Dicas Práticas

Albergues: regras básicas de convivência

Dicas Práticas | 20/03/14 | Atualizado em 03/05/18 | 2 comentários

Um dos melhores exemplos práticos pra aquela história de que nossa liberdade termina onde começa a dos outros são os albergues – especialmente em quartos coletivos. Nesses lugares que misturam economia com socialização, o respeito ao próximo é mais do que fundamental. Muita gente evita esse tipo de hospedagem achando que vai passar perrengue, mas dividir o espaço com pessoas desconhecidas (às vezes de culturas, idades e gêneros diferentes) não precisa ser chato ou problemático.

Em dezenas de temporadas alberguísticas em diferentes cidades, passei por poucas experiências desagradáveis devido ao mau comportamento alheio e as que aconteceram acabaram virando anedotas. ;) O bom senso deveria ser suficiente pra determinar o que rola ou não rola de fazer, mas sempre vale a pena ficar atento a algumas regras básicas de convivência. Fiz uma listinha com algumas das principais, a meu ver:

Evite fazer barulho à noite

Não me acordo com muita facilidade, mas sei que muita gente sim. E uma das principais coisas a se respeitar num quarto é, obviamente, o sono alheio. Se estiver acompanhado, deixe pra conversar do lado de fora do quarto. Além disso, mesmo nas áreas comuns é bom tomar cuidado com o volume da voz, passadas as 22h. Mas não são só conversas que provocam barulho. Se precisar sair de madrugada, tente deixar as coisas arrumadas na noite anterior. E se chegar da farra bêbado, sei que pode ser difícil se controlar, mas faça um esforço ;)

~IMG_7911

Não deixe suas coisas espalhadas pelo quarto

Primeiro o óbvio: não ocupar gavetas e lockers específicos de outra pessoa, ou muito menos a cama alheia. Sim, já teve gente que colocou coisas em cima da minha cama, assim, como se o quarto inteiro fosse dele. Mas fora essas semnoçãozisses, também costumo evitar deixar tralhas nos espaços comuns, como mesas ou ganchos espalhados pelo quarto, especialmente se não houver espaço pra todos fazerem o mesmo. E é claro: nada de espalhar coisas pelo chão, porfa! Ainda mais porque seguindo o item a seguir até você mesmo pode se dar mal com isso.

Leia mais:

Albergues para iniciantes: tudo que você precisa saber
Albergues: vantagens e desvantagens
Albergues: coisas úteis para levar e facilitar sua vida e a dos outros
Albergues: dicas para escolher um que não seja uma roubada

Evite acender a luz à noite

Ninguém quer ficar tropeçando nas coisas ou batendo nas camas, mas pra muita gente a luz atrapalha muito o sono. Daí que eu fico superfeliz quando um albergue tem luz de leitura individual, porque curto ler alguma coisa antes de dormir, e assim fica mais fácil se mexer pelo quarto depois que o povo tá dormindo. Mas veja se a tal luzinha não é forte demais a ponto de incomodar todo mundo, e tente sempre evitar acender a “luz alta”. Pra conseguir achar alguma coisa ou simplesmente não tropeçar em possíveis tranqueiras alheias, o celular pode ajudar muito.

Seja simpático – ou pelo menos educado

Albergues são espaços de socialização por excelência e muita gente os procura querendo fazer amigos. Já dividi quarto com muita gente interessante, de senhoras com idade pra serem minhas avós a jovens “aventureiros”, passando por Paquitas do Parque da Xuxa :P É claro que você não é obrigado a conversar litros com ninguém, nem fazer juras de amizade eterna depois de ter compartilhado um beliche. Ainda assim, espero que o pessoal dividindo quarto comigo seja pelo menos educado, dando um “oi”, se apresentando e tal. Em quartos pra muitas pessoas é outro esquema, mas nos menores acho uó gente que entra e nem olha na minha cara. Sem falar que sei lá, vai que depois daquela quebra de gelo inicial você encontra o amor da sua vida? hehe.

Procure e reserve a melhor hospedagem para sua viagem com cancelamento grátis
Vai para o exterior? Veja como contratar um bom seguro viagem com desconto

Não deixe o despertador tocando por muito tempo

Tudo bem que você precisa acordar cedo pra ir pro aeroporto, ou simplesmente não consegue levantar antes do meio-dia sem a ajuda do seu celular (ops, a carapuça serviu por aqui), mas não precisa acordar o quarto inteiro junto, né? Interrompa o barulhinho – por mais simpático que ele seja – assim que acordar, pra atrapalhar o mínimo possível o sono alheio. Usar a função “soneca”, nem pensar, pelamor!

Não demore demais no banheiro

É claro que em certos momentos de emergência pode não ser possível controlar esse tempo, hehe. Mas se estiver usando um banheiro compartilhado, seja ele no corredor ou dentro do quarto, tente não demorar tanto tempo no banho ou se ajeitando. Se possível, deixe pra finalizar as arrumações do lado de fora, afinal, pode ter gente esperando pra usar o dito-cujo.

Mantenha o ambiente limpo

Essa vale pra o banheiro, pra as áreas comuns em geral e até pra sua cama. Uma das raras situações chatas que vivi num albergue envolveu duas meninas porcas ao ponto de a sujeira que elas deixavam nas próprias camas (o que incluía – pasmem – restos de comida) incomodar o quarto todo. Por favor, não seja essas meninas!

~IMG_7915

Não transe no quarto coletivo

Essa felizmente nunca aconteceu comigo, mas já ouvi muitas histórias de surpresas pouco agradáveis envolvendo casais empolgados em ambientes compartilhados. Da amiga que entrou no quarto e viu um par de calças jeans “em pé” no chão e quatro pés se movendo no beliche de cima ao amigo que acordou no meio da noite com o balanço da cama. Você pode até topar com um voyeur que curta a vibe “lugares públicos” do casal, mas a maioria das pessoas não tá a fim de testemunhar momentos privados dos outros, né? Certamente você encontra outro lugar pra isso, como um quarto privativo no próprio albergue (vale o investimento, vai).

Mantenha-se limpo

É uma questão básica de higiene, mas com base em depoimentos meio assustadores de amigos percebi que pode ser necessário dar esse toque: tome banho, lave suas roupas, enfim, não fique todo fedido no quarto. Especialmente se você quiser fazer amigos. :P

Respeite a área comum

Mesmo pra quem escolhe quartos privativos, o contato com outros hóspedes acaba rolando na sala comum, na cozinha, no bar, no espaço pra café da manhã… Seja como for, segue o bom senso: não pegue comidas dos outros na geladeira da cozinha compartilhada, lave tudo que usar logo depois de cozinhar (pelo menos se a cozinha estiver cheia, já que enquanto você come pode ter alguém querendo usar aquela frigideira), não passe tempo demais no computador compartilhado e não pegue oito livros da estante de “book exchange”. Respeite o coletivo! :)

O que eu deixei de fora? Você já passou por algum perrengue porque o pessoal não respeitou alguma dessas regras? Me conta aí nos comentários.

Contrate seu seguro viagem com desconto na Mondial Assistance
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

2 Comentários

  1. Gabriel

    Olha, li a maioria dessas regras e concordo! Elas também valem muito bem para pensionatos, aonde os quartos são geralmente divididos, em duplas!

    • Luísa Ferreira

      É verdade, Gabriel! Em qualquer situação de compartilhamento de quartos, né? Ainda mais quando as pessoas são total desconhecidas mesmo. Um abraço!

Deixe o seu comentário