho, você vê várias das casinhas fofas de enxaimel, mas também algumas mansões que ficam um pouco mais afastadas e uma vegetação impressionante.

1275990_10203063789141863_527686254801695968_o

1412317_10203063790461896_5840195430799644979_o

10469312_10203063792021935_5737023598784008088_o

Depois de tanto descansar minhas doloridas pernas (exagerei nos primeiros dias da viagem), fui andar mais pela cidade. Caminhei sem rumo mesmo, porque são tantos detalhes fofinhos que não tem pra quê mapa ou endereço. Mas se quiser destinos certos, vale a pena dar uma olhada em alguma das igrejas ou casas bonitonas listadas aqui, dar um pulo no mercado coberto ou visitar algum dos dos museus da cidade.

O mais famoso é o Museu Bartholdi, casa onde morou Auguste Bartholdi, o escultor que criou a Estátua da Liberdade de NY. O outro é o Unterlinden, que fica num belo convento dominicano do século XIII e abriga obras de artistas medievais, do renascimento e peças de arqueologia, arquitetura, vitrais… Não tava muito na vibe de ir lá, mas se você for, me conta o que achou :D

10358961_10203063791781929_57921042382231168_o

10682325_10203063786901807_678309536901089534_o

Depois de umas andadas, o efeito da cerveja foi passando e as pernas voltaram a doer, então resolvi voltar ao bar/restaurante e comer a tradicional tarte flambée, que nada mais é do que uma massa fina circular ou retangular coberta por crème fraîche, tiras finas de cebola e bacon :D ^^ Pedi uma gratinée (com queijo), que custou 8 euros, parece muito mais gostosa do que a tradicional (nature) e super dá pra dividir com outra pessoa – como eu tava sozinha, tive que fazer o sacrifício de comê-la toda sozinha. Difícil.

Em tempo: se você é chegado num vinhozinho, se jogue, porque Colmar é um dos pontos principais da Rota dos Vinhos da Alsácia ;) Ah, e pra quem for à região perto do Natal, não deixe de conferir os marchés de noël <3  Esse ano, eles já tão funcionando e ficam abertos até dia 31. Mais informações aqui.

1801278_10203063794021985_6246614993927701320_o

Quer receber conteúdo exclusivo e gratuito sobre viagens?

Inscreva-se na lista de e-mails do Janelas Abertas e receba um e-book de 60 páginas com dicas para viajar só + check-lists para sua viagem + dicas inéditas a cada 15 dias.

Posts Relacionados

7 Comentários

  1. Leonardo

    Excelente artigo, Luísa! Deu-me vontade de conhecer esta região…

  2. Gilson Gariglio

    estou indo para a alsácia em abril/2017 não falo francês ,nem inglês, mas me viro. minha dúvida é se eu comprar o ticket de trem momentos antes do embarque eu tenho que validá-lo ? se tenho , como fazê-lo ?
    Outra dúvida é se eu corro o risco de não conseguir comprar o ticket de Colmar para Lyon na hora, por motivo de lotação do trem. alguém poderia me ajudar?

    • Oi, Gilson! Nas estações normalmente existe uma máquina onde você coloca o bilhete de trem e aí recebe uma espécie de carimbo com a data e hora, pra validação. Você pode perguntar pra alguém na estação pra ter certeza (podes falar “est-ce que j’ai besoin de valider mon billet” ou “do I need to validate the ticket?”, por exemplo). Sobre o ticket de Colmar pra Lyon não sei te dizer, mas você pode checar no site da SCNF qual é a frequência dos trens pra ter uma ideia melhor: http://www.sncf.com/ Se tiver tempo, vale passar no posto de informações turísticas de Strasbourg ou de Colmar (não sei se tem um lá, mas deve ter) pra eles te orientarem :) Um abraço!

  3. Pedro Tavares

    Ola Luisa,

    Vou visitar essa regiao no inicio de Dezembro16. Ficarei em Basileia, que sera a plataforma giratoria, e depois visitarei Colmar, Estrasburgo e Zurique. Algum conselho ou dica que possa dar. Mt Obrigado e Boas Viagens.

Deixe o seu comentário

Inscreva-se na newsletter do Janelas Abertas

Receba dicas e recursos de viagem de graça!

  • E-book de 60 páginas com dicas para viajar só
  • Check-list para viagens internacionais
  • Check-list para arrumar a mala
  • Newsletter quinzenal com conteúdo exclusivo

É só se inscrever na lista: